terça-feira, dezembro 30, 2008

Bispo de Setúbal exorta os portugueses: não se calem nem cruzem os braços


Diário de Notícias - 24/12/2008

(...) O actual bispo de Setúbal, D. Canavarro Reis, aconselhou os mais atingidos pela crise a terem esperança, a não cruzarem os braços e a não se calarem. "Eu diria a estas pessoas que estão pior que gritem. Não fica mal a ninguém gritar. Ficar em casa sem comer ou ficar em casa desesperado é o pior que pode acontecer. Gritem e Deus, através desses gritos, está mais próximo do que se poderia imaginar e estou certo que lhes dará resposta".

(...) O bispo resignado de Setúbal, D. Manuel Martins, junta-se às vozes que alertam para a pobreza no País, o que considera dever ser uma missão. "A Igreja vai alertando, mas penso que é sem grande convicção. Desejava que mergulhasse bem na situação do país e chamasse a atenção para as situações de injustiça, podendo ter como base precisamente o combate ao espírito do novo Código de Trabalho.



Comentário:

Em face da crise, o actual bispo de Setúbal aconselhou as pessoas a não cruzarem os braços e a não se calarem. Mas se o grito dos mais atingidos continuar a ser abafado pelo ruído incessante dos Media, os venais megafones do poder financeiro e político, então que se utilize com mais vigor a linguagem gestual:

12 comentários:

Helena Simões disse...

E podemos gritar nas igrejas? Na casa do senhor, para ele nos ouvir melhor e mais rapidamente?

É triste ouvir, que a pobreza em Portugal existe cada vez em maior número e que o pior é que as pessoas não têm coragem de a assumir, ficando impávidos dentro de quatro paredes.

Carreira disse...

Bom 2009!!!
Abraço,
José Carreira

contradicoes disse...

Gritemos todos bem alto
que a pobreza se alastra
numa sociedade que é um facto
a vilanagem nos arrasa

Continuação de um Bom Ano

Zorze disse...

Pode ser um chamamento perigoso.

Bom Ano de 2009,
Zorze

PRODUCTIONS disse...

Um Muito Bom 2009!

1 Abraço.
Paulo.

André Benjamim disse...

um feliz 2009!

xatoo disse...

hipocrisia beata. cada bispo cada parasita (e perante deus não há esquerda nem direita, porque a mitica figura é voláctil, isto é inexistente, e não se deixa envolver em politicas, só atende às necessidades terrenas para a confraria em doces conventuais para as barriguinhas de freira)
agora a sério:
Parte da pobreza que é causada deve-se aos subsidios em dinheiro vivo que a Igreja saca aos cofres do Estado e que é desviado de outras funções que poderiam ser mais proficuas.
Em Itália, que é a séde da Seita, a verba do orçamento de Estado para a ICAR ronda os 20 e tal por cento; em Espanha idem; mas aqui no jardim não se conhecem os dados - mas pode-se imaginar! quando a Universidade Católica é o maior estabelecimento de ensino do país.
Os gestores do establishment são quase todos oriundos dali.
.

xatoo disse...

ah, e então Bom Ano (para os ateus, claro)

Diogo disse...

Zorze disse... : «Pode ser um chamamento perigoso.»

Diogo: Deve ser. Um quinto da população na pobreza, uma geração inteira sem qualquer futuro, uma grande quantidade de idosos na extrema penúria e um futuro negro para milhões de portugueses, exige um chamamento à altura. O que é perigoso? Milhões caírem na miséria ou exigir responsabilidades a duas dúzias de filhos da puta?


Xatoo, eu sou ateu. Mas não tenho qualquer dificuldade em identificar-me com o bispo Manuel Martins. A causa é a mesma. E bom Ano (tem a ver com solstícios, não com religiões).

nike shoes disse...

cool blog

Ana Camarra disse...

portanto está visto que aqui na minha zonaou os Bispos são infectados por esse virus perigoso do comunismo ou va injustiça é de tal ordem que nem eles se calam.
Conheci D. Manuel Martins pessoalmente, tive o prazer de estar com ele nalguns projectos, um homem inteligente, semsivél e directo, com um sentido de humor e de justiça impares.
Este em vigor, já estive com ele duas ou três vezes, coisas institucionais, não me deixou grande marca, no entanto isto está de tal maneira que até ele vai falando.
Esclareço já, nem sou batizada, nem consigo acreditar mno tal ser omnipotente, muito menos na institruição religiosa.

Diogo, muitos Beijos

Diogo disse...

Absolutamente de acordo, Ana.

Fosse toda a igreja formada por homens como o Bispo Manuel Martins e haveriam seguramente grandes mudanças no mundo, mesmo sem a existência do omnipotente.

Beijo