segunda-feira, março 27, 2006

O segundo 11 de Setembro: o "Plano de Contingência" de Cheney







Texto de Michel Chossudovsky

Enquanto a "ameaça" das alegadas ADM do Irão é inscrita para debate no Conselho Segurança da ONU, informa-se que o vice-presidente Dick Cheney deu instruções ao USSTRATCOM para preparar um plano de contingência a ser utilizado no caso de se verificar novo ataque terrorista do tipo 11/Setembro nos Estados Unidos". Este "plano de contingência" para atacar o Irão utiliza o pretexto de um "segundo 11/Setembro", que contudo ainda não aconteceu, para preparar uma importante operação militar contra o aquele país.

O "plano de contingência", que se caracteriza como um fortalecimento militar na antecipação de possíveis ataques aéreos contra o Irão, está em "estado de prontidão".

O que é diabólico é que a justificação para travar uma guerra contra o Irão assenta no envolvimento daquele país num ataque terrorista à América, o qual ainda não aconteceu:

O plano inclui um ataque aéreo de grandes proporções contra o Irão, empregando armas nucleares tácticas e convencionais. Existem mais de 450 objectivos estratégicos principais no Irão, incluindo numerosos locais suspeitos de desenvolvimento de programas de armas nucleares. Muitos dos objectivos estão fortemente protegidos ou estão localizados em instalações subterrâneas e não podem ser atingidas por armas convencionais, daí a opção nuclear. Tal como no caso de Iraque, a resposta não está condicionada ao facto de o Irão estar envolvido directamente em actos de terrorismo dirigidos contra os Estados Unidos. De acordo com informações, vários oficiais de alta patente da Força Aérea, envolvidos no planeamento, estão horrorizados com as implicações daquilo que estão a fazer – que o Irão tem vindo a ser definido para um ataque nuclear não provocado – mas nenhum deles está preparado para prejudicar a sua carreira colocando objecções. (Philip Giraldi, Attack on Iran: Pre-emptive Nuclear War, The American Conservative , 02/Agosto/2005)

Será legitimo entender que os planeadores militares dos EUA estão no limbo à espera de um segundo 11/Setembro a fim de lançar uma operação militar dirigida contra o Irão, o qual está actualmente num "estado de prontidão"?

O proposto "plano de contingência" de Cheney não se concentra na prevenção de um segundo 11/Setembro. O plano Cheney baseia-se na presunção de que o Irão estaria por trás de um segundo 11/Setembro e de que bombardeamentos punitivos seriam imediatamente activados, antes mesmo de se iniciar uma investigação, muito na linha do aconteceu com os ataques contra o Afeganistão em Outubro de 2001, alegadamente em represália pelo papel do governo Taliban no apoio aos terroristas do 11/Setembro. Vale a pena notar que o bombardeamento e a invasão do Afeganistão haviam sido planeados bem antes do 11/Setembro. Tal como Michael Keefer destaca num incisivo artigo de revista:

Num nível mais profundo, isto implica que 'ataques terroristas tipo 11/Setembro' são reconhecidos pelo gabinete de Cheney e pelo Pentágono como meios apropriados para legitimar guerras de agressão contra qualquer país seleccionado para esse tratamento pelo regime e pelo seu sistema corporativo de propaganda-amplificação.... (Keefer, Fevereiro/2006)

Keefer conclui que "um ataque ao Irão, o qual presumivelmente envolveria o uso de um número significativo de bombas nucleares penetrantes extremamente "sujas", poderia muito bem ser fabricado para se seguir a um ataque com bombas sujas nos Estados Unidos, o qual seria descrito nos media como tendo sido executado por agentes iranianos" (Keefer, Fevereiro/2006)

10 comentários:

USA-OK disse...

O Chossudovsky não ficou muito bem na fotografia. Parece o Al Gore.

stavro blofeld disse...

Eres tan anti- americano como Ernesto Ekaizer y Walter Oppenheimer Salinas....

xatoo disse...

Isto está ficar bom pq já começamos a ser muitos a saber e a entender muita coisa - com o Cavaco e a deriva prà direita - pode ser que se lhes arranje uma surpresa, uma radicalização à esquerda. Já merecem,,,

augustoM disse...

Os americanos têm sempre um "plano de contingência" contra tudo e contra todos.
Um abraço. Augusto

H. Sousa disse...

A "coboiada" não há meio de acabar.

contradicoes disse...

Caro amigo, vim dar-lhe a resposta ao seu cepticismo. Terá através da leitura do blog da iraquiana eventualmente constatado que se trata duma sunita muito provávelmente pró-Saddam. Daí não me parecer nada suspeito o facto de ter sido seleccionada pela BBC para concorrer ao prémio e muito menos me admirava que o ganhasse, face à coragem em denunciar as atrocidades destes 3 anos de ocupação. Quando ao palhaço Cheney que refere no post é sabido que faz parte do circo montado pelo Bush, já muito pouco aplaudido mesmo por aqueles que recentemente o reelegeram. Com um abraço do Raul

Sofocleto disse...

Caro Raul:

Guardei o endereço do blog da iraquiana e tenciono acompanhá-lo. Era bom ter uma testemunha independente sobre o que realmente se passa naquele enorme campo de concentração. Mas como lhe disse, tenho vindo a tornar-me muito céptico em relação a determinadas fontes. Espero estar enganado.

Patriota disse...

É possível evitar o segundo 11 de Setembro:

http://paramimtantofaz.blogspot.com/2006/03/colaborao-de-um-leitor.html

capanga disse...

henchmen working for ernst stavro blofeld defenestrated plenty o´toole.

Anónimo disse...

best regards, nice info film editing schools