quarta-feira, março 12, 2008

Vítor Constâncio e a engorda criminosa dos Bancos

Notícias RTP - 11/3/2008

Em declarações aos jornalistas no Fórum do Diário Económico sobre Banca e Mercados de Capitais, em Lisboa, Vítor Constâncio disse que "o custo de financiamento para os bancos vai aumentar".

"Até agora, os bancos não reflectiram isso concretamente, mas a continuação desta situação, se não houver uma normalização nos mercados internacionais, terá reflexos no preço a que os bancos oferecem os serviços aos seus clientes", acrescentou o governador.

Estas declarações de Constâncio surgem depois de vários presidentes de bancos portugueses erem dito hoje também que os empréstimos vão ficar mais caros, ao mesmo tempo que os depósitos também vão ser a sua remuneração subir.

Os clientes da banca comercial, em média, "estão melhores do que o que estavam [antes da crise], porque estão a receber mais pelos seus depósitos e a pagar menos juros", afirmou o presidente executivo do BPI, Fernando Ulrich.

"O custo está inteiramente a ser suportado pelos bancos que estão sozinhos a absorver todo o impacto", sublinhou Ulrich.

Em declarações aos jornalistas, o presidente do BCP também comentou o custo do crédito: com o aumento da volatilidade dos mercados financeiros e a subida do custo do risco para os bancos, o custo de financiamento a médio e longo prazo das instituições aumentou "de forma considerável".



Fernando Madrinha (Jornal Expresso - 1/9/2007)

[...] Não obstante, os bancos continuarão a engordar escandalosamente porque, afinal, todo o país, pessoas e empresas, trabalham para eles.

[...] Remetem-nos para uma sociedade cada vez mais vulnerável e sob ameaça de desestrutruração, indicam-nos que os poderes do Estado cedem cada vez mais espaço a poderes ocultos ou, em qualquer caso, não sujeitos ao escrutínio eleitoral.

E dizem-nos que o poder do dinheiro concentrado nas mãos de uns poucos é cada vez mais absoluto e opressor. A ponto de os próprios partidos políticos e os governos que deles emergem se tornarem suspeitos de agir, não em obediência ao interesse comum, mas a soldo de quem lhes paga as campanhas eleitorais.



Comentário:

Dado que o ministro das finanças, Teixeira dos Santos, é demasiado tímido na sua interacção com o mundo esconso da banca, não teremos nós, os cidadãos que pagam com os seus impostos os 25.000 euros e restantes mordomias que o governador do Banco de Portugal empocha mensalmente, o dever e a obrigação de pegar no Constâncio pelos colarinhos e exigir-lhe que nos explique detalhadamente porque continuam os bancos a engordar escandalosamente?

Porque será, como afirma Madrinha, que todo o país, pessoas e empresas, trabalham quase só para os bancos? Porque há-de o Fernando Ulrich, presidente do BPI, correr o risco de ficar engasgado com overdoses de lucros escandalosos, trimestre após trimestre?


11 comentários:

Carlos Marques disse...

Os bancos lucram 7,9 milhões de euros por dia. No ano passado eram 7 milhões. Os bancos prosperam e nós empobrecemos.

alf disse...

A afirmação do Constâncio é a declaração de que os bancos são um Cartel. Não há autoridade da concorrência para lhe cair em cima? Alguém vem dizer que os televisores vão subir de preço por causa do aumento do petróleo? Claro que não, porque aí à concorrência. Agora, no que toca a combustíveis, energia ou banca...

O Constâncio é o porta voz do cartel bancário. Ou estou a ver mal?

Zorze disse...

Os bancos ganham sempre. É como se tivessem um sistema perfeito para jogar na roleta, saindo vermelho ou preto, ganham sempre.
Se houver crise são precisos créditos para as pessoas se aguentarem. Se a economia estiver pujante são feitos mais financiamentos.
Ganham sempre pelos dois lados.

Um Abraço,
Zorze

xatoo disse...

conforme nós pedimos dinheiro aos bancos nacionais, eles renegoceiam os pacotes de crédito com as instituições estrangeiras que lhes estão hierarquicamente acima. Na Europa é o BCE, no topo é a FED norte americana. Este é que é o sistema de Cartel.
Que acontece quando os mercados e as bolsas se desmoronam? e as entidades emissoras que "fabricam" o dinheiro, têm cada vez mais perdas e são forçadas a emitir (imprimir) cada vez mais valor. Essa maior quantidade de notas vai ser "socializada" por todos aqueles que precisam de viver a crédito; os que recorrem à banca. Na prática os pobres pagam as crises cíclicas financeiras e as perdas dos ricos;
ganham os que não têm necessidade de recorrer ao crédito.
Por isso é que a regra de ouro no Socialismo é a mesma da usada nas nossas casas: não se pode gastar mais que aquilo que se produz. O zépovinho apardalo por tantas facilidades tarda a entender, mas há-de lá chegar
.

xatoo disse...

queria dizer: apardalado
(com tanta facilidade de acesso ao consumismo de tralhas supérfluas)
x

Anónimo disse...

Os rendimentos do trabalho dependente de Vítor Constâncio totalizaram os 280 889,91 euros em 2005.

Anónimo disse...

Recebi o texto abaixo

TAL COMO RECEBI...

A Casa de Sócrates no registo predial, não passa de um simples apartamento.
Na verdade, trata-se de uma casa senhorial no coração de Lisboa. São cinco assoalhadas dum 3º andar no edifício Heron Castilho. Tem 150 metros quadrados , avaliados em 800.000 euros, que custaram em Fevereiro de1996, 240.000 euros.
Antes vivia num modesto apartamento T2 na calçada Eng. Miguel Pais, em São Bento. Na garagem tem um Mercedes C230. Longe vão os tempos em que conduzia um modesto Rover 111.
Além disto frequenta restaurantes caros e usa fatos de marca. Como pode Sócrates viver como um homem rico, com 82 mil euros brutos (57 mil líquidos) que declarou ao Tribunal Constitucional ganhar por ano? Diz não ter rendimentos de quaisquer empresas, acções ou planos de poupança. O único património que diz ter é o carro, a casa e ordenado.
Esqueceu-se de dizer que foi sócio da Sovenco?
Sociedade de Venda de Combustíveis Lda., com sede na Reboleira, Amadora, em que está registado na matrícula da sociedade. No seu site, Sócrates Carvalho Pinto de Sousa, não consta este pormenor.
Segundo fontes, o Ministério Público está a investigar os investimentos governamentais efectuados nas áreas do tratamento de resíduos urbanos, e a sua relação com o financiamento de actividades partidárias, durante o período em que José Sócrates exerceu funções governativas (Ministro do Ambiente de António Guterres).
Uma das principais dúvidas recai sobre o processo de adjudicação do concurso para o sistema da recolha e tratamento de resíduos do Planalto Beirão.
A Sovenco, criada em 1990, era uma Sociedade de Venda de Combustíveis. A sua constituição: Armando Vara, Fátima Felgueiras, José Sócrates, Virgílio deSousa.
Sócrates finge, agora, não se lembrar dessa sociedade que fez. E porque se tenta ele esquecer?

Porque:
Armando Vara - condenado a 4 anos de prisão (pena suspensa); no entanto recebeu o prémio do amigo José Sócrates, e agora é ADMINISTRADOR DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS, com 20.000,00 euros por mês, mais extras.

Fátima Felgueiras - andou foragida da Justiça no Brasil dois anos; HOJE É ELEITA PRESIDENTE DE CAMARA DE FELGUEIRAS, e tem imunidade parlamentar.

Virgílio de Sousa - condenado a prisão por um processo de corrupção no Centro de Exames de Condução de Tábua.

Compreende-se que Sócrates não se queira lembrar. Que "ricos" amigos, hein?...Como é mesmo aquele provérbio?...

"Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és!"

Sócrates já não se lembra...Convém que o pessoal não se esqueça!!!







Será verdade?

Porque não se sabe nada das investigações?

Freeport parou?

Disse no passado que o pacto da justiça não era mais do que método para parar processos será ou não verdade?

Onde anda aquele líder politica que tinha a faca afiada nas feiras?

Porque há muita gente a temer o combate à corrupção?

Diogo disse...

Boa dica, caro Anónimo.

Não sabia disto. Merece um valente post.

xatoo disse...

tenta confirmar primeiro pá!
não te metas em alhadas

Anónimo disse...

O xatoo tem razão. Contudo era bom que se soubesse. For calunia deve ser repodiada, mas se for verdade o povo tem direito de saber

contradicoes disse...

Suscitam-me algumas dúvidas os envolvimentos denunciados pelo anónimo pois havendo tanto quem a nível jornalístico deseje queimar
José Sócrates, a ser verdade o denunciado já há muito tal teria sido revelado. Quanto ao post.

Victor Constâncio já demonstrou
estar a soldo dos banqueiros
bons negócios lhes proporcionou
com empréstimos de dinheiros

Com os lucros a aumentar
duma forma escandalosa
temos nós que aguentar
esta negociata ardilosa