segunda-feira, abril 03, 2006

Irão = Armagedão?

Senador John McCain - Penso que poderemos ter um Armagedão

O senador John McCain afirmou no Domingo (2 de Abril de 2006) que as consequências de um conflito militar com o Irão por causa do seu programa nuclear podem ser tão sérias que podem conduzir a um Armagedão (fim do mundo).

O republicano do Arizona emitiu o seu terrível aviso depois de dizer que antes de qualquer opção militar contra o Irão, a comunidade mundial deve fazer a máxima pressão sobre Teerão através de sanções.

“Nós vamos para o Conselho de Segurança das Nações Unidas com os nossos aliados Europeus”, disse no programa «Meet the Press» da NBC. “Estamos à procura de sanções...Temos de ter sanções contra o Irão”.

McCain afirmou que se as sanções falharem, os Estados Unidos terão de se preparar para fazer uso da força militar.

“A opção militar será difícil?” perguntou retoricamente. “Claro, será uma opção difícil. Mas não a podemos descartar”

Questionado por Tim Russert, o apresentador do programa «Meet the Press», se os Estados Unidos podiam estar envolvidos em duas guerras em simultâneo, McCain teve uma resposta directa:

“Penso que poderemos ter um Armagedão (fim do mundo)”.

Sem amenizar muito o seu terrível aviso, o ex-prisioneiro de guerra do Vietname afirmou que ainda havia uma possibilidade de as sanções funcionarem.

“Se tratarmos disto correctamente e os nossos aliados Europeus estiverem connosco, e os Russos e os Chineses também estiverem connosco, as sanções poderão resultar. E estou confiante de que esta administração esgotará todas as possibilidades antes de encarar seriamente a opção militar”.



E no Correio da Manhã de hoje – 3 de Abril de 2006

Londres - Blair planeia operação militar contra o Irão - Ataque inevitável

O governo britânico vai debater hoje secretamente com as chefias militares a possibilidade de ataques aéreos contra o Irão. A reunião, que alegadamente contará com a presença do primeiro-ministro Tony Blair, foi negada pelo Ministério da Defesa, mas um alto responsável citado pelo jornal ‘Sunday Telegraph’ garante que os ataques são considerados “inevitáveis”.

Os EUA esperam que a operação seja multinacional, mas as chefias militares britânicas pensam que o presidente Bush está disposto a seguir em frente sozinho ou com o apoio de Israel.

O Irão revelou ontem a realização bem sucedida de um teste daquele que afirma ser o mais veloz míssil subaquático do Mundo. Designado Fajr-3, o míssil não é detectável pelos radares e tem um alcance de 40 km.

E há dois dias atrás o Irão testou com êxito um míssil capaz de escapar aos radares e transportar ogivas nucleares múltiplas. A notícia do ensaio foi dada pela televisão oficial. Refira-se que o país ainda não possui ainda foguetões com o raio de alcance de cinco mil quilómetros, mas já tem um, o Shahab-3, que atinge os dois mil quilómetros.

Clip de Vídeo do teste do míssil subaquático iraniano (25 segundos):




Comentário:

É óbvio que os mísseis testados pelos iranianos são de origem russa. Esta foi a forma de Putin avisar que a coisa agora é a sério. O cerco que tem vindo a ser feito à Rússia, com os EUA a colocarem base militares na Ásia Central (Uzbequistão, Quirguistão, Tajiquistão, Turquemenistão e Afeganistão) e na Europa (Kosovo, Bulgária, etc.), vai ter de ser travado. Tudo se vai jogar no Irão. Quantos vão morrer é um pormenor sem interesse para os assassinos que governam do outro lado do Atlântico.

15 comentários:

Anónimo disse...

Isto está ficar bonito está,vão vir tempos conturbados, esperemos para ver o que vai acontecer.

Anónimo disse...

Los ayatolás iranies son todos unos "santos varones".....

Margarida disse...

Os iranianos são conhecidos por exagerar as suas declarações sobre potencialidades técnicas e táticas militares. Pode ser tudo conversa.

proverbio castellano disse...

Fiate de la Virgen y no corras....

Sofocleto disse...

Os anónimos são sempre benvindos, Mas porque é que não arranjam um nickname? Nem precisa de ser uma coisa muito elaborada. Tipo Kátia Vanessa? Ou TirástmosTornamaCáPoulos?

a mi pesar disse...

O Filomeno

Fragil disse...

Será possível que tenhamos sobrevivido a uma guerra fria que durou tantos anos para agora sermos destruídos por causa de uma data de fanáticos?

H. Sousa disse...

Pois, eu já suspeitava que aqui o que está em jogo é mais do que o que se pretende fazer crer. Tratam-nos como atrasados mentais.

xatoo disse...

estes "Democratas" (McCain) fazem bem o papel de sapadores dos Bushistas republicanos - vão à frente e preparam o caminho para as agressões.
Concordo com o alinhamento da Russia, mas é preciso não esquecer que a China tb tem um papel a representar neste caso - o petróleo do Irão é a nova Rota da Seda, desta vez em sentido contrário.
Tem a palavra a Europa, que se vai partir em duas - França, Alemanha, Russia de um lado - eixo Atlântico do outro.
Se no eixo Iraque/Caucaso se joga muita coisa, aqui na Europa tambem se joga.
Entretanto pode ser que os States vão à falência e a coisa se resolva por si só; o que também é mau,,, desta feita para toda a gente!

¿Estados Unidos ou Estados Falidos?
http://www.rebelion.org/noticia.php?id=29354

sá morais disse...

Só em relação ao tal missíl: A velocidade do missíl em si não é um factor só por si importante. Mais importantes são os meios tecnológicos da plataforma de onde este é disparado, ou seja, de que vale ser o missíl rápido se a unidade naval de onde ele é disparado já tiver sido aniquilada, antes mesmo de o terem podido usar? Isto, claro, é propaganda...

mario disse...

Os ataques aéreos ao Irão vão inflamar o mundo islâmico, afastar os moderados iranianos e vão servir pra unir o Hezbollah e a al-Qaeda que até agora não tinham contactos.

Anónimo disse...

Xatto, tu si que estás "falido".....

augustoM disse...

Mas desde quando os inimigos de ontem, amigos de hoje, não serão os inimigos de amanhã?
Neste jogo de interessess quem se lixa é o mixelhão.
Um abraço. Augusto

Anónimo disse...

Where did you find it? Interesting read » »

Anónimo disse...

That's a great story. Waiting for more. film editing schools