domingo, março 29, 2009

O filme «ZERO – Inquérito ao 11 de Setembro», do deputado europeu Giulietto Chiesa foi passado no Parlamento Europeu em Fevereiro de 2008

E estará nas salas de cinema a partir de Março de 2009.



No VoltaireNet:

A 13 de Março de 2009, no cinema Le Prado em Marselha, a associação ReOpen911 [Reabrir o inquérito ao 11 de Setembro] organiza a projecção do filme "ZERO – Inquérito ao 11 de Setembro". Esta primeira sessão extraordinária, e a presença do realizador, o jornalista Franco Fracassi, determinará o princípio de uma série de exibições do filme através da França, e também da Suíça e da Bélgica. Estas exibições far-se-ão acompanhar pelo lançamento do DVD do filme em versão original, legendado em francês.

Este filme-inquérito, que reagrupa um painel inédito de especialistas, beneficia, entre outros, da participação excepcional de Dário Fo, Prémio Nobel da literatura em 1997, e de Gore Vidal, escritor e argumentista norte-americano.

Produzido graças ao apoio de centenas de cidadãos italianos, "ZERO – Inquérito ao 11 de Setembro" foi adaptado para França e é distribuído pela associação ReOpen911. O filme, já projectado em dezenas de salas de cinema e Itália, foi difundido, extra-competição, no Festival do Cinema de Roma (em 2007) onde recebeu criticas unanimemente positivas, retomadas pelo conjunto da imprensa italiana:


Il Messaggero (O quarto maior diário italiano em termos de difusão) - «A bomba, do festival de Cinema de Roma… Um documentário incendiário. Um ritmo de cortar a respiração… As personagens entrevistadas são engenheiros, pilotos, políticos e ex-agentes americanos sinceramente patriotas...»


La Stampa - «Nos dias seguintes ao 11 de Setembro, as famílias das vítimas, assim como todos os Estados Unidos, procuraram compreender o que é que se passou, não obstante uma administração mais inclinada à vingança e ao segredo. Pela sua perseverança, obtiveram finalmente, 441 dias após a tragédia, a constituição de uma comissão de inquérito presidencial que publicou um relatório em Julho de 2004. Este relatório, não obstante um acolhimento positivo por parte dos meios de comunicação, não respondia à maior parte das suas interrogações.

O filme ZERO afasta-se do vazio que constituiu a explicação oficial proposta pelo governo americano sobre a tragédia do 11 de Setembro…
»


Il Corriere della Sera - «Organizado principalmente via Internet, o movimento pela verdade sobre o 11 de Setembro reúne cada vez mais personalidades, políticos e cientistas através do mundo. Apoiando-se tanto num trabalho de recolha de informação por um lado e de crítica racional por outro, as incoerências, as omissões e as manipulações da versão oficial [do 11 de Setembro] foram amplamente postas em evidência.

Um conjunto de contradições, de lacunas e de omissões duma gravidade impressionante. Confirmando que a versão oficial mete água por todos os lados.
»


Il Quotidiano della Sera - «A Associação ReOpen911 [Reabrir o inquérito ao 11 de Setembro insere-se num movimento de cidadãos que tem por finalidade dar a conhecer informações já disponíveis e documentadas. O filme “ZERO – Inquérito ao 11 de Setembro” insere-se numa nova linha de acção de pesquisa e de inquérito jornalístico de fundo. Um inquérito jornalístico conduzido rigorosamente.»


Mário Sesto, director da parte extra-competição do Festival Internacional do Cinema de Roma de 2007 - «Na origem deste filme, o eurodeputado italiano Giulieto Chiesa que foi jornalista em dois grandes jornais de Itália durante 30 anos, rodeou-se de outros jornalistas que pesquisaram durante um ano nos Estados Unidos e a Europa. Este filme retorna às principais zonas de sombra da versão oficial; as entrevistas inéditas a numerosos especialistas trazem o esclarecimento necessário a uma melhor compreensão dos acontecimentos e permitem esclarecer em que ponto estão os conhecimentos sobre esses atentados. E, assim o esperamos, abrir finalmente o debate, como aconteceu na Rússia, onde 32 milhões de telespectadores viram este filme, difundido a 12 de Setembro de 2008, no primeiro canal de televisão do país: um registo histórico.

O método de argumentação é terrivelmente bem pensado. De uma grande lucidez e determinação, as ideias são desenvolvidas de uma maneira de maneira muito clara.

A tragédia do 11 de Setembro de 2001 permitiu a justificação de duas guerras ilegais, o aumento drástico dos orçamentos militares, mas também colocar em causa a questão das liberdades individuais. Este acontecimento moldou a geopolítica deste princípio de século. Portanto, a colocação em causa da teoria do complot islamita é cada vez mais aceite no mundo, convidamo-vos a vir em grande número informarem-se sobre os factos e debater o filme.
»


La Repubblica - «Um filme a ver! Durante duas horas, as vozes do prémio Nobel Dário Fo, e as de Lella Costa, Moni Ovadia e Gore Vidal relacionam imagens e testemunhos, atacando a versão oficial e reduzindo-a a uma piada de mau gosto»


Tg1 (o telejornal mais visto em Itália) - «Como o resume com pertinência e um pouco de provocação, Giulietto Chiesa: «A única coisa de que podemos ter a certeza, é que não sabemos nada do que realmente se passou a 11 de Setembro de 2001». Outra coisa é certa: depois de se ter visto este filme e se ser confrontado com os factos que ele apresenta, a necessidade de um debate contraditório e racional já não pode ser refutado de maneira objectiva.

A tragédia do 11 de Setembro é um assunto sempre escaldante. O filme "ZERO – Inquérito ao 11 de Setembro" ajuda e evidenciar o bom senso face a face com o tema.
»


Excerto de uma entrevista de Giulietto Chiesa ao canal televisivo italiano La7:

O euro-parlamentar socialista Giulietto Chiesa mostrou, em Fevereiro de 2008, no Parlamento Europeu, o filme "ZERO – Inquérito ao 11 de Setembro".

Não obstante terem sido enviados convites a todos os 785 parlamentares europeus, e a cerca de um milhar de jornalistas, só seis parlamentares, e nenhum jornalista italiano, vieram ver o filme.

O eurodeputado do Bloco de Esquerda no Parlamento Europeu, Miguel Portas, foi um dos 779 eurodeputados que não estiveram presentes.

Chiesa atribuiu a falta de interesse dos parlamentares e dos meios de comunicação europeus à influência e ao controlo da informação por parte dos Estados Unidos:






Nos sites seguintes é possível ver os dez vídeos no Youtube que contêm todo o filme "ZERO – Inquérito ao 11 de Setembro":

11 comentários:

Ana Camarra disse...

Diogo

Unm filme para ver sem dúvida, afinal a patranha do 11 de Setembro tem muito para desmistificar.
As familias das vitimas têm direiro de saber como é que aquelas vidas foram ceifadas, em nome de quê.
Depois com o belissimo Dario Fo e Gore vidal.

Não me espanta o Miguel Portas não ter ido, nada mesmos.

Beijos

contradicoes disse...

Mais um excelente testemunho para desmascarar a farsa que foi protagonizada pelo maior farsante do Mundo que se encontra no écran do curto trailer do filme ZERO, responsável por milhares de mortes e que até conseguiu face à ingenuidade ou estupidez dos eleitores americanos cumprir um segundo mandato.

J. Afonso disse...

Pode ser que haja alguma razão válida para a pouca afluência de jornalistas e deputados à projecção do filme no parlamento europeu. Talvez os "jornalistas internacionais" tenham tido coisas mais importantes para fazer (ao contrário dos seis membros do parlamento europeu), como investigar ou reportar as bagatelas do costume? Não… não pode ser. Não há nada de errado no mundo.

xatoo disse...

o Miguel Portas não esteve, nem nenhum deputado português, com certeza.
Quem paga é que manda, e esses tipos pseudo eleitos (com pressupostos mentirosos) não desejam de forma alguma desagradar aos chefes

ovigia disse...

boas diogo,

infelizmente não creio que por cá possamos assistir, seria interessante vê-lo num cinema e depois haver um debate com convidados, nem que fosse através da rede internet.

já havia escrito sobre este documentário há tempos no meu blog, quando este foi divulgado e qd esteve em debate no PE.

em virtude desse debate enviei a todos os partidos portugueses com assento quer na AR quer no PE bem como a rádios, televisões e jornais um mail a questionar sobre a eventual presença de deputados portugueses e jornalistas nessa apresentação no PE.

ninguém me respondeu, nem sequer o BE ou o PCP.

é como sempre digo, quer à esquerda quer à direita os objectivos são os mesmos, estupidificar o povo para melhor o controlar.

abç

Anónimo disse...

OLha esta sobre a Letónia
http://odiario.info/
do Chiesa

Zorze disse...

Diogo,

Com um jornalista a encabeçar tal odisseia com o nome de Fracassi. As minhas dúvidas ficaram desfeitas.

O 9/11 é um terreno minado, pois o "gigantismo" da operação, originou a múltiplas contra-operações. Estamos a falar dos mestres do descrédito.

Abraço,
Zorze

Diogo disse...

Não percebo Zorze.

Abraço

Zorze disse...

A operação foi desenhada exactamente para não se perceber.

That's the point!

Abraço,
Zorze

Motim disse...

BE, PCP, Verdes, todos os partidos portugueses sabem bem a farsa que é a versão oficial do 11 de Setembro. Vocês não duvidem disso nem por um segundo. Eles até têm acesso a mais informação que nós. Mas nunca tocarão nesse assunto enquanto não receberem ordens para tal. Quando um dia isso acontecer, eles irão cumprir o papel deles e exclamar: "como foi possível isso acontecer", "nós não imaginávamos", "malditos imperialistas". Eles nem fazem qualquer oposição real ao governo Sócrates.

Não existe qualquer diferença entre os actuais políticos, sejam de esquerda ou direita. Todos eles lutaram toda a vida para servir o poder e a elite, nunca na vida irão servir o povo.

Anónimo disse...

http://achatcialisgenerique.lo.gs/ cialis pas her
http://commandercialisfer.lo.gs/ acheter cialis generique
http://prezzocialisgenericoit.net/ comprare cialis
http://preciocialisgenericoespana.net/ cialis venta