segunda-feira, janeiro 06, 2014

Eusébio - a arte não se reduz à escrita, à poesia, à música, à pintura, à escultura ou à representação...


A morte de um génio


Eusébio (1942 - 2014)



*****************************************************



E o discurso de uma mentecapta


A presidente da Assembleia da República - Assunção Esteves


Record - 6 janeiro de 2014

A presidente da Assembleia da República admitiu esta segunda-feira que o parlamento "não deve fechar" a hipótese de os restos mortais de Eusébio serem depositados no Panteão Nacional, decisão que cabe aos grupos parlamentares.

Questionada pelos jornalistas na Assembleia da República, Assunção Esteves sublinhou que "a questão do Panteão depende de uma decisão do parlamento, não depende de uma iniciativa da presidente nem do poder da presidente, depende do poder dos grupos parlamentares".

A colocação no Panteão Nacional do corpo do antigo futebolista, que morreu este domingo, aos 71 anos, "é uma questão de capacidade e de iniciativa interna ao parlamento", destacou, lembrando que, normalmente, são os grupos parlamentares que apresentam uma proposta nesse sentido.

Sublinhando falar em nome pessoal, Assunção Esteves acrescentou: "Essa possibilidade poderá realizar-se, eventualmente, num médio prazo ou num curto prazo. Não excluo que haja essa iniciativa pelas razões evidentes, que todos nós conhecemos, que é a singularidade de Eusébio", salientou.

A presidente da Assembleia da República sublinhou que esta operação envolve "custos mesmo muito elevados, na ordem de centenas de milhares de euros", a suportar pelo orçamento do parlamento.

Sobre este ponto, Assunção Esteves sugeriu uma "partilha de custos", ao abrigo de "uma espécie de mecenato", que em Portugal ainda não está suficientemente desenvolvido, admitindo que o processo não seja suportado pelo parlamento, mas por "um grupo de cidadãos ou uma associação".

"Penso - é a minha opinião, provavelmente estou a ser muito temerária - que o parlamento não deve fechar essa hipótese, desde que haja uma razão para as coisas. A partilha nos custos, sobretudo em termos de crise, é uma cultura que também temos de começar a explorar", sustentou, falando aos jornalistas no final da sessão de abertura do Seminário Diplomático, que decorre hoje e na terça-feira na Assembleia da República.

18 comentários:

PO disse...

Ó Diogo,esse post é a constatação de que os homens não são todos iguais.

Isso contradiz a tua teoria do igualitarismo e da democracia.

Diogo disse...

PO: Os homens são todos iguais na sua condição humana – e é esta que se sobrepõe a todas as outras. De resto, não há dois homens iguais. Isto em nada invalida a democracia directa.

Diga-me, você compreenderia estar numa situação de escravatura ou em que a sua opinião não tivesse peso nenhum numa decisão colectiva sobre um assunto que lhe dissesse respeito?

PO disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Pedro Lopes disse...

Eu tenho bastante respeito pelo Eusébio. Não era do meu clube mas isso agora não interessa para nada.

Tenho respeito por ser em primeiro lugar um excelente jogador(está no top 10 de todos os tempos).

Em segundo lugar pelo seu carácter como pessoa. Era uma pessoa pura. Ele dizia mesmo o que pensava sem se armar em chico esperto.
Nunca o ouvi queixar de racismo, nem de fascismo nem essas tretas marxistas do costume. Nem andou a apoiar movimentos terroristas.

E claro, concordo com o "PO" em praticamente tudo.

Quem fez mais pelo pais, o Eusébio ou o Soares culto e civilizado?

Existe alguma fundação Eusébio a mamar dos impostos dos Portugueses?

Vi um artigo num jornaleco qualquer desses do regime, a falar de Eusébio e do colonialismo aproveitando para dar umas machadadas no regime anterior e chegando ao ponto de classificar os Portugueses racistas. Mas foi precisamente esse regime e os Portugueses que permitiram ao Eusébio vir a ser uma estrela.

Treinou em moçambique? Quem fez os estádios?
Veio para o Benfica que o acolheu bem, onde era respeitado e acarinhado por todos.


Thor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Diogo disse...

Apaguei o comentário anterior, escrito por um indivíduo de nome Thor e que começava assim:

«apesar dele ser negro, nada tenho contra o Eusébio enquanto pessoa. »

O racismo alarve dá-me vómitos. Acho que não é necessário dizer mais nada…

Thor disse...

lol Diogo, és um grande cromo, porque do meu comentário todo só lês a parte que queres ler.
não sou muito racista sequer, sou sobretudo racialista. mas isso tu não compreendes.

agora, apagares um comentário
inteiro em que até elogio o Eusébio só porque disse que ele era negro (uh que ofensa)...

o próprio Eusébio disse que ficava ofendido era se lhe chamassem branco e não negro, pois se ele era negro, devia ter e tinha mesmo orgulho nisso e é assim que deve ser.
até chamou estúpido ao Alan do Braga por causa disso e com razão.

o Eusébio não alinha em mariquices, paneleirices, politicagens correctas e marxistices.

Pedro Lopes disse...

"O racismo alarve dá-me vómitos. Acho que não é necessário dizer mais nada…"

Diogo,

Desculpa lá mudar de tema(já expressei a minha opinião sobre o Pantera).

Mas não posso de deixar de te dizer que o racismo mais perigoso hoje em dia é o racismo anti-branco.
É o mais perigosos porque ele é financiado com milhões de dólares e euros pagos por contribuintes.

Enquanto que esse racismo de mandar umas bocas sobre pretos ou amarelos é praticamente inofensivo, pois é apenas exprimido por uma pequena percentagem de pessoas isoladamente e sem um programa concreto e ofensivo contra outras raças e não tem qualquer efeito prático.

Enquanto que o racismo anti-branco, promovido pelas elites internacionais(tu sabes de quem estou a falar) já ceifou muitas vidas, e é genocida por natureza.

Portanto se te enjoa o racismo, pelo menos que te enjoe também este racismo que falei.

Thor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Thor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Diogo disse...

Thor disse... «lol Diogo, és um grande cromo, porque do meu comentário todo só lês a parte que queres ler. Não sou muito racista sequer, sou sobretudo racialista. Mas isso tu não compreendes. Agora, apagares um comentário inteiro em que até elogio o Eusébio só porque disse que ele era negro (uh que ofensa)...»

Diogo: Não Thor, o que disseste foi que «apesar dele ser negro, nada tenho contra o Eusébio enquanto pessoa.». O que significa que: independentemente dele ter um defeito abjecto qualquer, tu nada tens contra ele como pessoa.


Pedro Lopes: «o racismo anti-branco, promovido pelas elites internacionais (tu sabes de quem estou a falar) já ceifou muitas vidas, e é genocida por natureza. Portanto se te enjoa o racismo, pelo menos que te enjoe também este racismo que falei.»

Diogo: E quem são esses que perfilham um racismo anti-branco?

Luz13 disse...

Oi, Veja as previsões de Aline, da Cidade das Pirâmides, para o ano de 2014. https://www.youtube.com/watch?v=6v_iFO6_dyc Abçs

Pedro Lopes disse...

Diogo: E quem são esses que perfilham um racismo anti-branco?


Estes aqui,


http://i.imgur.com/aCHJoPH.jpg

http://edwardmd.files.wordpress.com/2013/06/goyim-born-to-serve-israel.jpg

E os( e as) canalhas liberais e marxistas que lhes lambem as botas. Por exemplo.

http://4.bp.blogspot.com/-uomzm_O6DjQ/Ul6xkzDZjsI/AAAAAAAAAgk/J1UciJW562U/s640/tumblr_muqonkpNeg1sioa0ko1_1280.jpg

Mas tens muitas mais evidências. Tens ONGs anti-racismo, pagas pelo contribuinte que são uma mera frente de racismo anti-Europeu.

Pedro Lopes disse...


E tens também situações em Portugal.
Algumas câmaras por exemplo na atribuição de habitação social dão preferência a estrangeiros que a Portugueses. Isto ouvi de um funcionário de um balcão da câmara de Lisboa.

PO disse...

Pedro Lopes,se fores um nativo,Lusitano ou Lusitana de gema, nascido e criado em criança aqui, formado nas escolas com os impostos dos outros nativos,e em jovem seres uma mais valia para a nação não só como continuagem da linhagem, mas também como trabalhador e potencial reprodutor, o estado anti-nacional dá-te um pontapé no cú e diz-te para ires emigrar.

Caso fiques cá, ficas a recibos verdes e com carga fiscal pornográfica e vês-te sem hipótese de ter a tua casa e de te reproduzires.

Mas se fores um não-nativo,traficares droga,roubares no metro e comboios,cantares "morte ao tuga" nas tuas letras de rap, aí recebes um cheque de de mais de 500 euros por mês.

Pago pelo partidos?
Claro que não.

Pago pelos contribuintes,os nativos.
Ou seja,os contribuintes são roubados pelos não-nativos(judeus na política e bancos) em grande escala,e depois numa menor escala pela parasitagem toda não-nativa maioritariamente do terceiro-mundo.

Isto não é racismo claro está.

Racismo é tu teres orgulho na tua etnia,na tua nação,e achares que tens o direito de ser livre na tua própria nação e de viver nela até morreres, e te reproduzires aqui para continuar sempre a linhagem porque sem nativos com consciência étnica não há nação.

Racismo é seres adepto da máxima "em minha casa(nação neste caso) mando eu".

Qualquer dia a escumalha inventa o termo "pedófolico", que é para os que oprimem os coitadinhos dos pedófilos que apenas querem violar menores à vontade.

O que vale é que a crise é uma faca de dois gumes.
E os pilares da presente oligarquia começam todos a ruir....


Thor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Thor disse...

"Não Thor, o que disseste foi que «apesar dele ser negro, nada tenho contra o Eusébio enquanto pessoa.». O que significa que: independentemente dele ter um defeito abjecto qualquer, tu nada tens contra ele como pessoa."


se tivesses lido o resto do meu comentário comprido, ias ver que disse muito mais coisas do que isso.
e não é questão de ser defeito abjecto, é questão de que o Eusébio não é nativo, mas isso não invalida que o Eusébio deva ter orgulho naquilo que é e na sua raça.
tal como nós devemos ter orgulho em ser brancos.

Anónimo disse...

Parece que a moléstia da bola também afecta o Dogo,que parece sempre tão racional.Ehehe.
A clubite dá cabo do canastro aos tugas.