quarta-feira, julho 06, 2016

Martin Schulz, Presidente do Parlamento Europeu: "Para mim, a nova Alemanha existe apenas para garantir a existência do Estado de Israel e do povo judeu"



Avraham "Avrum" Burg (nascido a 19 de janeiro de 1955) é um escritor israelita, político e empresário: foi um membro do Knesset (Parlamento de Israel), presidente da Agência Judaica para Israel, Presidente do Knesset, e presidente interino de Israel. Ele foi o primeiro Presidente do Knesset a ter nascido em território israelita após a independência em 1948.


Avraham Burg (colaborador do Haaretz) - 14/02/2014: [...] And fourth, Martin Schulz, the president of the European Parliament, is a close friend of mine. On most issues connected to the Israeli-Palestinian conflict we disagree. He is closer to the Israeli mainstream, and his positions resemble those of Labor Party chairman Isaac Herzog. He once told me, during a frank and stern conversation, "For me, the new Germany exists only in order to ensure the existence of the State of Israel and the Jewish people." He’s a brilliant intellectual and a thoughtful politician, and we don’t need to worry – he won’t give up his existential friendship so easily. And certainly not because of Bennett or his colleague Orit Strock, the party whip. [...]


(E em quarto lugar, Martin Schulz, presidente do Parlamento Europeu, é um grande amigo meu. Na maioria das questões ligadas ao conflito israelo-palestiniao discordamos. Ele está mais próximo da corrente principal israelita, e as suas posições assemelham-se aos de presidente do Partido Trabalhista Isaac Herzog. Ele [Martin Schulz ] disse-me uma vez, durante uma conversa franca e séria, "Para mim, a nova Alemanha existe apenas para garantir a existência do Estado de Israel e do povo judeu." Ele é um brilhante intelectual e político profundo, e nós não precisamos de nos preocupar - ele não vai desistir de sua amizade existencial tão facilmente. E, certamente, não será por causa de Bennett ou do seu colega Orit Strock, o disciplinador do partido.)



****************************************************


Mas a nova Alemanha que, para Martin Schulz, existe apenas para garantir a existência do Estado de Israel e do povo judeu, viu a luz do dia em 1945 (há 71 anos):




Excerto da entrevista de Nahum Goldmann ao jornal «Le Nouvel Observateur», de 25 de Outubro de 1976:

"Without the German reparations, which began to arrive during the first ten years of existence as a state, Israel would not have half of its present infrastructure: every train in Israel is German, the ships are German, as well as the electricity, a large part of the industry … without mentioning the individual pensions paid to the survivors… Today [1976], Israel still receives each year hundreds of millions of dollars in German currency."

«Sem as indemnizações alemãs, que começaram a chegar durante os primeiros dez anos da existência como Estado, Israel não teria metade da sua infra-estrutura actual: todos os comboios de Israel são alemães, os barcos são alemães, assim com a electricidade, uma grande parte da indústria... já sem falar das pensões individuais destinadas aos sobreviventes. Hoje [1976], Israel recebe ainda, anualmente, centenas de milhões de dólares em moeda alemã».



11 comentários:

Nick disse...

Um judeu famoso deu agora o pontapé inicial, ele não podia mais suportar a grande mentira e decidiu encarar as consequências por revelar “a grande mentira da História” e o mais violento estelionato da humanidade. Em seu livro que foi editado inicialmente em inglês – “Tell the Truth & Shame the Devil”, ele atravessa todos os tabus puníveis pela lei.

O filho do grande violinista Yehudi Menuhin escreve:


“O Holocausto é a maior mentira da História. A Alemanha não tem culpa pela Segunda Guerra Mundial e Adolf Hitler foi o único homem de Estado do mundo que quis salvar o planeta do perigo da plutocracia judaica, libertando assim novamente um mundo subjugado.”



http://inacreditavel.com.br/wp/gerard-menuhin-o-holocausto-e-a-maior-mentira-da-historia/




Thor disse...

Diogo, fui eu o anónimo que te trouxe aqui essa citação do Schulz outro dia lol

esse demente judeu em 2003 envolveu-se numa picardia com o também cripto-judeu Merdusconi em que este lhe chamava (a Schulz) "nazi" e dizia que podia desempenhar o papel de "Capo" num filme sobre campos de concentração. ver os judeus a encenarem brigas e acusações entre si, mete-me dó.

Anónimo disse...

Lembrando que os tais "capos" eram judeus. E que faziam os judeus trabalharam em prol do esforço de guerra alemão.

Cobalto

Diogo disse...

Nick, muito obrigado pelo link.


Thor, é verdade. Foste tu que me deste a dica. Por isso, agradeço-te.


Cobalto, vi-te num fórum em língua inglesa (não reparei na data). Tu tens um Blog, não tens?

Anónimo disse...

Sim. Você o visita. Qual fórum?

Cobalto

Thor disse...

o Cobalto tem até dois blogues!
mas o desatracado é, sem dúvida, um excelente blogue.
eu próprio já aprendi lá muita coisa. por exemplo, há 2 anos li lá algumas peripécias sobre o assassinato de Kennedy, também por causa do programa nuclear israelita e não apenas por causa da 11110 exectutive order e da Reserva Federal, como por vezes se diz.

continuação de bom trabalho, Cobalto. só é pena o cristianismo, mas não se pode ter tudo :)
o Santon diz que tu estás relacionado com a malta do blog "inacreditável", e eu também suspeitava disso. é verdade?

Anónimo disse...

Pena? ... rsrs Minha força vem por ser cristão. A instrução em Efésios 5: 11 é muito clara:

"Não participem das coisas sem valor que os outros fazem, coisas que pertencem à escuridão. Pelo contrário, tragam todas essas coisas para a luz." Ou numa versão mais tradicional: "Não participem das obras infrutíferas das trevas; antes, exponham-nas à luz." Traduzindo mais ainda, informem ao povo (ou quem quiser ouvir) o que acontece de errado, além delas não participardes obviamente.

O conhecimento e a sabedoria são processos, não estados. Não dizem "vivendo e aprendendo"?

Nunca tive ligação, só lia e comentava lá.

Cobalto

Pedro Lopes disse...


O ZOG compensa bem os seus serventes.

http://observador.pt/2016/07/08/durao-barroso-vai-ser-chairman-da-goldman-sachs/

Todos os dias fico mal disposto com as noticias. Todos.
Noutro tipo de sociedade este rastejante estaria encarcerado e não seria uma ameaça á comunidade.




Pedro Lopes disse...


O combate ao "racismo", na melhor democracia do mundo e arredores....

http://i.imgur.com/FEDflao.gif

N disse...

"O ZOG compensa bem os seus serventes.

http://observador.pt/2016/07/08/durao-barroso-vai-ser-chairman-da-goldman-sachs/"


São as conquistas de Abril e a ética democrática!

Diogo disse...

Todos os dias fico mal disposto com as noticias. Todos.
Noutro tipo de sociedade este rastejante estaria ESMAGADO...