sexta-feira, março 09, 2007

Ota: «Estão a mentir-nos»

PortugalDiario – 8/3/2007 - Patrícia Pires

Eram tantas as vozes a criticar a Ota, que resolveu juntar, em livro, a opinião de especialistas. Conclusão é clara: novo aeroporto de Lisboa apresenta deficiências, sob uma «campanha de desinformação total»

O interesse pela Ota nasceu há pouco tempo e Mendo Castro Henriques deixou-se seduzir pela grande oposição em torno do novo aeroporto de Lisboa. «A comunidade científica tomou uma posição de cidadania - contra - e isso é uma novidade», confessa ao PortugalDiário.

Quanto mais falava com engenheiros, geólogos ou ambientalistas mais este director do Instituto de Defesa percebia que «a Ota é um caroço muito desagradável, quase um tumor. Por todas as deficiências e desvantagens que apresenta em relação à Portela e às outras possibilidades de localização» a Ota parece-lhe que devia ter sido a última escolha. «Porquê esta fixação na Ota?», pergunta.

«Estão a vender-nos uma mentira e é preciso que as pessoas saibam isso», acusa o professor. Há especialistas que defendem que «a saturação da Portela é uma campanha de desinformação total e que esta tem possibilidades de expansão» continua

«Na Ota conseguiu-se fazer tudo errado, o que só mostra os interesses brutais que estão lá e aqui para a urbanização da Portela».

(...)

O professor reconhece que é preciso um novo aeroporto para Lisboa, no entanto defende que os avanços «quer de gestão, quer de tecnologia mudaram o transporte aéreo» e podem levar a outras escolhas. «Há cinco anos não se pensava que os motores dos aviões iam ser silenciosos. E há 5 anos ninguém fazia ideia da expansão das companhias Low-cost».

«Há estudos alternativos para o Montijo, Tires, Sintra, Rio Frio, Beja. Podem ser aproveitados». No fundo o que "incomoda" o professor é o facto de «terem sido tomadas decisões ao longo anos, ao arrepio de todos os pareceres técnicos ou mesmo sem pareceres técnicos».



Porquê a mentira, Sócrates?

9 comentários:

Nicolaias disse...

Ainda assim, perante uma séria investigação científica, virão aqueles que dirão que o Diogo anda a sonhar conspirações.

xatoo disse...

a promoção das chamadas "grandes obras" é o principal meio de os partidos, que ocupam temporariamente o Poder, se auto-financiarem.
Assim sendo cada um que chega lança a "sua grande obra"
Os milhares de kilómetros de auto estradas cavaquistas, a Expo98, os estádios do Euro, o metro do Porto, a Ota, o Tgv, etc são tudo projectos claramente inflacionados para servir aos referidos objectivos.
O valor de uso destas obras são relativizados, assim como a opinião que o contribuinte que as pagou e a quem em teoria se destinam possa ter.
Os empreiteiros e os gestores chulos da partidocracia são, desde sempre, o maior factor do nosso atraso - na medida em que se dispende dinheiro desviado do erário público em obras que não são, nem de perto nem de longe, prioritárias para o país.

Biranta disse...

Já há algum tempo que não vinha aqui.

Enchi-me de paciência e andei por aí a espreitar as caixas de comentários...

Afinal, não era na minha presença que estava o problema. Estas (as caixas de comentários) continuam pejadas de verborreia nauseabunda.
Para mim não dá! Nã há pachorra!

Tenho mais e melhor o que fazer, com que me preocupar e a que me dedicar.

Anónimo disse...

A Biranta continua amuada!

a.castro disse...

Não haverá engano?... É que já em 29 de Novembro de 2005 dei conta dos primeiros aviões que aterraram na OTA :)

Diogo disse...

É verdade meu caro Castro, o nosso Primeiro-Ministro gosta de fazer caixinha com as suas obras faraónicas. Os mal intencionados dizem que há grossas jogadas por trás. Os bem intencionados idem.

xatoo disse...

realmente, ultimamente tambem tenho andado por aí - pela ideia da abstenção,,
porém,
eles fazem as contas aos que comparecem e injectam a mesma conversa mediática do costume como se quase metade de abstencionistas não significasse nada.
Nos EUA há muitos anos que a percentagem de votantes não ultrapassa os 50% - mas quem sabe disso?

xatoo disse...

o comentário acima era diriido a Biranta, porém perdeu-se o endereço

Diogo disse...

A Marques Mendes já lhe cheirou que pode tirar dividendos do embuste da Ota (esquecendo que o PSD está tão metido nele como o PS). De qualquer forma é sinal de que a vigarice do aeroporto é perceptível para cada vez mais gente.


Diário de Notícias:

O líder do PSD, Marques Mendes, vai pedir uma audiência ao Presidente da República, para tentar impedir que o Governo avance com a construção do novo aeroporto da Ota. "Ainda há tempo para uma decisão diferente", sustentou ontem o presidente social-democrata, classificando a Ota como um "erro colossal" e um "verdadeiro desastre".

De tal forma que Marques Mendes questiona mesmo as razões do Executivo - que "está, pela calada, a fazer com que a Ota se torne um facto irreversível". "São os interesses dos proprietários dos terrenos?", pergunta o dirigente "laranja", avançando uma meia resposta: "Não sei. O que sei é que nada disto tem a ver com o interesse nacional."

Falando no encerramento de uma iniciativa que juntou cerca de 300 dirigentes distritais e concelhios no Centro de Congressos de Lisboa, destinada a fazer o balanço de dois anos de Governo, Mendes centrou as críticas em Sócrates. Para acusar o primeiro-ministro de ter "um projecto de poder pessoal" como "nunca se viu ". Para o líder da oposição "é do mais grave o que está a acontecer, embora muitos portugueses ainda não tenham percebido" - "Tudo serve ao primeiro-ministro para angariar mais poder. É na Justiça, é nas polícias, nos serviços de informação, na comunicação social, nos centros de decisão económica."