domingo, fevereiro 08, 2009

Joe o Canalizador, que afirmou que um voto em Barack Obama era um voto pela morte de Israel, foi enviado como jornalista ao Médio Oriente

Samuel Joseph Wurzelbacher, por alcunha «Joe o Canalizador» (Joe the Plumber), de 35 anos, ficou conhecido pela pergunta que fez a Barack Obama acerca do plano de impostos do agora Presidente eleito, acusando-o de socialista, um argumento que passou a estar na ordem do dia do lado republicano, para o qual passou a fazer campanha. Tudo isto transformou Joe, de um dia para o outro, numa estrela e herói nacional. O seu ponto alto como figura pública surgiu quando o seu nome foi citado 26 vezes durante o último debate das eleições presidenciais entre Obama e McCain.

Em relação às opções ideológicas de Joe, convém referir que durante a campanha eleitoral disse que um voto em Barack Obama era um voto pela morte de Israel. "Vocês não querem a minha opinião sobre política externa. Eu só sei o suficiente para ser provavelmente perigoso", afirmou em entrevista à Fox News.

O mais famoso canalizador do mundo abandonou as rupturas de lavatórios e as sanitas entupidas para se dedicar a tempo inteiro à política internacional. De tal forma que, contratado pela PajamasTV, viajou para Israel, onde permaneceu 10 dias para cobrir a crise em Gaza e falar com "as pessoas da rua".

Jon Stewart, do Daily Show, mostra-nos uma das primeiras intervenções de Joe o Canalizador em Israel:


Jon Stewart: Joe o Canalizador foi para Israel. Porque é que Joe voou milhares de quilómetros para uma zona de guerra? Para fazer esta declaração:

Joe o Canalizador: Pessoal, querem uma notícia? Procuram uma boa notícia, certo? É por isso que aqui estão. Primeiro, não sou notícia. Sou só um tipo normal.

Jon Stewart: Depois, este homem enviado como jornalista para o Médio Oriente, deu a sua opinião de tipo normal sobre o jornalismo de guerra.

Joe o Canalizador: Vou ser franco. Os jornalistas não deviam estar perto dos conflitos. Vocês relatam onde estão as nossas tropas. Relatam o que se passa a cada dia. Dão muita importância a isso. Acho uma parvoíce. Agora, toda a gente opina.

Jon Stewart: Sim, toda a gente opina. Sou eu que o digo, Joe o Canalizador. Muito bem Joe. O jornalismo de guerra não presta. Qual é a alternativa?

Joe o Canalizador: Gostava de como era na Primeira e Segunda Guerras Mundiais, quando as pessoas iam ao cinema e viam as tropas no ecrã. Toda a gente ficava empolgada e feliz por elas.

Jon Stewart: Que idade tem? Primeira e Segunda Guerras Mundiais? Sabe, Joe, esses noticiários eram filmes de propaganda. Tinham o seu encanto mas a informação tinha lacunas. Mas continue a pintar a ignorância voluntária. Como uma espécie de virtude refrescante. Para que conste, acho que a Alemanha também teve desses filmes.


[Imagens de um documentário da Alemanha nazi]: Bem-vindos, Alemanha. Lá estão os nossos rapazes de castanho, o orgulho da força de combate da Alemanha. Podem ser o Terceiro Reich mas são os primeiros nos nossos corações. Cuidado, ciganos e homossexuais. Toda a gente está maluca por causa do Führer. Miudinha: "Posso oprimir judeus quando for grande?" Hitler: "Não te preocupes, querida. Estaremos por cá nos próximos mil anos."


Vídeo legendado em português:


DS - Joe o Canalizador @ Yahoo! Video

9 comentários:

Castanheira disse...

Este tipo é tão ridículo que dá mesmo vontade de rir. Já percebi porque é que o Obama ganhou com tanta margem.

Luis Grave Rogrigues disse...

Visite o meu NOVO Blog que conta a verdade sobre o que eu sou.
Siga o link.

Marcos disse...

Jon Stewart -> mentiroso esquerdista (pleonasmo); usa sarcasmo para disfarçar ignorância e malícia.

Mª João disse...

Nem que eu tivesse todos os canos rotos e uma grande inundação contrataria este tipo (canalizador ???) !
Catástrofe por catástrofe ao menos não olharia para a cara dele ...(que ter um ataque de fúria, eventualmente conducente a um cardíaco, seria pior...)

Ana Camarra disse...

Diogo

Digamos que esta criatura de tanto inalar o conteudo do esgoto ficou com alguma massa cinzenta transformada na massa castanha e malcheirosa dos esgotos?!

Beijos

Diogo disse...

Ana,

Esta criatura transformou o défice de massa cinzenta em notas de banco. Na América todos têm a sua «oportunidade» desde que digam as alarvidades politicamente correctas. Embora isto ultrapasse tudo.

xatoo disse...

1º ponto
o Joe nunca exerceu a profissão de canalizador, como se percebeu pouco depois. Esta expressão "canalizador" tem um significado idiomático nos EUA, porque foi disfarçado de canalizador que Howard Hunt (o funcionário da CIA a soldo de Nixon) se infiltrou no edificio Watergate para espiolhar documentação do Partido Democrata
2º ponto
o Joe foi um submarino enfiado a martelo na campanha justamente para avivar o papel de Israel na campanha eleitoral;
por isso, a frase chave foi qualquer coisa como isto:
"cada voto em Obama é uma facada na defesa de Israel"
Ora esta boca é falsa, porque ambos os candidatos tinham comparecido pouco antes no congresso da AIPAC jurando fidelidade à causa sionista.
3º ponto
Não é uma questão de ganhar uns trocos como repórter, o que está em jogo é bem maior: vender para todo o mundo a ideologia da violência nazi-sionista de Israel; e só um palerma pode fazer dos outros parvos. O Joe junto das massas desinformadas "trabalha" em circunstâncias iguais

Diogo disse...

Bem visto Xatoo. O canalizador é um palerma para informar outros palermas. Vestido de «trabalhador exemplar» and a self-made moron.

Ana Camarra disse...

Xatoo

Portanto, fiquei com a informação reciosa que a porcaria existente na cabeça do bicho é mesmo voluntária, não uma doença profissional...
Só a dar mau nome aos canalizadores.

beijos