quarta-feira, setembro 21, 2005

O Katrina, o Fema, o Superdome e os Afro-Americanos



E, finalmente, quando decidiram tirar as pessoas, já moribundas, do Superdome, o FEMA (Agência Federal para o Tratamento de Emergências) esteve, como habitualmente, à altura da situação:

Quando a burocracia do FEMA travou a evacuação de doentes do aeroporto, médicos frustrados da Acadian (empresa de cuidados médicos) esperavam com helicópteros vazios.

A empresa enviou médicos e enfermeiras para o aeroporto, enquanto doentes estavam a morrer e tratamentos médicos eram desesperadamente necessários. O FEMA rejeitou a ajuda porque os médicos e os enfermeiras não eram membros certificados do «National Disaster Medical Team».

Quando tentaram apressar a evacuação de centenas de doentes no aeroporto de Nova Orleães, os médicos não eram aprovados pelo FEMA enquanto não obtivessem a aprovação dos seus supervisores em Baton Rouge.

“A certa altura eu tinha dez helicópteros no solo prontos para partir,” disse Marc Creswell, um médico da Acadian, “mas o FEMA continuou a travar-nos com papelada. Entretanto, a cada 30 ou 40 minutos uma pessoa morria.”

Creswell afirmou ter levado mais de uma dúzia de médicos e enfermeiras para ajudar no aeroporto. “Quando os médicos perguntaram porque é que não podiam ajudar aquelas pessoas em estado tão crítico, ali estendidos, sem assistência,“ Creswell lembrou, “o pessoal do FEMA continuava a dizer, você não está federado”.


Comentário:

A nossa administração pública faz-me lembrar o FEMA. Apenas, menos eficaz, menos enérgica, menos profícua e igualmente mortífera.

Em compensação os nossos médicos estão, quase todos, federados. Benza-os Deus.

6 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
JorgeST disse...

Se o FEMA tratasse dos incêndios cá em Portugal teríamos menos área ardida. E mais vítimas.

QSaraiva disse...

Vêm aí mais furacões. Veremos se o FEMA aprendeu alguma coisa.

augustoM disse...

Não sei se conhece a história do cruzador americano Meine, que serviu de motivo para a guerra hispano/americana? Deles é de esperar tudo.
Um abraço. Augusto

Sofocleto disse...

o Maine foi ao fundo fruto de uma explosão provocada internamente. Foi esse o motivo da guerra hipano-americana. Depois disso houve muitas outas. O 11 de Setembro é, talvez, a mais recente. A história repete-se.

Anónimo disse...

lourdes muñoz santamaria (katrina); nicolas delgado (virginia teach)