terça-feira, agosto 14, 2007

Os “donos do País” porque estão “gordos e anafados” não podem apertar o cinto nem prescindir destes luxos.

Correio da Manhã - 12 de Agosto de 2007

Texto de Rui Rangel:

É um verdadeiro escândalo a proposta de alteração ao Estatuto dos Deputados. Os senhores deputados da Nação que, como sabemos, muito trabalham, muito pensam e muito contribuem para a dignificação do Parlamento, que já gozam de várias benesses, fizeram aprovar uma alteração que lhes concede o direito a que cada um tenha o seu assessor particular, a ganhar 1500 euros/mês, com passagem, de imediato, ao quadro da função pública. Na prática aprovaram a contratação de 230 assessores particulares.

Esta alteração, que foi proposta pelo deputado socialista António José Seguro, constitui uma chaga no prestígio da democracia parlamentar. Não é com mais assessores que se melhora a imagem da vida parlamentar. Melhora-se reduzindo o número de deputados, recrutando os melhores, os mais inteligentes, os que pensam bem. A virtude do Parlamento assenta nos homens que têm da política uma visão nobre, nos homens de acção, e não naqueles que actuam em função dos interesses de grupo e não dos interesses do País. Para que servem assessores particulares a deputados que só estão no Parlamento para se levantarem e sentarem consoante o ritmo das votações que lhes são impostas? É público que, em cada grupo parlamentar, só uma minoria pensa e trabalha. Se o trabalho parlamentar não chega sequer para todos os deputados, o que faz o assessor particular? Trata-se de uma medida excessiva, que obriga a gastos supérfluos numa altura em que se atravessam inúmeras dificuldades económicas.

Todos os dias o Governo pede mais sacrifícios aos portugueses, corta nas reformas e em pensões de velhice, asfixia o cidadão com uma verdadeira ditadura de impostos, encerra unidades hospitalares e escolas. Tudo em nome do apertar do cinto, que pelos vistos é uma receita só para ser cumprida pela população que está cada vez mais pobre. Os “donos do País” porque estão “gordos e anafados” não podem apertar o cinto nem prescindir destes luxos. Só com estas prebendas podem finalmente descansar. Enfim, o povo que aguente. Mais uma vez vai ser o cartão partidário e a cunha que vão ditar as regras de contratação e não a independência e a qualidade das pessoas. E depois admirem-se dos níveis de abstenção nas eleições.



Não resisti a colocar alguns comentários de leitores do Jornal Público:

Por Marcelo, Lisboa:

Quem fiscaliza a Assembleia da Republica? Os deputados podem fazer todas as asneiras que lhes apetece à custa do Orçamento (dos nossos impostos)? E o Presidente não tem uma palavra a dizer? E o tribunal de contas está calado? E o ministro das finanças caladinho? E os partidos de direita e de esquerda da oposição estão todos no mamanço? Na chulice do povo português? Mas que é isto Sr 1º Ministro? É uma benesse para os deputados que já nada fazem, para não serem tão críticos do Governo? E os assessores vão dar muito jeito aos amiguinhos e aos sobrinhos dos deputados, claro! Acabe-se com esta pouca vergonha. Por causa destas porcarias é que ha mais de 60% de abstenção nas eleições! E depois vem Cavaco dizer que não percebe? Porra homem se não percebe demita-se ou cumpra o seu papel de presidente da republica a sério! Agora que respondam: quem fiscaliza a assembleia da republica? Será que o parlamento se tornou num cabaré de chulos do povo português?


Por Dinis Evangelista, Queluz:

Se 230 deputados é muita gente, um assessor por cada deputado é escândaloso. Todos sabemos que a maioria dos deputados nada faz no Parlamento, além de carregar no botão nas votações. Será que é o assessor que vai carregar no botão, em vez do deputado? Se há deputados que têm outros (vários) empregos (ou tachos) para que são necessários tantos assessores para estas funções? Ou será que o País está bem de finanças no que respeita a benefícios para os políticos. Assessores, técnicos para apoiar os grupos parlamentares, concordo, agora, um assessor para cada deputado, é gozar com a miséria em que vivem a maioria dos portugueses.


Por Sousa da Ponte, Faro:

A democracia virou nepoticracia. Há alguma justificação para tanto assessor, tanto assistente, tanto chulo? O cumulo é atingico com o PEV(FVD): 12 assessores para dois deputados? Mas para fazerem o quê? O Jaime Gama diz: "O Orçamento da Assembleia não pode ter uma expansão superior à do Orçamento de Estado em termos de despesa pública e de despesas com pessoal". Podemos suspeitar que ele está sendo tão enganador como os números fornecidos pelo organimo que dirige. O grupo parlamentar do PS, com 76 assessores, tem disponíveis 2,2 milhões de euros por ano para despesas com pessoal enquanto o PEV(FVD) tem 203 mil euros para 12 assessores.


Por vasco, vasco:

Já sei porque é que a Assembleia da República tem tantos assistentes: o objectivo é chegar aos 150.000 postos de trabalho, lembram-se?!?

8 comentários:

Carlos Marques disse...

Como se não fosse já um escândalo,aquela cambada de aleijados acaba de aprovar,na reforma do Parlamento,mais um assessor para cada deputado! Isto perfaz cerca de 350 assessores para 130 parasitas. O escândalo é tão grande,que o próprio Presidente do Parlamento já declarou a impossibilidade do cumprimento de tal decisão por falta de espaço na Assembleia! Mas eu estou em crer que vão nomeá-los na mesma,ficam em casa,digo,nos seus empregos,e o ordenado é-lhes depositado no banco. Ah,grande forró é esta república das bananas,digo,dos ladrões!

Anónimo disse...

Os deputados podiam ser reduzidos a trinta que ninguém dava por isso.

o moço da bodega™ disse...

Qualquer similaridade com o Brasil terá sido mera coincidência?
Aqui, um vereador também ganha 1.500 Euros. NA realidade 4.000,00 Reais, de acordo com o taxa cambial do dia.
A diferença que aqui estou me referindo a um vereador municipal.Um Deputado Federal ganha 10 vezes mais.

xatoo disse...

é uma injustiça!
Nós é que descobrimos o Brasil e afinal,,,
os nossos deputados, passados 500 anos, estão infinitamente mais mal pagos que o representante da tribo dos arawatés

Solidariedade Portugal - Irão disse...

http://solidariedadecomoirao.blogspot.com/

Actualizado frequentemente.

Anónimo disse...

mas este blogue tem alguma credibilidade?

Anónimo disse...

ai, tá bom o comentário último, do Vasco, sem mais lamentação, pois já vimos que a Assembleia, o Governo e o Primeiro Ministro e o Presiodente da República, se estão marimbando para tal regabofe de comendas...

que bem o viu Vasco, vasco, atrás destes 230 assessores tou eu já admitindo mais duas, três secretárias por cada, que faz... quantos novos empregos, tirados ao pilim do zé pobre pagante!

é o máximo e ele há bem coisas fantástcas...

e eu não é que voto mais pa coisa nenhuma, dito e feito!

amelie

A. Castanho disse...

Discordo absolutamente deste tipo de opiniões primárias e desta algazarra de feira. Só serve para atingir os objectivos de quem ataca os Deputados como forma de atacar... a Democracia. Pois claro.


Vá lá, pensem pela vossa cabeça. Vamos, usem mais as meninges e menos o fígado.


Será que todos vós estais informados de quantos assessores têm os Vereadores nas Câmaras Municipais? Todos têm pelo menos uns dois ou três. E é sabido que na anterior Câmara de Lisboa havia um Vereador do P. S. D. que chegou a ter, simultaneamente, 32 (sim, TRINTA E DOIS!) ASSESSORES! E a média não deve andar longe dos dez ou quinze para cada um! Até o Sá Fernandes, segundo se diz, tinha nove!!


Havendo dezassete Vereadores na Câmara de Lisboa, a uma média de dez assessores por cada um, só as Câmaras de Lisboa e Concelhos limítrofes já devem ter mais de 230 assessores!!! Então para quê tanta chinfrineira???


Querem comparar as responsabilidades de um Vereador com as de um Deputado?


Antes de abrir a boca para ladrar, os cães raramente reflectem sobre esse acto. O mesmo não deverá acontecer connosco, caso contrário perderemos toda a credibilidade, mesmo quando tivermos razão.


Quem acha agora, sim, agora, que o Governo não é de Direita, escandaloso que cada Deputado tenha um (1) assessor, o que é que tem andado a fazer este tempo todo???? Por que é que não começa por investigar na sua terrinha, a sua Junta de Freguesia? Ou pensam que lá também não há assessores?


Proteste sempre, como diz o outro, mas certifique-se de que tem razões para tal...


Desculpem a franqueza, mas há críticas que, sobretudo vindas de onde vêm, me soam a tiros pela culatra.


Cumprimentos...