terça-feira, junho 03, 2008

Como se lança um concurso para um TGV no valor de 1.450 milhões de euros no começo de um Europeu de Futebol

Enquanto as televisões apontam as suas câmaras para a carreira da selecção nacional de futebol no Euro 2008, o governo aproveita para lançar elefantes brancos abjectamente dispendiosos e inúteis que vão endividar o país por gerações:



Media Manipulation (Wikipedia):

Manipulação Mediática consiste num tipo de relações públicas no qual os políticos criam uma imagem ou uma argumentação que favorece os seus interesses particulares. Tais tácticas incluem o uso de falácias lógicas e técnicas de propaganda, e envolvem muitas vezes a supressão de informação ou pontos de vista, induzindo outras pessoas ou grupos de pessoas a parar de ouvir determinados argumentos, ou simplesmente desviando-lhes a atenção para outro lado.

Desvio de atenções graças a um acontecimento especial (Distraction by phenomenon): é uma estratégia arriscada mas efectiva pela qual o público pode ser distraído por longos períodos de um assunto importante por outro assunto que ocupa mais tempo nos meios de comunicação. Quando a estratégia resulta, pode-se ter uma guerra ou outro evento mediático desviando a atenção de comportamentos reprováveis ou de menor honestidade por parte dos líderes.





Miguel Sousa Tavares (Expresso 07/01/2006)

«Todos vimos nas faustosas cerimónias de apresentação dos projectos [Ota e TGV], [...] os empresários de obras públicas e os banqueiros que irão cobrar um terço dos custos em juros dos empréstimos. Vai chegar para todos e vai custar caro, muito caro, aos restantes portugueses. O grande dinheiro agradece e aproveita.»

«Lá dentro, no «inner circle» do poder - político, económico, financeiro, há grandes jogadas feitas na sombra, como nas salas reservadas dos casinos. Se olharmos com atenção, veremos que são mais ou menos os mesmos de sempre.»
.

10 comentários:

Zorze disse...

É a arte da esquiva e do golpe. Como no boxe e em algumas artes marciais orientais, primeiro simula-se um ataque e depois desfere-se o golpe fatal no flanco desprotegido. É pena que em Portugal holopensénicamente existam muitos "flancos desprotegidos". Fica mais fácil.
Futebol e cervejada é disso que o povo gosta e eles sabem-no muito bem.

Abraço,
Zorze

Nicolaias disse...

Não podemos esquecer que Bilderberg é esta semana

xatoo disse...

e que antes do Bilderberg,,,
está em curso a cimeira da AIPAC, o lobie judaico, com a presença das estrelas todas, o Olmert, a Condi e os 3 candidatos à presidencia dos EUA
a linha dos judeus ortodoxos fazem o pleno, hem?

xatoo disse...

Diogo
quando tiveres o link da entrevista do Miguel Urbano Rodrigues sobre "as guerras de rapina" deixa-mo lá (ou aqui): Não vi e fiquei curioso.

MFerrer disse...

A indústria da suspeição e do opróbio é inata em muita gente.
Quem é que queriam que estivesse neste tipo de anúncios?
Os veterinários?
Os do peixe ?
Não querem banqueiros? Engraçado! Então ele que do alto da sua sobriedade nem faz marqueting para vender livros ,nem nada...
Estou quase a mandar-lhe um subsídio!
Não querem empresas que ganhem dinheiro? Curioso!
Não querem nada?
Alarmismo e porcaria tem hora!
MFerrer
http://homem-ao-mar.blogspot.com

BMC disse...

Este link permitirá a quem quiser ver a entrevista ao MUR:
http://www.mediafire.com/download.php?z3vzv99xmyz

xatoo disse...

carissimo MFerrer
ponto1 - o meu amigo refere-se certamente aos banqueiros da banca do retalho, que esses será normal existirem. Mas o que está aqui em causa é a grande Banca macroeconómica que gere o sistema global, são privados, colocam-se acima do poder dos Estados e ninguém sabe lá muito bem quem são (quem domina os bancos emissores (FED) norte americanos?, e o BCE? que foi criado junto com o euro para conceber o resultado que está à vista?)
ponto 2
as empresas no sistema capitalista fazem aquilo que o sistema lhes propicia: o lucro. No entanto, há outros designios que deveriam ter, e até a ONU o reconhece ao pôr em letra de lei "a função social das empresas"; agora, no vertiginoso free market da globalização quem é que obriga as empresas a cumprir o que quer que seja, em termos de planificação do que devem produzir?. Se são os consumidores o resultado é o caos que actualmente prevalece.
ponto 3
portanto temos um problema grave para resolver, como diz Chomsky: ou a hegemonia dos ricos, ou a sobrevivência dos pobres, e dizemos nós, o povo de esquerda: ou o neoliberalismo, ou um sistema racional de produção

contradicoes disse...

Mais uma obra que resvalará
sobre o valor da adjudicação
porque muita gente ficará
com um chorudo quinhão

Tárique disse...

isso são coisas para irem para a lusoponte do ferreira do amaral ou a mota engil do jorge coelho ?

Ashera disse...

SEM PALAVRAS...
o povo tem que merece? e os outros?
Claro que fazem uma grande festa , só Vejo bandeiras nas janelas...tipo patriotismo ou apoio aos que são pagos em milhões para fazer o que mais gostam?
E entretanto, #alguém# vai furando tipo topeira irrrraaaa!
A maior parte de nós já "entrega os pontos", estes bandalhos dão muito trabalho e não nos pagam!
Beijos no teu coração