segunda-feira, outubro 19, 2015

A colossal corrupção política em Portugal exposta na Grande Entrevista da RTP a Paulo Morais (actual candidato a Presidente da República).



Paulo Morais, professor universitário - Correio da Manhã – 19/6/2012


[...] "Estas situações de favorecimento ao sector financeiro só são possíveis porque os banqueiros dominam a vida política em Portugal. É da banca privada que saem muitos dos destacados políticos, ministros e deputados. E é também nos bancos que se asilam muitos ex-políticos." [...].

[...] "Com estas artimanhas, os banqueiros dominam a vida política, garantem cumplicidade de governos, neutralizam a regulação. Têm o caminho livre para sugar os parcos recursos que restam. Já não são banqueiros, parecem gangsters, ou seja, banksters."


******************************



A grande corrupção em Portugal na Grande Entrevista da RTP com Paulo Morais (actual candidato a Presidente da República).

Nesta entrevista é descrita toda a corrupção dos Partidos Políticos do Poder (ou melhor, do Arco da Corrupção), desde Cavaco Silva até hoje. São descritos minuciosamente os crimes e nomeados os criminosos, sem papas na língua.

Em suma, Paulo Morais fala da Expo 98, dos Estádios do Euro 2004, das Parcerias Público-Privadas, do Urbanismo, dos Grandes Escritórios de Advogados, dos Submarinos, das Privatizações, dos Bancos, da Dívida, etc.

Paulo Morais é vice-presidente da TIAC (TIAC – TRANSPARÊNCIA E INTEGRIDADE, ASSOCIAÇÃO CÍVICA é uma organização não governamental que tem como missão combater a corrupção. A TIAC é a representante em Portugal da rede global anti-corrupção Transparency International),

Paulo Morais, é o convidado da Grande Entrevista da RTP Informação de 26 de Novembro de 2014. Face aos escândalos de corrupção que teimam em vir a público, o que deve o país fazer para assegurar um sistema político limpo e uma justiça atuante? Entrevista de Vítor Gonçalves.

Neste Vídeo, publicado a 26/11/2014 na RTP, é tudo posto a limpo. Os Portugueses ficam a saber quem são os criminosos e as falcatruas assassinas que provocaram as dificuldades imensas que assolam os portugueses.


Clicar em: Vídeo RTP


32 comentários:

Jorge Pina disse...

Portugal está pejado de situações de favorecimentos, que usurpam os recursos do país, tais como PPP, concessões, etc., que é inimaginável concebe-las sem actos de corrupção.

A “falta de provas” é a zona de conforto dos corruptos, e o silêncio resultante determina o sucesso desses actos.

Daí a importância de que hajam cidadãos, tal como o Prof. Paulo Morais, que arriscam o seu nome e prestígio dando a voz e a cara pela transparência, que questiona em voz alta aquilo que apenas sussurramos, sem o medo e o comodismo da maioria.

Filipe disse...

Acredito que o Paulo Morais é um “cruzado” contra a corrupção.

Tal é incómodo para as seitas de corruptos, vulgo parasitas e chicos espertos, praticantes da mixordice desde o nível governamental até às Junta de Freguesia passando obviamente pela Assembleia.

É o LIXO do País ou, como afirmado pelo candidato, é um negócio equiparado à traficância. Bom, esta também é corrupção e até há quem viva e bastante bem dela e outros muito mal com ela.

Na corrupção, enfim há os que medram e, maioritariamente os que se tramam.

MUITO ATENTO disse...

Quando um regime treme, nada melhor que um (pseudo)cruzado inserido no sistema e representado o papel de dissidência, ao mesmo tempo que faz propaganda à democracia, é convidado em TODOS os média, e por vezes vai também à associação 25 de Abril confraternizar com os seus amigos maçons e falar contra a corrupção(viva a hipocrisia).

Paulo Morais é a melhor coisinha que o sistema tem, e por isso mesmo o sistema dá-lhe tempo de antena.
É que sem Paulos Morais, as pessoas viram-se para os militares...E isso pode ser chato para o sistema(zog).

Diogo disse...

Caro MUITO ATENTO,

1 – Em primeiro lugar é muito raro ver Paulo Morais na televisão. Só o tenho visto no Youtube. Se o regime quisesse um cruzado a soldo dar-lhe-iam mais tempo de antena.

2 – As acusações que Paulo Morais faz são tão graves, explicando detalhadamente quem roubou e como roubou, que é impossível não ouvir o que ele diz e não sentir um profundo sentimento de revolta.

Miguel Pires disse...

O prof. Paulo Morais não se pode esquecer que toda a acumulação capitalista resultou da exploração extrema = esclavagismo; colonialismo; exploração laboral; roubo; corrupção e atividades criminosas de diversa índole. A colossal corrupção na banca não é mais do que o culminar da acumulação capitalista. Falar de corrupção sem falar do sistema em que se insere é esquecer o essencial.

MUITO ATENTO MESMO disse...

rtp,rtp informação,sic,sic noticias,tvi,tvi24.
Chega-te Diogo?

Não dizes que os média estão a soldo da máfia?
Então porque lhe dão tempo de antena?
Huummmmmmm.....

https://www.youtube.com/watch?v=aiTSJekHbxQ

Mas pera lá...Então o Vasco Lourenço não é maçom?
Huummmmmmm.....

Diogo disse...

Caro MUITO ATENTO MESMO,

A máfia gosta de mostrar algum pluralismo e divergências (controladas) para que o pagode fique convencido de que vive em liberdade.

Só que Paulo Morais já passou muito para lá disso.

Não é por acaso que só muito raramente aparece na televisão...

Thor disse...

o Paulo Morais é oposição controlada.

ele é muito democrata.

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...

Thor, o Diogo não vai lá...

A retórica do Paulo Morais é mais ou menos assim: "Eles são corruptos e tal, e isto não é uma democracia madura". "Isto é tanta corrupção,blá,blá...Isto é tudo muito anti-democrático."

De facto a lavagem cerebral que ele faz até é bastante sofisticada:

Ele sempre que critica algo, logo de seguida elogia a democracia.
Apesar do que ele critica ser tudo consequências da democracia. Mas obviamente ele deturpa a realidade dizendo que tudo é consequência de "fraca democracia" e/ou que a solução é "mais democracia".

Com isto induz no subconsciente do gado que democracia tem sempre uma conotação positiva, e ausência de democracia tem sempre uma conotação negativa.


Isto é quase a mesma coisa que dizer:

"A culpa é deste tentáculo, não do polvo."
"O problema está neste pedófilo, não na pedofilia em si."

Ou seja, ele fingindo-se dissidente, está sempre a puxar os galões ao sistema.
E o que é o sistema? O sistema é a democracia.
E o que é a democracia? A democracia é a forma ideal de ocupação sionista sobre a Nação goyim.


Ele é tipo um Alex Jones versão soft.

O Alex Jones faz um papel algo semelhante:

"A oligarquia financeira e tal,blá,blá,blá..."
Mas quem é essa oligarquia financeira? O Alex Jones já não diz; e então mistura conceitos e frases como "Fascismo financeiro", "Nazismo económico",etc...

Ora a oligarquia financeira é judia, mas ele sabendo disso, inverte as coisas e acusa essa mesma oligarquia de "Fascismo" e "Nazismo".
Tudo para no subconsciente das massas as palavras "Fascismo" e "Nazismo" terem conotação negativa, quando foram precisamente estas duas ideologias que lutaram contra a oligarquia financeira internacional.

Outra cena que ele faz no que diz respeito à lei das armas, é ir à CNN fazer-se de defensor do direito de ter armas, mas ao mesmo tempo ir para lá aos berros e dizer coisas sem sentido nenhum, enquanto o entrevistador está muito calmo e com uma retórica calma e obviamente previamente combinada, para se montar o cenário de que todos os defensores de porte de armas são gajos desequilibrados sem saber pensar e argumentar.

E isto claro, enquanto diz que o confisco de armas é uma medida "Nazi".
Quando o Hitler fez questão de armar os seus cidadãos nativos, e mesmo antes de ter chegado ao poder ter acusado os conservadores Alemães da dita "direita" de terem cedido à entrega das armas por parte do povo Alemão após a 1ªGuerra mundial.

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...

E depois claro, a retórica demagógica habitual:

Utilizam o termo "racista" para deitarem abaixo verdadeiras oposições ao sistema.
Mas nunca definem "racismo". Nunca falam no racismo anti-nativo. Nunca falam no racismo talmudista.

Utilizam o termo "xenofobia". Mas nunca utilizam o termo "xenofilia".
E Israel claro, nunca vem ao tema. Aquilo que eles fazem aos palestinianos não é xenofobia, mas apenas "preservação da sua identidade".
Israel também tem direito a ter fronteiras e as proteger como bem entender.
Todas as outras Nações já não. Israel também tem o direito de ser um Estado étnico. Todas as outras Nações já não.

Utilizam também o termo "anti-semita" para mais uma vez deitarem abaixo verdadeiros oposições ao sistema.
Mas nunca definem o que é ao certo "anti-semitismo". Pois tal definição deitaria por terra toda a sua acusação; já que os Palestinianos são semitas, e quem mais mata Palestinianos no mundo são precisamente os judeus. E como tal ficaria demonstrado ao público o ridículo de judeus acusarem os outros de anti-semitismo, quando são precisamente os judeus que mais semitas matam no mundo.
Ah, e claro que o "Anti-Arianismo" também é termo que não se fala.


O Diogo claro que não atinge isto.

Ele acha "normal" por exemplo o PNR apesar de ser direita desenvergonhada, mas não extrema-direita nem nada que se pareça(A Extrema-Direita Fascista usa acção directa sobre opositores, e é revolucionária), ser muito consideravelmente boicotado pelos média em Portugal, mas o grande cruzado Paulo Morais ser convidado em todos os canais públicos e privados.

Ou um exemplo mais flagrante: O Golden Dawn da Grécia(esse sim um partido "Hardore") simplesmente não existe na Grécia de acordo com a narrativa dos médias sionistas em Portugal.
Falam de todos menos dele. Mostram no telejornais intervenções de deputados de vários partidos Gregos, mas nunca do Golden Dawn(apesar de ser a 3ª maior força política na Grécia).
Só falam se for para deitar abaixo, como foi o caso da notícia das suas detenções.
Apesar dessa detenções funcionarem como "detenções de honra", já que as mesmas provam como realmente é tratado um partido anti-sistema.


E alguém já ouviu o termo "sionismo" nos médias (anti)Portugueses? Não, pois não?
Porque será?


Mas o Diogo não vai lá obviamente.
O Diogo que se diz um homem de "progresso", não quer saber de factos.
A sua vontade é uma espécie de fé(irracional) que todos tenta converter com ela.


"A democracia directa salva o país."
Porquê? Como? Isso não interessa... Salva "porque sim"! Porque o Diogo quer assim.



"Não é por acaso que só muito raramente aparece na televisão..."
Então mas o Paulo Morais não vai a TODOS os canais? Vai pois...
Mas isso são factos. E o Diogo não quer saber de factos. Logo aparece muito raramente na televisão porque o Diogo assim o diz, e quer que assim seja, e quer assim "porque sim."

Thor disse...

o Alex Jones apesar de também ser falsa oposição, chega a um ponto que o Paulinho Morais jamais teria coragem de chegar.

o Alex Jones de facto, quase ignora o sionismo (eu disse quase, não a 100%) e culpa o nazismo de coisas absurdas que só a escumalha judia faz...
mas enquanto que o Paulo Morais fica só naquela conversinha de dinheiro e corrupção e não sei quê, o Alex Jones vai muito mais longe e denuncia a cena dos chips, do envenenamento das àguas e alimentos, dos casos Monsanto, as vacinas, os atentados false-flag, fraudes eleitorais, etc, etc
tudo coisas que o Paulinho Morais jamais teria coragem de enfrentar, pois ele só fala de dinheiro e corrupção.

e uma vez ou outra, o Alex Jones manda bocas à mossad e às 'máfias judaicas'...não sei se é para disfarçar ou não, mas que ele já o fez, fez.

apesar de tudo, não tem comparação.

Anónimo disse...

https://www.youtube.com/watch?v=jTjnihrKlYQ

Thor disse...

"Ele acha "normal" por exemplo o PNR apesar de ser direita desenvergonhada, mas não extrema-direita nem nada que se pareça(A Extrema-Direita Fascista usa acção directa sobre opositores, e é revolucionária), ser muito consideravelmente boicotado pelos média em Portugal, mas o grande cruzado Paulo Morais ser convidado em todos os canais públicos e privados."


realmente...é como os Louçãs, Daniéis Oliveiras, Bernardinos Soares e outros que tais, dizerem-se 'oposição ao sistema', mas depois andam na Sic notícias do Balsemão e outros que tais, a discutirem o ponto da situação do país na maior das calmas e frente-a-frente com os PSDs, PSs, CDSs.
é inacreditável como é que há tansos que acreditam mesmo que esses anormais são 'oposição' ao que quer que seja.

N disse...

"Damage control" Thor. Se o Alex Jones não falar, surge um William Pierce a falar.
Há que conduzir o rebanho, e o Alex Jones faz de pastor para o gado.

Senão é como disse Junger:

“se as grandes massas fossem tão transparentes, tão bem articuladas nos seus átomos, como o declara a Propaganda, precisar-se-ia tanto de Polícia como um pastor de cães para conduzir o seu rebanho. Não é este o caso, porque há lobos, que se ocultam nos rebanhos, quer dizer: naturezas que ainda sabem o que é a liberdade. E estes lobos não são apenas vigorosos em si mesmos, como também pode dar-se o perigo de as suas virtudes, numa bela manhã, se comunicarem às massas, transformando-se então o rebanho em alcateia. Isto é o pesadelo dos detentores do poder”.

Thor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thor disse...

aconselho que ouças os áudios antigos do Bill Cooper, N.

ele não era um dos nossos, não era racialista, nem nacionalista identitário, mas também não me parece oposição controlada, isto é, não me parece que estivesse ao serviço da máfia, apesar de também fazer vista grossa com os judeus.

mas também não dizia que as coisas que aconteciam eram culpa dos nazis, como o cabrão do Alex Jones. o Cooper acreditava nos 'iluminatti'.

e não defendia propriamente os judeus até porque atacou israel e a ADL. só não percebia ou não queria perceber o papel dos judeus nisto tudo.
mas uma prova de que não era oposição controlada, é que foi morto 2 meses depois do 11/9 ao pé de casa.
ele era patriota e fanático pró-armas, pena que não ligasse nada à raça Ariana e que fosse anti-nazi.
ele anteviu o 11-9 com 2 meses e meio de antecedência. ele era muito inteligente, esclarecido e conhecedor das coisas.

actualmente, dentro do que existe, o melhor ainda vai sendo o David Duke, que pode ter defeitos, mas vai dizendo muitas verdades sobre como as coisas se passam.

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Não vou colocar aqui o meu nick para não me identificar.

Encontrei uns textos de uma pessoa que sabe bem por dentro o que se passa.

Esta a ser construída uma ordem Socialista cujo fim único é materializar o Governo do Rei de Israel.

Existe contudo uma Obra que se opõe com todas as forças a esse Governo. São os sábios da religião antiga do povo Ariano, cujo nome actual também prefiro ocultar.

Portugal também poderá desaparecer nas próximas décadas, o acordo ortográfico faz parte dos planos por razões que fogem ao âmbito desta discussão. Provavelmente vão metê-lo numa União republicana ibérica se a UE cair, queda essa que é desejada por aqueles cujo nome não pode ser dito. A Catalunha independente faz parte dos planos para acabar com a Monarquia espanhola, instalar a república do avental e depois criar a união com Portugal.

Acrescento que a Madeira foi tomada por gente pouco recomendável e poderá ficar independente para depois ser uma marioneta de interesses obscuros. O objectivo é controlar a ZEE e formar dois pilares de controlo do Atlântico, Açores e Madeira, com um terceiro pilar em Gibraltar.

Em Portugal muita gente sabe isto tudo mas está calada com medo de ser ridicularizada.

Anónimo disse...

«Paulo Morais é a melhor coisinha que o sistema tem, e por isso mesmo o sistema dá-lhe tempo de antena.
É que sem Paulos Morais, as pessoas viram-se para os militares...E isso pode ser chato para o sistema(zog).»

Quais militares?

Os que traíram os interesses de Portugal depois do 25 de Abril?

Os que estavam preparados para entregar o país à URSS?

Os que agora estão mais preocupados com a reforma e o salário do que com o interesse supremo da nação?

Lamento mas militares de fibra como tivemos durante séculos já são poucos.

Anónimo disse...

E acrescento.

O Socialismo PS e companhia limitada dito por quem sabe muito e está dentro do que não imaginam é Matriarcal e tem um propósito, tornar a sociedade efeminada para ser mais fácil de controlar.

Thor disse...

lol Zephyrus, mesmo não assinando és inconfundível ;)

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...

Zephyrus...

Houve muitos militares traidores.
Houve muitos militares que assobiaram para o lado.
Houve muito poucos que se mantiveram leais.

É um facto, e não vale a pena não enfrentar a História como ela foi, caso contrário não se evoluiu.


Mas como deves saber um militar é acima de tudo um ser humano.
É condicionado por aquilo que vê, que lê, que ouve, e por quem lhe chefia.


É preciso contextualizar a época. Acredito piamente que mais de 95% dos militares que fizeram a cagada do 25 de Abril, foram todos manipulados.

Afinal de contas que jornais eles liam?
Quais os média que viam?
Havia informação alternativa? Quanta? Qual a sua qualidade? Qual o seu acesso?

Quantos pensadores políticos de elite havia em Portugal de forma a criarem uma Terceira via que se opusesse tanto ao liberal-capitalismo, como ao marxismo?


Posto isto, é fácil concluir que todas as condições eram de facto favoráveis a que os militares fossem usados como peões, num tabuleiro que não percebiam quais os verdadeiros jogadores por detrás dos bastidores.

"Military men are dumb, stupid animals to be used as pawns for foreign policy."
-henry kissinger


Neste momento estão-se a formar outro tipo de militares.
Gente que sente com o coração ao invés da carteira.
Gente que pensa com o cérebro ao invés do intestino grosso.


É preciso é haver capacidade de autocrítica e responsabilidade.

Quem fez o 25 de Abril não foi o povo, mas sim a instituição militar.
Quem tem por isso responsabilidade moral e histórica de nos tirar desta cagada, é precisamente a instituição militar.


Zephyrus, mal vai o povo que está contra o seus próprios militares e vice-versa.
Isso apenas serve os propósitos dos inimigos da Nação.

É preciso é saber separar as maçãs boas das maçãs podres, e não julgar o cesto todo de forma depreciativa.


O povo nativo deve respeitar e ter orgulho nas suas Forças Armadas, e estas devem fazer por merecer esse mesmo respeito e orgulho.
É este o equilíbrio perfeito que se procura atingir.

Anónimo disse...

«O povo nativo deve respeitar e ter orgulho nas suas Forças Armadas, e estas devem fazer por merecer esse mesmo respeito e orgulho.
É este o equilíbrio perfeito que se procura atingir.»

Falta o Regime militar obrigatório.

PARA TODOS. Ricos ou pobres. Estudem ou não. Com 18 anos não há maturidade para se ir para a universidade em muitos jovens. No Chipre só se entra aos 20 ou 21 anos. Em Israel também. Em vários países europeus os jovens fazem serviço militar como parte da sua formação.

A formação militar é importantíssima. Tão importante como aprender Filosofia, Matemática ou História.

Uma sociedade em que os homens não têm esta formação torna-se passiva, efeminada, acomodada.

Portugal está numa posição complicada. Se caem Marrocos ou a Tunísia, seremos invadidos como a Grécia ou a Itália. Gregos esses que têm uma Defesa a milhas da nossa.

Um ano de formação militar e treino físico seria fundamental para limpar a lavagem cerebral das mamãs de Portugal, do socialismo e da catequese.

A sociedade portuguesa está doentiamente efeminada e isso está a desgraçar o país. Precisamos de fascismo puro e duro.

Diogo disse...

N: « A retórica do Paulo Morais é mais ou menos assim: "Eles são corruptos e tal, e isto não é uma democracia madura". "Isto é tanta corrupção,blá,blá...Isto é tudo muito anti-democrático." De facto a lavagem cerebral que ele faz até é bastante sofisticada: Ele sempre que critica algo, logo de seguida elogia a democracia. Apesar do que ele critica ser tudo consequências da democracia. Mas obviamente ele deturpa a realidade dizendo que tudo é consequência de "fraca democracia" e/ou que a solução é "mais democracia".


Vivemos numa sociedade em que a chamada «democracia representativa» foi e é inculcada diariamente na mente de toda a gente como o expoente de tipo de organização social - não se apercebendo que a «democracia representativa» está nas mãos do Grande Dinheiro.

Paulo Morais chama corruptos (e explica detalhadamente como os roubos são feitos) a todos os tipos que estiveram e estão no governo e a todos os tipos que estão no parlamento (tirando os dos pequenos partidos mas que nada podem fazer).

Se ele falasse diretamente contra a «democracia representativa», passava por fascista de esquerda ou direita e ninguém o levava a sério.

Não sei se ele tem outro tipo de projecto político em mente. Mas, que é o mais feroz inimigo do «arco da corrupção», não tenho dúvidas. O Bloco de Esquerda ou o PCP, em comparação, são cordeirinhos inocentes.

Como vocês sabem, a minha opinião é que só a Democracia Directa é que pode estoirar com toda esta podridão a nível mundial. Não são «Estadistas de queixo espetado», sejam de direita ou de esquerda.

Um Xi...

Thor disse...

Diogo, a gente caga no eixo direita-esquerda.

a solução passa por uma ideologia de Terceira Via que incorpore um bocadinho de tudo, que incorpore uma pequenina parte de todos os partidos e ideologias que estão no parlamento e que reúna também características próprias.

a 'diversidade' e pluralidade democrática perde assim razão de ser, pois a terceira via é uma simbiose de todas as pequenas partes boas da direita e da esquerda.
mas note-se que as partes boas teoricamente da direita e da esquerda, quase nunca saiem do papel e da teoria.
por exemplo, a esquerda nunca aplica socialismo na prática, e a direita não respeita minimamente a tradição, como era suposto.

Hitler não era nem de direita nem de esquerda. se és mais um daqueles ignorantes que pensa que Hitler era de direita...enfim.

na terceira via, pode-se aplicar depois alguns elementos de democracia directa, para que o regime não seja puramente e 100% autocrático e autoritário...mas sem exagerar, e sem deixar as decisões realmente importantes e as decisões nacionais para as 'multidões' e 'maiorias'.

não será um regime rígido e ditatorial, será um regime relativamente fluído, mas sem descambar em liberalismo. daí ser terceira via entre liberalismo e totalitarismo.
entendes?

Pedro Lopes disse...

Eu até gostava de ouvir o Paulo Morais.
Mas houve um dia que ele disse uma coisa sem o mínimo nexo e que fiquei de pé atrás em relação a ele.

Disse ele:

"O problema da corrupção em Portugal vem do tempo do fascismo"

Mas antes dizia também que:

"A dívida elevada do pais é resultado da corrupção".

Logo estas duas teses não podem de forma alguma encaixar.
Além de que o regime anterior não era um regime "fascista".

Diogo disse...

Thor, essa simbiose de todas as coisas boas do parlamento não tem pés nem cabeça. Gostava que me desses três exemplos disso…


Pedro Lopes,

«Disse Paulo Morais: "O problema da corrupção em Portugal vem do tempo do fascismo". Mas antes dizia também que: "A dívida elevada do país é resultado da corrupção". Logo estas duas teses não podem de forma alguma encaixar.»


1 - A corrupção vem de tempos imemoriais mas o que ele quis dizer foi que a corrupção só apareceu nos últimos vinte, trinta anos…

2 – E sem dúvida nenhuma que a "A dívida elevada do país é resultado da corrupção" – tanto da interna, como do monopólio bancário mundial, como das duas. Ele pegou na que está mais próxima das pessoas (a interna – banqueiros, governantes, deputados, construtores, grandes consultórios de advogados, etc.). Mas esta corrupção está ligada à outra: a do monopólio bancário mundial. E é muito mais fácil atacar por aquilo que está à mão…

Anónimo disse...

Bem, que camada de comentários a tender para o radicalismo ideológico. E alguns que roçam o perfeito disparate... :|
As sociedades evoluem, mas depois regridem por causa de pensamentos destes que tentam ser revolucionários, mas mais não são do que miseravelmente reaccionários, num radicalismo barato, fundado na intolerância e parece-me que em xenofobia/racismo/sexismo/nacionalismo radical/etc etc
Triste Portugal, se nas suas terras houver muita gente desta......
Fui...