quarta-feira, janeiro 21, 2009

Simon Wiesenthal – o caçador de nazis – nega as conclusões dos Julgamentos de Nuremberga


Carta de Simon Wiesenthal ao Jornal militar norte-americano "The Stars and Stripes", edição europeia, Domingo, 24 de Janeiro de 1993 (pág. 14).



Gaseamentos na Alemanha

"Surgiu uma carta neste jornal intitulada "Erro nas Câmaras de Gás" (5 de Janeiro de 1993). Já que sou citado nesta carta, acho necessário declarar o seguinte:

É verdade que não existiam campos de extermínio em solo alemão e portanto não existiram gaseamentos em massa tal como os que aconteceram em Auschwitz, Treblinka e noutros campos. Uma câmara de gás estava a ser construída em Dachau, mas nunca chegou a ser terminada.


Gaseamentos, contudo, aconteceram em Mauthausen, que na altura pertencia à Alemanha.

O programa de eutanásia nazi incluía quatro instituições (Hartheim próximo de Linz, Hadamar, Sonnestein próximo de Pirna, e Grafenegg), nas quais pessoas, física e mentalmente deficientes, foram mortas – muitas vezes com a ajuda de gás. Todas estas quatro instituições estavam localizadas em solo alemão.

Foram encerradas na sequência de protestos mas antes serviram como uma espécie de escola para assassínios em massa: a partir de 1942 os membros das SS que lá prestaram serviço foram transferidos para os grandes campos de concentração, tais como Treblinka, Sobibor e Belzec na Polónia."

Simon Wiesenthal

Viena, Áustria

(Clicar na imagem para aumentar)

6 comentários:

Johnny Drake disse...

Lá anda esta gente a "reescrever" a História... ;)

Ana Camarra disse...

Diogo

Espero que esta ausência não tenha sido por doença ou por estares farto de nós.
De qualquer das formas, mais que nunca este post é pertinente.

beijos

rnpd disse...

Não estou a perceber a pertinência dessa declaração. Ele não está a dizer que não existiram gazeamentos, mas antes que eles não ocorreram em solo alemão. Ou seja, terão ocorrido nas terras ocupadas...

Rodrigo Penedo

rnpd disse...

Esqueça, o problema é que em Nuremberga havia sido afirmada a existência das ditas em solo alemão. Ok, percebido.

Rodrigo

Diogo disse...

Drake – São os próprios redactores da «história» que estão constantemente a reescrevê-la. Abraço.


Ana – A culpa da ausência foi a gripe. A febre não traz inspiração. Beijo.


Rodrigo Penedo: « o problema é que em Nuremberga havia sido afirmada a existência das ditas em solo alemão»

Exacto. O que nos leva a questionar a seriedade do maior julgamento da história. Abraço.

Ana Camarra disse...

Diogo

As melhoras!

Beijos (assim não se pega!)