quarta-feira, março 11, 2009

Monty Python – Um ataque devastador à postura da Igreja Católica sobre o uso do preservativo

Os criadores e intérpretes britânicos da série cómica Monty Python's Flying Circus brindam-nos, neste sketch do filme "The Meaning of Life" [O Sentido da Vida], com os pontos de vista antagónicos de Católicos e Protestantes em relação à procriação:


O pai, católico, após mais um dia de extenuante trabalho, chega a casa, cheia de filhos, e onde acaba de nascer mais uma criança.

O Pai: Tenho algo a dizer a toda família. A fábrica fechou. Não há mais trabalho. Estamos paupérrimos. Não tenho outra opção, senão vender-vos a todos para experiências científicas. É assim que tem que ser. Culpem a Igreja Católica por não me deixar usar uma coisinha de borracha. A Igreja fez coisas maravilhosas, mas se me tivesse deixado usar uma coisinha de borracha na ponta da pila, não estaríamos nesta situação.

Um dos filhos: A mãe não podia ter usado uma espécie de diafragma?

O Pai: Não, se continuarmos a ser membros da religião de mais rápido crescimento do mundo. Porque, todo o esperma é sagrado e todo o esperma é bestial, se o esperma for desperdiçado então Deus fica muito irado.

Uma filha (que não terá mais de seis anos): Deixem os pagãos derramar o [sémen] deles no chão poeirento, Deus fá-los-á pagar por cada esperma que não for encontrado.

O Pai: Portanto, já perceberam qual é o meu problema. Não vos posso manter a todos por mais tempo. Deus abençoou-nos tanto que não vos posso alimentar mais.

Outro dos filhos: Não podia ter cortado os tomates?

O Pai: Não é assim tão simples, Nigel. Deus sabe tudo. Ele veria esse golpe baixo. O que fazemos a nós mesmos, fazemos a Ele.

Outro das filhas: Podia tê-los arrancado num acidente.

O Pai: Não. Crianças, sei que querem ajudar, mas acreditem, estou decidido. Pensei muito seriamente sobre isto e a maioria de vocês servirá para experiências médicas.


Entretanto, na casa em frente, vive um casal de protestantes.

O marido protestante diz, enquanto espreita pela janela: Olha para eles. Católicos dum raio. Enchem o mundo de gente que não podem alimentar.

A mulher protestante: Porque têm tantos filhos?

O marido protestante: Porque, cada vez que têm relações sexuais, têm de fazer um filho.

A mulher protestante: Mas connosco é igual, Harry. Temos dois filhos e tivemos relações sexuais duas vezes.

O marido protestante: Não é essa a questão. Podíamos ter tido sempre que queríamos. E como não acreditamos em todas as tretas papistas, podemos tomar precauções. Podemos usar borrachinhas para evitar a descendência. Eu podia, se quisesse, ter tido relações contigo. E, por usar uma borrachinha no meu coiso, podia estar certo de que quando me viesse, tu não serias fecundada. É esse o fulcro de ser Protestante.

E a conversa entre o casal protestante vai subindo de tom, em acesa censura a uma Igreja Católica que não parece não ter sabido ultrapassar a Idade Média...


Vídeo legendado em português:

MP - Catolicos e Protestantes Short @ Yahoo! Video


Ou numa versão um pouco mais alargada do mesmo Vídeo, também legendado em português:

MP - Catolicos e Protestantes @ Yahoo! Video

8 comentários:

ZeitDay disse...

Este filme dos "Malucos do Circo" abarca todas as fases da vida, desde o nascimento até à morte e o significado de tudo isto.

A visão cáustica do mundo não poupa a Igreja Católica (Todo o Esperma é Sagrado), a Igreja Protestante, casais abastados, grandes empresas, restaurantes, soldados… e consegue manter-se ultra-divertido.

A parte mais inesquecível do filme para mim é a daquele do homem muito gordo que explode literalmente quando come uma pastilha. Mas dou menções honrosas ao grupo de pessoas que convidaram a Morte para jantar. 'Every Sperm Is Sacred' (neste post) e o Dador de Órgãos também são memoráveis.

xatoo disse...

e é preciso não esquecer a fulminante "Vida de Brian" sobre a tribo dos zelotas judaicos. As religiões são tão fantásticas quanto o susto que o pobre Brian apanhou quando foi caçado por uma nave interplanetária para dar uma volta pelo espaço sideral e poucos minutos depois foi deposto no sítio original. Fantástico!, quase tanto como o Jota Cristo que não deixou nada escrito, mas que passado dois mil anos ainda inflama milhões de charlatães das três religiões monoteistas com grossos calhamaços. Neste aspecto sou, como o principe Sidartha, um velado admirador dos indianos que têm um Deus para cada aflição que lhes aparece pela frente, mas ainda não inventaram remédio para sair do sistema de castas, emboara exista grossa contestação social. No entanto, há Estados autónomos indianos geridos pelo Partido Comunista onde o problema naturalmente está minimizado.

contradicoes disse...

Os católicos protestaram
contra a despenalização do aborto
quantos filhos não rejeitaram
através de abortos ocultos

Ana Camarra disse...

Diogo

adoro, tenho quase os filmes todos deles e também os realizados por Terry Gilliam (O exército dos 12 macacos, os Ladrões do Tempo, Os Irmãos Grim), faltam-me 2 que adoro: As Fantásticas Aventuras do Barão e o Brasil o outro lado do sonho.
São uma delicia!

beijos

alf disse...

Penso que o que diz a igreja sobre o uso do preservativo é muito pouco relevante - como se vê neste país tão católico, raros são os casais com mais de 3 filhos, a natalidade é inferior à mortalidade.

A verdade é que as pessoas fazem o que lhes convém tanto quanto podem. E são hipócritas em relação ao que fazem porque acham que é isso que lhes convém. Como as pessoas que são contra o aborto... desde que o problema não lhes bata à porta...

Onde há problemas de sobrepopulação, a Igreja católica tem pouco ou nenhum poder - não é por causa do que diz o Papa que as populações africanas continuam a reproduzir-se à taxa que o fazem.

Em conclusão, não são tanto as ideias que movem o mundo, são mais os interesses... e a culpa da sobrepopulação e da miséria que grassa em muitas partes do globo deve residir em interesses que se alimentam dessa miséria e, por isso, nada fazem para combater o excesso de procriação.

E agora vou ver o filme que deve ser muito interessante eheheh

Zorze disse...

A Santa Hipocrisia revelada de forma crua, mas, realista e com humor "very british".

Abraço,
Zorze

gertrud disse...

Das cenas mais belas e tocantes que já vi.

Anónimo disse...

Isso mostra como os mal informados repetem como papagaios o que desconhecem!

Esta comfirmado que os países que tem uma natalidade baixa, tem problemas financeiros gravíssimos.

O continente europeu é a prova que a baixa natalidade só trouxe problemas econômicos e o Japão também mostra hoje em dia tudo isso.

A população europeia envelhecendo não tem a mão de obra para repor no mercado daqueles que envelhercem, pois a população (principalmente as mulheres) não querem ter mais filhos.

A previdencia social (pois não tem mão de obra para repor) de todo o continente europeu cada dia que passa entra em colapso... podem criar várias programas econômicos seus tolos para tentar salvar os seus sistemas ecônomicos que não vai adiantar nada...

A única solução é ter filhos, para repor essa mão de obra que envelhece. Mas isso os ''sabem tudo'' não perceberam isso!