segunda-feira, janeiro 11, 2016

Facebook dá Paulo Morais como Presidente da República




Marcelo Rebelo de Sousa (PSD + CDS), Sampaio da Nóvoa (PS) e Maria de Belém (PS) - os candidatos a Presidente da República dos partidos que, como diz Fernando Madrinha, se tornaram suspeitos de agir, não em obediência ao interesse comum, mas a soldo de quem lhes paga as campanhas eleitorais...

**********************

BlastingNews - 7/Jan/2016

Se contarmos a principal página de cada candidato, Paulo Morais é o preferido dos portugueses no Facebook.




As últimas sondagens apontavam a vitória de Marcelo Rebelo de Sousa com maioria absoluta, mais de 50% dos votos, mas se as sondagens se baseassem nas principais páginas de cada candidato às eleições o vencedor seria outro, porém sem maioria absoluta. Paulo Morais é o eleito dos utilizadores do Facebook para o cargo de Presidente da República, revela o site da Rádio Renascença. Muitos portugueses demonstram nas redes sociais estarem convencidos com o discurso de Paulo Morais, que tem estado centrado no principal problema da política em Portugal, a corrupção.

A maior preocupação dos portugueses para as próximas eleições é mesmo sair da crise, mas para isso acontecer é preciso cortar de raiz os problemas. E a corrupção é vista como a principal fonte da crise que se vive no país, a corrupção constante praticada pelos vários governos ao longo dos anos e por grupos económicos onde imperam os interesses económicos de uma minoria em vez dos interesses do povo, ou seja da maioria, tem causado uma situação difícil no país.

Corrupção

O desemprego é bastante elevado e o salário mínimo ainda não é o suficiente para garantir boas condições de vida a todos. Além disso, muita gente vive em más condições de vida e tem dificuldades em garantir a sua alimentação e até mesmo uma vida em condições dignas de ser humano. Precisa de receber apoios do Estado.

Paulo Morais tem-se centrado mesmo nessa "raiz", a corrupção, que tem sido utilizada pelos políticos para servir os seus interesses e não os nossos interesses que deviam prevalecer numa democracia. Mas as democracias são mesmo assim por natureza, corruptas. O candidato independente, que já esteve na Câmara do Porto numa altura em que Rui Rio era o presidente da Câmara Municipal, tem-se focado maioritariamente na corrupção e no seu combate, denunciando vários esquemas de corrupção protagonizados ao longo dos anos, destacando o enorme peso das parcerias público-privadas no aumento da dívida pública, além do caso do BPN e de muitos outros.


Além da corrupção, Paulo Morais promete fazer cumprir a Constituição e pretende obrigar o actual Governo, caso seja eleito, a garantir livros escolares de graça, através de bancos de levantamento de livros nas escolas, onde os alunos no início do ano vão buscar os livros que precisam e no fim do ano devolvem para os próximos alunos. Além disso, quer fazer discutir no Parlamento o acordo ortográfico de 1990 de forma a tentar desativá-lo, ou então, caso os partidos não cheguem a consenso, levar aos portugueses um referendo para decidir se esse acordo continuará válido ou se deixará de ser válido. Também pretende apoiar as famílias de soldados portugueses mortos no estrangeiro, prometendo devolver-lhes os corpos, para que sejam enterrados em solo português.


À hora deste artigo, Paulo de Morais soma 49.584 "Likes"; segue-se Marcelo Rebelo de Sousa (apoiado pelo PSD e CDS-PP) com 44.927 e a completar o pódio do Facebook está Sampaio da Nóvoa, com 26.247 "Likes";Seguem-se Marisa Matias (apoiada pelo BE) com quase 19,5 mil "Likes", Maria de Belém com mais de 18 mil "Likes", Henrique Neto com mais de 7500, Edgar Silva (apoiado pelo PCP) com menos de 4 mil, Jorge Sequeira com quase 3 mil e nos dois últimos lugares estão Cândido Ferreira e Vitorino Silva (Tino de Rans), que nem aos mil seguidores chegam.


21 comentários:

Thor disse...

não duvido da bondade do Paulo Morais...mas achas que ele consegue mudar alguma coisa sozinho?

o cargo de PR é quase decorativo.

além disso, as eleições são manipuladas...se ele for mesmo assim tão bom, como tu e outros dizem, certamente que não o deixarão ganhar. e um dos indícios disso mesmo, é precisamente esse contraste de que tu falas, entre os facebooks e as "sondagens" encomendadas.

evidentemente que eles não manipulam só sondagens, também manipulam os votos e tudo o mais.

Anónimo disse...

O Marcelo está ligado aos grandes escritórios de advogados.

São este que MANDAM.

São estes que controlam toda a COMUNICAÇÂO SOCIAL.

E é o avental que os controla.

E quem controla o avental? Está fora de Portugal...

Já Fernando Pessoa dizia que desde a vitória dos Liberais sobre os Miguelistas havia um poder obscuro e estrangeiro a governar Portugal...

Esse poder só parou de mandar 40 anos... com Salazar e Marcelo no poder.

Sabem quem é esse poder?

Filipe Bastos disse...

Tem piada ouvir nos media os comentadeiros do costume sobre o Paulo Morais: nenhum gosta dele. Todos o desprezam, e querem vê-lo pelas costas, porque: 1) só fala de corrupção; 2) não prova nada; 3) mete tudo no mesmo saco.

Nem todos eles estarão a soldo; alguns rejeitam o Morais por mera lógica. Como vivem de comentar politiquices, desvalorizar a política é desvalorizar o seu ganha-pão. Falar de corruptos não lhes interessa. Jamais admitirão que a política tuga é um imenso esgoto, pois isso seria admitir que são como moscas: meros parasitas de merda.
O triste é que há público para esta gente, tal como para os comentadeiros de futebol - mas enquanto a bola é assumidamente um tema fútil, falar de política passa por "sério".

Quanto a não provar nada, é o costume: só prova quem apresentar um vídeo do corrupto a meter o dinheiro ao bolso, uma confissão assinada e reconhecida no notário, pelo menos três testemunhas, e uma declaração do corruptor a explicar quanto pagou e porquê. Mesmo assim, nem sempre chega. Até já houve escutas cortadas à tesourada dos processos, por ordem dum juiz...

Quanto a meter todos os pulhíticos no mesmo saco, entende-se o choque. O passatempo favorito da carneirada, sobretudo a do PS/PSD, é comparar os seus corruptos. Passam a vida a discutir: os teus corruptos são mais corruptos que os meus! Colocá-los no mesmo saco é uma ofensa terrível.
E depois temos a carneirada sem partido, mas politicamente correcta: onde já se viu!, pôr em causa o "bom nome" do Sr. Doutor, do Sr. Professor, do Sr. Ministro, do Sr. Presidente...

Enfim, ao contrário do Thor, duvido que os votos sejam (muito) viciados. Com a carneirada que temos, nem deve ser preciso...

Anónimo disse...

Tudo tansos e burros. Burros que até dói.

Não há nada a provar porque muito do que se faz é ilegal.

As leis são feitas para a corrupção ser legal. As PPPs são imorais mas não são ilegais. E o Paulo Morais diz isto. Mais que corrupção, há imoralidade e tráfico de interesses. Ponto.

É isto que os jornaleiros que temos não percebem ou fingem não perceber.

Uma empresa qualquer do PSI 20, os aventais, a Opus, qualquer interesse encomenda uma lei à sua medida a um deputado e o escritório de advogados faz a lei. É isto que o Paulo Morais tem denunciado. É isto que é escondido dos portugueses. É isto que não interessa discutir.

Valem menos que a merda.

Anónimo disse...

*muito do que se faz é legal.

João disse...

Ola Diogo

As minorias não ganham.
Quem ganha as eleições é quem tem dinheiro para comprar votos aos mais necessitados.
Tanto faz ser A como B o presiente é uma figura decorativa.
Um jarrão.
1 abraço

Anónimo disse...

O Miguel Sousa Tavares anda tão aflito que nem fala no nome do Paulo de Morais
Carlos

Diogo disse...

Thor - mesmo que ele não consiga nada sozinho, vai chamando os bois pelos nomes, explicando minuciosamente as falcatruas que existem e de que forma são feitas, os nomes das empresas que as fazem e os nomes dos tipos que as fazem. Por isso tudo, Paulo Morais é valioso. E é por isso que vou votar nele – dar-lhe a maior projecção possível.


Anónimo - 17:47 - esse Poder não deixou de mandar em Portugal. E Salazar foi apenas o capataz desse Poder e das famílias mais ricas de Portugal.


Filipe Bastos - Muito bom comentário. Estou absolutamente de acordo.


João - Mas Paulo Morais é uma voz muito importante. Temos de evitar o blackout que lhe querem fazer.

Anónimo disse...

Oh Diogo, essas famílias tinham empresas saudáveis com capitais próprios. Se havia poucos direitos laborais? havia. Mas foi um mal necessário e transitório. Todos os países que se industrializaram passaram por essa fase de poucos direitos para haver acumulação de capital. Marcelo Caetano começou a esboçar um Estado Social que pudéssemos pagar e era sustentável, seguindo modelos parecidos aos que existem agora em alguns países europeus.

Diogo, o que fez ESTA democracia?

CRIOU RICOS com o nosso dinheiro. Querem exemplos?

- donos de escritórios de advogados

- banqueiros

- construtoras

- políticos, deputados, autarcas

- gestores de empresas protegidas pelo Estado da concorrência

Por que motivo só falas dos ricos do Salazar, que não comiam do dinheiro dos nossos impostos, e não falas destes, nascidos e criados com o NOSSO dinheiro?

Diogo disse...

«Por que motivo só falas dos ricos do Salazar, que não comiam do dinheiro dos nossos impostos, e não falas destes, nascidos e criados com o NOSSO dinheiro?»


Eu não falo só dos "ricos do Salazar". O que eu digo é que os "ricos do Salazar", além do trabalho escravo de que dispunham, além de estarem protegidos de greves e revoltas pela PIDE de Salazar, comiam também o dinheiro dos nossos impostos porque eram eles que ditavam ordens ao Governo e faziam as negociatas que lhes apetecia.

N disse...

"O que eu digo é que os "ricos do Salazar", além do trabalho escravo de que dispunham, além de estarem protegidos de greves e revoltas pela PIDE de Salazar, comiam também o dinheiro dos nossos impostos porque eram eles que ditavam ordens ao Governo e faziam as negociatas que lhes apetecia."


Vamos pôr lá alguma verdade nisto e honestidade intelectual:

Eu não sendo "Salazarista", estou à vontade para ser 100% imparcial.

A carga fiscal no regime de Salazar, era MUITO MAIS baixa do que a de agora.
Hoje o desemprego, é MUITO MAIOR que no tempo de Salazar.
No regime de Salazar, não havia recibos verdes.
No regime de Salazar, o Estado não confiscava rendimento aos nativos para cobrir os prejuízos/fraudes dos bancos.
No regime de Salazar, não havia racismo anti-nativo, onde era confiscado rendimento destes para subsidiar parasitas não-nativos.
No regime de Salazar, o Estado não fazia dos cidadãos escravos dos agiotas internacionais através do endividamento DELIBERADO da Nação.

Tudo isto são factos!

Diogo disse...

«A carga fiscal no regime de Salazar, era MUITO MAIS baixa do que a de agora.»

Quem é que disse isso?


«Hoje o desemprego, é MUITO MAIOR que no tempo de Salazar.»

Naquele tempo havia emigração maciça para a Europa


«No regime de Salazar, não havia recibos verdes.»

Mas havia trabalho escravo.


«No regime de Salazar, o Estado não confiscava rendimento aos nativos para cobrir os prejuízos/fraudes dos bancos.»

Naquele tempo os bancos ainda não tinha prejuízos.


«No regime de Salazar, não havia racismo anti-nativo, onde era confiscado rendimento destes para subsidiar parasitas não-nativos.»

Naquele tempo havia racismo anti-nativo das colónias.


«No regime de Salazar, o Estado não fazia dos cidadãos escravos dos agiotas internacionais através do endividamento DELIBERADO da Nação.»

Não havia endividamento mas aferrolhamento. Salazar tinha os cofres cheios de ouro e não desenvolvia o país nem acudia à população.

N disse...

Diogo, tu usas a mentira como contra-argumento.


"«A carga fiscal no regime de Salazar, era MUITO MAIS baixa do que a de agora.»

Quem é que disse isso?"

Isto está registado.




"«Hoje o desemprego, é MUITO MAIOR que no tempo de Salazar.»

Naquele tempo havia emigração maciça para a Europa"

LOL, então hoje a emigração é maior já(E ainda por cima grande parte dela qualificada).



"«No regime de Salazar, não havia recibos verdes.»

Mas havia trabalho escravo."


E agora ainda há mais. O poder de compra é mais baixo, obrigam-te a trabalhar meio ano só para pagar impostos, és roubado todos todos todos todos os dias pela maçonaria, és endividado a nível individual em mais de 21 mil euros mal acabas de nascer, e como bónus tens escutas e videovigilâncias ilegais nas tuas propriedades privadas.

Isto não é escravatura? O que falta?
http://omsilanoican.blogspot.pt/2015/11/pensamentoimagem-do-dia.html



"«No regime de Salazar, não havia racismo anti-nativo, onde era confiscado rendimento destes para subsidiar parasitas não-nativos.»

Naquele tempo havia racismo anti-nativo das colónias."


Aqui concordo contigo(mas não pelos mesmos motivos). Salazar era a favor da miscigenação entre o Ariano e o Negro, o que se traduz num duplo genocídio racial.
http://omsilanoican.blogspot.pt/2015/04/mensagemimagem-do-dia_7.html

Fora isto, não estou a ver que "racismo" Salazar aplicou. A não ser que aches "racismo" não pegar em gajos sem qualquer formação, civismo, e atrasados civilizacionalmente, e meter os mesmos a chefiar empresas.

Salazar era tão "racista" que fez do Eusébio figura nacional. E convém lembrar principalmente a esquerdálha, que Eusébio foi um "produto" do Portugal Ultramarino.



"Não havia endividamento mas aferrolhamento. Salazar tinha os cofres cheios de ouro e não desenvolvia o país nem acudia à população."

Não desenvolveu o País? Por acaso tens noção do que era Portugal no inicio da 1ªRepública? E convém lembrar que Salazar teve anos e anos só para limpar a merda feita pela escumalha do regime anterior.

http://1.bp.blogspot.com/-Y5-ftGZ8n5U/T-IMUGAetGI/AAAAAAAAAEg/tyZ2PCU089w/s1600/divida+publica.jpeg


Quanto à questão "social", aí concordo em parte. Já que eu sou NS e Salazar era um "nacional-capitalista" de cariz conservador clerical.

Mas ao menos deixou os cofres cheios. Estes de agora roubam o ouro e roubam a população.
http://omsilanoican.blogspot.pt/2013/07/democracia-saque-institucionalizado.html


Resumindo...O Rei vai nu...E há muito tempo já...
http://omsilanoican.blogspot.pt/2015/12/imagem-do-dia_29.html

Pedro Lopes disse...

Diogo,

As tuas respostas á afirmações do N são inacreditavelmente simplórias e desprovidas de qualquer suporte factual. São meras tiradas para o ar. Chavões e mais chavões e expressões de retórica politico-social de facção. Mas o pior é que se trata de falsidades.

Acho que já em outros tópicos se meteram aqui indicadores económico-sociais que provam que o estado novo não era assim tão mau como a escumalha o pinta, e que a maioria dos indicadores é melhor durante do estado novo do que durante o regime Maçónico.

Deixo só uns pequenos gráficos sobre a imigração.

Falta aqui os dados a seguir a 2012, que quando se dá a maior vaga de sempre de emigração.
http://2.bp.blogspot.com/-x_yFd8Vl7eM/U1ESjprM0yI/AAAAAAAAAdY/pfENg9Rd--8/s1600/taxa+de+emigra%C3%A7%C3%A3o.png

E aqui com indicação de uma certa conjuntura nos anos 60. PAra não falar dos que emigravam apenas por terem medo de ir para a Guerra.

http://www.prof2000.pt/users/elisabethm/geo10/index9_ficheiros/evoloep1.jpg

E ainda mais alguns indicadores, é pena que não estejam actualizados e só vão até 2011.

https://campelodemagalhaes.wordpress.com/tag/evolucao-da-emigracao-portuguesa/

Quanto ao racismo nem vale a pena responder.

Thor disse...

"«Hoje o desemprego, é MUITO MAIOR que no tempo de Salazar.»

Naquele tempo havia emigração maciça para a Europa"


e agora não há...HAHAHAHA




"«No regime de Salazar, não havia recibos verdes.»

Mas havia trabalho escravo."


e agora não há...HAHAHAHA


Diogo, és uma comédia! :)

Anónimo disse...

««A carga fiscal no regime de Salazar, era MUITO MAIS baixa do que a de agora.»

Quem é que disse isso?»

Diogo, que comédia.

No Estado Novo o Estado consumia menos de 20% da riqueza.

HOJE CONSOME 50%.

No Estado Novo não havia IVA, IMI, não havia IRC, não havia taxas e taxinhas nas facturas, não havias as taxas municipais que temos...

Não quero ofender mas estás a ser ridículo.

Nós com três frentes de guerra éramos um paraíso fiscal reconhecido lá fora.

ESCRAVATURA? Outra parvoíce. Informa-te lá melhor sobre as reforma sociais do Marcelo Caetano.

E também estou à vontade para falar pois não sou salazarista mas reconheço que em 200 anos foi de longe o melhor regime que houve em Portugal. Os números são números, os factos são factos.

Em 1973 a ONU correu Portugal. Em 1974 saíram os resultados. Estávamos na lista dos 25 países com maior IDH.

Agora estamos a ficar para trás, já nem devemos estar no top 40.

Terceiro país do mundo com mais ouro per capita.

Crescimento média acima de 5% ao ano com três frentes de guerra.

Um dos endividamentos externos mais baixos do mundo.

A emigração em anos recentes já supera a emigração nos tempos do Salazar e agora é mais perversa pois saem em massa os mais inteligentes, os que têm mais formação técnica, e antes esses ficavam no país.

Não sou Salazarista porque sou em primeiro lugar português, em segundo europeu, e não acredito no Portugal católico luso-tropical do Minho a Timor, mas reconheço uma coisa: o melhor modelo económico e social que houve por cá foi o do final do salazarismo e o de Marcelo Caetano, e os comunistas do PCP e o PS a mando de interesses externos destruíram o país e a economia, roubaram o capital e 40 anos depois ainda não recuperámos.

Anónimo disse...

Que comédia...

Um dia, já não me lembro quem foi, disseram ao Salazar para mandar embora os ciganos, e o Salazar disse que não havia cá ciganos, havia portugueses.

Mandámos um preto representar Portugal na Eurovisão no final dos anos 60.

Enchemos os quadros da função pública com pretos nos anos 50, por opção política.

Os inteligentes defendiam que os homens do povo casassem com pretas, era o luso-tropicalismo.

Nunca houve apartheid.

Os ingleses censuravam quem se misturasse com africanos e pior ainda quem tivesse filhos de negras.

Essa do racismo é outra mentira enfim...

Há aqui quem saiba a ponta do corno da História do país. Compreendo, a propaganda comunista é do mais eficiente que há.

Anónimo disse...

«Não desenvolveu o País? Por acaso tens noção do que era Portugal no inicio da 1ªRepública? E convém lembrar que Salazar teve anos e anos só para limpar a merda feita pela escumalha do regime anterior.

http://1.bp.blogspot.com/-Y5-ftGZ8n5U/T-IMUGAetGI/AAAAAAAAAEg/tyZ2PCU089w/s1600/divida+publica.jpeg»

Desde que houve as invasões francesas nunca mais recuperámos, quando Salazar chegam eram 150 anos de atraso... e isso não se recupera de um dia para o outro.

Anónimo disse...

«Não havia endividamento mas aferrolhamento. Salazar tinha os cofres cheios de ouro e não desenvolvia o país nem acudia à população.»

O que entendes por acudir? Dar subsídios para não trabalharem?

Não desenvolvia? Mas tens noção das asneiras que dizes?

Centenas de escolas pela província, em aldeias quase sem habitantes. Dezenas de liceus. Os maiores e mais importantes hospitais do país. Sanatórios. Dezenas de palácios da Justiça. Centenas de quartéis militares e de edifícios para a polícia e para os bombeiros. Dezenas de postos de controlo das fronteiras e das florestas. Dezenas ou mesmo centenas de edifícios para apoio aos cantoneiros. Ponte Salazar, mais tarde chamada de 25 de Abril. Dezenas de pequenas e grandes barragens. Edifícios universitários às dezenas e do melhor que havia na Europa naquela época em Lisboa, Coimbra ou Porto. Recuperação de dezenas de monumentos em ruínas. Milhares de quilómetros de estradas nacionais. Início da construção da auto-estrada para o Porto. Ponte da Arrábida, grande obra de engenharia. Novos edifícios para algumas autarquias. Aeroportos. Porto de Sines. Etc, etc, etc.

Nunca em 200 anos se fez tanta obra pública sem qualquer endividamento externo como no Estado Novo.

Ainda dizem que o homem não desenvolvia o país?

ISTO SÃO FACTOS.

Mais uma vez repito. Não sou salazarista mas também não me atirem areia para os olhos com MENTIRAS.

N disse...

"A emigração em anos recentes já supera a emigração nos tempos do Salazar e agora é mais perversa pois saem em massa os mais inteligentes, os que têm mais formação técnica, e antes esses ficavam no país."

Ora bem...E acrescentar ainda a problemática da natalidade. É que dantes quando saíam Portugueses, as mães Portuguesas tinham uma média mais coisa menos coisa de 3 filhos por casal. Actualmente a média varia entre 0,9 e 1,1 filhos por casal; e nesta média estão incluídos já os não-nativos, que hoje são muitos mais que no anterior regime no Portugal continental.

Ou seja, sai a nata entra a merda. É esta a dinâmica democrática cada vez que emigram os nossos cidadãos nativos.
http://omsilanoican.blogspot.pt/2015/09/portugal-democraticoportugal-otario.html


"Nesses migrantes está a solução para o problema do envelhecimento da população europeia".-Argumento dos democratas

Realidade:

Esses imigrantes representam uma substituição populacional, inclusive dos futuros idosos Europeus nativos.
Esses imigrantes também não poderão nunca contribuir para uma economia próspera, pois o saldo é negativo, ou seja, eles chupam mais recursos do que aquilo que produzem.

Depois ter em conta que quantos mais entrarem, mais o valor das propriedades privadas dos nativos desce, devido ao ambiente de merda.
Turismo terá também duplos prejuízos, não só devido ao aumento da insegurança, como da sujeira e imundice nas ruas, como também devido à quebra no que diz respeito ao comercio tradicional e restauração tradicional, visto que os nativos neste ramo cada vez mais emigram para fora da Nação e/ou enceram portas devido à carga fiscal pornográfica.


Depois ter em conta o aumento do tráfico de drogas pesadas, prostituição, roubos de esticão, subsídiodepêndencia, etc,etc..
Tudo isto acarreta custos vários em diversos serviços de segurança, saúde, limpeza , etc...


Depois ter em conta que o esgoto do terceiro-mundo não tem qualificações de maior-valia, ao contrário de grande parte da maior emigração jovem nativa de sempre que está a decorrer presentemente.
Ou seja, o estado(contribuintes) esteve(e ainda está) a investir na educação de centenas de milhares de jovens, para depois quando o "fruto" está pronto para colher, ele vai para outros países e nações que o aproveitam.

Nós preparamos o terreno, semeamos, regamos, cuidamos, podamos, etc...
Depois quando o fruto está pronto para colher, os de fora é que aproveitam.
Total prejuízo portanto!
Se isto não é fazer de otário, não sei o que será.
Portugal democrático=Portugal otário.

N disse...

Obviamente Portugal está a perder conhecimento, empreendedorismo, inovação e criatividade, cuja juventude nativa se previa aplicar na Nação de forma a contribuir para a evolução da mesma.

Ora voltando mais atrás, porque isto está tudo interligado:

Menor capacidade de criar riqueza+Menor receita fiscal+Prejuízos vários e subsídiodepêndencias devido à vinda do esgoto do terceiro-mundo = CORTE NAS REFORMAS.

A vinda dos imigrantes terceiro-mundistas não irá resolver coisa nenhuma a sustentabilidade das reformas dos futuros idosos nativos.
E mesmo que resolvesse(mas não resolve), uma Nação não pode ser gerida e desenvolvida numa perspectiva unicamente comercial.
Os superiores interesses da Etnia estão acima dos interesses económico-financeiros, e como tal, a identidade nacional NUNCA se pode vender.

Exemplo:
Eu se tiver um filho, e o "alugar" para se prostituir, certamente arrecadarei mais receitas para o lar.
Mas tal decisão, obviamente é TOTALMENTE INACEITÁVEL do ponto de vista moral.


Ora a Nação que é um conjunto de milhares de filhos, obviamente não pode vender e/ou alugar os seus próprios filhos, nem os prostituir, nem os mandar embora forçados, e nem os substituir por bastardos desenraizados.



De resto, concordo com a maior parte do que escreveu o último anónimo.
Faz falta honestidade intelectual deste tipo.
Parabéns pelos comentários.