segunda-feira, abril 14, 2008

A catástrofe financeira vista por Bush

Jon Stewart, do Daily Show, aborda com extraordinário sentido de humor a catástrofe financeira que se abateu nos Estados Unidos e as explicações dadas por Bush em Wall Street:

Bush: Venho aqui como um camarada optimista. Quero lembrar-vos que não é a primeira vez desde que sou Presidente que enfrentamos desafios económicos.

Bush: Herdámos recessão...

Bush: E houve os ataques de 11 de Setembro de 2001...

Bush: E depois tivemos escândalos empresariais...

Bush: E tomei as difíceis decisões de enfrentar os terroristas e os extremistas em duas frentes: Afeganistão e Iraque.

Bush: E depois tivemos... desastres naturais devastadores...


Jon Stewart: Eis a maior loucura disto tudo: a sua Presidência é ainda pior do que eu me lembrava! E eu tenho prestado muita atenção! Mas quando ouvimos isso tudo junto... you sucks!


Vídeo legendado em português:

5 comentários:

contradicoes disse...

As provas são uma evidência de que a administração Bush significa a ruína dos EUA, cujos escombros Barak Obama
vai ter uma enorme dificuldade em remover. Mas os americanos face ao primeiro erro na escolha de Bush voltaram e repeti-lo pelo que têm a sorte que merecem.

PintoRibeiro disse...

O Obama?...nenhum deles, acho.
Boa semana e um abraço.

xatoo disse...

a crise financeira dos EUA não é apenas só deles; e é preciso não esquecer que nós, o resto do mundo, é que andamos a pagá-la. Há custa de muita fome generalizada que já se vai fazendo sentir por aí, pelos elos mais fracos do capitalismo. Não tem solução. Se houver força, é preciso ajudar a demolir o que falta, para que se possa começar de novo a construir sobre os escombros. Destruir para Construir. Foi sempre assim.

Diogo disse...

A crise financeira internacional é forjada pela banca (comercial e central) tal como aconteceu com o crash de 1929 nos EUA. Mas não existe nenhuma destruição de riqueza. Esta limita-se a mudar de mãos: dos desgraçados da América, da Europa e do resto do mundo para os bolsos de uns quantos bilioplutocratas. Tal como em 1929.

Zorze disse...

Os bancos ainda não não disseram toda a verdade.
No nosso cantinho só a CGD admitiu a perda de 90 milhões de Euros. Os outros estão caladinhos que nem um rato.
É ver agora anúncios de depósitos a 8 e 10%. Estão aflitos. Precisam de dinheiro fresco. E os papalvos vão na onda.
A questão do sub-prime ainda vai dar muito a falar ou a perder...

Abraço,
Zorze