segunda-feira, maio 25, 2015

A razão pela qual os juros dos empréstimos bancários não devem ser pagos!



I Parte



Qualquer pessoa que tenha precisado de devolver um empréstimo sabe o que significam os juros na hora de pagá-lo. Um empréstimo recebido, por exemplo, a 7% ao ano implica ter de devolver quase o dobro do capital recebido ao fim de dez anos.

Tanto é o peso dos juros acarretados pelos empréstimos que durante muito tempo considerou-se que cobrá-los acima de determinados níveis mais ou menos razoáveis era considerado não só um delito de usura como também uma acção imoral, ou inclusive um pecado grave que condenaria para sempre quem o cometesse.

Hoje em dia, contudo, quase todos os governos eliminaram essa figura criminosa e parece a toda gente natural que se cobrem juros legais de até 30% (isto é o que cobram neste momento os bancos espanhóis aos clientes que ultrapassam a sua linha de crédito) ou que haja países afundados na miséria não exactamente pelo que devem e sim pelo montante dos juros que hão de pagar.

Os países da União Europeia renunciaram a ter um banco central que os financiasse quando precisassem de dinheiro e portanto têm que recorrer à banca privada. Em consequência, ao invés de se financiarem a 0%, ou a um juro mínimo que simplesmente cobrisse os gastos da administração da política monetária, têm de fazê-lo e 4%, 5%, 6% ou inclusive a 15% em certas ocasiões. E isso faz com todos os anos os bancos privados recebam entre 300 mil milhões e 400 mil milhões de euros em forma de juros (será, ainda, preciso explicar quem esteve e porque por trás da decisão de que o Banco Central Europeu (BES) não financiasse os governos?).

Os economistas franceses Jacques Holbecq e Philippe Derudder demonstraram que a França teve de pagar 1,1 mil milhões de euros em juros desde 1980 (quando o banco central deixou de financiar o governo) até 2006 para fazer frente à dívida de 229 mil milhões existente nesse primeiro ano (Jacques Holbecq e Philippe Derudder, La dette publique, une affaire rentable: A qui profite le système?, Ed. Yves Michel, París, 2009). Ou seja, se a França tivesse sido financiada por um banco central sem pagar juros teria poupado 914 mil milhões de euros e a sua dívida pública seria hoje insignificante.



Em Espanha verificou-se uma coisa semelhante. Nós já pagámos, por conta dos juros (227 mil milhões no total desde então), três vezes a dívida que tínhamos em 2000 e apesar disso ainda continuamos a dever o dobro do que devíamos nesses anos (Yves Julien e Jérôme Duval, España: Quantas vezes teremos de pagar uma dívida que não é nossa? ). Eduardo Garzón calculou que se um banco central tivesse os défices da Espanha desde 1989 até 2011 a 1%, a dívida agora seria também insignificante, de 14% do PIB e não de quase 90% (Situação do cofres públicos se o estado espanhol não pagasse juros de dívida pública) .

E o curioso é que estes juros que os bancos cobram às pessoas, às empresas ou aos governos e que travam continuamente a sua capacidade de criar riqueza não têm justificação nenhuma.

Poder-se-ia entender que alguém cobrasse um determinado juro quando concedesse um empréstimo a outro sujeito se, ao fazê-lo, renunciasse a algo. Se eu empresto a Pepe 300 euros e isso me impede, por exemplo, de passar um fim-de-semana de férias com a minha família poderia talvez justificar-se que eu lhe cobrasse um juro pela renúncia que faço das minhas férias. Mas não é isso o que acontece quando um banco empresta.

O que a maioria das pessoas não sabe, porque os banqueiros encarregam-se de dissimular e de que não se fale disso, é que quando os bancos emprestam não estão a renunciar a nada porque, como dizia o Prémio Nobel da Economia Maurice Allais, o dinheiro que emprestam não existe previamente e, na verdade, é criado ex nihilo, ou seja, do nada.

O procedimento é muito simples e é explicado, por mim e Vicenç Navarro, no nosso livro «Los amos del mundo. Las armas del terrorismo financiero» (p. 57 e seguintes):

18 comentários:

Thor disse...

"O que a maioria das pessoas não sabe, porque os banqueiros encarregam-se de dissimular e de que não se fale disso, é que quando os bancos emprestam não estão a renunciar a nada porque, como dizia o Prémio Nobel da Economia Maurice Allais, o dinheiro que emprestam não existe previamente e, na verdade, é criado ex nihilo, ou seja, do nada."


exactamente, é que é mesmo isso.
é tudo um esquema e um crime organizado. eles não perdem nada nem deixam de perder.
cada vez que querem 'emprestar', toca a imprimir do nada notinhas sem valor correspondente real, e depois emprestam
com juros agiotas.

e os países não só nunca pagam as dívidas, como nem sequer COMEÇAM a pagar as dívidas, pois eles são escravos dos juros. eles só trabalham para pagar juros infinitos, nunca sequer trabalham para pagar a dívida. e isto é uma prova inequívoca que isto é uma máfia organizada para escravizar e rapinar o Mundo.

http://crushzion.k0nsl.org/wp-content/uploads/2013/10/jewish-federal-reserve-ben-bernanke-paul-volcker-alan-greenspan.jpg

http://www.truthcontrol.com/files/truthcontrol/images/6792.jpg

Anjjos disse...

O vídeo abaixo é esclarecedor sobre a questão do endividamento do Estado brasileiro.

Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=e98Q80A6SYo

Diogo disse...

Thor - Exacto! Existe uma elite (composta 20, 10, 5, 3, 1 indivíduos) que controla absolutamente todo o planeta através da Finança - a capacidade de criar dinheiro a partir do nada. E com esse Dinheiro controlam as «instituições políticas», os Media, a Legislação, o «poder judicial», etc... e apoderam-se de todas os bens e toda a riqueza.

Essa elite não poderá ultrapassar meia-dúzia de gajos porque de outro modo começariam a andar à batatada uns aos outros em luta pelo Poder. Estou cada vez mais convencido de que é só um gajo a mandar nisto tudo.



Anjjos - Só vi parte do vídeo que me enviou mas deu para entender. O que se está a passar no Brasil está a acontecer em todo o lado. Com o Dinheiro que criam a partir do nada, a Máfia Financeira compra tudo.

Parece-me que as coisa estão suficientemente maduras para uma Revolução a nível Mundial dirigida a estes parasitas e seus acólitos...

Thor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thor disse...

"Estou cada vez mais convencido de que é só um gajo a mandar nisto tudo."


o Evelyn ou o Jacob Rothschild?? lol
eu, ao contrário do 'Smoloko', aposto as minhas fichas no Evelyn (é a pessoa mais rica do planeta).
mas até pode ser o Jacó!

só não concordo que controle(m) 100% do planeta. há enclaves que ainda lhe(s) escapam.

Diogo disse...

Thor,

É evidente que ainda há enclaves que (ele, eles) não possu(i)em. Daí a vaga de privatizações de monopólios públicos (lucrativos) que estão a acontecer em todo o mundo...

Estou curioso com o que vai acontecer. Já se sabe que com os atrasados mentais (que comem toda a merda defecada pelos merdia não se pode contar). Com os iletrados, se calhar, também não (mas não tenho a certeza - a iliteracia não é sinónimo de estupidez). Vamos ver a coragem dos outros - os que sabem que estão a ser tramados e que estão dispostos a arriscar a vida para alterar as coisas...

Pedro Lopes disse...

Esse vídeo do "Anjjos" mostra lá um gráfico completamente aterrador.

É este aqui:

https://novascartaspersas.files.wordpress.com/2014/01/carga-tributc3a1ria-6-torta-auditoria-cidadc3a3o-da-dc3advida-pc3bablica.jpg

42% do OE do Brasil vai para os bolsos dos FILHOS DE UMA GRANDE PUTA.


Mas nada de extremismos.
Os banqueiros também tem um importante na sociedade. Tem um lugar na sociedade.

O lugar ideal para eles é este.

http://www.cemiteriosp.com.br/wp-content/uploads/2014/07/01.png

Nada de extremismos nem populismos. Bom senso, moderação, responsabilidade, como ensina o nosso querido martelo camelo de sousa.

Pedro Lopes disse...


E agora é tempo de fazer uma substituição na equipa.

Sai merda, entra cagalhão.

http://observador.pt/2015/05/27/balsemao-da-lugar-a-barroso-no-clube-bilderberg/

Anónimo disse...

Revisionismo e Nacionalismo Cultural .
https://www.youtube.com/watch?v=EWeiVDZR6iA

They Don't Hate Us For Our Freedoms! GREAT SPEECH!
https://www.youtube.com/watch?v=4Cs7hmjhC80&list=PLuPE0YaRnppdzH3RiK1RHH2gm3EJ9ue1e&index=12

O deletério e perverso Sionismo e a exploração cínica do holocausto
https://www.youtube.com/watch?v=2L-s1sKurdU

THE TIME HAS COME! THE NAKED TRUTH ABOUT JEWS
https://www.youtube.com/watch?v=dTrrHtcdES0&feature=youtu.be

Feminilização do Homem
https://www.youtube.com/watch?v=iZmkS_M15y8

Hellstorm - The Real Genocide of Nazi Germany
https://www.youtube.com/watch?v=GMCOKNCwHmQ

Um alemão corajoso faz a comparação correta entre os nazistas dos anos 30 e os nazistas de hoje
https://www.youtube.com/watch?v=6qikawjSiAE&feature=youtu.be

A Maior História Jamais Contada Part 1
https://www.youtube.com/watch?v=FP8xLgDLCPU

Se observarmos as conseqüências da derrota alemã: o mundo, a família, educação, cultura, ética, integridade, o cristianismo, a paz, ..., estão ascendentes ou decadentes?

Cobalto

Pedro Lopes disse...


Alguém me explique esta lógica.

A Grécia tem de pagar ao FMI, senão não recebe financiamento do FMI.

É idêntico ao caso de Portugal.

Tem de pagar dinheiro ao FMI para receber dinheiro do FMI?

Fosga-se! Um gajo até fica parvo com este tipo de linguagem financeira.


"A Grécia ficará privada de acesso a financiamento do Fundo Monetário Internacional se falhar o pagamento à instituição, advertiu esta quinta-feira um porta-voz do FMI."

http://observador.pt/2015/05/28/fmi-avisa-atenas-nao-tera-acesso-a-financiamento-se-nao-pagar-proximas-tranches/

Não entendo.
Preferia antes que alguém enviasse um míssil e destruísse a sede do FMI.





Pedro Lopes disse...


Fulano - Oh Cicrano, empresta-me 50 Euros, tenho de comprar roupa para os miúdos irem á escola.

Cicrano - Está bem, mas para isso tens de me dar 70 Euros primeiro. Depois empresto-te 50 Euros.

Fulano - O quê?Não te entendo? 70 quê? Então mas.....

Diogo disse...

Cobalto - o filme sobre o Hitler está demasiado «hollyodesco». Continuo a defender que ninguém faz milagres económicos como o que ele fez - de 1933 a 1939 tornou a Alemanha num dos mais pobres e endividados países do mundo na maior potência europeia. Só com muito Dinheiro Judeu por trás...


Pedro Lopes - Não é espantoso? Ter de pagar a um falsário para receber um empréstimo do mesmo?

Filipe Bastos disse...

Caro Diogo, ainda não publicou a expedição arqueológica do século? Que diabo, homem, descobriram finalmente as câmaras de gás nazis! E não diz nada às pessoas?

Foi há poucos meses: uma perita forense chamada Caroline Sturdy Colls, professora universitária, autora prolífera e colaboradora assídua da polícia inglesa, foi pessoalmente a Treblinka investigar os infames campos, e respectivas valas comuns.

Como sabe, em Treblinka foram gaseados e enterrados 900.000 judeus, que depois os astutos alemães desenterraram, cremaram, e voltaram a enterrar. Mas nunca foi possível comprová-lo fisicamente - porque as autoridades polacas e judaicas não deixam. Puseram lá uns pedregulhos, um memorial, e classificaram o local como sagrado. Isto causou incompreensíveis suspeitas junto de algumas pessoas (canalhas!) que ousam questionar a versão oficial do Holocausto.

Vai daí, foi lá a intrépida Sturdy Colls para calar os "negadores". Desde o início, o sorridente rabi local deixou regras claras: a encontrar alguma coisa, a investigação tinha de parar. Porque, lá está, é sagrado. Assim se faz ciência.

Usando tecnologia de ponta, verificou-se que não havia terra remexida, muito menos em quantidade para enterrar tanta gente. Sem desanimar, a nossa perita forense foi escavar... perto de um cemitério, aparentemente cristão, com campas e tudo. E encontrou... ossos!

Não muitos, eram ossos de talvez 2-3 pessoas. Perante esta assombrosa descoberta (ossos num cemitério), a nossa perita disse logo que já chegava - estava provada uma imensa vala comum! - e voltaram a enterrar os poucos ossos que tinham escavado.

Nisto ela desata em pranto, como faria qualquer cientista experiente habituada a investigar crimes e desenterrar corpos, e é confortada por um membro da equipa. Com a câmara a filmar tudo, claro. Já recomposta, voltou à "investigação".

Nova cavadela, nova descoberta: uns dentes de tubarão fossilizados, com milhões de anos. Mas nem um dente das vítimas nazis, há meros 70 anos. Mais uma vez, a audaz Sturdy Colls não desanimou. Ainda procurava o grande prémio: as sinistras câmaras de gás!

Após muito cavar, deram com elas. Ou melhor, deram com uns azulejos com a estrela de Davi, símbolo do judaísmo. Observa de imediato a nossa perita: os nazis usavam a estrela de Davi nas câmaras de gás, para acalmar(?) as vítimas! Era sem dúvida parte de uma câmara de gás! Missão cumprida! Taparam os buracos, arrumaram a trouxa e vieram-se embora.

Havia só dois detalhes: 1) a estrela estava do lado de baixo, logo ninguém a veria; 2) não era uma estrela de Davi. Era o logotipo de uma fábrica de azulejos polaca, que não tinha nada a ver com judeus, nazis, holocaustos, ou sequer com a guerra.

Concluída a "investigação", foi anunciada em todos os media e até rendeu dois especiais televisivos: um deu no Channel 5 britânico, o outro no respeitado Smithsonian. Título: "The nazi killing machine".

Convido o Diogo a ver, vale a pena. Leve pipocas.

Diogo disse...

Caro Filipe Bastos,

É sabido que em Treblinka foram gaseados, queimados, crucificados, esfaqueados, empalados, envenenados... milhões de judeus.

Posto isto, é naturalíssimo que Sturdy Colls tenha descoberto ossos (mesmo que num cemitério polaco) - é a prova provada da barbárie alemã.

Eram ossos de duas ou três pessoas? Uma já era demais! è o holocausto no seu pior...

Também é sabido que os nazis tentaram (mas não conseguiram totalmente ) exterminar os tubarões na sua política de genocídio.

Quanto à estrela de David, sendo uma estrela, é difícil saber qual é a parte de cima e a parte de baixo.

Obrigado pelas referências. Vou a correr comprar pipocas e ver esse documentário...

Abraço

Diogo

Filipe Bastos disse...

Bem verdade Diogo,

Entre tubarões e fritadeiras gigantes, a sanha nazi não conhecia limites.

Felizmente que a Sturdy Colls parou por ali, senão sabe-se lá que mais encontraria: golfinhos, sereias, ciborgues, peruanos, portugueses, se calhar a Maddie.

E chegou a ouvir a incrível história do David Cole / David Stein? Aquele rapazito (judeu) que fez um vídeo em Auschwitz nos anos 90, em que o director admitia que as câmaras de gás, apresentadas aos visitantes como autênticas, eram falsas?

Foi perseguido pela Jewish Defense League, desapareceu completamente, mudou de identidade, e tornou-se uma vedeta do Partido Republicano: organizava festas da pesada para a nata lá do sítio. Até que foi descoberto... e reapareceu após 20 anos, quarentão e alcoólico, desta vez rendido à versão oficial.

Apesar disso, todos os "amigos" o renegaram: era o que faltava, políticos - republicanos! - associados a um famoso "negador do Holocausto"...

Parece um filme, mas é verdade.

Abraço,
FB

Bilder disse...

check http://novointegralismo.blogspot.pt/2014/12/nova-ordem-mundial-socialista-fabiana.html

Diogo disse...

Caro Filipe Bastos,

Julgo que vi quase todos os documentários e programas de TV onde David Cole aparece. Afrontou sozinho todas as organizações judaicas, até lhe porem a cabeça a prémio. Para mim é, e será sempre, um herói.

Abraço

Filipe Bastos disse...

É verdade, Diogo, considerando apenas o período até à "morte" dele. Mas a conduta posterior, sobretudo a actual, revela uma pessoa bastante diferente.
Além de renegar o que antes afirmava, parece só causar atritos com ex-colegas, até supostos amigos como Bradley Smith ou Leuchter. A Faurisson chama tudo menos pai. Age como alguém mesquinho, vingativo, um impostor compulsivo.
É sem dúvida um tipo inteligente, até seria brilhante, mas não envelheceu bem. E qualquer credibilidade parece irremediavelmente perdida.

Abraço,
FB