quarta-feira, março 05, 2008

Belmiro de Azevedo - TGV para quê?


Agência Financeira - 26/02/2008

O «chairman» da Sonae, Belmiro de Azevedo, criticou esta terça-feira o projecto do comboio de alta velocidade (TGV), assumindo que o mesmo não é uma necessidade estrutural para o País e implica um investimento gerador de «desestabilização orçamental».

«Para quê passar a ir de Lisboa a Madrid em quatro horas se já o posso fazer em 50 minutos? A aposta devia ser era nas (companhias aéreas) low-cost», disse o empresário, que acompanhou o I Encontro PME Inovação Cotec, que decorreu em Lisboa.


Que importância tem que o TGV constitua para o país um investimento gerador de «desestabilização orçamental»? Sócrates não está lá para isso mesmo?

Não foi Sócrates o principal impulsionador de um «investimento» de centenas de milhões de contos em estádios de futebol que «estão às moscas»? E que tem o descaramento de afirmar que a construção dos dez estádios é um bem necessário ao país. Que "estamos perante um grande sucesso económico."

Os empresários de obras públicas e os banqueiros já afiam os dentes:


Dinheiro Digital - 05-03-2008

Dois consórcios constituem-se para concurso do TGV

Empresas portuguesas estão a constituir dois agrupamentos para participar no projecto da Alta Velocidade (TGV), que começará a dar os primeiros passados no último semestre deste ano, destaca o Jornal de Negócios esta quarta-feira. Um dos agrupamentos «será co-liderado pela Brisa e pela Soares da Costa, enquanto o outro integrará a Somague, Teixeira Duarte e Mota-Engil», detalha o jornal.


Miguel Sousa Tavares - Expresso 07/01/2006

«Todos vimos nas faustosas cerimónias de apresentação dos projectos [Ota e TGV], [...] os empresários de obras públicas e os banqueiros que irão cobrar um terço dos custos em juros dos empréstimos. Vai chegar para todos e vai custar caro, muito caro, aos restantes portugueses. O grande dinheiro agradece e aproveita

«Lá dentro, no «inner circle» do poder - político, económico, financeiro, há grandes jogadas feitas na sombra, como nas salas reservadas dos casinos. Se olharmos com atenção, veremos que são mais ou menos os mesmos de sempre.»
.

25 comentários:

poesianopopular disse...

No entanto as prensões de reforma , são o que se vê, os lares da 3ª idade são o que são,o apoia ás crianças no pré-escolar, os ATL,enfim um nojo, uma vergonha, mas,agora a culpa é do povo, é o povo que vota neles!
José Manangão

Anónimo disse...

Quando um tipo como o Belmiro de Azevedo habituado ao «inner circle» do poder afirma que há grandes jogadas feitas na sombra, é porque as há de certeza.

xatoo disse...

à pala de se dar crédito ao Belmiro, não tardará muito que não tenhamos de engolir a cadeia americana Wall-Mart (A Sonae e os gringos foram partners no Brasil)
a Starbucks já aí vem, para com a complacente frequência dos bétinhos pós-modernos, lixar os cafés Delta do Nabeiro, uma das poucas coisas boas que existe cá na cova funda.
Qualquer dia somos emigrantes na nossa própria terra. Eu até acho que já somos!
Não hão-se eles de estar a fazer este tour-de-force na Educação: o que é preciso é formar bimbos, bimbos com formação superior, diga-se, "educados" na Católica ou nos colégios Modernos e quejandos.
pqp

contradicoes disse...

Demora-se mais de Lisboa ao Porto de comboio do que de automóvel tendo em vista que o destino de qualquer passageiro não é a estação de desembarque. Das várias vezes que me desloquei de Oeiras a Ermesinde consegui como aliás consegue qualquer um mais ao menos respeitando os limites de velocidade demorar tanto quanto demora o Alfa e Inter-Cidades a chegar de Lisboa ao Porto. Ora o absurdo investimento em que este governo aposta no TGV traduz um ganho em termos de tempo que não tem qualquer expressão porque de automóvel se consegue chegar sem atingir elevadas velocidades, de Lisboa ao Porto em duas horas e meia, o espaço de tempo que se calculo necessário para o comboio de alta velocidade realizar esse percurso. Ora a capacidade normal dum automóvel ligeiro é de 5 passageiros e se este número de pessoas pretenderem deslocar-se entre estas duas cidades conseguem-no fazer por valores muito mais acessíveis, mesmo com o elevado custo dos combustíveis e das portagens do que representa o custo de 5 bilhetes de comboio.
Para além da vantagem de quem se desloca de automóvel do Porto para Lisboa ou vice-versa dispõem de transporte para efectuar as suas deslocações durante a sua estadia.
Idiota será alguém pensar que quem hoje utiliza automóvel normalmente nas suas deslocações, mais comodamente e rapidamente irá alguma deixar de o fazer para passar a utilizar o TGV. Até porque os preços dos bilhetes tão pouco sequer constituem um aliciante para se optar por andar de comboio.
Por isso achar que este é mais um disparate governativo a juntar a tantos outros.

alf disse...

DEixa-me lá dizer qualquer coisa de original,,, hummm... Ah, aqui vai:

Dinheiro há muito. Dinheiro não falta. Os paises ocidentais têm um sistema que produz riqueza Às catadupas. Não é por falta de dinheiro que há pobres, é porque o Sistema tem regras que exigem desigualdade na distribuição da riqueza. A ideia é a distribuição de riqueza ser proporcional ao contributo para a geração de riqueza.

A falta de dinheiro das pessoas não resulta do custo deste ou daquele projecto. O dinheiro circula, não se consome, vai dos bolsos de uns para os bolsos de outros ou dos mesmos.

Se o TGV tiver uma incorporação nacional não inferior à participação nacional, pode ser um bom negócio para o pais.

Agora, o que temos de questionar é a forma como a riqueza se distribui. Porque nestes processos o que acontece é que a riqueza está a concentrar-se cada vez mais nos bolsos dos mesmos, logo os outros (nós)estão a ficar cada vez mais pobres.


é isto que temos de combater. Quando o petróleo sobe em dólares, o preço da gasolina aumenta em euros??? Como é isso??? A gasolina aumenta porque o dólar desvaloriza?

Isto não é circulação de dinheiro, é puro desvio de dinheiro... a concorrência é a polícia do sistema económico... sem ela, somos roubados.

E somos roubados porque somos fracos, porque o sistema político não nos representa, os deputados não estão ao serviço dos cidadãos que os elegem mas ao serviço dos partidos, que estão ao serviço dos poderes económicos que os financiam.

E são também os poderes económicos que pagam os políticos - não estão a pensar que alguém quer ser ministro pelo miseravel ordenado que o erário público paga, pois não? (vá lá, pode haver uma ou outra excepção...)

E é por isso que se fazem estádios e TGV em vez de hospitais e escolas - os interesses que se movem são os que querem desviar o dinheiro para os seus bolsos, os interesses dos cidadãos não têm representantes.

Diogo disse...

Exacto, meu caro Raul.

O TGV, tal com os estádios do Euro, é mais uma forma de roubar os impostos dos portugueses pelo grande dinheiro através das suas marionetas políticas.

Este «jogo» acontece aqui e em todas as «democracias». É este super-apito dourado que tem de acabar o mais rápido possível. E não é com votos que lá vamos. A partidocracia faz parte do jogo.

Diogo disse...

Caro Alf, concordo com tudo o que disse menos isto:

«Se o TGV tiver uma incorporação nacional não inferior à participação nacional, pode ser um bom negócio para o país.»


Uma obra inútil, por muita incorporação nacional que tenha, não passa de uma obra inútil. E não é só a construção do aborto. É também a manutenção do aborto.

Há uns anos estive na Suécia. Fiz Estocolmo-Malmo num comboio que dá 220 hm/h (X-2000). Se o país mais avançado da Europa sobrevive bem com um pendular, porque é que os mais pobres da Europa insistem nos TGVs?

A grande corrupção não existe só em Portugal. Em Espanha e em França também é comun.

rikhard disse...

Portugal ter um TGV é como ir-mos às compras de Ferrari.

Não faz qualquer sentido.

O que faria sentido era sim ter bons caminhos de ferro, para transportes desde pessoas a mercadorias, o país é pequeno, teria-se poupado em algumas auto-estradas e usado e abusado na educação, especialmente nas áreas tecnológicas, como por exemplo na informática através de software livre.

Quanto ao sr Belmiro, usa trabalho escravo em todas as suas empresas, mal pago, com péssimas condições e sempre a serem ameaçados.
Sei do que falo, pois fui escravo durante um ano na assistência técnica da PÉSSIMA novis.

cumps,

RJ

Jojó disse...

Eu até concordo com alguns pontos de vista de Belmiro de Azevedo. Mas deixo aqui uma questão: Belmiro de Azevedo falaria da forma acutilante como fala se fosse banqueiro ou tivesse empresas de obras públicas?
Provavelmente estaria calado.
Mas como o TGV não consome batatas, arroz e massa...

Diogo disse...

Rikhard e Jojó,

Como Belmiro parece não ter interesses directos nas obras públicas, dá-se ao luxo de dizer a verdade neste caso: que os TGVs são o maior roubo que se fará a este país.

Jojó disse...

Quando Ferreira do Amaral era ministro das obras públicas, foi lançada uma obra emblemática que sorveu muitos milhões. A modernização da linha do norte.
Com tanto dinheiro gasto para melhorar a via e o material circulante. Comprou-se o pendular, que acaba por fazer uma
média pouco melhor que uma
composição normal. Conseguiu-se ganhar 15 minutos entre Porto e Lisboa.
A montanha pariu um rato.

Anónimo disse...

"trabalho escravo em todas as suas empresas, mal pago, com péssimas condições e sempre a serem ameaçados."

Como é que alguém pode dizer uma coisa assim.
Trabalho escravo ?, onde ? em portugal ?, não. Mas é pena. Falta o uso do chicote.
Não se usa chicote, mas devia-se. Mas não temam, o uso do chicote devará ser sancionado nas próximas adendas do livro branco do trabalho, para obrigar estes comunistas calões a trabalhar.
Pelo menos já pagam impostos como deve ser, na Roma antiga os escravos davam 50% do seu trabalho ao senhor, hoje em dia quem trabalha por contra de outrém em Portugal, de forma directa ou indirecta contribui com muito mais.
O governo é a coisa mais cara que os portugueses compram. Mas enfim os portugueses trabalham para sustentar o governo e banca, é a razão de ser permitido que sobrevivam.

...ameaçados ? não.
Não tá hoje em portugal tanta gente a trabalho temporário a 400€ e tal euros ?
Se tão é porque gostam, votaram em quem sancionou este código do trabalho, não foi ? Temporário quer dizer, que hoje tás, amanhã não tás.
Não se ameaça ninguém, antes de assinares o contrato já sabes que vais ser despedido, a menos que entres mais cedo duas horas, saias 4 mais tarde e almoçes em 10 minutos, para conseguires cumprir metade do objectivo. E nada de pores fotos da familia na mesa,
a mesa é da empresa e tu és uma peça mais dispensável que a mesa, e um bom empregado coloca a família MUITO depois da empresa, que lhe faz o favor de dar emprego princepescamente pago.
E atenção, nada de casa de banho, isso é perder tempo, fazes na hora de almoço, mas não há problema, em breve vão ser introduzidas cadeiras com mijatórios, para que o empregado não perca tempo.
E trata o chefe por excelência, responde-lhe sempre que sim independente de ser possível fazer ou não, nunca o olhes nos olhos e mantém a cabeça sempre baixa, ou tás no olho da rua no dia a seguir.
Não há assédio moral nenhum, com os rankings e com a colocação sistemática de uns empregados contra os outros, aumentando
as trafulhices e a má qualidade, isso são calúnias. E sindicalizar-te é a mesma coisa que pedires a demissão.
Isso da segurança no trabalho são luxos para a elite, para os comunas existe a flexibilidade do trabalho temporário.
Se não fosse assim os comunas, andavam a criar familias e a reproduzirem-se, imaginem os problemas populacionais que isto ia criar. Se não tivessem sempre um pé dentro e outro pé fora do trabalho,os comunistas calões não se esforçavam.
É obvio. Se isto não resultar, prende-se os comunas calões em campos de concentração, e obrigam-se a trabalhar, o chato deste metodo alternativo é que custa mais de 400€ por pessoa, por isso o metodo actual é preferível.

Quanto ao comboio, é muito bom, é para o bem e para o desenvolvimento do país, mesmo que ninguém use.
Pode ser que aproveitem os comboios para irem para os estádios de futebol, acho que é esse o plano do governo.
E vejamos, vai dar emprego a uns quantos condutores de comboio e a uns milhares de burocratas, enquanto a banca faz a festa.
Ou seja menos desemprego e mais lucros, quanto a pagar a dívida de fazer e manter o TGV, isso fica para os filhos, netos e bisnetos dos comunas calões.

software livre !?
Esses linuxs feitos por comunas ?! Totalmente contra.
Ainda a Microsoft à falência, mais desemprego.
E o Bill Gates tem uma fundação que ajuda em causas sociais ou lá o que é, não se pode por isto em perigo.
E depois se os Linux não correm os últimos jogos windows, o que é os nossos gestores iam fazer no PC ?
E usar a command line ?!, não me parece.

Anónimo disse...

Inteiramente de acordo. Embora para mim um novo aeroporto, longe da cidade, ainda vá que não vá. Mas o TGV, minha rica Nossa Senhora, que burrice.

Quanto à artista que imitou a Piaff dizias no blog que ela FEZ declarações, duvidando do 11/9, que davam a entender que foram feitas AGORA. Não foram. Foram há um bom par de anos, antes dos Óscares. O advogado dela já veio dizer que foram afirmações “fora do contexto”. Coitada da rapariga, depois dos Óscares, bem arrependida está. Como conclusão podemos dizer que Óscares e implosão controlada de torres estão na razão inversa dos factores: quanto mais óscares menos implosão e vice-versa.

Um abraço

FCR

xatoo disse...

este anónimo, exceptaundo algumas calinadas na gramática, tá bem caçado

xatoo disse...

ps: não é o FCR - é o de cima

Anónimo disse...

Vocês só pa rir...

Porque continua os estádios?!

"um «investimento» de centenas de milhões de contos em estádios de futebol que «estão às moscas»" ... DEMAGOGIA PURA
+-
ESTADIO DA LUZ 120.000.000 EUROS
ALVALADE 120.000.000 EUROS
DRAGÃO 120.000.000 EUROS
BRAGA 45.000.000 EUROS
GUIMARÃES 30.000.000 EUROS
AVEIRO 33.000.000 EUROS
LEIRIA 35.000.000 EUROS
BESSA 30.000.000 EUROS
ALGARVE 35.000.000 EUROS
COIMBRA 35.000.000 EUROS

600.000.000 EUROS = +- 120 MILHÕES CONTOS, logo centenas é UMA CENTENA. ÀS MOSCAS ESTÁ LEIRIA, AVEIRO E ALGARVE.

PORQUE SE COMPARARMOS EM TODOS OS OUTROS PASSA LÁ MAIS PUBLICO DO QUE EM QUALQUER OUTRA SALA, SEJA DO QUE FOR, NO PAÍS.

e citar o BELMIRO... você faz-me rir.

Uma pessoa queconsegue ter marido e mulher na sua empresa a trabalhar e dá 600,00 euros a um e 460,00 a outro... TÁ TUDO DITO!

1 ABRAÇO
Jaime

Zorze disse...

Boas noites, gostei do comentário inflamado do anónimo. E não é que concordo em grande parte. Acrescento apenas que teremos um dia de perguntar aos nossos Senhores - Podei, eu, humilde criatura cortar os pulsos e não incomodar mais o Senhor?
Exagero à parte, sempre foi assim e continuará assim, é a condição humana.
Quanto ao Sr. Belmiro, ele grita porque nada lhe toca, caso contrário... Que moral tem para amandar bitaites um dos maiores sugadores de trabalhadores?
Quanto aos outros - construtores e bancos, principalmente - o TGV já lhes foi prometido e agora já é tarde.
Dirão eles nos seus gabinetes - Ao menos vamos dar trabalho a essa carneirada toda, para poderem beber as suas minis e irem ao futebol, cambada de borregos que estão sempre a reclamar.

TGV num País da dimensão geográfica de Portugal é umas das maiores incoerências que podem haver. Está tudo maluco. Um País com tantas carências onde se fecham maternidades, centros de saúde (pode parecer demagogia,mas não é, pois é totalmente o sinal contrário de incentivo para a fixação das populações no interior), para se verterem muitos milhões para reduzir alguns minutos nalgumas deslocações no nosso amigo Quimbóio.

Abraço,
Zorze

http://extrafisico.blogspot.com

Anónimo disse...

Há um comentário interessante neste forum:

http://www.estranhomasverdade.com/forum/index.php?topic=5521.0

A última ridicularia ... dos senhores que dizem que nos governam tem aver com o famoso TGV (_train de grande vitesse_) ou CAV (combóio de alta velocidade).

Vejamos:

Dizem eles que o TGV vai para a frente, aconteça o que acontecer, custe o que custar.
Mais:
Que as opções estão tomadas e serão a ligação Lisboa-Madrid e Lisboa-Porto.

Deixemos a ligação Lisboa-Madrid em paz. Nuestros hermanos se encarregarão de os trazerem à realidade e de os meterem na ordem...
Vejamos a ligação Lisboa-Porto: O TGV ou o CAV são combóios para circularem a 300 ou mesmo 350 km/h.

A distância entre Lisboa e Porto é de 317 km. Assim sendo, levando em conta que o comboio teria aquela velocidade e descontando o tempo de aceleração até aos 350km/h a partir de Lisboa e a desaceleração até velocidade compatível com a chegada ao Porto, o combóio gastaria cerca de 1 hora e 15/20 minutos, talvez mesmo mais, 1 hora e meia. Boa média.

Porém...

Foi dado a conhecer que o trajecto Lisboa-Porto teria as seguintes paragens de percurso:

OTA - a 70 kms de Lisboa
LEIRIA - a 72 Kms da Ota e a 142 de Lisboa
COIMBRA - a 60 Km de Leiria e a 202 de Lisboa
AVEIRO - a 64 Km de Coimbra e a 266 de Lisboa
PORTO - a 51 Km de Aveiro e a 317 de Lisboa

Perante este quadro, permitam-me que faça apenas quatro observações e uma pergunta:

OBSERVAçõES:

1. Saído de Lisboa, o TGV, a 300 Km/h, mal comece a acelerar estará a travar a fundo, para não falhar a Ota, a 70km;depois repete-se a dose no trajecto Ota-Leiria, cujo trajecto é de 72km; também no Leiria-Coimbra, 60km; e no Coimbra-Aveiro, 64km; e, finalmente, no Aveiro-Porto, 51km.

2. Assim, um trajecto que antes se viu que levaria cerca de HORA E MEIA, nestas condições nunca consumiria menos de 2 HORAS E MEIA, bem folgadas.
Como actualmente o percurso se faz em 3 HORAS e, com um combóio que atinja 180 km/h, se fará em MENOS DE 2 HORAS, para que vai servir o TGV?

3. Será que "eles" aspiram a ter um TGV, um combóio de apeadeiros ou uma imensa gargalhada a ouvir-se para lá dos Urais?

4. Com tantas acelerações bruscas e travagens ainda mais, aquilo é que vai ser um gasto em embraiagens e pastilhas de travões? Será que vamos ter dinheiro para tantas peças

PERGUNTA:

Estes senhores andam a gozar connosco ou não... ?!

deusmalibre disse...

Ve victis!

Ai dos clientes com empréstimos dos bancos deste Socrático amigo dos mais ricos e loadrões da pátria!

E ai tamém de quem fosse de todo dependene desse Belmiro ou do filho, igual, que breve saberia a vida sob a alçada de um ditadorzeco, a ver pela música insistente, chata, que a toda hora nos assalta, tararira-rari-ra, de publicidade ao ao... que nem o nome lhe topo...

Como ao continentre, que, coitado, não pode aparecer nem discreto que não venha a gaja, qual lapa, a serigaita, ontem, hoje e amanhã... rais a parta!

santantonio disse...

Oh, e lá sa f... os vampiros

sem falta de um de comendador à portuga, que um dia vai morrer tamém, apesar de quanto tenha, indevidamente.

Ele e o Pinto Teixeira e assim o jardineco de Gonçalves, gandas trolhas, imortalizados dois dias...
não mais do qu'isso, ka porra!

sidomais disse...

E diz o parvalhão na tv, agora mesminho: eu é que não sou parvo, eu, ihihi...

PintoRibeiro disse...

Fede, tudo isto.

alf disse...

a economia é uma roda gigante, tem de estar sempre a girar para as pessoas terem emprego, para se fazer investigação, etc.

Há umas décadas, numa aldeia do interior deste pais, um senhor rico houve que contratava pessoas para levarem pedras de um lado para o outro.

Era um trabalho totamente inutil mas foi a forma que ele encontrou de garantir o sustento de pessoas da zona de uma forma que não ofendesse a sua dignidade.

A alemanha e a frança investiram muito nos TGV e precisam de continuar a vender comboios; então é preciso quem continue e fazer linhas de TGV, todos os paises têm de dar a sua contribuição... por isso Portugal tb tem de comprar o TGV, não é uma decisão portuguesa, é da Europa, Portugal apenas poderá negociar as condições em que o vai fazer.

Esperando-se que a crise imobiliária em espanha faça regressar a Portugal uns 40.000 trabalhadores da construcção civil, o TGV e o novo aeroporto são óptimos para garantir emprego para todas essas pessoas.

Pode-se dizer que haveria coisas mais uteis e até posso estar de acordo; mas sempre é masi útil do que acartar pedra de um lado para o outro.

(bem, eu escrevi isto porque voces já bateram todos no ceguinho; se achassem bem o TGV eu teria escrito o contrário... não exactamente por ser espirito do contra mas porque não resisto a procurar sempre os outros lados de qualquer questão)

Anónimo disse...

então vamos procurar este lado.

Com fim do petroleo barato, o tranporte de mercadorias por avão e barco deixa ser competitivo e passa a ser proibitivo. Não sendo o TGV movido a combustiveis, quer dizer que no transporte de mecadorias pode ser a chave para acrescentar mais competitividade às nossas exportações. Falta saber o que vamos exportar, talvez alunos das novas oportunidades.

Com a crise energética em que já entramos, o TGV pode ser um trunfo em relação à aviação.
Tendo como pano de fundo a já referida crise energética, jugo que faz muito mais sentido, questionar a construção do novo aeroporto. Este sim, pode ser um investiemnto do tipo: mudar pedras de lado para o outro.

Já agora conto uma história real parecida com a das pedras. Um sujeito pediu a um trabalhador de cor (sem qualquer laivo de racismo, porque foi assim que as coisas se passaram), para lhe retirar as aparas resultante do tratamento do jardim para um determinado local. O sujeito teve que se ausentar e deixou o trabalhador a cumprir a sua tarefa. Demorou-se mais do que o previsto e quando chegou ficou espantado porque o Arminda estava a transportar de volta as aparas do local de armazenagem para o jardim. Quando lhe perguntou porque estava a fazer aquilo, respodeu que já tinha recolhido tudo e como a patrão não vinha, para não ficar parado estáva a sujeitar as aparas de jardim ao percurso inverso :)

Sauridio

Anónimo disse...

Miguel Martinez Devesa
Milagro 11-Valencia-46003-España
Yo"NO" creo que el"TGV" sea una inversión generadora de desestabilidad presupuestaria para el Pais, creo que sera: positiva.
Lo que no comprendo es como el Sr.
Belmiro de Azevedo, critique esta actuacion del gobierno y otras muchas, en vez de criticarse a si mismo, de vez en cuando , porque de hacer "dinero" si que sabe , pero a consta de los demas y aqui por lo visto "no" tiene posibilidad
de hacer dicho dinero.
El Sr. Belmiro tiene muy buenas palabras y da muy buenos consejos,
pero siempre hace lo contrario de lo que dice.
En "ORDEM DOS ADVOGADOS" Dice: que su "CONCIENCIA" "no" le permite
los "ABUSOS DE PODER NI LAS INJUSTICIAS".
Yo trabajaba en una empresa del grupo"SONAE-TAFISA" y la "VENDIO"
"ANTES" de "DESPEDIRME".
" COBRO 120.000 EUROS" por mi
despido pagados por la empresa compradora.
El Sr. Belmiro "MANDO" una persona
para que"FIRMARA" mi "renuncia a 120.000 euros y mi despido" cosa que consiguio.
Claro que para ello tuve que ser:
"HUMILLADO,EXTORSIONADO,AMENAZADO Y ENGAÑADO CON TRAMPAS Y MENTIRAS.
Recurri a la "JUSTICIA" y no pudo hacer nada porque "FIRME"¿VOLUNTARIO?.
Recurri al Sr. Belmiro y .....?
Esto es un pequeño "ejemplo" de lo que es la "CONCIENCIA" DEL SR.
BELMIRO.
Si no juzguen Vds mismos
Un Saludo
Miguel Martinez Devesa