segunda-feira, agosto 03, 2009

Sócrates, a pretexto de um incentivo à natalidade, propõe-se financiar encapotadamente a banca em 150 milhões de euros por ano



"A proposta do PS de oferecer 200 € a cada recém-nascido, que não dariam nem para fraldas, ficarão no banco até o jovem ter 18 anos (aí receberá 500 €), como se a preocupação dos pais não fosse no pós-parto mas quando a criança atinge a maioridade. É com este bom senso que o PS prefere esse cheque à melhoria da rede pública de infantários ou um abono de família mensal de nível europeu (150 €)."

"Já a banca arrecada 200 € por cada nascimento. Anualmente, corresponde a 150 milhões. Ao fim de 18 anos, os zeros da quantia não cabem nesta crónica. O que parecia uma política social é, afinal, um financiamento encapotado à banca. O PS defende que a proposta é um incentivo à poupança. Mas esquece-se de dizer de quem. O amealhar é dos bancos, embora a crise não lhes faça mossa. As quatro maiores instituições bancárias privadas portuguesas ganharam mais 17,4% neste primeiro semestre do que em 2008. Quatro milhões de euros de lucros por dia."

.

11 comentários:

Ana Camarra disse...

Diogo

Até ao último dia irão continuar a fazer os fretes para os seus patrões, se conseguirem mascarar a coisa de iniciativa de apoio ao povo melhor.
Os papalvos lá vão votar felizes e contentes....

beijos

Anónimo disse...

é preciso dizer que o banco será a caixa geral depositos, instituiçao publica!

Diogo disse...

Ana, os papalvos já me começam a meter asco. Tudo entra pelos olhos dentro. Como é que é possível não ver?


Anónimo, onde é que está a dizer que é a CGD? E se for, foi a CGD que ofereceu o dinheiro para a rapaziada do BPN e doutros. Donde?

Zorze disse...

Diogo,

É lamentável e pior é que o povo embarca nestas ondas.

Quanto à questão do Anónimo, no que refere à CGD, mal por mal, a referida Instituição entrega 50% dos seus lucros ao Estado, único accionista.
O problema é que o Estado gere mal o dinheiro.
Pior, pior é essa benesse do Estado ir para grupos privados, que entenda-se, estão-se marimbando para políticas sociais.

Abraço,
Zorze

Anónimo disse...

Os brasileiros dizem que é um cheque boi. Quem seria o... o b... b... brasileiro, que teve esta ideia?
Carlos

João disse...

Não sei que contas faz para dizer que o feliz contemplado ao fim dos 18 anos recebe 500 euros, mas parece-me que são umas contas furadas, senão atente no meu caso para perceber a patranha que o PS está a vender ao povo.
Em 1999, com a entrada do euro, um banco cá da praça oferecia 100 euros a cada criança nascida durante o mês de Janeiro de 1999. Como a minha filha nasceu a 01/01/1999, fui ao tal banco e lá abriram a conta no nome dela no valor de 100 euros, a conta ficou lá quietinha, passados 3 anos fui lá para consultar o saldo e fiquei irado quando vi que tinha lá pouco mais de 60 euros, o resto do dinheiro tinha sido retirado ao longo do tempo para pagar as despesas de manutenção. Reclamei e disseram-me que isto tinha acontecido porque a conta não tinha sido movimentada ao longo desse tempo. Fiquei de tal forma enojado que disse ao gerente que acabassem o serviço que tinham começado que eu não queria o dinheiro de vigaristas. Portanto, os principais nascimentos são casais jovens em que todo o dinheiro é bem vindo para as despesas correntes, não está ao alcance de muitos depositar o abono, ou outros rendimentos, na conta da criança, como o dinheiro não pode ser levantado antes dos 18 anos, atentando no exemplo que dei, acha que muitos ao fim de 18 anos levantam 500 € ? Como vê as contas podem sair furadas para o povo, mas nunca para os bancos.

Filipe disse...

Embora seja óbvio, nunca é de mais enfatizar: o "financiamento" é NOSSO. São os nossos impostos!

Portanto, tenho um excelente negócio para propor-vos. A partir do mês que vem, transferem-me uma parte do vosso ordenado.

Quando tiverem um filho, enviem-me um email. Eu depositarei uma pequena parte do VOSSO ordenado, numa conta dele (gerida e usada por mim).

Quando ele tiver 18 anos - e se eu ainda não tiver falido, sabem como o mercado é instável - parabéns! Irá receber um valor... imprevisível, e pensará com ternura no Filipe, que em boa altura retirou o dinheirinho aos estouvados dos pais.

Anónimo disse...

la esta o diogo a gerir mal a diferença.
onde é k voce viu k ia ser bancos privados?

Zorze disse...

João,

Se a conta fosse na CGD, teria os €100 e mais qualquer coisita, pelo menos, dava para os rebuçados.

É que na CGD, não se cobram despesas de manutenção para contas de menores, ao contrário de outros bancos que andam de garra afiada para "um dia destes" privatizar a Caixa.

Aí é que vai ser!
As PME's serão as primeiras a sentir a diferença.
Onde antes, ainda se colocava vaselina, conhecerão a sensação amarga do enfiar a seco, e de sorriso ignorante dizendo que pagam menos para serem expoliados.

Que triste este povo, um dos mais fáceis de ser manipulado. Os mega centros-comerciais agradecem.

Abraço,
Zorze

xatoo disse...

afinal a politica do "menos Estado" dos liberais é um embuste.
Agora até temos o Estado armado em assistente económico de partos
Desde forma o recém nascido começa logo a sua carreira de contribuinte, porque o dinheiro depositado em seru nome paga despesas de manutenção de conta
.

Apache disse...

Os números (150 milhões de euros) parecem-me exagerados: 105 mil nascimentos por ano, a 200 euros cada um, dá 21 milhões de euros por ano.
De resto, de acordo.