sábado, agosto 29, 2015

Acordem morcões...

9 comentários:

Domingues disse...

O Poder tem pés de barro. Nem é preciso que toda a população se revolte. Basta um grupo de cidadãos resoluto e sem medo e que seja cinco vezes maior que a escória do Poder para o derrubar. Os outros iriam atrás.

Hipotenusa disse...

http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=25&did=47305

Mário Soares chama a atenção para a importância dos sindicatos no controlo das manifestações.

“Os sindicatos são extremamente importantes. Até agora os sindicatos têm feito manifestações, mas têm encaminhado as manifestações no bom sentido”, considera.
Falando numa cerimónia da Ordem dos Advogados em Lisboa, Mário Soares congratulou-se que “não tem havido violência, não tem havido nada e não é próprio dos sindicatos que isso aconteça”.

Em pleno clima de desacordo entre CGTP e UGT e um dia depois da assinatura de um Acordo Laboral na Concertação Social, Soares deixa o alerta: “Se as pessoas vêm para a rua manifestar-se sem os sindicatos, estão em liberdade e podem fazer asneiras. São importantíssimos [no controlo das massas]”.

Pedro Lopes disse...


"São importantíssimos [no controlo das massas]”.

Marxistas e capitalistas são uma e a mesma coisa. São dois braços do mesmo corpo.
Para enganar parolos fazem de conta que são antagónicos, mas á porta fechada negoceiam o saque entre eles. E dão bem, gostam de boa comida e bom vinho.

Anónimo disse...

Sobre a invasão europeia este blog tem estado muito calado!!!!?

Pedro Lopes disse...


"Sobre a invasão europeia este blog tem estado muito calado!!!!?"

O Dono do blog não se preocupa muito com isso.
Só os extremistas que aparecem aqui a comentar de vez em quando.

Anda tudo por ai aos pulos, parecem macacos a abanar ramos das árvores, em defesa da vinda de milhões e milhões de imigrantes.
Quem se mostrar contra está a pecar perante a religião democrática e globalista.

Ao que parece os imigrantes em massa tornam a Europa mais civilizada e potente!
Temos aqui a prova disso:
https://www.youtube.com/watch?t=140&v=ULCrmGKft2U





N disse...

"Marxistas e capitalistas são uma e a mesma coisa. São dois braços do mesmo corpo.
Para enganar parolos fazem de conta que são antagónicos, mas á porta fechada negoceiam o saque entre eles. E dão bem, gostam de boa comida e bom vinho."


Deixa de ser demagogo Pedro Lopes.
Até parece que são todos(ou practicamente todos) judeus e maçons, e que nenhum deles quer uma auditoria séria e independente à dívida nacional para saber exactamente a quem se deve, o quanto se deve, e o porquê de se dever.


Não passas de um nazi-capitalista-sionista.

Nós precisamos é de "verdadeira democracia".
Deixar os refugihadistas também votarem e decidirem sobre os destinos de uma Nação que não lhes pertence.
+ igualitarismo é a solução.
E menores de 18 anos e animais de estimação deviam poder também votar.

Porque afinal de contas, "nós somos todos iguais".

Thor disse...

"Marxistas e capitalistas são uma e a mesma coisa. São dois braços do mesmo corpo."

http://3.bp.blogspot.com/-jURnbJmeQIs/Vd1Gno0oYVI/AAAAAAAAHPY/kB13cfNzm3w/s1600/tumblr_inline_mm8ts2u6WI1qz4rgp.jpg



"Sobre a invasão europeia este blog tem estado muito calado!!!!?"


oh parolinho, este blogue não é nacionalista nem nazionalista ou fascista.
este blogue é mais exótico e asquerdalhado, mas tem muita coisa que se aproveita.
lá por nós os 3 (ou 4 com o Zephyrus) andarmos aqui a comentar, não quer dizer que o blogue segue a nossa linha 'racista-fascista-nazi-xenófoba'

Anónimo disse...

https://www.youtube.com/watch?v=Q-SdQ4HpEV8

Anónimo disse...

No fundo ninguém quer o poder descontrolado das multidões acéfalas ou dirigidas por agitadores ao serviço de causas não explícitas.
Mesmo os que agora criticam o controlo das multidões, uma vez no poder seriam os primeiros a aplica-lo.
Deixemo-nos de tretas e ilusionismos.
Quanto aos invasores da europa, de facto reina o lirismo e o pensamento infantilizado dos europeus, há décadas governados por gente incapaz, gente sem o menor patriotismo, sem a menor lealdade às suas nações.
Claro que o marxismo cultural entrou por aí que nem um tsunami.
Veremos como reagirão as novas gerações a uma europa extremamente violenta, minada pela subversão dos costumes e tradições que a fizeram grande.
Os países do velho continente vão entrar numa nova realidade. Os autóctones serão confrontados com outras nações dentro do seu território. nações essas, ciosas da sua matriz cultural. decididas a impor os seus valores e beneficiando da indulgência da Igreja, da discriminação positiva dos órgão políticos e judiciários e da desinformação que leva as populações a desvalorizar a ameaça que é clara e ostensiva.
O internacionalismo do nosso anfitrião, tal como a democracia directa, é bonito no papel, como outras utopias.
A realidade não se compadece com lirismos ou ficções. Vai bater-nos violentamente à porta e as vítimas não terão voz para especulações filosóficas e dissertações ideológicas amigas do ambiente e dos pobrezinhos.
Aos vendedores de quimeras, espera-os um destino semelhante a Arquimedes de Siracusa. "Não mecha nos meus círculos", foram as suas últimas palavras.