quinta-feira, novembro 03, 2011

Biliões para os Banqueiros = Dívidas para as Pessoas - Parte II

.
Uma descrição excepcionalmente bem conseguida da "Crise da Dívida", que coloca a nu a ingenuidade dos «doutorados em Economia» que se refugiam em textos pseudo-científicos de «sumidades económicas», e que não explicam coisíssima nenhuma. Isto, quando são cada vez mais as vozes a considerar a economia como uma não-ciência.

Quanto à Finança, uma cienciazita para a qual basta uma calculadora barata, é bastante simples mas extraordinariamente enganadora e manipulável. Os povos do mundo que sofrem os efeitos da «Crise» que o digam:


Parte II

A Parte I deste artigo está dois posts abaixo


Por
Sheldon Emry

[Tradução minha]

Parte II

A Tirania do Juro Composto

Quando um cidadão vai ter com um banqueiro para lhe pedir emprestado cem mil dólares para comprar uma casa ou uma quinta, o funcionário do banco tem o consentimento daquele que pede emprestado (o mutuário) em pagar o empréstimo mais os juros. A 8,25% de juros durante 30 anos, o mutuário tem de aceitar pagar 751,27 dólares por mês num total de 270.456,00 dólares.

O funcionário do banco exige ao cidadão que ceda o direito de posse da propriedade ao banqueiro se o mutuário não fizer os pagamentos estipulados. O funcionário do banco passa então ao mutuário um cheque ou um comprovativo de depósito de cem mil dólares, creditando a conta de depósitos à ordem do mutuário em cem mil dólares.

O mutuário (aquele que pede emprestado) passa então um cheque ao construtor ou a quem lhe vendeu a propriedade, que, por seu turno, passará cheques a outras pessoas sobre este dinheiro. Cem mil dólares de novo dinheiro "em forma de cheque" é portanto acrescentado ao "dinheiro em circulação".

Contudo, esta é a grande falha do sistema: o único dinheiro novo criado e colocado em circulação é o valor do empréstimo, cem mil dólares. O dinheiro para pagar os juros NÃO é criado, e por isso não é acrescentado ao "dinheiro em circulação".

Mesmo assim, este mutuário (e os que se lhe seguirem na posse da propriedade) têm de ganhar e tirar de circulação 270.456,00 dólares, mais 170.456,00 dólares do que ele colocou em circulação quando pediu os cem mil dólares originais. (Este juro vigariza todas as famílias que compram casas. Não é porque não tenham dinheiro para pagar; é porque os juros dos banqueiros forçam-nos a pagar quase três casas para poderem ter uma).

Cada novo empréstimo põe o mesmo processo em marcha. Cada mutuário acrescenta uma pequena soma à oferta total de dinheiro quando pede emprestado, mas os pagamentos do empréstimo (por causa dos juros) subtraem uma soma muito maior à oferta total de dinheiro.

Não há, portanto, nenhuma maneira de todos os devedores poderem pagar aos seus emprestadores. À medida que vão pagando o capital do empréstimo e os juros, o dinheiro em circulação vai desaparecendo. A única coisa que podem fazer é lutar uns com os outros, pedindo emprestado mais e mais dinheiro dos banqueiros a cada geração. Os banqueiros, que nada produzem de valor, vão gradualmente tomando posse da terra, dos edifícios, e dos salários actuais e futuros de toda a população trabalhadora. O rico manda no pobre e o devedor é servo do emprestador.


Com Empréstimos pequenos acontece a mesma coisa

Se não conseguiu captar o impacto do que ficou dito acima, vamos considerar um empréstimo de 5 anos para um automóvel com uma taxa de juro de 9,5%. Primeiro passo: o Cidadão pede emprestado 25 mil dólares e (ao pagar o carro) coloca esse dinheiro em circulação (uma parte vai para o vendedor, outra para a fábrica, etc.) e assina um papel onde aceita pagar aos Banqueiros um total de 31.503 dólares durante 5 anos. Passo 2: o Cidadão paga 525.05 dólares por mês do seu rendimento ao Banqueiro. Em cinco anos, ele retirará de circulação 6.503 dólares a mais do que aqueles que colocou em circulação.

Qualquer empréstimo de um banqueiro que tenha "criado" dinheiro (crédito) tem o mesmo efeito. Como isto já aconteceu milhões de vezes desde 1913 (e continua hoje), pode-se perceber porque é que a América passou de uma nação próspera, livre de Dívida para uma nação governada pela Dívida onde praticamente qualquer casa, quinta e empresa paga um imposto usurário aos banqueiros.


Examinar o Dinheiro

Nas milhões de transacções que têm lugar todos os anos como aquelas que acabámos de ver, muito pouco dinheiro muda de mãos, nem é necessário que isso aconteça.

Cerca de 95% de todas as transacções em dinheiro (cash) são feitas por cheque (hoje, em 2009, por transacção electrónica). Tomem também em consideração que os bancos têm apenas de guardar 10% dos seus depósitos em dinheiro em qualquer altura. Isto significa que 90% de todos os depósitos, embora possam estar de facto guardados pelos bancos, não estão presentes sob a forma de dinheiro corrente (cash - notas e moedas).

Isto permite ao banqueiro "criar" de forma relativamente segura o chamado "empréstimo", passando o cheque ou o recibo de depósito bancário não sustentado por qualquer dinheiro, mas pela promessa da pessoa que pede o empréstimo (mutuário) pagar o empréstimo. É a fraude dos "cheques sem fundos" a uma escala descomunal. Os lucros aumentam rapidamente, ano após ano.


A Nossa Própria Dívida está a converter-se numa Espiral até ao Infinito

Em 1910 a dívida dos Estados Unidos era apenas de mil milhões de dólares, ou 12,40 dólares por cidadão. Dívidas estaduais e locais eram praticamente inexistentes.

Em 1920, seis anos apenas depois das manobras de Reserva Federal, a dívida americana tinha saltado para os 24 mil milhões de dólares, ou 228 dólares por pessoa.

Em 1960 a dívida americana atingiu os 284 mil milhões de dólares, ou 1.750 dólares por cidadão e as dívidas estaduais e locais estavam a espalhar-se rapidamente.

Em 1998 a dívida americana ultrapassou os 5,5 biliões (trillion), ou 20403,90 dólares por homem, mulher e criança, e está a crescer exponencialmente.

As dívidas estaduais e locais estão a subir tão rapidamente como as dívidas do governo federal. Contudo, eles são demasiado espertos para açambarcar tudo de uma vez. Em vez disso deixam-nos alguma "ilusão de posse", de forma que nós e os nossos filhos continuem a trabalhar e a pagar aos banqueiros uma parte cada vez maior dos nossos rendimentos em dívidas cada vez maiores. O "establishment" [a elite governante] aprisionou o nosso povo com o seu sistema Dinheiro-Dívida tão obviamente como se tivessem vindo a marchar com uniformes militares.


Colocando em Jogo o Sonho Americano

Para compreender a verdade sobre como a retirada periódica de dinheiro através de pagamentos de juros transferirá inexoravelmente toda a riqueza da nação para os receptores dos juros, imagine-se num jogo de poker ou num jogo de dados onde todos têm de comprar fichas (o meio de troca) de um banqueiro, o qual não arrisca nenhuma ficha no jogo.

O banqueiro apenas observa a mesa de jogo e estende o braço de hora a hora para tirar de 10 a 15 por cento de todas as fichas na mesa. À medida que o jogo decorre, a quantidade de fichas na posse de cada jogador oscilará consoante a sua sorte.

Contudo, o número total de fichas disponíveis para jogar segundo as regras (continuando o comércio e os negócios) irá diminuindo constantemente.

À medida que o jogo for ficando com cada vez menos fichas, alguns jogadores irão sair. Se quiserem continuar a jogar, têm de comprar ou pedir emprestado mais fichas ao "banqueiro". O "banqueiro" só lhe irá vender ou emprestar se o jogador assinar uma "hipoteca" concordando em dar ao "banqueiro" alguns tipos de bens (carro, casa, quinta, negócio, etc.). Os pagamentos têm de ser feitos no prazo, quer o jogador ganhe (tenha lucro) ou não. Se o jogador não conseguir fazer pagamentos periódicos para amortizar todas as fichas e mais algumas extra (os juros), então perderá os bens hipotecados.

É fácil observar que, qualquer que seja a destreza do jogador, no fim, o "banqueiro" acabará por ficar com todas as suas fichas originais, e, exceptuando alguns dos melhores jogadores, os outros, se continuarem a jogar, perderão para o "banqueiro" as suas casas, as suas quintas, os seus negócios, e talvez até os seus carros, relógios e as camisas que têm no corpo.

A nossa situação na vida real é muito pior que qualquer jogo de poker. Num jogo de poker ninguém é forçado a endividar-se, e qualquer um pode desistir a qualquer altura e manter os bens que ainda tem. Mas na vida real, mesmo que os empréstimos que pedirmos aos "banqueiros" sejam pequenos, os nossos governos locais, estaduais e federal vão pedir emprestados biliões em nosso nome, dissipam-nos, e então confiscam os nossos rendimentos via impostos de forma a pagar os empréstimos aos banqueiros com juros.

Somos forçados a entrar no jogo e ninguém pode sair excepto através da morte. Vamos pagar enquanto vivermos, e os nossos filhos vão continuar a pagar depois de morrermos. Se não pudermos ou nos recusarmos a pagar, o governo manda a polícia tomar conta da nossa propriedade e entregá-la aos banqueiros. Os banqueiros não arriscam nada no jogo; apenas recolhem a sua percentagem e ganham tudo. Em Las Vegas, todos os jogos estão manipulados para pagar uma percentagem, e eles arrecadam milhões. O "jogo" dos banqueiros da Reserva Federal também está manipulado, e dá lucros de biliões.


Em anos recentes, os Banqueiros acrescentaram novas cartas ao seu baralho: os cartões de crédito são promovidos como uma conveniente e grande vantagem para o comércio. Na realidade, são truques engenhosos do vendedor e 18% de juros dos compradores. Na realidade, um baralho de cartas marcadas.


Sim, o caso também é Político

Democratas, Republicanos e eleitores independentes que sempre se perguntaram porque é que os políticos gastam sempre mais dinheiro do que aquele que recebem dos impostos, devem agora perceber a razão disso. Quando se começa a estudar o nosso sistema monetário, apercebemo-nos rapidamente que estes políticos não são agentes do povo mas sim agentes dos banqueiros, para quem fazem planos para colocar as pessoas ainda mais endividadas.

Não é necessária muita imaginação para perceber que se o Congresso tivesse "criado", gasto e colocado em circulação o aumento necessário de oferta de moeda, não haveria Dívida Nacional. Biliões de dólares de outras dívidas seriam praticamente inexistentes.

Como não haveria um custo original do dinheiro excepto a sua impressão, e não havendo os custos dos juros, os impostos federais seriam quase nenhuns. O dinheiro, uma vez em circulação, continuaria a circular e a servir o seu desígnio como meio de troca de geração para geração e século após século, sem pagamentos nenhuns aos Banqueiros.


Ciclos Contínuos de Dívida e de Guerra

Mas em vez de paz e de uma prosperidade livre de dívidas, temos uma dívida cada vez maior e períodos cíclicos de guerra. Nós, como povo, somos agora governados por um sistema sob a influência da banca que usurpou o manto do governo, que se disfarçou a si próprio como o nosso legítimo governo, e que se dedicou a empobrecer e a controlar a nossa população.

É agora um aparelho político centralizado, todo-poderoso, cujos principais objectivos são promover guerra, confiscar o dinheiro das pessoas e fazer propaganda para se perpetuar no poder. Os nossos dois principais partidos tornaram-se seus servos, os vários departamentos do governo tornaram-se as suas agências de despesas, e o Serviço da Receita Federal (IRS) é a sua agência de recolha de dinheiro.

Sem que as pessoas o saibam, opera em estreita cooperação com aparelhos similares noutras nações, os quais estão igualmente disfarçados de "governos".

Alguns "governos", dizem-nos, são amigos. Outros, dizem-nos, são inimigos. Os "inimigos" são fabricados através de manipulações internacionais e usados para assustar o povo americano de forma a levá-lo a endividar-se ainda mais com biliões de dólares para os banqueiros para a "uma forças armadas bem preparadas", ajuda financeira a países estrangeiros para "travar o comunismo", "a guerra à droga", etc.

Os cidadãos, deliberadamente confusos pela lavagem cerebral propagandística, observa impotente enquanto os nossos políticos dão alimentos, bens e dinheiro a governos estrangeiros controlados pelos banqueiros sob o pretexto de "melhores relações" e "o aliviar de tensões". O nosso governo controlado pelos banqueiros pega nos nossos filhos e envia-os para guerras estrangeiras onde dezenas de milhares são mortos, e centenas de milhares são estropiados (já para não falar nos danos colaterais e nas baixas entre as tropas "inimigas").

Quando a "guerra" tiver acabado, não ganhámos nada, mas estaremos uns biliões a mais em dívida com os banqueiros, tendo sido esta, afinal, a verdadeira razão da "guerra".


E ainda há mais!

Os lucros destas dívidas massivas têm sido usados para erigir um, quase escondido, colosso económico completo sobre a nação. Continuam-nos a dizer que estão a tentar-nos fazer bem, quando na verdade trabalham para trazer danos e prejuízos ao nosso povo. Estes déspotas sabem que é mais fácil controlar e roubar um povo doente, pobremente educado e confuso, do que uma população saudável e inteligente, por isso evitam curas verdadeiras para as doenças, degradam os nossos sistemas de educação, e provocam agitações sociais e raciais. Pela mesma razão, favorecem a utilização das drogas, do álcool, da pornografia e do crime. Tudo o que debilitar as mentes e os corpos das pessoas, é secretamente encorajado, na medida em as pessoas menos capazes de se lhes opor, ou, até, de compreender o que lhes estão a fazer.

O nosso povo tornou-se arrendatário e "escravos-da-dívida" aos banqueiros e aos seus agentes, na terra que os nossos pais conquistaram. É a subjugação através da mais gigantesca fraude na história da humanidade. E lembramo-nos novamente: a Chave para a sua riqueza e o seu poder sobre nós é a sua habilidade em "Criar dinheiro" a partir do nada, e emprestarem-nos com juros. Se não lhes fosse permitido fazer isso, nunca teriam conseguido ganhar o controlo secreto da nossa nação. Quão verdadeiras são as palavras de Salomão: "O rico manda no pobre e o devedor é servo do emprestador".

A maior parte dos nossos maiores bancos, na América, é de origem europeia-oriental, e estão ligados aos bancos europeus dos Rothschild.

Vamos agora considerar o método correcto para fornecer o meio de troca (dinheiro) necessário ao nosso povo.


Qualquer Cidadão pode ser um Accionista na América

Sob o nosso sistema constitucional, nenhuns bancos privados existiriam para roubar o povo. Bancos do governo sob o controlo de representantes do povo emitiriam e controlavam todo o dinheiro e crédito. Emitiriam não apenas a nossa moeda, mas poderiam emprestar crédito limitado sem juros para a compra de bens de capital, tal como casas.

Um empréstimo de cem mil dólares exigiria apenas um reembolso de cem mil dólares, e não mais de 270 mil dólares como acontece agora. Quem quer que fornecesse materiais e trabalho para a casa seria pago tal como hoje, mas os banqueiros não receberiam mais os 270 mil dólares em juros.

É por isso que eles (os banqueiros e os seus agentes) ridicularizam e destroem quem quer que sugira ou proponha um sistema alternativo.



A História fala-nos de dinheiro livre de dívida e de juros emitido pelos governos

As colónias americanas fizeram-no através de colonial script [dinheiro decretado pelos governos coloniais] nos anos 1700. A sua riqueza depressa rivalizou com a da Inglaterra e vieram restrições do Parlamento inglês que conduziram à Guerra da Independência dos Estados Unidos da América. Abraham Lincoln fê-lo em 1863 para ajudar a financiar a Guerra Civil Americana. Foi mais tarde assassinado por um homem que foi considerado um agente do Banco Rothschild. Mais nenhum dinheiro livre de dívida e de juros foi emitido na América desde então.

Várias nações árabes fazem, hoje em dia, empréstimos sem juros aos seus cidadãos. (Agora podem perceber o porquê da tanta perturbação no Médio Oriente, e porque é que os media possuídos pela banca está a fazer uma lavagem cerebral aos cidadãos americanos para que este pensem que todos os árabes são terroristas). O Império Sarraceno proibiu os juros há mil anos e a sua riqueza ultrapassou até a da Europa Saxónica. O Mandarim da China emitiu o seu próprio dinheiro, livre de dívida e livre de juros. Hoje, os historiadores e coleccionadores de arte consideram terem sido estes séculos os tempos de maior riqueza, cultura e paz na China.

Emitir dinheiro que não tem de ser devolvido com juros deixa dinheiro disponível para usar na troca de bens e serviços e o seu único custo é a sua substituição à medida que as notas se desgastam. O Dinheiro é o bilhete de papel através do qual as transferências são feitas e deveria ser sempre em quantidade suficiente para transferir toda produção possível da nação para o consumidor final. É ridículo que uma nação diga aos seus cidadãos, "Têm de consumir menos porque há pouco dinheiro", como seria para uma companhia aérea dizer, "Os nossos aviões estão operacionais e têm muitos lugares vazios, mas não o podemos levar porque temos poucos bilhetes".


O Controlo pelo Cidadão da Moeda Americana

O dinheiro, emitido deste modo [pelo governo], obtém o seu valor do facto de provir da mais elevada fonte legal da nação e seria declarado legal para pagar todas as dívidas públicas e privadas.

Emitido por uma nação soberana, que não esteja em risco de colapso, o dinheiro não precisaria de ouro ou prata ou quaisquer outros metais chamados "preciosos" para o garantir.

Como a História mostra, a estabilidade e a responsabilidade da emissão pelo governo é o factor decisivo na aceitação dessa moeda do governo – não o ouro, a prata, ou o ferro enterrado nalgum buraco no chão. A prova é a moeda americana de hoje. O nosso ouro e prata praticamente desapareceram, mas a nossa moeda é aceite. Mas se o nosso governo estivesse à beira do colapso a nossa moeda não teria valor.

Sob o sistema actual, o fardo extra dos juros obriga os trabalhadores e as empresas a procurar mais dinheiro para o trabalho e as mercadorias para pagar as suas sempre crescentes dívidas e impostos. Este aumento nos preços e nos salários é chamado "inflação". Os banqueiros, os políticos e os "economistas" culpam tudo menos a verdadeira causa, que são os juros cobrados sobre o dinheiro e sobre as dívidas aos banqueiros.

Esta "inflação" beneficia os banqueiros, porque destrói as poupanças de uma geração de forma que não podem financiar ou ajudar a próxima geração, que terá de pedir emprestado aos banqueiros e ceder uma boa parte de uma vida de trabalho ao usurário.

Com a quantidade adequada de dinheiro livre de juros, poucos empréstimos seriam necessários e os preços seriam estabelecidos pelas pessoas e pelas mercadorias, e não pelas dívidas e pela usura.


O Controlo pelo Cidadão

Se o Congresso não consegue agir, ou agir erradamente na oferta de dinheiro, os cidadãos usariam o voto ou petições para substituir aqueles que impediram as medidas correctas, por outros em quem o povo acredita que possam perseguir uma melhor política monetária. Porque a criação de dinheiro e a sua emissão em quantidade suficiente seria uma das poucas funções do Congresso, o eleitor poderia escolher um candidato pela sua posição sobre o dinheiro e por outras funções legítimas do governo federal, em vez da diversidade de questões que nos são apresentadas hoje em dia. Todos os outros problemas, excepto a defesa da nação, poderiam ficar a cargo dos governadores dos Estados, Concelhos ou Cidades, onde aqueles poderiam ser melhor tratados e mais facilmente corrigidos.

Uma defesa nacional adequada seria determinada pelo mesmo Congresso controlado pelo cidadão, e não existiriam banqueiros atrás das cortinas, subornando políticos para levá-los a gastar biliões de dólares em aventuras militares no estrangeiro cujo único objectivo e servir as tramas da finança internacional.


Criando uma América livre de Dívida

Com dinheiro livre de dívida e livre de juros, não haveria cobrança de impostos directa e as nossas casas seriam livres de hipotecas sem os pagamentos anuais de aproximadamente 10 mil dólares aos banqueiros. Nem eles receberiam de mil a três mil dólares anuais por ano por cada automóvel nas nossas estradas.

Precisaríamos de muito menos "ajuda" financeira na forma de planos de "pagamento facilitado", "renovação" de contas de cliente, empréstimos para pagar contas do médico ou do hospital, empréstimos para pagar impostos, empréstimos para enterros, empréstimos para pagar empréstimos, nem nenhum dos milhares de empréstimos usurários que sugam hoje a vida das famílias americanas.

Os nossos funcionários públicos, a todos os níveis do governo, estariam a trabalhar para as pessoas em vez de inventar piruetas que nos colocariam ainda mais em dívida aos banqueiros. Ver-nos-íamos livres de embaraçosas alianças internacionais que nos meteram em quatro grandes guerras e numa porção de guerras menores desde que A Lei da Reserva Federal [Federal Reserve Act] foi aprovada.

Uma América livre de dívida daria mais tempo aos pais para educar os seus filhos. A eliminação do pagamento de juros e da dívida seria equivalente a um aumento de 50% no poder de compra de cada trabalhador. A anulação de dívidas privadas com juros resultaria no retorno às pessoas de 300 mil milhões de dólares em bens e riqueza que actualmente vai para os bancos.


Controlando o Debate Público e a Opinião

Nós percebemos que este pequeno, e necessariamente incompleto, artigo sobre dinheiro pode ser acusado de demasiada simplificação. Alguns podem dizer que se isto é assim tão simples as pessoas teriam sabido e isto nunca teria acontecido.

Mas esta conspiração é tão velha como a Babilónia, e mesmo na América remonta a 1913.

Na realidade, 1913 pode ser considerado o ano no qual os seus planos anteriores frutificaram, abrindo a porta para a conquista completa do nosso povo. A conspiração é suficientemente poderosa na América para colocar os seus agentes em posições como editores de jornais, editores de livros, colunistas, sacerdotes, presidentes de universidades, professores, escritores, dirigentes sindicais, produtores de cinema, comentadores de rádio e televisão, políticos que vão desde conselhos directivos das escolas até presidentes do Estados Unidos, e muitos outros.

Estes agentes controlam a informação que chega às pessoas. Manipulam a opinião pública, elegem quem quer que eles desejem tanto a nível local como nacional, e nunca expõem o fraudulento sistema monetário. Promovem vínculos entre escolas, caros e prejudiciais programas agrícolas, "renovação urbana", ajuda ao estrangeiro, e muitos outros esquemas que colocam as pessoas cada vez mais em dívida para com os banqueiros.

Cidadãos atentos perguntam-se porque é que são gastos biliões num programa e biliões noutro programa que pode duplicar ou até anular o primeiro, tal como pagar a alguns agricultores para não fazerem as colheitas, enquanto, em simultâneo, constroem represas ou canais para irrigarem mais terra agrícola. Loucura ou estupidez?

Nem um, nem outro. O objectivo é mais dívida. Milhares de métodos patrocinados pelo governo para desperdiçar dinheiro sucedem-se continuamente. Muitos não fazem sentido, mas nunca são revelados por aquilo que realmente são: sifões a sugar o sangue vital da economia da nossa nação. Biliões para os banqueiros, dívidas para o povo.


Notícias e Informação Controlada

Os denominados "especialistas económicos" escrevem colunas em centenas de jornais, calculadamente projectadas para evitar que as pessoas aprendam a simples verdade acerca do nosso sistema monetário.

Por vezes, comentadores, educadores e políticos culpam os trabalhadores pela nossa questão económica por serem esbanjadores, preguiçosos ou mesquinhos. Outras vezes, culpam os trabalhadores pelo aumento das dívidas e da inflação dos preços, quando sabem perfeitamente que a causa é o próprio sistema de dinheiro-dívida.


O nosso povo é literalmente afogado em acusações e contra-acusações planeadas para os confundir e não lhes permitir compreender o sistema monetário inconstitucional e corrupto que tão eficientemente e silenciosamente vai roubando os agricultores, os trabalhadores e os homens de negócios dos frutos do seu trabalho e das suas liberdades.

Alguns, especialmente os que discursam sobre a traição contra o nosso povo, são molestados pelas agências governamentais tais como a EPA [Environmental Protection Agency - Agência de Protecção Ambiental], a OSHA [Occupational Safety and Health Administration], o IRS e outros, forçando-os a pressões financeiras e à bancarrota. Têm tido um sucesso completo em impedir a maior parte dos americanos de aprenderem aquilo que leram neste artigo.

Contudo, não obstante o seu controlo da informação, já se aperceberam que muitos cidadãos estão a descobrir a verdade. (Existem vários milhões de americanos que sabem agora a verdade incluindo ex-congressistas, ex-agentes do fisco, ministros, homens de negócios e muitos outros).

Portanto, para evitar uma resistência armada que os tente impedir de saquear a América, tencionam registar todas as armas de fogo e por fim desarmar todos os cidadãos, em violação da 2ª Emenda da Constituição dos Estados Unidos da América. Um povo armado não pode ser escravizado. Por isso, eles só querem armas nas mãos da polícia do governo ou forças militares – mãos que já estão manchadas de sangue de incontáveis actos de negligência grosseira e homicídios às claras, tanto no país como no estrangeiro.


Espalhem a Palavra e façam alguma coisa para Mudar as Coisas

Os "semi-escondidos" conspiradores na política, na religião, na educação, no entretenimento e nos jornais e televisões estão a trabalhar para os Estados Unidos possuídos pelos banqueiros, num Mundo possuído pelos banqueiros, sob um Governo Mundial possuído pelos banqueiros! (é em torno disto que gira toda a conversa sobre a Nova Ordem Mundial promovida pelo presidente Bush e por Clinton).

Políticas bancárias e de impostos injustas continuarão a levar uma grande fatia do rendimento anual das pessoas e a colocá-las nos bolsos dos banqueiros e dos seus agentes políticos. Leis governamentais em expansão vão evitar os protestos dos cidadãos e a oposição ao seu controlo.

É possível que os vossos netos não tenham casa nem carro, mas que venham a viver num apartamento do governo e se desloquem para o emprego em autocarros do governo (ambos a pagar juros aos banqueiros), e que lhes seja apenas permitido ficar com um mínimo dos seus rendimentos para comprar um pouco de comida e roupa, enquanto os seus governantes rolam na luxúria. Na Ásia e na Europa Oriental, isto chama-se comunismo; na América é chamada "Democracia" e "Capitalismo".

A América não se livrará da sua ditadura de controlo dos banqueiros enquanto as pessoas permanecerem ignorantes dos seus controladores escondidos. As Instituições Bancárias, que controlam a maior parte dos governos da nações e a maior parte das fontes de informação, parecem ter-nos complemente presos nas suas garras. Só têm medo de uma coisa: o acordar de um grupo de cidadãos patrióticos armados com a verdade. Este artigo informou-o sobre este sistema iníquo. O que você fizer está nas suas mãos.


O que é que Você pode Fazer

Envie e-mails às centenas deste artigo para acordar e explicar aos outros americanos este espantoso saque do povo trabalhador da América. O custo para si é muito pequeno comparado com os biliões em dinheiro e bens que estão a ser roubados ao nosso povo.
.

30 comentários:

N disse...

Este post está absolutamente brilhante Diogo.

Explica tudo muito bem explicadinho do que realmente é o capitalismo,a democracia,o controle da opinião publica e quem está por detrás disso.

Algumas partes transcritas:

"Os banqueiros, que nada produzem de valor, vão gradualmente tomando posse da terra, dos edifícios, e dos salários actuais e futuros de toda a população trabalhadora."

Total parasistas portanto...

"O "establishment" [a elite governante] aprisionou o nosso povo com o seu sistema Dinheiro-Dívida tão obviamente como se tivessem vindo a marchar com uniformes militares."

É a nova forma de ocupação das nações e de escravização dos povos.
Sem armas...Mas através dos partidos,dos votos,da propaganda e de toda a falsa ilusão de liberdade e de soberania.

"Num jogo de poker ninguém é forçado a endividar-se, e qualquer um pode desistir a qualquer altura e manter os bens que ainda tem. Mas na vida real, mesmo que os empréstimos que pedirmos aos "banqueiros" sejam pequenos, os nossos governos locais, estaduais e federal vão pedir emprestados biliões em nosso nome, dissipam-nos, e então confiscam os nossos rendimentos via impostos de forma a pagar os empréstimos aos banqueiros com juros."

Agora chegamos a algo que devemos reflectir...Que legitimidade tem o governo através dos partidos de criarem divida para eu e os meus filhos pagarem e nem eu nem ele nos endividamos?
Dizem eles que têm a legitimidade dos votos...
E voltamos sempre ao mesmo...
O igualitarismo e o sistema democratico dos votos permite que a canalha corrupta alcançe o poder através dos estupidos e depois quem se fode são os cidadãos mais inteligentes.
É o sacrificar e prejudicar a melhor parte pela maior parte.
Isso é a democracia....
Isso é o igualitarismo...
E será sempre assim em democracia...
E a maior prova disso é que quem defende a democracia com unhas e dentes são precisamente os corruptos que nos destroem a vida.
Pois eles sabem que é o sistema perfeito para eles roubarem.

"Quando se começa a estudar o nosso sistema monetário, apercebemo-nos rapidamente que estes políticos não são agentes do povo mas sim agentes dos banqueiros, para quem fazem planos para colocar as pessoas ainda mais endividadas."

Obvio....
A democracia é uma farsa e os partidos meras agencias e os politicos meros palhaços entertainers.
E não esqueçer as falsas oposições criadas tambem pelo sistema.

"O nosso governo controlado pelos banqueiros pega nos nossos filhos e envia-os para guerras estrangeiras onde dezenas de milhares são mortos, e centenas de milhares são estropiados"

O mercenarismo da guerra...
E os militares a fazerem de idiotas uteis,mas aqui eles é que têm culpa em não se darem ao respeito,pois bastava quererem e acabavam com a palhaçada da democracia e dos partidos e dos banqueiros em 3 tempos.
Eles tem as armas...
Basta querer e tirar os culhoes da gaveta.

"Estes déspotas sabem que é mais fácil controlar e roubar um povo doente, pobremente educado e confuso"

É só ver o facilitismo nas escolas,e o desinvestimento na educação e as politicas igualitarias introduzidas.
Um povo mais burro é mais facilmente enganado e comandado...

N disse...

"Pela mesma razão, favorecem a utilização das drogas, do álcool, da pornografia "

O liberalismo moral.O corrompimento da juventude para tornar lhes neo escravos.
Embora o assunto das drogas é algo mais complexo porque haverá sempre drogas e se a proibição nada resolve,a liberalização ainda muito pior.
O pior é a branca,a castanha e os açidos.
Se houvesse liberalização do haxixe por exemplo ia tudo para as outras drogas em maior numero porque apenas essas passavam a ser o dito "fruto proibido".
Já para não falar que ia haver substiuição do trafico de drogas leves por pesadas em tudo o que é bairro o que seria uma castastrofe.

A solução passa pela perseguição implacavel ás drogas pesadas,e um governo semi totalitario ele proprio controlar o fluxo do trafico de drogas leves para assim tirar as pesadas das ruas e ao mesmo impedir aproveitamentos de mafias estrageiras nomeadamente islamicas a querer controlar o trafico da heroina aqui.

Quando mais o trafico tiver em poucas mãos mais é controlado,menos permissividade a outras mafias doutros países e continentes,e menos criminalidade no que diz respeito a "disputas".

Na minha visão os nacionais anarquistas deve se lhes ser dado o controlo do trafico de haxixe.
E estes comprometem se a não armar estrondo e a tomar conta das ruas e expulsar daqui para fora outros de fora que queiram mijar em territorio que não o deles e querem inundar isto com drogas pesasas.

N disse...

"O nosso povo tornou-se arrendatário e "escravos-da-dívida" aos banqueiros e aos seus agentes, na terra que os nossos pais conquistaram. É a subjugação através da mais gigantesca fraude na história da humanidade. E lembramo-nos novamente: a Chave para a sua riqueza e o seu poder sobre nós é a sua habilidade em "Criar dinheiro" a partir do nada, e emprestarem-nos com juros. Se não lhes fosse permitido fazer isso, nunca teriam conseguido ganhar o controlo secreto da nossa nação."

Daí o imperativo duma ideologia fortemente anti capitalista e incorrompivel.
Mas os marxistas não são solução,porque são corruptos,o seu sistema falhou e se fosse os comunas que não respeitam a propriedade privada nem outros pensamentos tu mesmo diogo nem tinhas hipotese de escrever isto aqui que eles já te tinha entrado em casa num regime comunista.

Logo,se tem que ser anti capitalista,anti marxista e anti democrata porque a democracia é o que permite o controle por parte da mafia dos bancos.

A unica solução é um sistema de terçeira posição.
Só não vê quem não quer ver.
É uma questão de abrirem os olhos de cima e fecharem o de baixo e passarão a concordar comigo.


"A maior parte dos nossos maiores bancos, na América, é de origem europeia-oriental, e estão ligados aos bancos europeus dos Rothschild."

A raiz do probelema é sempre a mesma...Judia...
Falta acrescentar que os seus tentaculos são a maçonaria e as suas lojas e os filhos da puta de aventais.

N disse...

"A conspiração é suficientemente poderosa na América para colocar os seus agentes em posições como editores de jornais, editores de livros, colunistas, sacerdotes, presidentes de universidades, professores, escritores, dirigentes sindicais, produtores de cinema, comentadores de rádio e televisão, políticos que vão desde conselhos directivos das escolas até presidentes do Estados Unidos, e muitos outros."

Em Portugal ainda é muito pior.
Alguem já ouvir alguem do mundo artistico ou intelectual por exemplo a questionar o regime ou mesmo a democracia?

Eu já vi em Italia,Alemanha,Grecia,...

Aqui nunca mesmo.Para alem de toda a intoxicação terrorista de manipulação e hipnotismo por parte de todo o tipo media,não há um dito pensador independente que tenha o minimo rasgo de coragem e diga que tudo isto é uma fraude.

Andam todos nas festas do croquete,no golf,e discotecas com a corja que rouba Portugal e os Portugueses e depois andam armados em hipocritas a mandar uns bitaites a dizer que são muito patriotas e muito integros.

Já para não falar dos inumeros reclamas publicitarios bancarios que fazem.

Se a hipocrisia e a covardia pagassem impostos Portugal era de facto o País mais rico da Europa.

Quando alguem fala a verdade no meio deste lamaçal esse alguem é um "extremista".

N disse...

"Por vezes, comentadores, educadores e políticos culpam os trabalhadores pela nossa questão económica por serem esbanjadores, preguiçosos ou mesquinhos."

Isso são tecnicas de manipulação para incutir um sentimento de culpa de modo aos mesmos não se revoltarem contra este estado de coisas.

O filho da puta do balsemão é perito em mandar os seus cachorros contantemente ladrar que "a culpa é de todos nós" e "todos nós vivemos durante anos acima das nossas possibilidades" e outras verborreias para incutir o tal sentimento de culpa.

Porquê tanto medo duma auditoria?
Porque razão ninguem a quer?

A resposta é simples...
O saque dos cofres do estado está cheio de impressões digitais de todos,mas todos os partidos.


"Um povo armado não pode ser escravizado."

Ora aí está uma grande verdade,e de acrescentar que só um povo armado pode se vingar devidamente.


FIM

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=LZgv8t85FaI&feature=related

O maior juiz de todos é o tempo...

Afinal quem tinha razão?
Pois é.

Diogo disse...

N – Dou-lhe os parabéns por ter lido todo o post com atenção. O texto de Sheldon Emry é verdadeiramente excepcional.

Você tem razão em várias coisas, mas noutras não concordo consigo.

É verdade que nestas democracias, o Poder Financeiro tem a máxima facilidade em controlar, através dos seus instrumentos de propaganda, os ignorantes, os menos inteligentes e os que não têm acesso à Internet.

Daí, eu defender a Democracia Directa e informada pela NET. Nesta, é possível criar mecanismos para que uma pessoa vote à sua medida. A um indivíduo que nada perceba de tecnologias alternativas, não será dada a capacidade de escolher uma política sobre este assunto.

Quanto aos militares (a partir de uma certa patente) e aos «estadistas» são, tal como os políticos, marionetas nas mãos do Poder Financeiro.

A minha aposta passa pela Democracia Directa, por um radical avanço tecnológico e, a curto prazo, pela formação de grupos informados, corajosos e decididos, dispostos a eliminar, um a um, os fantoches do Poder Financeiro. Porque estes indivíduos são assassinos em série.

Abraço

N disse...

Divergencias á parte continue a postar maravilhas destas.

Abraço.

Anónimo disse...

Os sionistas de israel,inglaterra,e eua já estão a querer fazer a lavagem cerebral ao povos que o irão é o "mauzão".

O probelema do Irão é o mesmo que o da Servia e o da antiga Alemanha Nazi.

Recusam se ajoelhar perante a nova ordem mundial.

Ao contrario da maior parte dos Países Europeus cujas elites(?) trairam o seu Países e respectivos povos e puseram nos a viver(?) em cativeiro nas suas proprias terras.

Querem roubar os recursos ao Irão e querem isolar a China e a Russia.

Quanto mais o mundo for multipolar melhor,porque os eua tando colonizados pelos judeus não só não são um parceiro confiavel,como são inimigos de todos os nacionalistas Europeus.

Quando mais poder tiver o sionismo pior para todos nós.

Os eua só passariam a ser alguma vez um parceiro confiavel se houvesse internamente uma revolução,mas revolução a serio mesmo,em que os americanos de gema corressem com os sionistas de todas as esferas do poder e voltassem a recuperar o seu proprio País e deixassem assim de ser escravos na sua propria terra.

Porque é exactamente isso que os americanos de gema são.
Escravos na sua propria terra.
Tiram lhes a liberdade,enganam lhes diaramente,matam nos(Atentados falsos),usam nos para ir para as guerras,e o cumulo dos cumulos,os americanos é que pagam tudo atraves dos impostos.

Bons escravos portanto.Agradeçem os judeus.
Basta lhes dar pornografia,cerveja e mtv e eles nem refilam.

A ver vamos se os americanos de gema desta vez vão bater o pé e recusarem mais uma aventura no Irão á custa do dinheiro dos seus impostos e á vida dos seus soldados.

Anónimo disse...

O que é que os Europeus ganharam com a nova ordem mundal sionista?

*Desemprego altissimo.
*Captura do poder politico pela alta finança.
*Propagação do homossexualismo e hiv.
*Propagação de todo o tipo de degeneração.
*Materialismo.
*Corrompimento da arte.
*Multiculturalismo sem limites.
*Perda de privacidade.
*Exploração laboral.
*Divida e consequente escravatura aos bancos.
*Poluição e excesso populacional sub ariano e consequente aumentos dos bens essenciais como recursos energeticos e alimentares,e ainda catastrofes naturais.
*Informação terrorista a toda a hora em todo o tipo de media fazendo nos de simios.
*Neo escravatura na nossa propria terra.
*Perseguição aos patriotas e impunidade e recompensas para os corruptos e traidores.

QUANDO É QUE OS EUROPEUS ACORDAM E PERCEBEM A NECESSIDADE IMPERATIVA DE NOS LEVANTARMOS,DERROTARMOS O SIONISMO EM TODA A LINHA E VOLTAR A RECUPERAR OS NOSSOS PAÍSES?

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Ma8bhsYftrQ

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=nvP9OlSGB_M&feature=channel_video_title

Ver o que realmente se passa por detrás dos bastidores e os planos sionistas para controle global e para nos escravizar a nós Arianos.

Anónimo disse...

"O probelema do Irão é o mesmo que o da Servia e o da antiga Alemanha Nazi.
Recusam se ajoelhar perante a nova ordem mundial."

Pois recusam.Alguns recusam mesmo sair debaixo da terra,depois de fuzilados.
Países dirigidos por déspotas narcisistas que se agarram ao poder que nem lapas,mesmo que para isso tenham que matar e torturar os seus compatriotas,é que estão no caminho certo.
Devem ter internet nos hospícios!

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=UntixeRiEK8&feature=channel_video_title

http://www.youtube.com/watch?v=NgSoEbC3UWU&feature=channel_video_title

Ver e aprender...
E ter a noção de que os Arianos Europeus só sobreviverão unindo se duma ponta á outra e retornar ás suas religiões raciais para ter a maior coesão possivel,o paganismo europeu.
De lisboa até moscovo.

Anónimo disse...

Anonimo das 04 Novembro, 2011 14:09

Cheiras a cia...

alf disse...

Há coisas da História que nunca são referidas e que se calhar são as mais importantes; por exemplo, sei que a Igreja proibiu em determinada altura a usura; se calhar por excelentes razões, muito pragmáticas. Esta história já aconteceu no passado e foi assim resolvida pela Igreja.

Diogo, ando com a ideia de desatarmos a exibir cartazes nas manifestações a pedir um referendo. Acho que estes tipos têm medo do referendo como o diabo tem da cruz.

Abraço

Anónimo disse...

Alf...És mesmo alf...

menvp disse...

«Daí, eu defender a Democracia Directa e informada pela NET»


'Vira o disco e toca o mesmo' - vulgo eleições antecipadas atrás de eleições eleições antecipadas - não é solução!...
A democracia directa também não é solução... mas votar em políticos não é passar um 'cheque em branco'!!!!!!
Os cidadãos não podem ver os políticos como um 'paizinho'... devem, isso sim, é exigir uma maior fiscalização e controlo sobre a actividade política!
O Presidente da República pode vetar uma lei... sem querer derrubar o governo!!!
Os contribuintes devem poder vetar uma despesa com a qual não concordam... sem querer derrubar o governo!!!
Não é só andar a pagar as dívidas que os governos fazem/deixam!... De facto, quem paga - leia-se, contribuinte - tem de ter um maior controlo sobre a forma como é gasto o seu dinheiro!
EXPLICANDO MELHOR: todos os gastos do Estado que não sejam considerados de «Prioridade Absoluta» [nota: a definir...] devem estar disponíveis para ser vetados durante 72 horas pelos contribuintes [nota: através da internet].
Para vetar [ou reactivar] um gasto do Estado deverão ser necessários 100 mil votos [ou múltiplos: 200 mil, 300 mil, etc] de contribuintes.

Resumindo e concluindo: não se queixem do facto de estar a ser mal gasto dinheiro do Estado: abram os olhos... e vetem!
{um ex: a nacionalização do negócio 'madoffiano' BPN nunca se realizaria: seria vetada pelo contribuinte!}

pvnam disse...

-> Muito muito mais importante do que a crise... é o DIREITO À SOBREVIVÊNCIA!
Resumindo e concluindo:
- há que 'cortar' com aqueles que criticam a repressão dos Direitos das mulheres… e em simultâneo, para cúmulo,… defendem que se deve aproveitar a ‘boa produção’ demográfica proveniente de determinados países [aonde essa 'boa produção' foi proporcionada precisamente pela repressão dos Direitos das mulheres]… para resolver o deficit demográfico na Europa!;
- há que 'cortar' com aquele pessoal (vulgo Terrorismo_CGTP) que 'martelam' os mais fracos (um ex: aqueles que, como eu, estão dependentes dos transportes públicos para ir trabalhar)... e que (quando vêm os aumentos) varrem para debaixo do tapete o facto da entidade pagadora ter necessidade de pedir dinheiro emprestado a (perigosos) especuladores, etc;
- não vamos ser uns 'parvinhos-à-Sérvia'... ou seja, antes que seja tarde demais, há que mobilizar aquela minoria de europeus que possui disponibilidade emocional para se envolver num projecto de luta pela sobrevivência... e SEPARATISMO!...

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=_qxzZY4JycY

A escumalha sionista só vai ser posta na ordem quando surgir algo muito muito muito muito mais fanatico que eles.

Para destruir uma besta é preciso outra besta maior.

EUROPA ACORDA.

Anónimo disse...

Então as manifestações contra a escumalha dos banqueiros continua?

Já dura quanto tempo?

Não ha noticias diarias nos "media" portugueses sobre isso?

Não é relevante haver tantas e tantas manifestações e logo onde está o polvo instalado?

Já houve varios confrontos,militares veteranos a ir para as manifestações de armas na mão.

http://www.youtube.com/watch?v=r4jYdCaHrjQ&feature=player_embedded#!

Pera lá....!100 mil pessoas...

Que pouco relevante não acham?

"Só" 100 mil pessoas em oakland..

Os "media" portugueses que tão nosso amigos são que nos informaram massivamente sobre os pobrezinhos rebeldes sodomizadores "democráticos" da libia que agora vão instaurar a lei do chicote para as mulheres,a poligamia sem limites e a sharia como religião estatal,então e agora ocultam o que se está a passar no Eua?????

Portugueses quando é que voçês percebem duma vez por todas que os media a sua função é vos manipular e enganar?

Boicotem os media que vos enganam.
Levem nos á falência atraves de boicotes em massa.
Espalhem a mensagem de boicote.

Anónimo disse...

É mais pobre o que vive como rico mas tem dividas de milhoes e não tem como as pagar,do que o pobre que vive como pobre mas não tem dividas.

Há medias e os seus donos com prejuizos e os seus donos endividados em milhoes.

Boicotem em massa os seus canais e revistas.
Levem nos á falencia.

Vinguem se.
Só o corno é que não se vinga.
Vinguem se.

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=3IkG6r28dBs&feature=channel_video_title

LEVANTEM SE ARIANOS.
NA AMERICA
NA EUROPA
EM TODO O LADO.

REVOLUÇÃO ARIANA JÁ.

NA disse...

http://www.youtube.com/watch?v=MhGAGY5fS8c&feature=channel_video_title

http://www.youtube.com/watch?v=8IUCI6xQkug&feature=channel_video_title

http://www.youtube.com/watch?v=yQQRm-yL01c&feature=channel_video_title

Anónimo disse...

"El sabio no dice todo lo que piensa, pero siempre piensa todo lo que dice" Aristoteles


Libia y Gaddafi La verdad que se supone NO debes conocer
Yo tampoco lo sabía pero ya investigando es increíble como los medios de comunicación pueden convertir a una persona en Heroe o Villano. Tu opina.

En 1951 antes que Gaddafi llegara, Libia era el país mas pobre del mundo.
Después de cuatro décadas de Gaddafi y antes de la invasión de la OTAN el 2011, (por EUA, Francia, Italia, Alemania, etc), Libia tenia el nivel de vida mas alto de África mas alto que Rusia, Brasil y Arabia Saudita.
La electricidad era gratis para todos
En Libia la casa es considerada un derecho de la humanidad.
Recién casados reciben $50 mil dolares para comprarse una casa.
Todos los prestamos de cualquier clase son con 0% de interés por ley.
Gaddafi prometió una casa a todos antes de poner en una casa a su padre y mantuvo su promesa: su padre murió sin casa.
Solo un quinto de libia antes de Gaddafi podía leer y escribir.
Ahora con Gaddafi la educación es gratis y de alta calidad y el nivel de alfabetismo es de 83%.
La atención medica es gratis para todos y de alta calidad.
Si los libios no pueden hallar educación o atención medica del nivel adecuado que necesitan, el gobierno les da los fondos necesarios para conseguirlos fuera del país.
Si los libios compran un coche, el gobierno paga el 50%.
El precio de la gasolina es 14 centavos de dolar el galón.
Cualquier libio que quiera ser agricultor recibe gratis, tierra, una casa, animales, equipo de agricultura y semillas.
El 1ro de Julio 1.7 millones de libios marcharon en la Plaza Verde de Trípoli para protestar el bombardeo por la OTAN. Esto era el 95% de la población de Trípoli. Libia solo tiene cinco millones de habitantes.
El banco central de Libia pertenece a Libia. y no como en la mayoría del mundo occidental que pertenecen a una organización de Rothchild.
El banco de Libia lanza moneda sin deuda.
Gaddafi pedía pago del petroleo en otra moneda y ya no en dolares. Pero en la moneda de dinars africanos respaldado en oro. a esto Sarkozy, el presidente de Francia, lo llamo como un peligro para las finanzas del mundo.

Anónimo disse...

continua:
El primer acto de los rebeldes fue crear un nuevo banco central de propiedad del grupo europeo Rothchild. La familia Rothchild es propietaria de la mitad de la riqueza del mundo. Ese banco crea dinero de la nada y sin respaldo para venderlo con grandes intereses para que los prestamos no se puedan pagar y hasta nuestros hijos serán esclavos de esas deudas.
Gaddafi no vendió a su gente, como un Judas, a los bancos de Rothchild como lo hizo Obama en EUA, Sarkozy en Francia y Cameron en Inglaterra. Libia no tenia ninguna deuda con nadie.
¿Quien esta detrás del bombardeo contra Libia? los libios tenían mucho mas que los ciudadanos de EUA, Inglaterra , Francia etc etc. los libios tenían un líder que velaba por sus intereses con integridad y coraje no obedecía los intereses de los banqueros.
Libia compartía su tesoro con otros países de áfrica. Sin la tiranía de los bancos de Rothchild todos podemos vivir libres sobre la tierra sin cargar enormes deudas a grandes intereses. los bancos y sus políticos comprados están robando trillones de dolares, euros y libras todos los años. Fuimos globalmente esclavizados. Ahora Libia sera esclavizada.
Se estima que mas de 30 mil libios ya han sido asesinados por los bombardeos de la OTAN y los rebeldes.
Gaddafi cree en la democracia directa que esta en su libro Verde. Gaddafi cree que la democracia parlamentaria es corrupta y que la gente debe representarse ella misma sin intermediarios. El Libro Verde de Gaddafi es realmente algo para admirarse.
No podemos mantenernos sin reaccionar cuando gobiernos corruptos asesinan salvajemente con las armas mas poderosas del mundo a países como Libia y los medios endemonian con pura propaganda falsa a esos países que son realmente libres y prósperos.





Foi esta a Líbia que Obama, Sarkozy e o Cameron destruiram.

Não houve levantamento nem revolta popular!

Foi um bando de maltrapilhas e drogados treinados pelos serviços secretos ingleses e apoiados pela NATO, que deram cabo da Líbia, apoiados pela desinformação do costume dos media ocidentais.



E os ingleses lá ficaram com 50% do petróleo líbio, aqueles filhos de uma cadela, qual praga de gafanhotos que quando caem sobre um país sugam-no até ao tutano.

Anónimo disse...

Ahahahahaha!
Esta Líbia que destruíram.
Ahahaha!
Os próprios líbios tam bém não estavam informados dessa Líbia maravilhosa e das maravilhosas qualidades humanas do sr Kadafi.
Se eles soubessem,nunca se rebelariam contra esse santo que abnegadamente vivia na miséria para dar o exemplo de sobriedade ao seu povo.
Ahahaha!
Estes comentadores existem mesmo ou foi o Jerónimo de Sousa que escreveu algum livro?
Ahaha!

Anónimo disse...

Anonimo 07 Novembro, 2011 00:48

És mais um idiota que nem sabes como é que as coisas funcionam.

Tu pensas que o que é verdade é o que mostra na tv.

A revolução foi iniciada por mercenarios pagos e bandalhos,não foi o povo.

O resto foram truques de hollywood.
Alías,eles foram caços a montar um palco com bandeiras rebeldes,actores pagos,numa zona onde os leias a kadaffi dominavam perfeitamente.

Mas os medias faziam passar a ideia duma zona conquistada pelos "rebeldes".

Com o tempo e a propaganda,o povo comum(mais de 95%) faz o que qualquer povo de merda faz.

Hoje é x,amanha se é moda ser y,ele passa a ser y.

Eles apenas seguiram a onda.

Alías mesmo em Portugal antes do 25de abril mais de 50% da população odiava os comunistas.
Depois de estourar já era tudo comunista.
Depois já era tudo anti comunista novamente,e eram amantes da democracia "moderna" liberal.

Os povos de merda são assim.
Não têm coragem moral alguma,nem coluna vertebral.

Aquilo que foi instaurado na libia foi um regime de mercenarios,ao estilo dos maçons do ps e psd e opus dei e toda essa canalha que anda a roubar os cofres do estado e vos caga na cara há mais de 25 anos,só que na libia eles ainda são mais atrasados e portanto vai ser saques a torto e direito e o povinho vai mamar com a sharia.

E eu nunca morri de amores pelo kaddafi,por isso sou isento a falar.

Agora uma coisa é certa,o kaddafi não vendeu o seu País e o seu povo.

E a historia é isso que vai registar.

Esta corja que está lá vendeu.
E o destino dos traidores é sempre o mesmo....
Vão se trair todos uns aos outros mais tarde ou mais cedo porque a sua natureza é trair.

O pior é o povo, que pobres ignorantes é que vão aprender á sua custa.

Pode ser que lá aprendam mais rapido que os daqui.

Aqui a enrabadela já dura há mais de 25 anos...

Anónimo disse...

Que chorrilho de asneiras.
Um torcionário sem escrúpulos e tirano virou um herói que criou um èden que ninguém conseguia ver.
Trata-te,pá.
Que anormalidade!

Anónimo disse...

http://prixviagragenerique50mg.net/ viagra acheter
http://prezzoviagraitalia.net/ viagra acquisto
http://precioviagraespana.net/ viagra