domingo, outubro 11, 2009

Talvez a única forma de combater o caciquismo e a corrupção autárquica seja admitir que os candidatos se eliminem mutuamente.


***************************

Crime em Mondim de Basto

O dia eleitoral ficou hoje marcado pelo homicídio do marido da presidente da Junta de Freguesia de Ermelo, concelho de Mondim de Basto, distrito de Vila Real de Trás os Montes. António Cunha, autor do crime e candidato do PS à freguesia de Ermelo, encontra-se a monte.

António Cunha, candidato do PS à Junta de Freguesia de Ermelo, terá disparado contra Maximino Clemente, marido da actual presidente da Junta - Glória Clemente - e recandidata pelo PSD ao terceiro mandato. "Ele quando percebeu que a minha sogra ia ganhar outra vez, fez isto... nunca se conformou em ter perdido a Junta...ele sempre usou e abusou dos dinheiros públicos...", acusa Armindo Henrique, genro da vítima mortal.

António Cunha, 61 anos, foi presidente da Junta de Freguesia de Ermelo durante dois mandatos, acabando por perder o lugar para Glória Clemente. Entre eles era conhecida alguma animosidade devida a divergências quanto à gestão dos bens da Junta. Já a contar com alguns possíveis desentendimentos, a GNR tinha preparado para o dia de hoje um reforço de vigilância para as duas mesas de voto da freguesia de Ermelo.

Segundo testemunhas no local, Maximiano estava na sala da assembleia de voto a ultimar os preparativos para as eleições, quando António Cunha entrou com uma caçadeira encostada à perna e, sem explicações, terá disparado um tiro que atingiu mortalmente António Cunha na cabeça.


***************************

E uma luz ao fundo do túnel


Parabéns Felgueirenses. Souberam dar uma verdadeira lição de inteligência à grande maioria dos cidadãos deste país.
.

6 comentários:

Helena Simões disse...

É muito mais fácil fintar os juízes do que os felgueirenses! A Fatinha já deve estar a comprar o bilhete de ida de avião para o Brasil não vá o diabo tecê-las.

manuel gouveia disse...

Felgueiras é a prova de que deve ser por essa via que os candidatos devem ser "eliminados"...

Anónimo disse...

preferem aquele facho que ganhou, é?

Zorze disse...

Diogo,

O caso de Mondim de Basto, já vinha de antigas desavenças familiares acerca da disputa de terrenos. A política local foi o mote para exacerbar comportamentos.

Em relação a Fátima Felgueiras, exulto a sua pesada derrota, grandes Felgueirenses!
Os Almadenses, também castigaram fortemente, a experiência laboratorial, Paulo Pedroso. Bem feito!
Isaltino e Valentim, sobreviveram. Mas, felizmente, são os seus últimos mandatos.

Abraço,
Zorze

Diogo disse...

Helena, Os felgueirenses deram uma lição aos juízes do caso Felgueiras. E também a muitos outros eleitores a quem não repugna votar em corruptos.


Manuel Gouveia, Felgueiras foi a excepção. A regra continua se ser, infelizmente, outra.


Anónimo, Qual facho?


Zorze, o testemunho de um insider - Armindo Henrique, genro da vítima mortal: "Ele quando percebeu que a minha sogra ia ganhar outra vez, fez isto... nunca se conformou em ter perdido a Junta...ele sempre usou e abusou dos
dinheiros públicos...".
Quanto ao Pedroso, não o sabia, mas gostei.

Ana Camarra disse...

Diogo

Voltei!
E também posso dizer que ganhei e que no meu caso a Autarquia é que faz do meu dinheiro um bem público, adiante.

O crime pela manhã deixou-me estarrecida eu a abrir mesas de voto e saber essas coisas, como é possivél?
Estamos no séc XXI! Mais ou menos.

A Fátima, aleluia, aleluia!


Beijos