domingo, fevereiro 11, 2007

A Europa inteira trabalha para engordar a Banca


Porque é que estas sanguessugas continuam a obter lucros obscenos?

Millennium bcp: 780 milhões de euros de lucros em 2006 - mais 28% do que no ano anterior; o BPI registou 309 milhões - mais 23%; o Banco Espírito Santo anunciou ganhos de 420 milhões - mais 5o%...»


A 27 de Dezembro de 2006 a TVI informava que:

2007 vai obrigar os portugueses endividados a apertar ainda mais o cinto. As taxas de juro não param de subir. O mercado antecipa assim novas subidas dos juros do Banco Central Europeu.

Este ano (2006) e para um empréstimo de 100 mil euros, os portugueses pagaram mais 330 euros pelas prestações da casa. Em Janeiro, as prestações voltam a subir pelo menos mais 30 euros.

As taxas de juro Euribor, que são calculadas com base numa amostra do preço do dinheiro praticado pelos grandes bancos europeus, continuam a subir à espera de novos aumentos dos juros do Banco Central Europeu.

A Euribor a um ano bateu esta quarta-feira o mesmo patamar dos 4%, o valor mais alto dos últimos quatro anos e meio. As taxas Euribor a 6 e a 3 meses estão a acompanhar esta subida, o que quer dizer que, em Janeiro, as prestações vão voltar a subir.

No caso de um empréstimo de 100 mil euros indexado à Euribor a 6 meses, só este ano, as prestações aumentaram mais de 50 euros. Em Janeiro as prestações aumentaram logo 26 euros, em Junho houve novo aumento de 29 euros. Se o contrato tivesse sido revisto este mês a nova subida seria de 33 euros.

Isto quer dizer que só este ano, e neste caso, o valor pago ao banco aumentou 330 euros, em relação ao ano anterior. A subida dos juros vai continuar. Os analistas apontam para que o BCE suba novamente o preço do dinheiro no primeiro trimestre do novo ano.


E na Sexta-Feira passada, 9 de Fevereiro de 2007, o Correio da Manhã avisava-nos:

O presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, falou ontem em "forte vigilância" da autoridade monetária relativamente à taxa de inflação. Assim, o mercado tem por certa mais uma subida de, pelo menos, 25 pontos de base da taxa de juro principal dos países do euro, para 3,75 por cento no próximo mês.

Segundo o responsável do Banco Central Europeu, há que combater a taxa de inflação na zona do euro. Este argumento é contestado, mais do que nunca, pelos empresários, não só pela actual cotação do preço do petróleo mas também pela taxa de inflação na Eurolândia, que foi de 1,9 por cento em Dezembro de 2006 e no primeiro mês deste ano. Tal percentagem é abaixo do limite de dois por cento decretado pelo Banco Central Europeu.


Comentário:

E assim enfardam os agiotas da Banca. Baixam as taxas de juro para incentivar o crédito e o endividamento, e depois aumentam-nas, sem motivo e sem qualquer explicação, para se abotoarem com o produto do trabalho das famílias.

Ou, como acusa o jornalista Fernando Madrinha, os bancos sugam a riqueza dos países mais do que a fomentam.

13 comentários:

inominável disse...

os suínos às pocilgas... ó pá, gostei da metáfora, expandi-a só um pouco :)

agora mais a sério, uma observação: acredito que as pessoas são as causas que defendem. de onde te vem esta vontade de posta-sim-posta-não "atacares" a banca? eu concordo que os impostos deveriam ser iguais para todos, embora seja sensível às críticas do Lidador... mas de onde te chega a persistência?

Paulo disse...

Terrorismo é esta capacidade de roubar legalmente o dinheiro das pessoas manipulando o juro. Um assalto a um banco é notícia mas o assalto dos bancos às pessoas é economia banal.

Diogo disse...

Inominável,

Com o tempo apercebi-me que são os bancos que estão no topo da «cadeia alimentar». É o poder financeiro que detém a maioria das acções dos complexos militares-industriais. É o poder financeiro que domina os políticos, os media e os juízes. É ele que determina se há guerra, paz, desenvolvimento ou recessão. É ele que determina quanto é que pagamos pelas prestações da casa ou do carro. É ele que determina as políticas económicas de cada país. E quando o poder financeiro toma qualquer decisão é exclusivamente em benefício próprio.

Aconselho-te vivamente a ler este artigo para ficares com uma ideia mais abalizada do assunto.

contradicoes disse...

O poder económico subjugou neste País sempre o poder político. Já assim foi na ditadura. Mas presentemente assistimos a uma maior manipulação do poder político por parte do grande capital. Veja-se que em parte nenhuma de Mundo se praticam juros de crédito privado tão elevado como neste País que chega ao escândalo de exceder largamente os 25%, isto por que a entidade reguladora da actividade bancária, o Banco de Portugal não estabelece um tecto a partir do qual não deveria ser permitido extorquir dinheiro às pessoas o que chega a levá-las à total ruptura.

Bertold Bretch disse...

Melhor do que roubar um banco é fundar um.

António Oliveira disse...

A situação é escandalosa, principalmente em Portugal. Numa altura em que o dinheiro até não está muito caro (as taxas de juro começaram a subir há poucos meses) as taxas nos empréstimos ao consumo ultrapassam os 30%. Sim 30%.A taxa de juro de referência na zona euro (a nossa!) é de 3,75. Como é que estes cabrões não hão-de engordar? E depois são todos beatos da Opus Dei. Deus existe?

Anónimo disse...

Nunca mas mesmo nunca, um suino engordou com agua limpa.(José Dias-o meu avô)

xatoo disse...

bom não é correcto afirmar que eles "baixam as taxas de juro para incentivar o crédito e o endividamento, e depois aumentam-nas, SEM MOTIVO".
Há um motivo: é que eles precisam do dinheiro para financiar as guerras.
Portanto, o debate deve girar em torno do seguinte: quem é que está disposto a pagar pelos objectivos deles e como é que esses objectivos foram determinados, se servem democraticamente a maioria, etc,,,

Flávio Gonçalves disse...

Eu só sei que graças à minha pobreza pessoal galopante, perdi completamente o medo de afirmar e contestar muita coisa que antes deixava passar.

Coisa bela esta de nada ter a perder... QUanto mais pobre, mais revolucionário!

Carlos disse...

Enquanto não houver um governo com coragem para enfrentar a banca, esta pouca vergonha vai continuar. Os tentáculos da banca são muito grandes e abrangentes.
.
http://toxicidades.blogspot.com

Anónimo disse...

É essa a minha esperança flávio gonçalves. Explico: à força de tanto extorquir o dinheiro ao povo, acredito que se acabe por criar no seio do povo um movimento de gente esclarecida que movida pelo sentimento de injustiça, dê corpo a uma revolução, não necessáriamente em Portugal (somos demasiados insignificantes para isso). O grande deafio para os crapulas, internos e externos, é saber qual o limiar do desespero do povo. E essa fronteira não lhes interessa ultrapassar,e enquanto não se chegar a esse pontos, não vai haver massa critica para iniciar o processo.
Portanto, para bem ou para o mal, esperemos que a ganância destes agiotas os faça morrer no próprio veneno... até chegarem outros, mas as costas também precisam de folgar.

Sauridio

dlm disse...

Essa obcessao com banqueiros é deveras preocupante. Olhe que estou honestamente preocupado com a sua saude. Esses moinhos que transformam-se invariavelmente em banqueiros fazem-lhe mal ao coração e ao figado, produz cancro e maleitas varias

Diogo disse...

Caro dlm,

Agradeço sinceramente a sua preocupação com a minha saúde mental. Mas antes de telefonar para o 112 faça-me o seguinte favor: pegue nos últimos 18 recibos das prestações que está a pagar pela sua casa, verifique o acréscimo do montante a saldar e diga-me se não ouve o som do vento a enfunar as velas, o chiar do eixo e o ranger das mós.