quinta-feira, setembro 01, 2005

Bush Não Sabe Nadar, Yó!

Hugo Chavez, o Presidente da Venezuela, que já teve de enfrentar várias tentativas de golpe de estado inspiradas pela CIA, acaba de humilhar o arqui-inimigo George Bush.

A propósito do desastre que se abateu sobre New Orleans e todo o Sul dos EUA, Chavez chamou Bush de “cowboy” e “incompetente” e outros mimos ainda mais saborosos, ao constatar a impreparação da superpotência mundial para evacuar a população de uma cidade em situação de crise meteorológica. Chavez disse que o problema de Bush deve ter sido o facto de só pensar no Iraque, de tal modo que até se esquece dos problemas do seu próprio povo.
Para aumentar a humilhação, Chavez ofereceu a ajuda da Venezuela para minorar os problemas da população atingida pelo Katrina… ofereceu 1 milhão de dólares, através da empresa estatal de petróleos, e colocou à disposição das autoridades norte-americanas um bom número de bombeiros, pessoal e equipamento de enfermagem.
Não se sabe se Bush vai aceitar tão generosa oferta… mas duvido que “Mr.Danger” (uma das alcunhas que Chavez colocou em Bush) se submeta a tamanha irreverência…

18 comentários:

racosta disse...

Quando eu penso que já é difícil ficar indignado com alguns post's em sites de esquerda da moda – aqueles tipo bloco – eis que surge outro!
Então fazes um post a "louvar" a tirada de Hugo Chaves e esqueces-te que em New Orleans e todo o Sul dos EUA morreram pessoas, outras tudo perderam e, no entanto, tu aproveitas para lembrar a "humilhação" de Bush!
Aquando do tsunami na Ásia a esquerda ficou dona e senhora das palavras catástrofe, ajuda, solidariedade e afins. Agora que as palavras se aplicam aos habitantes EUA, surge o antiamericanismo caduco a cegar a vossa mente.
É pena não é!?

Biranta disse...

Oh racosta!
Quando as pessoas têm opiniões tão mesquinhas, vis, tendenciosas, cretinas e perversas, deviam ficar caladas, ao menos para não fazerem má figura. Mas, pelos vistos, para além de imbecil e tacanho(a), ainda és masoquista!
Pensarás que és o dono do mundo e da liberdade de pensamento e da credibilidade dos conceitos, para vires para aqui dizer enormidades absurdas? Vai ladrar com o facínora, o nazi, do Bush para outro lado. Acho até que não leste bem as opiniões acerca do tsunami, na Ásia, porque se os governos devem servir para alguma coisa é para socorrerem, adequadamente, as suas populações em situação de tragédia, coisa que não foi feita. Mas estamos a falar da América, onde a abundãncia de recursos é cimpletamente diferente... Bush é a cambada de criminosos, facínoras, mafiosos, que o rodeiam, deve sim preocupar-se com os problemas do seu próprio país, em vez de usarem os recursos de que dispõem para agravar os problemas da sua população e massacrarem as populações doutros países, com guerras infames e criminosas.
Mas é sempre assim! Chega uma altura em que o acumular de patifarias faz com que até a própria natureza se revolte e contribua para cavar a sepultura dos patifes. Mesmo relutante em acreditar, propriamente, num Deus, não tenho dúvidas em afirmar que há um equilíbrio, de dignidade colectiva que se impõe, sempre, às vezes de forma como que espontânea.
Cuidado! Porque a desforra da natureza revoltada, quando começa atinge todos os responsáveis, independentemente do seu grau de culpa; incluindo os rafeiros, mesmo aqueles que se limitam a "ladrar à voz do dono", como é o teu caso. O tempo dos patifes é sempre limitado e, neste caso, espero e acredito (e rezo para) que esteja a chegar ao fim...
Como a oração, colectiva, dos ultrajados é poderosa...

racosta disse...

A tua resposta dá toda a razão à minha crítica:

1º Não sou dono nem da verdade nem da liberdade mas, mesmo assim, tenho o direito de exprimir a minha opinião, ao contrário do que tu defendes ("...deviam ficar caladas...").

2º Critiquei e critico o aproveitamento que fazes de uma catástrofe, para te unires na vanglória de Chavez e atacares um presidente em vez de defenderes o seu povo.

3º Caso não tenhas lido bem não bati palmas a Bush de forma nenhuma. Apenas não estou cego pelo antiamericanismo! Não distingo humanos Americanos ou Asiáticos.

4º Quanto aos teus dotes caninos, não comento pois demonstram o nível da tua formação.

marujo disse...

calma, meus senhores. não se empolguem demasiado. é claro que lamento o sacrifício da população de New Orleans. Isso nem devia ser tema de qualquer discussão. agora, critico e criticarei sempre, até que me doam os dedos de tanto teclar no computaor, os bandalhos Bush&Cia. Aí, santa paciência!, nada me calará. E, deixem-me dizer, o Chavez tem razão. O Katrina revelou a incompetência do governo de Bush. E talvez ajude os americanos a perceberem em quem votaram... embora, isso seja mais difícil...

xipsocial disse...

Racosta, tens toda a razão relativamente ao lamentar das perdas humanas. Não é contudo fundamentada a tua acusação ao autor do post que apenas aponta esta tragédia natural como um sinal do resultado de um péssimo, talvez o pior desde Hitler, líder mundial. Bush assume mais uma vez o papel de campónio ignóbil, (não de um campónio vulgar, porque esses são normalmente pessoas de bastante valor) não qualificado para conduzir o futuro de qualquer povo, muito menos do mundo como ele pretende. Se o pós-tragédia está a ser desastroso no que toca à ajuda às vítimas, isso deve-se só ao povo americano que reelegeu o 'perigoso'.
Não vale a pena apontares com tanta persistência o anti-americanismo e muito menos qualificá-lo de caduco, é que esse é um conceito que está cada vez mais presente na consciência global e não consiste de modo algum num conceito malicioso, a não ser para totalitaristas liberais, esses sim, cada vez mais desprezados e condenados pela corrente global do anti-capitalismo.
Portanto se te orgulhas de condenar o anti-americanismo, podes chamar-me o que quiseres porque sou anti-americanismo, anti-capitalista, anti-faxista, anti-globalização liberal.
A tragédia é consequência de maus tratos praticados em relação ao planeta e ao ecossistema pelo líder que as vítimas reelegeram, o pós-tragédia é a imagem da incompetência daquele que quer dominar o mundo sem sequer ter capacidades intelectuais e éticas para cuidar do seu próprio povo.

pedroromano disse...

Houve pessoas que, apesar de terem sido atempadamente avisadas do Katrina, decidiram ficar em casa e arriscar a sua sorte; critique-se Bush por mil e uma razões - mas pegar neste caso em concreto só revela falta de bom senso.

P.S.-Estes fenómenos meteorológicos não são, de forma alguma, consequência de políticas ambientais. Sempre existiram e sempre existirão, e as suas causas são bem mais "naturais" do que aqui se escreveu.

RiverBengo disse...

Estes fenómenos meteorolgicos são previsíveis, mas Bush desviou o orçamento previsto para a melhoria da defesa de new orleans para a guerrra no Iraque.

Link e extracto:
http://www.counterpunch.org/roberts09012005.html
"Walter Maestri, emergency management chief for Jefferson Parish, told the New Orleans Times-Picayune (June 8, 2004): "It appears that the money has been moved in the president's budget to handle homeland security and the war in Iraq, and I suppose that's the price we pay. Nobody locally is happy that the levees can't be finished, and we are doing everything we can to make the case that this is a security issue for us."

Mais dois artigos que evidenciam neglig~encia da administração em relação a New orleans:

http://www.findarticles.com/p/ar...07/ ai_n10176537

http://www.colorado.edu/hazards/o/nov04/nov04c.html

Tudo via caixa de comentários de "Raed in the Midlle",(http://raedinthemiddle.blogspot.com) um blog irakiano que vale a pena acompanhar.

pedroromano disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
pedroromano disse...

Estes fenómenos meteorológicos não são previsíveis com antecedência suficiente; há um ramo da matemática que explica o porquê: teoria do caos - a impossibilidade teórica de conhecer o desenvolvimento completo e perfeito de um sistema determinista quando as condições iniciais do mesmo não são completamente conhecidas (bang! lá se vai o "relógio" do sr newton)

Blog... iraquiano? cof cof

augustoM disse...

O problema não está na irreverência de Chaves, mas no colapso da imagem dos EU, que vai ter futuras repercussões.
Quem gosta do inimigo ou é cego ou masoquista. Meter a esquerda pelo meio não me parece uma coisa acertada, muito pelo contrário, uma autêntica estultícia.
Não devemos esquecer as pessoas que morreram, mas devemos lembrar mais as cinco crianças que morrem em África por minuto com fome, e destas ninguém fala.

Cris disse...

Sinto profundamente e compreendo muito bem o sofrimento da população de New Orleans. Sei o que é evacuar dois milhões de pessoas em dois dias e o desespero de ao voltar não restar nada ou ver mortos os que quiseram permanecer. Mas estas situações são previsíveis, sim. Há um Instituto em Cuba que está alerta 24 horas por dia, 365 dias por ano porque assim se justifica. As outras Ilhas do Caribe e os E.U.A têm Institutos análogos e os países que não os têm estão em contacto permanente com os outros. Acresce que a tendência é para piorar com o aquecimento do planeta que funciona como um rastilho para os furacões. Todos aqueles países sabem disto, porém foi o Sr. Bush quem não quiz assinar o Protocolo de Kyoto. Pode ser que agora vá pensar no assunto, pois creio que foi de férias. Quanto à questão de esquerda ou direita gostaria de esclarecer que a mesma não se coloca entre os povos quando se trata deste tipo de tragédia que é comum aos mesmos. Após a recente passagem do Dennis chegou à Ilha ajuda humanitária provinda do povo dos EUA. E nem o facto de parte dessa ajuda ter sido retida na fronteira norteamericana pelo Departamento do Tesouro dos EUA faz com que as populações se tornassem mais ou menos antiamericanas. Porque a dor e o sofrimento causado por um inimigo que provém da Natureza é sobejamente conhecido de todos. Espero que o Bush pense no seu povo e aceite a ajuda de Chavez que tem-se mostrado de grande utilidade em outras Ilhas do Caribe mercê da competência e profissionalismo da sua Unidad de la Tarea Humanitaria.
Perdoe-me a extensão do comentário mas creio que o mesmo poderá ter alguma utilidade. Saludos!

marujo disse...

O próprio Bush já reconheceu que os EUA estão a fazer má figura, no que respeita ao socorro devido às vitimas do Katrina... mas, claro, não aceita que a culpa seja sua.
Não há uma única reportagem que não aponte críticas severas ao modo como as coisas estão a ser feitas. E não me venham dizer que os jornalistas que hoje estão na RTP, na SIC e na TVI são todos de esquerda... isto para não falar das reportagens dos próprios americanos. Todos eles extremamente críticos em relação ao papel do governo federal e do governo estadual.
É claro que os Bush lovers estão a ficar histéricos...

marujo disse...

mais uma achega para a conversa, que está a ficar muito interessante:
http://batalhanaval.blogspot.com/2005/09/anti-americanismo.html

Biranta disse...

Oh Cris!
Pode ser que Bush vá repensar a sua posição relativamente ao protocolo de Kyoto?
Quanta ingenuidade! Bush? Repensar? Não liga...
Pode ser que Bush venha a ser obrigado a repensar (ou seja corrido), por causa das patifaris que faz...
Quanto ao tom geral da discussão:
(1) quer na América quer no sudeste asiático as populações não obtiveram, dos seus governos, o auxílio a que têm direito. Em todo o caso, é o sofrimento (algum evitável e socorrível) da população que me preocupa em primeiro lugar. Mas esse tipo de sofrimentro não poderá ser minorado, no futuro, se não se identificarem, claramente, as pessoas e procedimentos que são culpados. Bush é culpado sim e a situação é tão grave decido às suas prioridades estarem invertidas e concentradas para a chacina no Iraque. O povo americano não pode perdoar e o mundo civilizado também não.
Notem que a governadora pediu helicópteros para reforçar os diques com sacos de areia, para que não cedessem e... não havia helicópteros... Só há helicópteros para a chacina. Por isso eu digo que é a própria natureza que acaba por trazer a vingança aos ultrajados... Mas a vinança constroem-na eles mesmos. Sempre assim foi e cada vez será pior.
Toda a desgraça que ocorre, agora, em Nova Orleães é criem de Bush a somar a todos os outros, quer se goste de ouvir isto quer não. Não se admite que uma nação tenha recursos para chacinar outros povos e não os tenha para socorrer o seu próprio povo.

MF disse...

Mas discutir seja o que for com o Racosta tem duas dificuldades: a primeira é que a criatura é duma ignorância absolutamente confrangedora e a ortografia consegue ainda ser pior!
A segunda, é que é mais reaccionário que o próprio Bush mas finge ser um liberal, contra os oprimidos, contra os prisioneiros torturados, contra todos os fraco e a favor de todos os opressores, sionistas, americanos e colonialistas. Até é contra as mulheres! Basta lê-lo. Eu sei que é difícil. Mas façam o sacrifício e percorram aquelas pérolas de imbecilidade agora diplomada. Vejam como em
http://homem-ao-mar.blogspot.com

aquela criatura até apaga os comentários que lá deixamos e nem é homem para apresentar um argumento válido: é um fascista disfarçado de liberal crítico de todos os que tentarem libertar-se do grande satan!

racosta disse...

Manuel Ferrer!

Estou em lágrimas de tanto rir.

A pedir ajuda para a sua argumentação comigo? Não é capaz de defender as suas ideias sózinho? O seu blogue não chega?
Seja homem e discuta os assuntos, não um canalha que apenas parte para o insulto!
Já lhe disse que, quando discutir as ideias com educação poderá comentar o meu blogue, até lá não. Fique pelo seu blogue recheado de lodo.

Obrigado pela barrigada de riso, a sua queda no ridículo encheu-me as medidas.

Anónimo disse...

That's a great story. Waiting for more. Cash advance chicago cash advance north dakota c flash card Home mortgage refinancing broadview heights64 Line order viagra insurance and reinsurance review 10025 free credit report Samples protonix Germany. gay berlin how to build a driveway instructions Jewelry vanna white sold on hsn

Anónimo disse...

Excellent, love it! »