segunda-feira, abril 10, 2017

Como foi engendrada a fraude do consenso de 97% de cientistas que acreditam que o aquecimento global tem origem humana



Tradução minha.


John Cook é professor assistente de pesquisa no Centro de Comunicação de Mudanças Climáticas da George Mason University. John Cook foi co-autor dos livros de faculdade Alterações Climáticas: "Examining the Facts" [Examinando os Factos] com o professor Daniel Bedford da Weber State University. Foi também foi co-autor do livro "Climate Change Science: A Modern Synthesis" [Ciência da Mudança Climática: uma Síntese Moderna] e do livro "Climate Change Denial: Heads in the Sand" [Negação da Mudança Climática: Cabeças enterradas na Areia].

Em 2013, foi o autor principal de um artigo premiado analisando o consenso científico sobre as mudanças climáticas, que foi realçado pelo presidente Obama e pelo primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron. Em 2015, John Cook desenvolveu um Curso Online sobre negacionismo da ciência climática com o Global Change Institute da Universidade de Queensland.


Quantificar o consenso sobre o aquecimento global antropogénico (causado pelo homem) na literatura científica – [Anthropogenic Global Warming – AGW])

John Cook e outros – Publicado a 15 de Maio de 2013 • 2013 IOP Publishing Ltd


Abstract [Sumário]

"Analisámos a evolução do consenso científico sobre o aquecimento global antropogénico [causado pelo homem] (AGW) na literatura científica revista por outros especialistas [peer-reviewed], examinando 11.944 resumos climáticos de 1991 a 2011 que correspondem aos tópicos "mudança climática global" ou "aquecimento global". Constatámos que 66,4% dos resumos não expressaram posição sobre o AGW, 32,6% endossaram [defenderam] o AGW, 0,7% rejeitaram o AGW e 0,3% não tinham a certeza sobre a causa do aquecimento global. Entre os resumos que expressaram uma posição sobre o AGW, 97,1% endossaram a posição de consenso de que os seres humanos estão a causar o aquecimento global."

"Numa segunda fase deste estudo, convidámos os autores a classificar os seus próprios artigos. Em comparação com as classificações dos resumos, uma percentagem menor de artigos auto-classificados não expressou posição sobre o AGW (35,5%). Entre os documentos auto-classificados que expressam uma posição sobre o AGW, 97,2% endossaram o consenso. Tanto para as avaliações dos resumos assim como para as auto-avaliações dos autores, a percentagem de endossos entre os artigos que expressam uma posição sobre AGW aumentou marginalmente ao longo do tempo. A nossa análise indica que o número de artigos que rejeitam o consenso sobre AGW é uma proporção extremamente pequena da pesquisa publicada."


Houve uma série de críticas levantadas contra o artigo de John Cook desde o início, como a classificação incorrecta de muitos artigos, o facto de que a grande maioria dos artigos diziam respeito à mitigação ou ao impacto e não às causas do aquecimento, e à natureza subjectiva das avaliações.

Mas há uma questão absolutamente fundamental, que destrói toda a credibilidade que o artigo pudesse ter tido. Na pesquisa de Cook, cada artigo foi classificado numa de sete categorias. No site da Skeptical Science, existe uma ferramenta de procura para identificar que artigos é que pertenciam a cada categoria.




Como pode ser visto no exemplo mais abaixo, para o Endorsement (Aprovação) Nível 1, apenas 65 artigos são identificados como "quantificando o AGW como 50% +" [aquecimento global antropogénico superior a 50%].

Excluindo o "No Positions" (sem Posição / Opinião), há 4.011 artigos classificados no total, por isso chegamos à conclusão de que o número de artigos concordando que "os seres humanos são a principal causa do aquecimento global recente" é apenas um minúsculo 1,6%, longe dos 97% reivindicados.

Como foi salientado por Lawrence Solomon, em relação ao anterior exercício de 97%, muito poucos cientistas discordariam que os seres humanos têm algum efeito sobre o clima, nem que seja apenas o aquecimento urbano ou o desmatamento.

O consenso, que Cook tenta divulgar, vai, como todos sabemos, muito mais longe. Se houver dúvidas sobre isso, o próprio Cook esclarece as questões na introdução do seu artigo:

“Nós examinámos uma grande amostra da literatura científica sobre CC global (Climate Change Global – Mudança Climática Global), publicada durante um período de 21 anos, a fim de determinar o nível de consenso científico de que é muito provável que seja a actividade humana que causa a maior parte do GW actual (aquecimento global).

E o co-autor de Cook, Mark Richardson da Universidade de Reading, leva a mentira ainda mais longe nesta entrevista no Instituto de Física:

"Queremos que nossos cientistas respondam às nossas perguntas, e há muitas questões interessantes na ciência do clima. Uma deles é: estamos a causar o aquecimento global? Encontrámos mais de 4.000 estudos escritos por 10.000 cientistas que expressaram uma posição sobre isso, e 97 por cento disseram que o aquecimento recente é feito principalmente pelo homem. "

É claro que, desde o princípio, Cook e seus colegas estavam empenhados em fornecer um "consenso" atraente que poderiam vender à comunicação social, e que seria escolhido por políticos e outros indivíduos do establishment, independentemente do que as provas realmente confirmassem.

A realidade é radicalmente diferente. Depois de pesquisar através de 11.944 artigos científicos, escritos ao longo de 20 anos, tudo o que eles conseguiram foi descobrir 65 artigos que apoiavam o suposto consenso.



Ou seja, dos 11.944 resumos climáticos que correspondiam aos tópicos "mudança climática global" ou "aquecimento global", temos que:

7.930 resumos - 66,4% não referiram o AGW - Aquecimento Global Antropogénico.

65 resumos - 0,5% do total estão na categoria 1 – Concordância explícita com o aquecimento global antropogénico (AGW) com quantificação. Afirma explicitamente que os humanos são a causa principal do recente aquecimento global.

934 resumos - 7,8% do total estão na categoria 2 – Concordância explícita com o aquecimento global antropogénico (AGW) sem quantificação. Afirma explicitamente que os humanos estão a causar aquecimento global ou refere o aquecimento global antropogénico / mudança climática como um facto reconhecido. Mas nada dizem sobre a percentagem de aquecimento produzido pelo homem.

2.933 resumos - 24,6% do total estão na categoria 3 – Concordância implícita com o aquecimento global antropogénico (AGW). Implica que os humanos estão a causar aquecimento global. Por exemplo, a investigação assume que as emissões de gás com efeito de estufa causam aquecimento sem afirmar explicitamente que a causa é de origem humana.

78 resumos - 0,7% rejeitaram o AGW e 40 resumos - 0,3% não tinham a certeza sobre a causa do aquecimento global.

É claro que quase todos os cientistas concordam que existe uma contribuição humana maior do que 0%, ou que os seres humanos podem ser uma causa - embora modesta - de alguma mudança climática. Assim, combinando as taxas de endosso muito altas das categorias 2 e 3 (que até mesmo os mais cépticos reconhecem, como concordam que os seres humanos contribuem para a mudança climática em algum valor), com a taxa de endosso insignificantemente pequena para a categoria 1 (apenas 65 resumos), e excluindo as muitas centenas de artigos que foram publicados por cientistas questionando a teoria, Cook et al. (2013) foram finalmente capazes de proclamar que 97% dos cientistas acreditam que as mudanças climáticas desde 1950 foram principalmente causados por seres humanos.


As sete categorias:



(a) – Nível de concordância com o aquecimento global antropogénico (AGW).

(b) – Descrição.

(c) – Exemplo.



1 – (a) – Concordância explícita com o aquecimento global antropogénico (AGW) com quantificação.

1 – (b) - Afirma explicitamente que os humanos são a causa principal do recente aquecimento global.

1 – (c) – “O aquecimento global durante o século XX é principalmente causado pela crescente concentração de gás de efeito de estufa particularmente desde os finais dos anos 1980s.”


*******************************


2 – (a) – Concordância explícita com o aquecimento global antropogénico (AGW) sem quantificação.

2 – (b) - Afirma explicitamente que os humanos estão a causar aquecimento global ou refere o aquecimento global antropogénico / mudança climática como um facto reconhecido

2 – (c) – “Emissões de uma gama ampla de gases de efeito de estufa com tempos de vida variáveis contribuem para a mudança climática global.”

*******************************


3 – (a) – Concordância implícita com o aquecimento global antropogénico (AGW).

3 – (b) – Implica que os humanos estão a causar aquecimento global. Por exemplo, a investigação assume que as emissões de gás com efeito de estufa causam aquecimento sem afirmar explicitamente que a causa é de origem humana.

3 – (c) – “…a captura do carbono no solo é importante para mitigar a mudança climática global.”


*******************************


4(a) – (a) – Sem posição sobre o assunto.

4(a) – (b) – Não aborda ou menciona a causa do aquecimento global.

4(a) – (c) – “…a captura do carbono no solo é importante para mitigar a mudança climática global.”


*******************************


4(b) – (a) – Incerteza.

4(b) – (b) – Expressa a posição de que o papel humano no aquecimento global recente é incerto / indefinido.

4(b) – (c) – “…Enquanto a extensão do aquecimento global induzida é inconclusiva…”


*******************************


5 – (a) – Rejeição implícita do aquecimento global antropogénico (AGW)..

5 – (b) – Sugere que o homem tem um impacto mínimo sobre o aquecimento global sem o afirmar o afirmar explicitamente. Por exemplo, propondo causas naturais como a principal causa do aquecimento global.

5 – (c) – “…algures entre a maior parte e a totalidade do aquecimento de século XX resulta provavelmente de causas naturais de acordo com os resultados …”


*******************************


6 – (a) – Rejeição explícita do aquecimento global antropogénico (AGW) sem quantificação.

6 – (b) – Minimiza explicitamente ou rejeita que o homem esteja a causar o aquecimento global.

6 – (c) – “…o registo global das temperaturas fornece reduzido apoio à visão catastrófica do efeito de estufa”


*******************************


7 – (a) – Rejeição explícita do aquecimento global antropogénico (AGW) com quantificação.

7 – (b) – Afirma explicitamente que o homem causa menos de metade do aquecimento global.

7 – (c) – “A contribuição humana para a quantidade de CO2 na atmosfera e o aumento de temperatura é insignificante com outras fontes de dióxido de carbono”

2 comentários:

João disse...

A lição a tirar disto é aprender quando ignorar "dados" e deixar que a lógica pura e simples (já para não mencionar o cinismo) determinar a nossa sua posição em relação às coisas.

FAB 29 disse...

É assim que a máquina podre funciona. Mexe ali, troca aqui, inverte acolá, esconde, camufla, tergiversa,...!
E, no final das contas, o povinho jacó se mantém na sua doce e amada escravidão.