sexta-feira, março 30, 2007

Ladrões e Milhões!

PT e EDP pagam milhões aos gestores que saem

Diário de Notícias – 30 de Março de 2007

Miguel Horta e Costa, Carlos Vasconcellos Cruz, Iriarte Esteves e Paulo Fernandes, ex-administradores executivos da Portugal Telecom, receberam 9,7 milhões de euros pela não renovação do mandato no ano passado. A informação, avançada no relatório e contas da PT, não discrimina o valor que coube a cada gestor, mas presume-se que o presidente executivo, Horta e Costa, tenha recebido mais. Dividindo o montante total pelos quatro gestores o resultado dá 2,4 milhões de euros a cada.

O valor total das indemnizações pagas pela PT ascendeu a 10,672 milhões de euros, para além do ordenado correspondente aos meses em que desempenharam cargos em 2006. Este total inclui 967 mil euros atribuídos ao presidente não executivo, Ernâni Lopes. O seu mandato não foi renovado e, na actual administração, nomeada para o triénio 2006 a 2008, Henrique Granadeiro acumula a presidência executiva e não executiva.

(...)

Na EDP, empresa onde o Estado é ainda o maior accionista, com 20,5%, os administradores cessantes da equipa liderada por João Talone receberam, em 2006, um total de 6,375 milhões de euros. Desta soma, 824 mil euros correspondem à remuneração fixa dos três meses que estiveram no cargo em 2006. O resto, 5,537 milhões, representa remunerações variáveis pelo cumprimento de objectivos de gestão que incluem o prémio anual em dinheiro e planos de compra de acções, stock options, da própria EDP.

Segundo as contas de 2006 da eléctrica, o anterior presidente da comissão executiva, João Talone, recebeu cerca de 1,3 milhões de euros, dos quais 1,183 milhões foram remuneração variável. O presidente do conselho de administração, Francisco Sánchez, teve direito a cerca de um milhão de euros, que inclui 882 mil euros de prémio em dinheiro e stock options. Em 2005, estes dois gestores tinham ganho 717 mil euros. Os outros cinco administradores executivos saíram com um total de 3,965 milhões.


Comentário:

Como se já não bastasse a situação escandalosa actual dos gestores públicos, o Governo de Sócrates decidiu abrir a porta a indemnizações ainda mais altas a esses ilustres chupistas.

Isto equivale a cuspir na cara dos mais de dois milhões de portugueses que vivem abaixo do limiar da pobreza.

13 comentários:

João M disse...

Entretanto os salários da Função Pública estão congelados.

Anónimo disse...

Obsceno! Vou mandar uma maldição... E ainda há os idiotas úteis que aplaudem os seus carrascos, num gesto de humilhação absoluta.

py

xatoo disse...

ora, ora,
estes são apenas meros altos-funcionários (mas funcionários)
As grandes jogadas são feitas por outros tubarões cá fora, e a outros niveis.
Ainda hoje, voltou a ser noticia outra urbanização do presidente do Benfica feita com o alto patrocinio da CML que lesa o Estado em milhões, na medida em que ocupa o corredor pré-destinado ao TGV.
Para um gajo que estava falido, é obra - veja-se o resultado do grande pacto eleitoral "PSD-SportLisboa e Benfica" que em 2001 levou os Neocons nacionais ao Poder

Anónimo disse...

A justificação para as indemnizações milionárias é a cláusula que impede estes administradores de se passarem para a concorrência até dois anos após a saída. Na actual administração essa cláusula também está em vigor. Ou seja, quando chegar o fim do mandato, cada um dos administradores enquadrados por este regime vai ganhar o equivalente a dois anos de salários.

http://www.esquerda.net.

DLM disse...

Agora chapa-nos o termo "neocons", caramba, morremos de vergonha

xatoo disse...

benfiquista dlm:
o Futebol é um assunto demasiado alienante para ser deixado ao livre arbitrio dos alienados

DLM disse...

Xatoo, não se aborreça, nós somos “neocons”, você é "nazi".

a.castro disse...

Para "isso" e para obras faraónicas como a OTA e o TGV não faltam "milhões e milhões". Quem diria que o Sócras viesse a revelar-se o maior "pulha" que surgiu a governar o país após o 25 de Abril :( :( :)

Diogo disse...

Meu caro Castro,

Eu atribuiria o prémio de maior "pulha" pós 25 de Abril aexequo a Durão Barroso e a Sócrates. E não é por falta de memória.

Flávio Gonçalves disse...

Vou buscar a corda deles enquanto vocês procuram uma árvore alta com ramos suficientes...

Anónimo disse...

Rui Cartaxo, irá assumir o cargo de administrador financeiro da Rede Eléctrica Nacional (REN). O gestor, colocado na Galp pelo Governo, tinha saído da empresa com uma indemnização milionária e esteve quase um ano a trabalhar com Manuel Pinho. Agora é colocado pelo ministro na REN.

xatoo disse...

a malta refila mas estes gestores são "amigos do ambiente"
reciclam-se uns aos outros

rouxinol disse...

Alves dos Reis era um menino do coro.