segunda-feira, julho 29, 2013

Expresso: Há reclusos que preferem continuar a cumprir pena do que sair em liberdade condicional. Motivo? Não têm emprego cá fora.





*****************************************


Ouve-se muitas vezes dizer que "a violência gera violência", que "a violência nunca consegue nada" ou que "se se usar a violência para nos defendermos daqueles que nos agridem, ficamos ao nível deles". Todas estas afirmações baseiam-se na noção errada de que toda a violência é igual. Nada mais falso:

A violência pode funcionar tanto para subjugar como para libertar


MailOnline: Crianças estão a ser abandonadas nas ruas gregas
pelas famílias cuja pobreza já não lhes permite tomar conta delas.


Portugal, Grécia, Espanha, Itália, Irlanda e um sem número de outros países por esse globo fora estão, sob a forma de uma nebulosa «Crise Financeira» surgida não se percebe bem de onde, a ser alvo de um genocídio financeiro, económico e humanitário a uma escala inaudita.

Ouvimos, diariamente, falar «da dívida», dos sacrifícios «para pagar a dívida», da austeridade «para pagar a dívida», do empobrecimento, do corte de direitos sociais, da precariedade laboral, da privatização de empresas estratégicas, da asfixia do investimento público - tudo «para pagar a dívida». Contudo, sabemos o que é isto da dívida? Quanto dinheiro devemos? A quem é que devemos? Porque pedimos tanto dinheiro emprestado? Em que é que ele foi gasto? É realmente legítimo que os cidadãos sejam compelidos ao pagamento de uma dívida sobre a qual nada sabem? É possível que esta dívida não seja nossa? Será uma dívida apenas para salvar um «sistema financeiro», "too big to fail", cujos lucros parecem terem-se evaporado misteriosamente de um dia para o outro? Ou não será a «dívida soberana» simplesmente uma gigantesca fraude levada a cabo por uma todo-poderosa Máfia Financeira para rapinar Estados, Empresas e Famílias, como aconteceu em 1929?

Esta «Crise Financeira» tem "forçado" os governos, através dos contribuintes, a dar, literalmente de mão beijada, biliões a uma Banca que, não obstante os lucros obscenos que tem vindo a apresentar ano após ano, se viu súbita e incompreensivelmente "descapitalizada". Este roubo descomunal constitui um assombroso acto de violência perpetrado por uma Máfia Financeira contra as populações:

- Obrigar uma enorme percentagem de jovens a viver eternamente na precariedade, impossibilitando-os de ter uma vida própria, de formar uma família e levando alguns ao suicídio, é um crime de extrema violência.

- Provocar o despedimento de indivíduos em massa quando o desemprego é maciço e a maior parte já não tem hipótese de ser novamente reabsorvido, é um crime de extrema violência.

- Despejar famílias inteiras de casas cujas prestações já não podem pagar e atirá-las para a rua, é um crime de extrema violência.

- Retirar dinheiro ao Serviço Nacional de Saúde, conduzindo ao sofrimento e à morte de doentes e idosos sem dinheiro, é um crime de extrema violência.

- Subtrair o apoio aos desempregados e aos pensionistas sujeitando-os consumadamente à miséria e à fome, é um crime de extrema violência.


*****************************************

Opiniões


Fernando Madrinha - Jornal Expresso de 1/9/2007:

[...] "Não obstante, os bancos continuarão a engordar escandalosamente porque, afinal, todo o país, pessoas e empresas, trabalham para eles. [...] os poderes do Estado cedem cada vez mais espaço a poderes ocultos ou, em qualquer caso, não sujeitos ao escrutínio eleitoral. E dizem-nos que o poder do dinheiro concentrado nas mãos de uns poucos é cada vez mais absoluto e opressor. A ponto de os próprios partidos políticos e os governos que deles emergem se tornarem suspeitos de agir, não em obediência ao interesse comum, mas a soldo de quem lhes paga as campanhas eleitorais." [...]



Paulo Morais, professor universitário - Correio da Manhã – 19/6/2012

[...] "Estas situações de favorecimento ao sector financeiro só são possíveis porque os banqueiros dominam a vida política em Portugal. É da banca privada que saem muitos dos destacados políticos, ministros e deputados. E é também nos bancos que se asilam muitos ex--políticos." [...]

[...] "Com estas artimanhas, os banqueiros dominam a vida política, garantem cumplicidade de governos, neutralizam a regulação. Têm o caminho livre para sugar os parcos recursos que restam. Já não são banqueiros, parecem gangsters, ou seja, banksters."



Sheldon Emry – Escritor e sacerdote norte-americano:

"Quando se começa a estudar o nosso sistema monetário, apercebemo-nos rapidamente que estes políticos não são agentes do povo mas sim agentes dos banqueiros, para quem fazem planos para colocar as pessoas ainda mais endividadas."

"Os nossos dois principais partidos tornaram-se servos dos banqueiros, os vários departamentos do governo tornaram-se as suas agências de despesas, e o Serviço da Receita Federal (IRS) é a sua agência de recolha de dinheiro."



Carroll Quigley - professor na Universidade de Georgetown e mentor do Presidente Clinton - no seu livro de 1966 «Tragédia e Esperança» (Tragedy and Hope) escreveu:

[...] "Os poderes do capitalismo financeiro têm um plano de longo alcance, nada menos do que criar um sistema de controlo financeiro mundial em mãos privadas capazes de dominar os sistemas políticos de cada país e a economia mundial como um todo."

[...] "«Cada banco central... procura dominar o seu governo pela sua capacidade em controlar títulos do tesouro, manipular o câmbio externo, influenciar o nível de actividade económica no país, e influenciar políticos cooperantes por intermédio de recompensas económicas no mundo dos negócios.»"


*****************************************

A violência justa versus a violência criminosa

Em Dezembro de 2010, cerca de 200 manifestantes gregos perseguiram o antigo ministro dos transportes, Kostis Hatzidakis, quando este saía do Parlamento, gritando: «Ladrões! Tenham vergonha!» Atiraram-lhe pedras e bateram-lhe com paus.



Ouve-se muitas vezes dizer que "a violência gera violência", que "a violência nunca consegue nada", ou que "se se usar a violência para nos defendermos daqueles que nos agridem, ficamos ao nível deles". Todas estas afirmações baseiam-se na noção errada de que toda a violência é igual. A violência pode funcionar tanto para subjugar como para libertar.

A violência pode por exemplo causar escravatura e submissão, como quando um senhor espanca um escravo. Alguns escravos podem eventualmente ripostar, caso em que a violência pode de facto gerar mais violência, mas muitos escravos submeter-se-ão a vida toda. Alguns criarão mesmo uma religião ou uma espiritualidade que procurará transformar a sua submissão numa virtude. Outros escreverão e outros repetirão que a sua liberdade não deve ser alcançada à custa da violência contra outros. Haverá até aqueles que afirmarão a necessidade de amar os seus opressores.

Não é difícil reconhecer que as populações estão hoje a ser conduzidas, graças à violência de uma Máfia Financeira, ao empobrecimento, à precariedade, ao desemprego, ao desespero, às pensões de miséria, à doença, à fome, ao suicídio e à morte.

E é forçoso perceber que os poderes que nos deveriam defender – o Executivo, o Legislativo e (até) o Mediático – estão de corpo e alma nas mãos de uma Máfia Financeira. (com a Justiça e a Polícia de mãos atadas graças a uma legislação confeccionada à medida dos interesses dessa Máfia).

Manifestações, palavras de ordem, cartazes, discursos, bandeirinhas e canções de protesto nunca tiveram qualquer resultado. E se há confrontos com a polícia (esta tão vítima como a população que se manifesta), não passam felizmente de simulacros de violência que, geralmente, se ficam por algumas escoriações ou umas horas numa cela. Até quando vão as pessoas continuar a apostar nestes actos completamente inúteis? Não será este pacifismo induzido e alimentado pela corja que mexe os cordelinhos?

O Artigo 32º do Código Penal considera justificada a legítima defesa (a violência justa) para repelir a agressão actual e ilícita por parte de terceiros, e o Artigo 35º do mesmo Código considera legítima a violência para afastar um perigo actual, e não removível de outro modo, que ameace a vida, a integridade física, a honra ou a liberdade da pessoa.



Uso da violência em legítima defesa

Assim sendo, que mais nos resta contra a Máfia Financeira e os seus esbirros (na Política e nos Media) senão a violência em legítima defesa e cirurgicamente dirigida? A violência não é intrinsecamente má. Quando a única forma de travar a violência criminosa é utilizando violência, então esta é perfeitamente justificada.

Um pai que pegue num taco para dispersar à paulada um grupo de rufias que está a espancar o seu filho, está a utilizar a violência de uma forma justa. Uma mulher que crave uma lima de unhas na barriga de um energúmeno que a está a tentar violar, está a utilizar a violência de uma forma justa. Um homem que abate a tiro um assassino que lhe entrou em casa e lhe degolou a mulher, está a utilizar a violência de uma forma justa. Um polícia que dispara contra um homicida prestes a abater um pacato cidadão, está a utilizar a violência de uma forma justa. Os habitantes de um bairro nova-iorquino que se juntam para aniquilar um bando mafioso (que nunca é apanhado porque tem no bolso os políticos, os juízes e os polícias locais), estão a utilizar a violência de uma forma justa.

Permitir, de braços cruzados, que crimes que destroem países sejam perpetrados por máfias financeiras coadjuvadas por políticos corruptos, legisladores venais e comentadores mediáticos a soldo, contra as populações, em nome de um pacifismo «politicamente correcto» mas que se tem revelado sempre ineficaz, isso sim, é outro crime.



Um rebanho manifesta-se pacifica e inutilmente contra o desemprego,
a precariedade, os baixos salários, a pobreza, a fome e a morte.

84 comentários:

Nuno disse...

Com todas as «instituições oficiais» que, deviam supostamente estar ao nosso serviço, a actuar a soldo do Grande Dinheiro de forma terrorista contra nós, nada mais nos resta do que pegar o touro pelos cornos e destruí-los.

Thor disse...

sim, também sou da opinião que falinhas mansas e "democracias" nada resolvem, antes pelo contrário.
eles só entendem a linguagem da violência.
não basta protestar, reinvindicar e outras palhaçadas politicamente correctas, porque eles estão-se a cagar, nem ouvem.
só entendem quando lhes tocar na pele. até lá vão continuar a gozar, a fazer o que querem e a rir.
para derrubar esta merda só com fogo e violência.
é triste, mas é assim.

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...

Thor,é preciso que se mexam.

Com mais de 20%(dados reais) de desempregados,sendo que destes cerca de 50% são jovens, e depois os que estão empregados mais de 50% estão a recibos verdes, eu não vejo acção directa quase nenhuma.

Bem sei que a maioria da acção directa não está a passar na tv nem na net(e mando um sentido abraço para quem se anda a mexer), mas a juventude Portuguesa em geral está literalmente numa atitude passiva,apática e pouco autônoma.

E a maioria deles(99%) não está a ser vigiada fortemente,nem está em prisão domiciliária,tem liberdade de movimentação, e quanto a fundos,basta 12 euros de gasolina para queimar uma sede de um partido traidor à Pátria,um banco que rouba os Portugueses ou uma sede maçônica.

Isto qualquer grupo autônomo pode fazer.

Que se mexam mas é.

Há muita gente na merda a sacrificar-se por eles,e eles com a papinha toda feita e com a informação dada de bandeja à custa do sacrifício de dissidentes que não têm QUALQUER vida social e cuja vida é de total dedicação à causa, os que nada fazem não são capazes de dedicar umas 2 ou 3 horas por semana a acção directa.

O Nacionalismo Revolucionário em Portugal comparado com Grécia,Polônia,Sérvia,Itália,Alemanha,Ucrânia,Rússia,Hungria,etc é uma anedota.

Se for para uma marcha a favor do cannabis,ou para irem para a queima embebedarem-se,fazer figuras tristes e vomitarem-se,ou para irem a um concerto de música de um cantor americano, aí já há mobilização e dinheiro.

Para lutarem pela soberania nacional ou para marcarem posição que não serão nunca escravos voluntários não se mexem.

E isto não é apenas fruto da desvirilização liberal doutrinada pela ditadura sionista,de nome democracia.
Mas é também ainda vestígios do conservadorismo clerical atrasadinho do regime de Salazar.

De um lado os ateus liberais,e do outro os cristãos ajoelhados.
É por isso que isto não anda para a frente.

Aproveitem hoje que é o dia de Marte,talvez ele vos inspire!!!

Pedro Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Lopes disse...

"Para lutarem pela soberania nacional ou para marcarem posição que não serão nunca escravos voluntários não se mexem."

Eu de vez em quando(raramente) ponho um post com argumentação Nacionalista em blogs não-nacionalistas ou mesmo em sites de noticias gerais.

Bolas, de seguida, aparece logo um enxame de idiotas com dois calhaus na mão para me atirar.
A argumentação é tão pobre que não consigo perder tempo em contra-argumentar de seguida.
Mas se houver um em 100 que abra a pestana já não é mau.

Agora quando olhamos para o passado do nacionalismo o que vemos?
Eu não conheço nenhum caso de de insucesso ou que tenha revertido as condições sociais do pais onde foi aplicado. Embora uns tenham tido mais sucesso que outros, o que é normal.

Em todos esses países o Nacionalismo apareceu, foi precisamente para tirar(e tirou) esses países de um pântano económico, moral, e social e do caos total.

Portanto este argumento histórico é importante desenvolver, pois a maioria das pessoas tem a opinião formatada de que foi ao contrário.


"De um lado os ateus liberais,e do outro os cristãos ajoelhados."

O discurso dos cristão é de facto lamentável.

Dizem assim:

"O que havemos de fazer?, é assim a vida!!"

"Há que aproveitar o que temos, e temos de dar graças a Deus".

"Há quem esteja pior".


Pedro Lopes disse...

Este cartoon do GD é fantástico.
O GD parece que tem gente muito criativa.

http://xaameriki.files.wordpress.com/2013/07/xnewpic1-png-pagespeed-ic-nthiefpdzo.jpg


Faz lembrar o inicio de uma batalha. E o soldado do GD a dizer:

"Avancem, filhos da puta, podem vir todos".
Inspirador.

N disse...

"Eu de vez em quando(raramente) ponho um post com argumentação Nacionalista em blogs não-nacionalistas ou mesmo em sites de noticias gerais."

A argumentação quando excelente é uma arma poderosa porque devidamente traduzida é aproveitada pelo movimento nacionalista em rede,ou achas que é por acaso este surto do nacionalismo a varrer toda a Europa nos últimos anos?

Mas isto tem que haver um equilíbrio.

Tem que ser cérebro,músculo e número.

Tem que haver quem trate da propaganda.
Tem que haver quem seja o ou os rostos em caso do movimento ter um partido representativo.
Tem que haver quem estude diariamente.
Tem que haver os crânios de informática.
Tem que haver os artistas(música,poesia,pintura,desenho,etc)
Tem que haver braço armado(milícias).
E quando o movimento é avançado deve haver ocultistas.

E quanto a fundos,de acordo com a minha fé e a minha religião,é legitimo roubar escumalha/políticos ladrões/banqueiros para assegurar meios financeiros para o movimento.

É assim que se alcança o poder.

Não é uns a fazer tudo e mais alguma coisa e outros armarem-se em "patriotas" de cerveja na mão a ver a selecção e fora disso não fazem um caralho mesmo.

"A argumentação é tão pobre que não consigo perder tempo em contra-argumentar de seguida.
Mas se houver um em 100 que abra a pestana já não é mau."

Pah, é nisto que o nacionalismo em Portugal falha.

O movimento não pode depender do gado.

O gado funciona tipo manada,eles observam uma moda,e depois seguem todos,não por idealismo ou por qualquer lógica, mas é porque cada lemming ao ver que todos os que estão em seu redor assim o fazem,ele também o faz,e funcionam todos assim.

Uma revolução nacional é feita por uma minoria que vale mais que a maioria.

Basta uns milhares,depois o povo segue-os.
Quanto mais burro é o povo mais fome e miséria tem que passar até aprender,mas isso meus amigos,cada povo tem aquilo que merece.

O que falha em Portugal é a hesitação dos homens de valor(porque os há) em iniciar a revolução nacional.

N disse...

Essa hesitação é de raiz cultural.

Eu já reflecti muito sobre isso e encontro várias causas:

O conservadorismo clerical atrasadinho que castra uma parte importante de Patriotas em Portugal.

A desvalorização criminosa e acéfala do trabalho intelectual,e daí em mais de 800 anos o melhor gênio intelectual que produzimos foi o Eça,que embora seja bom está bem longe de um Aristóteles,Sócrates,Platão,Oswald Spengler,Nietzsche,Evola,William Pierce,etc...

A desvalorização acéfala no caso do que é bom ser nacional e não estrangeiro.
Se for nacional não presta,mas se tiver um nome estrangeiro já é bom e fica "cool" citar/ouvir/aprender.

Isto eu noto por exemplo em relação a gênios e relativamente às mulheres.

Os Portugueses não dão valor aos seus gênios,eu digo isto e com toda a arrogância justificada que sou de LONGE o maior intelectual,o maior filosofo e mais criativo poeta dos mais de 800 de Portugal.
Lá fora sou valorizado,na minha terra nativa não,mas se tivesse um nome estrangeiro já era.

Quanto às mulheres(as Lusitanas puras para mim são das mulheres mais bonitas do mundo) os Lusitanos são capazes de se babarem por umas vacórias famosas de revistas internacionais,quando além de até em muitos casos nem serem mais bonitas do que muitas mulheres não-famosas Lusitanas,e estas últimas ainda ganham de LONGE na decência e classe.

Ou seja,os Portugueses estão mais "americanizados" que "Lusitanizados".

Isto faz parte da "genética" cultural acéfala e parola de desvalorizar o nacional e valorizar o internacional apenas(e ainda por cima o que não presta).

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...

E depois por fim e não menos importante,temos a falta de referências.

Tudo o que é "personalidade" em Portugal é 99,99999% politicamente correcto.

Mais de 99% são vendidos,autênticos mercenários e traidores de merda,onde reina o lambe-botimo aos que têm mais influência.

Então no desporto é onde isto é mesmo regra.
Basta ver a CORJA toda de "notáveis" que lambe o cú ao orelhas mesmo que este roube o clube à cara podre mesmo,o tal clube que eles dizem "amar".

E já me ia esquecendo,a imprensa de MERDA que temos.

Não temos nenhum "Russia Today"(que embora seja demagógico contra o nazismo e nacionalismo,sempre tem jornalismo de investigação sobre vácinas com vírus,bilderbergs,atentados false-flag,etc..

E muito menos temos um "Koop Verlag".

O melhor que vamos tendo,que é o menos mau dentro do que é péssimo mesmo,é o "Correio da manhã",o "Diabo" e a "Sábado" que dantes ainda fazia umas coisas,mas ultimamente parece que foi castrada.

Ao menos o "Correio da manha" ainda tem bom gosto a escolher jornalistas, menos mau.

E pronto,isto explica o porquê de Portugal apesar de ser dos Países da Europa com mais pobreza,desvalorização laboral,corrupção,desemprego e abstenção, consegue o paradoxo de ao mesmo tempo ser o País com menos actividade Nacional-Revolucionária na Europa.

Diogo disse...

Aos comentaristas anteriores:

O nacionalismo é uma das maiores armadilhas que há.

O Poder Financeiro Mundial tem demasiada força e é preciso que, através da Internet, os cidadãos aprendam, se juntem numa rede global e combatam a uma escala global.

De certa forma isso já está a acontecer. Há revoltas, não dirigidas por nenhumas organizações, a estalar por todo o lado.

Mas para funcionarem convenientemente, estas revoltas têm de funcionar a nível individual e a nível mundial:

Em cada país, um, dois, três ou quatro cidadãos estudam os hábitos diários de um determinado comentador (vendido), de um determinado político (a soldo), de um banqueiro ou de outro corrupto qualquer.

Depois, um dia, limpam-lhe o sebo, seja no café, no jogging, no passeio matinal ou vespertino ou no barbeiro.

E, assim, centenas ou milhares de grupos, eliminando paulatinamente um, dois ou três gatunos de elevado gabarito por semana, acabariam com a alta ladroagem em poucos meses.

Mas é fundamental que isto aconteça em todo o mundo em simultâneo. Nada de nacionalismos bacocos.

Pedro Lopes disse...

"Nada de nacionalismos bacocos."

Isso foi o que disse o cavaco aqui há dias num palanque qualquer.

Thor disse...

Diogo, a tua conversa é igualzinha ao dos revolucionários marxistas, mas igualzinha - ah e tal a revolução não pode ser num só país, tem que ser em muitos ao mesmo tempo, senão aborta.
por isso "nada de nacionalismos bacocos".

ora, bacoco porquê? quem definiu que o nacionalismo é "bacoco"?
porque está "fora de moda"? porque não é "fashion"?
porque a merda dos mérdia e das elites dizem-no todos os dias?
quem é que impingiu esse cliché absurdo do "bacoco" ou "ultrapassado"?

tudo o que não convém à máfia plutocrática é rotulado como "bacoco" e pronto, os Diogos engolem sem pestanejar, apesar de continuarem a dizer que lutam contra essa mesma máfia.

és um marxista muito, muito mal disfarçado.

Diogo disse...

O nacionalismo justificava-se quando foi necessário organizar o mundo em regiões homogéneas:

- Um território, uma língua, uma economia, uma moeda, um conjunto concertado de leis.

A tecnologia estilhaçou tudo isso. Vivemos cada vez mais num mundo global com problemas a todas as escalas: local, regional, continental e mundial. O Grande Dinheiro não passa de um monopólio a nível global de parasitas que se entretém a engolir as riquezas locais, regionais, continentais e globais.

Mas o combate, hoje, a esta potência financeira criminosa a nível mundial, acaba por ser simples: cidadãos de todo mundo, educados e ligados pela Internet, têm de começar a limpar o sebo aos sequazes desta máfia. Um a um. Nada de confrontos com a polícia ou com o exército (outro conjunto de cidadãos vítimas do Grande Dinheiro).

Continuar a defender nacionalismos, forças armadas fortes e estadistas carismáticos não revela apenas ingenuidade, revela imbecilidade.

Thor disse...

"Vivemos cada vez mais num mundo global"


Diogo, será que tu consegues dizer uma única frase mesmo saida da tua própria cabeça, e que não seja uma mera repetição mimética da propaganda socialista/marxista/liberal/democrática/whatever?

o nacionalismo justificou-se antes, e agora então ainda se justifica MAIS.
precisamente nesta época em que vivemos na era do globalismo, é que o nacionalismo se justifica MAIS.
só um ESCRAVO é que aceita a escravatura da globalização sionista, sem se opôr.

será que preferes um mundo sem fronteiras? sem raças? sem identidades? um mundo de escravos obedientes e submissos a meia-dúzia de donos?

falas como se o globalismo fosse uma coisa que tivesse acontecido "espontaneamente", "naturalmente", e que não tivesse sido planeado, orquestrado e decidido precisamente por aqueles mesmos que tu tanto dizes combater.

e ainda dizes que os outros é que são bacocos. bacoco és tu, que te limitas a repetir chavões e clichés como um papagaio, sem sequer rastreares a origem dos mesmos.
porque se rastreasses, ias ver que a fonte desses clichés são os mesmos de sempre: os donos do grande dinheiro que tu finges combater.
és um tolo, Diogo. só tens a K7 da propaganda na tua cabeça.

N disse...

"O nacionalismo justificava-se quando foi necessário organizar o mundo em regiões homogéneas:

- Um território, uma língua, uma economia, uma moeda, um conjunto concertado de leis."

Os eua tem isso tudo que disseste,e não são uma nação.
Nem sabes em que consiste o nacionalismo nem o significado do termo nação.

"O nacionalismo é uma das maiores armadilhas que há."

Porque?....Porque sim não é?

"O Poder Financeiro Mundial tem demasiada força"

Pois tem,e só sangue vence o dinheiro,só o nacionalismo vence o internacionalismo, só o espírito vence a matéria,e por isso SÓ o nacionalismo combate de verdade o capitalismo.

Mas isto é capaz de ser muita "carga" para perceberes Diogo.

"Há revoltas, não dirigidas por nenhumas organizações, a estalar por todo o lado."

A tua ingenuidade mete dó.
Mais de 95% dessas revoltas são controladas pelo próprio sistema,algumas delas com financiamento do judeu soros.

"Mas é fundamental que isto aconteça em todo o mundo em simultâneo. Nada de nacionalismos bacocos."

Claro,vai ser um movimento tipo "internacionalismo Diogo homem das cidades".

Não interessa raças,nem etnias,nem nações,nem especificidades próprias e nem alternativas ao sistema,nada disso interessa,pois é tudo "bacoco".

"Continuar a defender nacionalismos, forças armadas fortes e estadistas carismáticos não revela apenas ingenuidade, revela imbecilidade."

Claro, e mais vale acabarmos com as Forças Armadas Portuguesas que aquilo é um desperdício de dinheiro não é Diogo?

Pomos uns gajos com t-shirts do guevara e uma AK-47 nas costas, numas motas de água com autocolantes "flower power" a patrulhar os mares e chega perfeitamente.

Submarinos para quê?

Exercito Nacional para quê?
Faz-se umas milícias multiraciais neo-marxistas sem treino de jeito e a darem na branca em qualquer barraca "revolucionária".
Passam elas a proteger o regime.

Depois matamos todos os ricos,e depois como não há riqueza para distribuir aplica-se o conceito de "igualdade" marxista,a igualdade da miséria.

Diogo,jantaste bem,e jantaste cedo hoje.

Diogo disse...

Caro Thor,

O mundo hoje é global, já não é nacional.

A televisão mas, sobretudo a Internet, coloca-me diariamente frente a frente com todos os acontecimentos do mundo:

A informação é global, a moeda é praticamente global e a língua é global (o inglês – como primeira ou segunda língua).

Mas posso agir localmente. Devemos todos fazê-lo.

Quanto às nações, fazem parte de um passado que já não volta. Tal como as tribos ou os clãs.

Pedro Lopes disse...

Aliás, eu já uma vez tinha dito e volto a repetir que agora é muito mais importante o nacionalismo do que era há 70/80 anos.

Pelo simples motivo que o globalismo ainda não se tinha alastrado tanto.
Aliás no séc 19 nem sequer havia muito essa noção de nacionalismo.

Agora com a facilidade de circulação do dinheiro, das pessoas e das mercadorias é urgente implementar nacionalismos e de preferência nacionalismos ideológicos, e que sejam moldados em função das características de cada pais.

Se o Diogo gosta de ver o alastrar de multinacionais sem pais nem rosto ou de ver um gajo da banca dar um peido e provocar um crise financeira mundial isso é lá com ele.

N disse...

"Quanto às nações, fazem parte de um passado que já não volta"

Tu és Português ao menos Diogo?
Ou és etnomasoquista?
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=pFVwSI1smpE#at=19

Olha para a China meu ignorante,que está-se a posicionar para mandar no mundo a médio-longo prazo.

Olha a Grécia a levantar-se através do nacionalismo revolucionário num movimento que consegue unir todas as idades,sexos e classes tudo em prol da identidade Grega.

Com o excesso populacional mundial sub-ariano+crise econômica global+escassez de recursos+conflictos sociais as nações mais homogêneas a nível racial e com grande sentimento tribal e forte componente tradicional serão as que irão sobreviver aos novos desafios.

http://omsilanoican.blogspot.pt/2012/09/as-consequencias-da-merdocracia.html

Pedro Lopes disse...

E mais, eu ainda não ouvi aqui nenhum Nacionalista a defender um pais isolado do resto do mundo, onde as pessoas não podem sair, onde a internet é barrada só a sites nacionais.

Claro que pode e deve haver sempre comércio internacional, relações económicas e politicas com outros países, as pessoas podem viajar á vontade, podemos ter cá empresas estrangeiras e não temos de ser auto-suficientes em todas as áreas da economia. Mas devemos aproveitar e explorar a fundo o que temos e podermos com isso poder comprar outros produtos que não podemos produzir.

Mas não há FMIs a impor directivas, não há a banca mundial a praticar terrorismo, não há cá redes mafiosas, redes de prostituição, de pedofilia etc.

Diogo disse...

N disse: «Claro, e mais vale acabarmos com as Forças Armadas Portuguesas que aquilo é um desperdício de dinheiro não é Diogo?»

Diogo: : É!


N disse: Pomos uns gajos com t-shirts do guevara e uma AK-47 nas costas, numas motas de água com autocolantes "flower power" a patrulhar os mares e chega perfeitamente.

Diogo: : A patrulhar o quê? Biliões de km2 de oceano do qual não tiramos qualquer proveito?


N disse: Submarinos para quê?

Diogo: : Boa pergunta. Submarinos para quê?


N disse: Exército Nacional para quê?

Diogo: : Boa pergunta. Exército Nacional para quê? Para invadir a Espanha ou Marrocos? Ou um ataque frontal aos EUA?

Thor disse...

"Caro Thor,

O mundo hoje é global, já não é nacional."


se é global, é graças aos teus donos do Grande Dinheiro, mas que tu teimas em fingir que "combates".
se é global, devemos lutar contra isso.

e é importante não misturar as coisas, não misturar tudo no mesmo saco.
uma coisa é a tecnologia, ou internet serem globais.
outra coisa é não haver fronteiras físicas entre países.
o Nacionalismo não impede a existência de internet, ou comunicação entre as Nações. entendes Diogo?
pode continuar a haver internet e trocas entre países, mas sem multiculturalismo, internacionalismo militante, imigração descontrolada, multinacionais por todo o lado, etc
penso que percebes o que eu quero dizer.
informação global, ok, é uma coisa.
fim das fronteiras físicas, fim do proteccionismo, multirracialismo, imigração, etc, é OUTRA COISA e devemos dizer NÃO.

mas uma coisa: os meios de comunicação também devem ser reformulados, porque actualmente só servem interesses globalistas e do Grande Dinheiro, porque pertencem todos a 5 ou 6 famílias milionárias que só divulgam a informação que lhes interessa e que lhes aumenta o poder.
nunca o Nacionalismo foi tão necessário como hoje.

Diogo disse...

Pedro Lopes, o nacionalismo é apanágio dos países mais atrasados. Mas as fronteiras são cada vez mais porosas.

Pedro Lopes disse...

"o nacionalismo é apanágio dos países mais atrasados"

Ó Diogo, não digas isso.
Volto a repetir, os Nacionalismos que existiram tiraram os respectivos países da pocilga em que se encontravam.

E digo-te mais esses países mais "avançados"(embora este termo seja vago) de hoje, não são nacionalistas ideologicamente mas praticam algum tipo de proteccionismo ás suas economias nacionais.Falo da Alemanha, dos EUA, Japão, China etc.

Já agora se quiseres ver quem gosta do globalismo e quem o promoveu até hoje dá uma olhada neste vídeo, é muito curtinho:

http://trutube.tv/video/6336/NEW-WORLD-ORDER-PLEDGED-TO-JEWS

Thor disse...

"a moeda é praticamente global"


isso graças aos teus donos do Grande Dinheiro, alguns dos quais já aqui disseram o nome, como o judeu George Soros, mas outros que tais...
criaram bancos centrais, moedas únicas, reservas federais controladas por eles e etc, etc
o Diogo fala como se fosse tudo "espontâneo", "natural", e não orquestração da máfia plutocrática globalista para dominar as nações.

o Diogo por um lado critica o Grande Dinheiro, por outro defende-o.

Thor disse...

"o nacionalismo é apanágio dos países mais atrasados"

Ó Diogo, não digas isso."


ele só sabe repetir os clichés sem substância que lhe ensinaram.
é atrasado porque é, porque sim, e não diz nem explica porquê.

Diogo disse...

Caro Thor,

O mundo hoje é global por causa da tecnologia e não do Grande Dinheiro. É global por causa da Internet, dos aviões, dos Porta-Contentores-Gigantes, etc.

Pode haver multiculturalismo com o globalismo. Quantos tipos de preferências musicais, roupa, hábitos alimentares, etc. coexistem hoje numa pequena vila?

A imigração/emigração é outro caso.

Thor disse...

"Já agora se quiseres ver quem gosta do globalismo e quem o promoveu até hoje dá uma olhada neste vídeo, é muito curtinho:

http://trutube.tv/video/6336/NEW-WORLD-ORDER-PLEDGED-TO-JEWS"



e já agora, ele que veja também quem controla a tal "informação global" que tanto defende:

http://hyperborea-land.blogspot.pt/2011/05/sionistas-controlam-96-dos-media.html

Thor disse...

"Caro Thor,

O mundo hoje é global por causa da tecnologia e não do Grande Dinheiro. É global por causa da Internet, dos aviões, dos Porta-Contentores-Gigantes, etc.

Pode haver multiculturalismo com o globalismo. Quantos tipos de preferências musicais, roupa, hábitos alimentares, etc. coexistem hoje numa pequena vila?

A imigração/emigração é outro caso."



o dinheiro é que criou a tecnologia.
mas nós já dissemos que não nos opomos à tecnologia ou à internet.
opomo-nos ao internacionalismo, esboroar das fronteiras físicas, multiculturalismo/racialismo, capital transnacional, etc.
Diogo, não sejas "bacoco", como tu dizes.
não compares ter uma preferência musical ou uma roupa qualquer, com a imigração do 3ºmundo ou casais multirraciais, por exemplo.

pode haver multiculturalismo com o globalismo? é claro que PODE.
aliás, com o globalismo é inevitável.
por isso é que nos opomos ao globalismo.
e não por causa da internet.

Diogo disse...

Thor disse... «"Já agora se quiseres ver quem gosta do globalismo e quem o promoveu até hoje dá uma olhada neste vídeo, é muito curtinho: http://trutube.tv/video/6336/NEW-WORLD-ORDER-PLEDGED-TO-JEWS" »

Diogo: A globalização, a nacionalização, a regionalização, a localização é sempre uma faca de dois gumes. Quanto maior for o corpo, maior a capacidade de revolta.


Thor disse... «e já agora, ele que veja também quem controla a tal "informação global" que tanto defende: http://hyperborea-land.blogspot.pt/2011/05/sionistas-controlam-96-dos-media.html»

Diogo: a informação é cada vez mais difundida pela Internet e cada vez menos pelos jornais e televisões. Isto é uma derrota diária para a Máfia.

Pedro Lopes disse...

"e já agora, ele que veja também quem controla a tal "informação global" que tanto defende:

http://hyperborea-land.blogspot.pt/2011/05/sionistas-controlam-96-dos-media.html"

Mais a indústria do cinema, entretenimento, ONGs, Banca mundial, Transgénicos, redes GLOBAIS de prostituição e de droga.
Tudo o que está ligado aos parasitas é global. Tudo.

Defender o globalismo é defender o sionismo e seus derivados, capitalismo e comunismo.

A tecnologia é cega em relação a globalismos ou outras orientações.

O Facto de ir á internet não me impede de ter a minha identidade, e a defender.
Com o globalismo um dia ainda vais até Paris e julgas que estas em Tóquio, uma vez que desaparece toda a diversidade cultural e económica.
Verás as mesmas comidas, as mesmas caras mestiças, as mesmas lojas todas pertencentes a um magnata judeu, a mesma publicidade etc.

N disse...

O post "30 Julho, 2013 23:07" do Diogo diz tudo...

E tenham em conta que o Diogo é um privilegiado e tem acesso a informação que o comum dos cidadãos não tem,tem acesso a debates que o comum dos cidadãos nem imagina que possam existir,já lhe explicamos as coisas 999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999999vezes, e mesmo assim vejam bem as barbaridades inconsequentes, infantis e até insultuosas(para quem sente a nação) que ele disse com a maior das ligeirezas.

Agora imaginem uma boa porção de Portugueses que não tem acesso a isto,e outros que nem na net sabem mexer.

E ainda há quem acredite na demência de cada um valer um voto.

A democracia igualitária não pode funcionar.
Não é teoria,é facto científico.

Diogo disse...

Caro Thor,

O multiculturalismo é uma palavra muito traiçoeira na questão imigração-emigração.

Quando falo de multiculturalismo, falo de pessoas que estão a um nível semelhante civilizacional embora com gostos diversos.

Quando se fala de multiculturalismo em termos de graus de civilização diferentes, deve-se ter o máximo cuidado em não importunar os anfitriões da emigração.

Que se imponham regras aos imigrantes vindos de uma civilização mais atrasada não me repugna.

Diogo disse...

N: «Agora imaginem uma boa porção de Portugueses que não tem acesso a isto, e outros que nem na net sabem mexer.»

Diogo: A maior parte das nossas decisões em grupo não necessita de conhecimento especialista. Nos casos em que tal seja necessário faz-se com se fez na Suécia há umas dezenas de anos:

Sobre um programa de avançar ou não com um projeto nuclear para todo o país, foram feitos cursos por todo o país sobre o assunto. Só quem frequentou os cursos pode votar.

Esta é uma forma, podemos imaginar milhar de outras…

N disse...

"Sobre um programa de avançar ou não com um projeto nuclear para todo o país, foram feitos cursos por todo o país sobre o assunto. Só quem frequentou os cursos pode votar."

Alto!Que ele aos poucos está a chegar lá.

Então para o projecto nuclear só quem percebe é que pôde votar?
É isso não é?

Então como é que sendo a gerência da nação um conjunto IMENSO de VÁRIOS assuntos e matérias pode alguma vez fazer lógica as pessoas que nada percebem dos VÁRIOS assuntos e matérias votarem?

E ainda para mais a aberração de todos valerem um voto,independentemente do nível intelectual,moral e racial?

N disse...

http://omsilanoican.blogspot.pt/2012/06/acorda.html

http://omsilanoican.blogspot.pt/2012/06/doenca-do-politicamente-correcto.html

http://omsilanoican.blogspot.pt/2012/06/socrates-em-grego-antigo-transl.html

http://omsilanoican.blogspot.pt/2012/10/a-impossibilidade-da-democracia.html

http://omsilanoican.blogspot.pt/2012/11/democraciaigualitarismosuicidio.html

Os defensores da merdocracia que façam o favor de refutar isto.

Diogo disse...

A maior parte das nossas decisões em grupo não necessita de conhecimento especialista.

- Fazer um viaduto ou um centro de dia para idosos.

- Um parque infantil ou um posto médico.

- Etc.

Pedro Lopes disse...

Ó Diogo,

Então quando dizes que devemos acertar o passo aos corruptos, como fazer se eles podem fugir para qualquer parte do mundo á vontade?

Como é que vais acertar o passo aos gajos das agências de ratings que estão em Nova Iorque, mas as suas acções podem lixar-nos a vida?

Como é que acertas o passo ao cabecilha de uma rede de tráfego de órgãos que opere em Portugal mas esse cabecilha vive á grande nas caraíbas?Podes acertar o passo aos de 2ª linha mas o cabecilha manda para cá outros.

Como impedes a entrada de uma rede de terroristas se as fronteiras estão escancaradas?

É pá com Nacionalismo também podes ter alguns problemas, mas se a porcaria for mais contida e reduzida não é bom para as populações?

Thor disse...

"Alto!Que ele aos poucos está a chegar lá.

Então para o projecto nuclear só quem percebe é que pôde votar?
É isso não é?

Então como é que sendo a gerência da nação um conjunto IMENSO de VÁRIOS assuntos e matérias pode alguma vez fazer lógica as pessoas que nada percebem dos VÁRIOS assuntos e matérias votarem?"


o problema nem é esse N.
o problema é que a população, que já de si é ignorante, nem sequer é consultada sobre vários assuntos e matérias.
é simplesmente chamada a marcar uma cruz numa sigla/cara de 4 em 4 anos.
isto não passa de totalitarismo subtil.

claro que já não era justo que a população toda fosse chamada a decidir sobre tudo.
mas nem sequer é isso que acontece na realidade.
simplesmente uma máfia de meia-dúzia decide tudo sozinha, e depois a "manada" é chamada de 4 em 4 anos para marcar uma cruz no representante do lobby A/B/C/D da máfia, em que os donos e decisores são sempre os mesmos, quer ganhe o A, B, C ou D.

democracia É ditadura, foda-se.
acordem!

N disse...

"A maior parte das nossas decisões em grupo não necessita de conhecimento especialista.

- Fazer um viaduto ou um centro de dia para idosos.

- Um parque infantil ou um posto médico.

- Etc."

E já agora uma rotunda...

Pah,eu não vou perder mais tempo porque isto é já um caso perdido falar contigo,mas aqui vai uma última vez:

Esse tipo de coisas menores,num estado NS com sedes locais NS as pessoas podem participar e até têm bem mais poder de decisão já que o espírito comunitário é crucial num regime nacionalista e as obras visam o superior interesse da nação e populações,e não sofrem de qualquer interferência de negociatas corruptas imobiliárias por parte dos democratas ou de "derrapagens".

Mas isso que falas são MERDICES, comparado com o que é realmente importante como:

Nacionalização da banca.

Criação de emprego.

Boom de natalidade nativa.

Modernização das Forças Armadas Portuguesas e aumento de efectivos.

Criação de um desígnio nacional.

Extermínio da corrupção.

Fim de todo o tipo de degeneração.

Ensino de excelência e de acesso a todos independente das possibilidades monetárias(meritocracia.

Criação de uma religião nacional étnica de forma oficial e abrangente.

Criação de uma dinâmica progressista,mas tradicional e anti-democrática.

Isto é o que é IMPORTANTE.
Assim muito resumidamente porque já por diversas vezes disse exaustivamente um programa para a nação Portuguesa,que pode ser lido em posts mais antigos aqui e por isso não me vou repetir.

N disse...

"democracia É ditadura, foda-se."

Óbvio,só que uma ditadura anti-nacional onde envenenam o próprio povo(vácinas com vírus),roubam-no à cara podre,justiça não existe,liberdade também não é pura ilusão,respeito pela propriedade privada também é falso,os dados de TODOS os Portugueses são dados aos eua pelo alto TRAIDOR miguel macedo(só isto diz tudo de como não somos soberanos),liberdade econômica também não temos,e esta ditadura tem a particularidade de perseguir não traidores mas patriotas,os traidores são sim recompensados e os grandes rostos do regime.

A democracia é uma ditadura,uma ditadura sionista,uma ditadura anti-nacional.

Só um símio mesmo é que não consegue se aperceber dessa realidade.
Mas piores que os símios, são aqueles que sabem e FINGEM não saber por covardia.

Thor disse...

"A democracia parlamentar corresponde mais aproximadamente aos desígnios dos Judeus, porque elimina a personalidade e no seu lugar põe a maioria da estupidez, incompetência e, por fim, mas não menos importante, da cobardia."


Adolf Hitler

Thor disse...

"A democracia Ocidental de hoje é precursora do Marxismo, sem a qual ele não seria concebível. Estabelece esta praga mundana com a cultura em que os seus germes se espalham."

Adolf Hitler

JPA disse...

N, qual é a religião nacional étnica que pretendem criar de forma oficial e abrangente?
O Papa Francisco juntou mais de 3 milhões de pessoas numa praia.

Atenciosamente
JPA

N disse...

JPA, o papa juntou muita gente sim.
Quanto a números "oficiais" eu já sei o que a casa gasta,e por isso nunca são os que são ditos.
E é preciso ver o número populacional do Brazil.

Mas o Brazil é o país mais propicio para acolher o cristianismo porque o Brazil não é uma nação.

Nem a nível racial,nem a nível étnico.

Não se pode comparar o Brazil com uma nação Europeia como Portugal.

Mas o papa defende os superiores interesses do vaticano,volto a dizer.Isto para mim é muito claro mesmo.

A nossa cultura étnica é essencialmente Celta+Romana.

Sendo a Celta a origem do nosso povo,a raiz de tudo.

Um misticismo à volta do conceito Lusitano é o que eu pretendo.

Assim como os Germânicos têm orgulho na sua identidade.
Assim como os Nórdicos têm orgulho na sua identidade.
Assim como os Eslavos têm orgulho na sua identidade.
Etc...

Nós também temos que o ter.

Somos Arianos,não somos semitas.
Somos uma raça nobre,e nossa etnia é das mais antigas do mundo.
Somos a nação com as fronteiras mais antigas da Europa.

Eu quero uma religião Lusitana,uma religião nacional,uma religião de sangue,uma religião eugénica.

Sem base espiritual sólida e identitária em primeiro lugar,de nada adianta construir algo pois será sempre um castelo de cartas.

A nova religião Lusitana através da componente eugénica melhorará a raça a nível intelectual,físico e espiritual.

Criará valores de honra,hábitos de disciplina,união fanática entre os cidadãos.

Criará riqueza através da manifestação em cultura,turismo,gastronomia,cinema,música,todo o tipo de arte,etc..

Criará uma mais vasta possibilidade de escolha de parceiros para ambos os sexos,pois a qualidade aumentará em ambos os sexos.

Criará valores de decência e lealdade e com isto irão diminuir os divórcios e aumentar as relações duradouras e saudáveis.

Criará um boom de natalidade nativa.

Criará um conceito fanático de unidade e irmandade entre todos os militares nacionais garantindo dessa forma a máxima lealdade ao povo e à nação e máxima camaradagem entre eles.

http://3.bp.blogspot.com/-M40WuAZOzAI/T_IpUMjnfcI/AAAAAAAAAQ0/gsfXJib14L0/s400/4%25C2%25AA+REPUBLICA+NACIONALISTA.PNG

Será este o símbolo da religião Lusitana e da ideologia NS Lusitana.

Não faço tensões de perseguir cristãos como fez a maçonaria JPA,mas não faço igualmente tensões de lamber o cú ao vaticano.

Os cristãos serão respeitados está descansado e com liberdade de culto.

Os islâmicos serão contidos e vigiados,pois não quero cá insolências como fazem em vários países Europeus.

Os judeus não os quero aqui,serão convidados todos a sair e sou a favor do estado subsidiar todos os custos da viagem(só de ida obviamente).
Hoje eles não têm desculpas,têm já uma país deles(israel) e haverá sempre países que os acolherão.

Não os quero aqui.
Nem judeus,nem homossexuais.

Quantos aos negros quero separar o trigo do joio,quem está cá e cria riqueza e respeita a nação que o acolhe,pode estar cá à vontade.

Quem anda a fazer merda andor daqui para fora.

Mas aprovaria leis contra a miscigenação.

Como líder da nação Portuguesa defenderei sempre os superiores interesses do povo Lusitano.
É simples.

Pedro Lopes disse...

Dá-me a sensação que o Diogo enfiou o barrete do Zeitgeist2 e Zeitgeist3.

O que se defende nestes documentários é um globalismo económico baseado em recursos. Dizem eles.

Mas eu vi aquilo e cheirou-me a um modelo futurista de comunismo global com planeamento centralizado.

É das coisas mais Orwellianas que já vi. É assustador.
Máquinas a produzirem tudo automaticamente e o povo sem qualquer ocupação a não ser tocar musica, escrever poesia e dançar.

Só que as máquinas nunca podem ser autónomas e alguém as terá que controlar. Elas avariam, e necessitam de manutenção seja qual for a tecnologia.

Os dos "protocolos dos sabios" veria ali o ponto ideal para ficarem no comando para sempre. Á mínima contestação desligavam as máquinas. Pffff.

JPA disse...

Porque razão, as leis e o cumprimento destas não permitem o são convívio de todas as raças e credos?

Atenciosamente
JPA

Thor disse...

"Quantos aos negros quero separar o trigo do joio,quem está cá e cria riqueza e respeita a nação que o acolhe,pode estar cá à vontade.

Quem anda a fazer merda andor daqui para fora."


ahhh é aqui que o N se espalha ao comprido.
não há essa de "os que se portam bem podem ficar" e "leis contra a miscigenação".
isso é impraticável.
negros não podem ficar, quer se portem bem, quer se portem mal, e o mesmo se aplica a mulatos, pardos, cabritos e afins.
uma vez que alguns negros fiquem, a identidade racial fica logo posta em causa. haverá sempre miscigenação, não é uma lei idiota que o vai impedir.
N, não podemos ser condescendentes nisto.
negros é tudo daqui para fora, caso contrário, põe-se logo em causa a identidade.
e lembro que basta um punhado de negros para alterar a composição genética de uma população, porque os seus genes espalham-se, e quanto menos vísiveis, PIOR AINDA, pois são trojans que trabalham para o inimigo.
foi assim que o Egipto decaiu, ou a Grécia, ou o império Romano.

Thor disse...

" Pedro Lopes disse...
Dá-me a sensação que o Diogo enfiou o barrete do Zeitgeist2 e Zeitgeist3.

O que se defende nestes documentários é um globalismo económico baseado em recursos. Dizem eles.

Mas eu vi aquilo e cheirou-me a um modelo futurista de comunismo global com planeamento centralizado.

É das coisas mais Orwellianas que já vi. É assustador.
Máquinas a produzirem tudo automaticamente e o povo sem qualquer ocupação a não ser tocar musica, escrever poesia e dançar."



Pedro, o Diogo já assumiu que é marxista.
é com um comunista que estamos a lidar


Diogo disse...
Caros Anónimos – 14:52 e 17:41,

Enquanto o homem tiver de trabalhar, considero-me um social-democrata do tipo escandinavo.

Quando a máquina substituir o homem no trabalho, seremos todos obrigatoriamente comunistas.

Enquanto houver vampiros a sugarem as sociedades, é dever de cada cidadão da Terra persegui-los e matá-los.

21 Novembro, 2012 20:00

http://citadino.blogspot.pt/2012/11/as-revolucoes-de-hoje-so-serao.html

N disse...

JPA, os judeus,sua filosofia e sua religião baseia-se num racismo etnocêntrico.

http://omsilanoican.blogspot.pt/2013/02/talmud-alguns-excertos.html

Qual é a parte que não percebe que eles são um inimigo dos Lusitanos e Lusitanas?

Quero essa escumalha toda fora daqui.

JPA,as leis são feitas pelos homens.
Mas a maior das leis é a lei da natureza humana,e a lei da natureza humana é a lei do mais forte.

http://omsilanoican.blogspot.pt/2013/02/oswald-spengler-prophet-of-western.html

Pedro Lopes disse...

"Pedro, o Diogo já assumiu que é marxista.
é com um comunista que estamos a lidar"

Thor,

O Diogo mete artigos excelentes sobre as farsas dos judeus, e sobre a escumalha super-corrupta que lhes lambe as botas e nos suga até ao tutano.
Foi por ver esses tópicos que comecei a vir cá.

Agora o que não posso concordar é com as soluções que preconiza.

Ou menos se fosse um Nacional-comunista(talvez o pior dos nacionalismos). Mas nem isso.

Thor disse...

Nacional-Comunismo não é "o pior dos nacionalismos", pois não é nacionalismo e sim imperialismo marxista.

ele faz tópicos sobre as farsas dos judeus, mas depois apoia-os, sem sequer ter consciência disso, que é a pior forma de apoio (o inconsciente)

N disse...

"Nacional-comunista(talvez o pior dos nacionalismos)".

Nacionalismo nasce de uma ardente paixão pela nação e pelo povo,até porque sem povo nativo não há nação.

Quem ama o seu povo não o escraviza.
O nacional-comunismo(aplicado na China) escraviza o seu próprio povo.

comunismo nunca pode ser nacionalista.

O termo nacional-comunismo só se aplica na China porque não é uma clique judaica que manda e que explora e genocida o povo nativo desse terrítório,como foi o caso do comunismo que varreu a Europa.

Só o NS e o Fascismo são doutrinas nacionalistas,pode é haver diferentes "correntes" ou "tendências" dentro destas.
Mas só essas são nacionalistas.

comunismo,capitalismo,democracia não são nem nunca podem ser doutrinas e formas de regime nacionalistas já que se baseiam na escravatura,engano e genocídio do povo nativo do território onde tais aberrações ideológicas estão hospedadas a parasitar.

Diogo disse...

Meus caros,

Defendo que todos os homens deviam nascer iguais em direitos e deveres, e de cada um segundo as suas capacidades e a cada um segundo as suas necessidades.

Enfim, todos diferentes mas todos iguais. Os países que mais se aproximaram destes princípios foram os nórdicos. E foram os mais avançados civilizacionalmente.


Entretanto o trabalho humano vai sendo cada vez menos preciso à medida que o avanço exponencial da automação e da inteligência artificial vai ganhando lugar.

Prevejo um futuro de abundância e de plena igualdade entre cidadãos. E prevejo um mundo sem trabalho – um mundo de lazer com todos os entretenimentos que se possam imaginar.

Thor disse...

Diogo, e depois não queres ser visto como marxista e antifa, enfim...
até os slogans deles repetes, como o "todos diferentes, todos iguais".

a natureza não é igualitária, não há seres humanos iguais.

quanto ao futuro sem trabalho, enfim, a tua ingenuidade é tão cândida que até mete pena.

Thor disse...

"comunismo nunca pode ser nacionalista.

O termo nacional-comunismo só se aplica na China porque não é uma clique judaica que manda e que explora e genocida o povo nativo desse terrítório,como foi o caso do comunismo que varreu a Europa."


ha não tenhas tantas certezas de que os judeus não mandam nada na China.
mas concordo que o comunismo NUNCA pode ser nacionalista, mesmo que precedido da palavra "nacional", que eles lá puseram para pescar idiotas.
"nacional"-bolchevismo existe em Israel, na Rússia, no antigo Bloco de Leste e talvez na Finlândia.
em MAIS LADO NENHUM, nem na Europa Ocidental.
deve ser "coincidências" hehehe

Pedro Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Lopes disse...

Ai Diogo, Diogo!!!

Olha que a mossad, a cia e a nsa depois fazem uns vírus que desorientam as máquinas e morremos todos á fome, porque deixamos de saber produzir alimentos....

:)

Ainda se dissesses que com a tecnologia podemos um dia reduzir a carga laboral para 6 horas/dia, ou passarmos a ter o fim de semana de 3 dias.
Ai sim, até eu acredito que poderemos chegar a esse ponto, mas mais que isso irá transformar o ser humano num ser inferior, incapaz de lidar com qualquer adversidade, pois habitua-se a ter tudo de mão beijada.

O ser humano é forjado precisamente perante certas dificuldades e é assim que se desenvolve.

Como reagirá uma sociedade dessas a uma catástrofe natural? Ou são as máquinas que vão resolver também esse problema?

E será que todo o mundo aceitará essa ideologia?Os muslos, os judeus, os asiáticos? É que senão eles depois podem aproveitar para nos dominar uma vez que não temos forças armadas e andamos para ai todos a tocar guitarra e flauta e a cantar o fado.....

JPA disse...

N, está a par da confederação "KOL"?
Tem a certeza de que os Lusitanos são Celtas? Ou maioritariamente Celtas?
Viriato foi um Homem ou um posto?
Serão todos os Portugueses Lusitanos?
Você é Lusitano? Eu sou.

Atenciosamente
JPA

N disse...

Diogo,o teu último post nem o professor bambo diria algo assim.
Enfim...

Vocês já andam a divagar nestes últimos posts.

Tecnologia será um meio de dominação pelas potências superiores sobre as inferiores.

Num sistema globalizado,servirá(como serve presentemente) para vigiar e escravizar as pessoas.

"Os dos "protocolos dos sabios" veria ali o ponto ideal para ficarem no comando para sempre. Á mínima contestação desligavam as máquinas. Pffff."

Nem é só esse o problema.
Serve também como dispositivo de localização e muito importante(mas muito ignorado) é o processo que anda a ser levado a cabo pelos globalistas para substituir o papel de vez pelo digital,para dessa forma não só terem acesso a todo o tipo de segredos e confidencialidades como também para um dia querem "apagar" o conhecimento ou adultera-lo.

Não só o papel não deve ser destruído e haver bases subterrâneas com informação escrita e não digitalizada,como fosse eu a mandar e criaria através de um departamento militar uma língua nova,incapaz de ser traduzida e decifrada fosse por que potência fosse.

Nem que fosse preciso criar habitações subterrâneas com autênticos obcecados e perfeccionistas e serem muito bem pagos mas dedicarem toda a carreira a isso.

O nosso mundo rural não vale apenas pela sua beleza e pelo lado espiritual,mas também é da máxima importância para assegurar a sobrevivência da etnia num cenário futurista tirano quase apocalíptico.

Discursos e utopias de uma humanidade global e "cidadãos do mundo" de mãos dadas sem trabalhar e com a tecnologia a servir os mesmos num paraíso neo-hippie igualitário só digno de gajos muito ingênuos,senão mesmo altamente drogados.

Se já o homem desprovido de alma é a esmagadora maioria do presente e por isso isto está a decadência que está,confiar numa sociedade mecanizada desprovida de alma,sentimentos e consciência revela mesmo muita ingenuidade.

O homem tem que estar sempre acima da máquina e o espírito acima da carne.

Se assim não for,resultará em tirania.
Como aliás já resulta presentemente.

N disse...

"N, está a par da confederação "KOL"?"

Não sei de que se trata.

"Tem a certeza de que os Lusitanos são Celtas? Ou maioritariamente Celtas?"

OS Lusitanos são Celtas sim,mais próximos geneticamente dos Celtas Helvéticos e Gauleses do que os Celtas Irlandeses por exemplo,há diferentes ramos na grande família Celta.

A própria mitologia não é toda igual,e também não é como a Grega e Romana e Eslava cujos Deuses e Deusas têm equivalências mas só difere a figura e os nomes e muito pouco mais.

A única particularidade Celta comum a todos os ramos é a grande ligação à natureza,o conceito misto de patriarcal+matriarcal,uma vantagem que a própria ciência ainda hoje não explica mas os Celtas têm mais facilidade em atingir um elevado nível de consciência e a serem menos facilmente enganados,são essencialmente tribalistas,tradicionais,e foram considerados sem excepção por todos os povos como o povo mais sanguinário de sempre,muito devido aos sacrifícios humanos,sendo que o deus cornifero Cernunnos foi o que deu origem ao dito "diabo"(que não existe).

Os Celtas sempre foram mais "autônomos" e algo "socialistas" tribais" tais como os Germânicos e Vikings, ao passo que os Romanos e Gregos eram mais "Fascistas" digamos assim.

Os Romanos e Gregos ganhavam na organização e daí nunca ter havido uma grande civilização/império Celta.

Os Germânicos depois tiveram com o Nazismo o auge civilizacional.

Aliás,foi a ultima civilização digna desse nome até hoje no mundo.

"Você é Lusitano? Eu sou."

Espiritualmente e geneticamente sem qualquer margem para dúvidas.

Tenho poesia Lusitana/Celta que pode ler:

http://omsilanoican.blogspot.pt/2012/12/poesia-nacionalista-amor-clandestino.html

http://omsilanoican.blogspot.pt/2013/05/poesia-nacionalista-tribunal-pagao.html

http://omsilanoican.blogspot.pt/2012/10/poesia-nacionalista-alma-paga.html

http://omsilanoican.blogspot.pt/2012/10/poesia-nacionalista-patria-mae-lusitana.html

Thor disse...

os lusitanos não são celtas.
o N confunde lusitanos com galaicos, esses sim, celtas.

mas como isso é assunto tabú para o N, nem se pode tocar nisso.

os galaicos para a historiografia de tipo salazarista (mas não só) nunca existiram, é para serem varridos da história e dos mapas, enfim...

os lusitanos podiam até ter alguma coisa de celtas, mas não eram celtas mesmo.

N disse...

Thor,tu é que sofreste propaganda bem sei vinda de onde.

Eu a Galiza só para meter dentro de Portugal caso eles quisessem e eu tivesse ambições desse tipo enquanto estadista nacional,até porque legitimidade tenho-a a partir do momento que castela não nos devolveu olivença e nem pediu desculpas por escrito e ao invés continua a nos provocar.

Agora conversas e retóricas Galaicas para partir Portugal como ambiciona o proxeneta da torre das antas não contes comigo para isso.

E os Lusitanos não só eram Celtas como os mais fortes da zona.

Mas não vamos entrar nisto porque já sei que não vamos sair daqui e não estou para isso sinceramente,até porque daqui a bocado tenho que sair.

Thor disse...

e quem falou em partir Portugal?

eu apenas disse que os galaicos existiram e existem...é crime?

agora, só para não partir Portugal, sou obrigado a mentir e dizer que todo o Portugal de Norte a Sul é "lusitano" e passar uma borracha em tudo o que não é lusitano?

alf disse...

O BPN tem de ter sempre alguém no Governo.. saíu um e entrou outro.. curioso, não é?

Mostra a História que as revoluções de sucesso já não se fazem pela violência. Contra ela já os poderes estabelecidos aprenderam a defender-se. É preciso uma coisa diferente. O que tem resultado é a mobilização pacífica das massas. Porque a violência não mobiliza as massas.

O verdadeiro revolucionário é sereno, sábio e pacífico. E determinado. Como o Mandela. Ou o Gandi.

Th9r disse...

sim, o Mandela é muito "pacífico", um assassino terrorista, muito "pacífico" não haja dúvidas.
hahaha sai-me com cada cromo :)

Anónimo disse...

O alf é mais um que prova a demência do acreditar que alguma vez pode funcionar um sistema onde cada um vale um voto.

Pedro Lopes disse...

O Nelson Mandela?

É um homem de paz, e merece todas as homenagens.

Eis a minha homenagem a este grande humanista:

http://1.bp.blogspot.com/-UzXq1b5HAMw/UfGwINUuaYI/AAAAAAAABqQ/Wtf_-7vuGSI/s400/REALIDADE.jpg

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=tBibWSh8L8Q

Anónimo disse...

"A dívida pública portuguesa pode estar a poucos meses de se tornar a segunda mais elevada da Europa e ultrapassar a Itália, que historicamente sempre foi um dos Estados mais endividados da União Europeia (UE)."

http://3.bp.blogspot.com/-Fyw4OLAQR30/T0Ywx4_bplI/AAAAAAAADzE/67JXCAFtbHI/s400/%257B75CAE4AE-4DEA-A7A2-0ED8-BAAC5AC6CBD4%257D_700X525.jpg

N disse...

"A dívida pública portuguesa pode estar a poucos meses de se tornar a segunda mais elevada da Europa e ultrapassar a Itália, que historicamente sempre foi um dos Estados mais endividados da União Europeia (UE)."

Os "extremistas" parece que tinham razão...

http://omsilanoican.blogspot.pt/2013/06/a-realidade-supera-propaganda.html

http://omsilanoican.blogspot.pt/2013/04/danos-democraticosactualizacao.html

http://omsilanoican.blogspot.pt/2013/07/ate-quando-lusitano.html


Pedro Lopes disse...

"Os "extremistas" parece que tinham razão"

Não tem nada pá!

A Solução é criar movimentos de "cidadania" e exigir que o governo que se porte bem.

Nós queremos é um governo "Fixe", agora esses "Fascismos", isso é coisa do passado e de tiranos.

Por exemplo o "Troika fora daqui" do BE tem conseguido levar a água ao seu moinho.......Ou talvez não.

Ou então rezem, rezem muito. Dêem o exemplo, se vos derem um murro dêem a outra face. É na pobreza que encontramos o caminho de Deus.
Há quem esteja pior.

Pedro Lopes disse...

Para os Fascistas e Nazistas que vem prá aqui espalhar o ódio e sua verborreia tomem lá que é democrático:

http://fc06.deviantart.net/fs71/i/2010/185/0/6/Antifa_Bingo_by_snoopyfemme.png

http://fc01.deviantart.net/fs71/f/2011/077/3/a/antifa_bingo_version_three_by_spinosaurus01-d3by7qm.jpg

Toma!!!!

Pedro Lopes disse...

Quando descobrirem um democrata que não seja corrupto avisem-me.
Fico á espera.

http://www.publico.pt/mundo/noticia/rajoy-admite-que-recebeu-pagamentos-extra-mas-garante-que-os-declarou-nos-impostos-1601931


"Movimentos de cidadãos"!!! Pf!

Pedro Lopes disse...


Mais um bom democrata que o 25 de Abril pariu.


http://www.publico.pt/politica/noticia/rui-machete-vendeu-accoes-da-sln-ao-bpn-com-ganho-de-150-1602030

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...

Pedro Lopes,a justiça em Portugal morreu em 74.

A (in)justiça só serve para foder o cidadão que a sustenta,pois ela é paga pelo contribuinte,o mesmo que é fodido por ela.

A escumalha do poder político,desde que rebentou o cano de esgoto em 74 e subiu ao poder, moldou a sociedade ao seu nível e para os seus interesses.

Desde 74 até agora pode-se à vontade traficar cocaína,heroína,traficar mulheres,traficar menores,violar menores,roubar no bpn,roubar no bpp,roubar nas swaps,desviar fundos de milhões da ue,desviar dinheiro através das "derrapagens" de grandes obras,envenenar os cidadãos,fazer além de terrorismo biológico também terrorismo tecnológico com recurso a escutas e videovigilâncias ilegais(até privados a fazem como a sic do judeu balsemão ou o belmiro,entre outros),roubar dinheiro dos contribuintes através da criação de empresas inúteis estatais,desertar e chibar a posição dos Soldados e civis Lusitanos e Lusitanas para serem mortos pelo inimigo,trair a Pátria em paris com dinheiro da cia,ir ao bilderberg planear a melhor forma de destruir a nação Portuguesa,etc(a lista é infindável).

O resultado disto é a desgraça progressiva de todo o colectivo nacional nativo.

E enquanto o povo Lusitano não se revoltar isto vai durar.

Quanto mais um gajo se agacha mais no cu leva,já diz o ditado.

Quando o povo começar a trocar a vaselina por paus,ferros,cocktails molotov e armas isto muda.

Volto a dizer,ouçam o hino nacional.
Está lá a resposta.

Pedro Lopes disse...

"E enquanto o povo Lusitano não se revoltar isto vai durar."

Olha aqui mais umas coisas giras sobre a grandeza de uma sociedade livre e democrática moderna.

Taxa de Fertilidade

https://lh3.googleusercontent.com/_Ez5kDslCwDw/TdIivaHvgtI/AAAAAAAABvA/3jYV_PRQ3VA/geografismos%20taxa%20de%20fertilidade%20em%20Portugal%20entre%201960-2010.jpg

Imigração

https://lh6.googleusercontent.com/_Ez5kDslCwDw/TdIjJ-y4L9I/AAAAAAAABvI/rFZOq_W5faM/geografismos%20popula%C3%A7%C3%A3o%20estrangeira%20em%20Portugal%20entre%201980-2008.png

Pois, complementam-se.....

Agarrem-me senão ainda mato alguém.

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...

Na verdade, a realidade é ainda pior.
Porque já estão aí contabilizadas nos últimos anos também as crianças não-Arianas juntamente com as Arianas.

E depois porque a maior parte das últimas vai emigrar no futuro.

A democracia genocida a etnia Lusitana.

Se a democracia(quase 40 anos) é a apenas uma forma de regime escolhida para gerir a nação(mais de 800 anos) e se a primeira(democracia) destrói a segunda(nação), como pode então do ponto de vista legal e moral haver a obrigação de defender as duas ao mesmo tempo?

Tamos perante um paradoxo legal e moral que só a burrice+covardia de MUITA gente(e com altas responsabilidades mesmo) justifica a sua continuação.

Nenhum Patriota pode defender a democracia pois esta destrói a nação.

A nação estando INEQUIVOCAMENTE acima da merdocracia,pura e simplesmente todos os Patriotas,desde nacionalistas "moderados" aos mais "extremistas"(mais corajosos e menos cornos-mansos),civis e militares, deviam abertamente se revoltarem contra este regime,que repito,destrói a nação e esta destruição é FACTUAL.

Thor disse...

democracia não passa de uma ditadura judaica, multirracial e arianófoba.
é isso que a merda da democracia é.

segundo julgo saber, a população branca mundial é de 8%.
e o que vemos nos países brancos?
emigração de nativos, imigração massiva do terceiro-mundo, miscigenação, islão, criminalidade, abortismo, baixa natalidade e ainda drogas, feminismos e homossexualismos.

ou seja, tudo o que tem a ver com genocídio e prejudica as raças nativas, a sua continuidade, a sua existência etc

não há saída para a raça branca. só os países brancos estão a ser invadidos e destruídos.
não se passa isto na Àsia, nem em Àfrica, nem nos países muçulmanos e muito menos israel.

só se passa isto em países brancos tipo Europa, EUA, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Boers e mais um ou outro.

democracia é suicídio, etnocídio e genocídio.

em Portugal temos um 1º ministro africanista que manda as pessoas emigrar ("sair da zona de conforto") ao mesmo tempo que faz tudo para que os imigrantes de terceiro mundo permaneçam e não vão embora.
é programas, institutos, subsídios, casas à borlix, reagrupamento, etc, etc

que não haja dúvidas nem ilusões. isto não é "sem querer" nem por "coincidência". isto é programado, intencional e premeditado.
é um genocídio contra a raça branca a mando do sionismo internacional.

e a merda da democracia parlamentar está na linha da frente de tudo isto e muito mais.

Pedro Lopes disse...

"em Portugal temos um 1º ministro africanista"

E casado com uma africana e pais de 2 filhos.

"não há saída para a raça branca. só os países brancos estão a ser invadidos e destruídos.
não se passa isto na Àsia, nem em Àfrica, nem nos países muçulmanos e muito menos israel."

Eu ás vezes ponho-me a pensar se não seria de equacionar a formação de células de terrorismo branco na Europa.
Uma coisa ao estilo do IRA, mas com as causas de defesa das etnias e culturas europeias.

É que não vejo militares a entusiasmarem-se com os movimentos nacionalistas, e pela via eleitoral só o Aurora e mais um ou outro é que poderá chegar ao poder.

Mas isto teria de ser algo sério e bem planeado e organizado.

Ataques cirúrgicos contra as forças do sistema. Gente da Banca, gente dos governos, dos partidos, das ONGs que promovem a paneleiragem, das lojas maçónicas, ataques contras as portagens, contra a EDP, contra traficantes de droga nos bairros problemáticos, contra vendedores imigrantes ilegais, contra comentaristas e jornalistas do regime etc.

Aterrorizar o regime de terror.

Pedro Lopes disse...


Preparem as carteiras....

http://sol.sapo.pt/inicio/Economia/Interior.aspx?content_id=81941

É a vida. Há quem esteja pior.
O que se há-de fazer....