terça-feira, fevereiro 14, 2017

Mais um episódio da telenovela "Fica tudo em águas de bacalhau", com José Sócrates, Carlos Santos Silva e outras...


Escutas a José Sócrates caíram na Internet e estão a escandalizar o país - A CMTV revelou vídeo que está a provocar um “autêntico terramoto” em Portugal...

7 comentários:

Zé_Lucas disse...

CMTV ? Correio da Manhã ? Linchamentos ? Não seria de esperar pela acusação do tribunal?

Diogo disse...

Zé_Lucas, você viu o vídeo?

Zé_Lucas disse...

Caro Diogo, o que eu quero para mim, se um dia for acusado de algum crime, é ser julgado por um tribunal e ter direito a apresentar a minha defesa. Será pedir muito?

Cumprimentos

Manuel Galvão disse...

Quais são os indícios de ter havido ilícitos cíveis ou criminais ?

Um homem não pode ter 4 amantes e sustentar a todas e mais à ex-mulher e filhos? e não pode alimentar esse sustento com dinheiro de um inconfesso amante rico ?

Aqui o grande suspeito é o (verdadeiro) dono do dinheiro, é aquele que pode dispor de grandes quantidades de dinheiro cuja origem nunca é questionada neste interrogatório. Quem tem muito dinheiro paga muitos impostos. Nisso nem se fala..

Diogo disse...

Zé_Lucas e Manuel Galvão,

Não é preciso um QI por aí além para perceber o que está implícito nas declarações de Sócrates...

Manuel Galvão disse...

Diogo, talvez seja necessário o QI especial para perceber que o implícito de declarações não leva ninguém à condenação em tribunal.

Para haver condenação é necessário haver acusação e provas que comprovem a acusação.

É a mais elementar regra do Estado de Direito. Nas declarações do Diogo está implícito que concorda com as fugas de informação em segredo de justiça. Para o condenar só falta provar que participou nesses atos criminosos...

Anónimo disse...

Até aqui neste blogue os socretinos estão vigilantes. Ahahaha!
Como se não se pudesse comentar ou ter opinião sobre o vigarista.
Só se pode comentar sobre o Cavaco ou o Passos Coelho. Ahahaha!
Até um cego vê a pantominice. Um escroque que deu o golpe do século. Nem o Alves dos Reis.