quinta-feira, outubro 13, 2005

Al Qaeda procura especialistas em multimédia

Diário Digital - 08-10-2005

Al Qaeda procura especialistas em multimédia

A Al Qaeda pôs anúncios de emprego na Internet pedindo informáticos para as suas montagens de vídeo e para os seus comunicados web, informa um jornal árabe.

O Asharq al Awsat, com sede em Londres, disse esta semana na sua página da Internet que a Al Qaeda tem vagas para a produção de vídeos e para a edição de comunicados para a cobertura de extremistas no Iraque, nos territórios palestinianos, na Chechénia e noutras zonas de conflito onde os combatentes estão activos.

O jornal disse que a Global Islamic Media Front, uma organização radicada na web e unida à Al Qaeda, pede que os interessados contactem por correio electrónico.

O jornal não diz como os candidatos devem contactar com a Global Islamic Media Front.



Comentário:

Mais uma prova, se tal fosse necessário, de que a grande maioria dos cursos superiores, que são hoje ministrados nas nossas faculdades, não correspondem às exigências de um mercado cada vez mais competitivo.

Por outro lado, esta notícia vem justificar as pretensões americanas de um controlo muito mais apertado de todo o tráfego que circula na Internet. A censura na Internet é um passo decisivo na luta contra o terrorismo. Estou certo que o nosso Vitorino concordará comigo.



António Vitorino, que ocupou o cargo de comissário da Justiça e Assuntos Internos, referiu que a opção de melhorar as bases de dados é uma «garantia do Estado de Direito democrático de não estar desarmado perante a ameaça global». E há uns anos atrás:

A proposta da Comissão Europeia, apresentada por António Vitorino, comissário europeu da Justiça e Assuntos Internos, prevê que a "interferência com um sistema de informação" no que se entende como "computadores e redes electrónicas de comunicação" por um indivíduo (ou grupo, se tiver mais de dois elementos) deverá ter uma pena superior a cinco anos de prisão.

A organização Statewatch apontou diversas falhas na proposta nomeadamente, a sua vasta abrangência política, económica e social, cobrir "situações de ordem pública" como manifestações e também a inclusão de multas nas penalizações, que pode indiciar "um objectivo mais amplo do que lidar com o terrorismo".

4 comentários:

Carlitos disse...

Um objectivo mais amplo do que lidar com o terrorismo? Haverá por acaso objectivos mais abrangentes do que esse?

Joana disse...

Não tenho hipótese de arranjar emprego. Sou da área de letras.

carlitos disse...

Enquanto a maior parte das empresas despede, a Al-qaeda contrata. Os "empresários" nacionais deviam pôr aqui os olhos.

Ricardo disse...

É verdade, li hoje a notícia no "Público". A Al-Qaeda procura especialistas em Informática. Mas, de acordo com o mesmo "Público", a dita organização exige a todos os candidatos uma condição preferencial: vasta experiência anterior em atentados suicidas.

Apenas para que conste e para completar a tua informação.

Um abraço