segunda-feira, novembro 30, 2015

Cavaco Silva - um caso extremo de abuso existencial…


O Céu Já Não Pode Esperar (mais)


Piada rapinada ao Quino e adaptada por mim à política nacional


Sinopse

O Presidente da República Portuguesa (Aníbal Cavaco Silva) [1939 - 2016] parece nunca se ter dado conta dos problemas que atormentavam o país. Constantemente acossado por uma cara-metade saloia, odiado pela população portuguesa e tendo de conviver com um partido que o desprezava e uma oposição que o abominava, a dada altura, o Silva de Boliqueime já não fazia, nem dizia coisa com coisa.




Quando já todos lhe diziam para desaparecer, Cavaco continuava convencido de que era "O escolhido para manter Portugal em "banho-maria". Sempre hesitante, convencido de que a "Crise era para aguentar, ah pois era», achou que podia continuar a piorar ainda mais a situação sem um respingo de revolta das pessoas. Até que a população se fartou...




No meio, jaz o indivíduo [1964 - 2016] que, igualmente a pedido da Banca, fez o papel do «Cobrador do Fraque», e que nessa tarefa reduziu os salários, as pensões, destruiu empregos, a segurança social, a saúde, a educação e a economia, e entregou de mão beijada aos privados os monopólios públicos lucrativos. Até que a população compreendeu de facto o que era a «Austeridade» e, naturalmente, zangou-se...




Mais à esquerda, jaz o sujeito [1957 - 2016] que, a pedido da BANCA, pediu empréstimos colossais a juros agiotas para fazer obras faraónicas, inúteis, pornograficamente dispendiosas e com derrapagens financeiras inexplicáveis (as celebérrimas Parcerias público-Privadas). A maior parte destas obras foi feita a meias com empresas privadas em que ficava estabelecido que estas ficavam com os lucros e o Estado (o Povo português) com os prejuízos. A população acabou por se lembrar desses desmandos e decidiu ter uma conversa a sério com esse indivíduo...

62 comentários:

RAMIRO LOPES ANDRADE disse...

CARO DIOGO

DEVIA-SE CONSTRUIR UM CEMITÉRIO SÓ PARA BANDALHOS, COM UMA ESTÁTUA DEDICADA AO SÃO SÓCRATES / LADRÃO / PANELEIRO / MAMADOR DE CARALHOS / MAÇON E POR ULTIMO GRANDESSÍSSIMO FILHA DA PUTA.

POR LÁ TODOS OS FILHAS DAS PUTAS DE PORTUGAL ( TERIA QUE SER UM CEMITÉRIO GIGANTESCO ):

MIRA AMARAL
DIAS LOUREIRO
ANIBAL CAVACO
MÁRIO SOARES
ARMANDO VARA
ZÉ SOCRATES
FERRO RODRIGUES
PAULO PEDROSO
TONECAS GUTERREZ

ETC ............. A LISTA É ENORME, E NÃO QUERO COMETER QUALQUER INJUSTIÇA DE ME ESQUEÇER DE NINGUEM.

CLARO QUE ANTES DE OS ENTERRAR, TERIA QUE SER PROVIDENCIADO O FUZILAMENTO , UM A UM , TRANSMITIDO EM HORÁRIO NOBRE, AS 20:00 HS.
UM POR DIA, PARA SER O MAIOR PROGRAMA COM MUITOS TELESPECTADORES, E JOGOS TRANSMITIDOS PELA TELEVISÃO ,. COM APOSTAS SOBRE AS ULTIMAS PALAVRAS DESTES FILHAS DAS PUTAS.

ABRAÇOS.
E CONTINUO A VER SEU BLOGUE MUITAS VEZES POR SEMANA, CONTINUE,

RAMIRO LOPES ANDRADE

Diogo disse...

Caro Ramiro,

Que bom que seria vê-los enterrados a todos (o Portas até ia gostar). Há-de haver uma reacção à destruição de Portugal, da Europa e de todos os países do Mundo pela Finança Internacional. A Internet vai difundindo cada vez mais informação e os merdia a soldo (televisões e jornais) têm cada vez menos audiência. Mais cedo ou mais tarde, até aos mais ceguetas a realidade há-de penetrar...

Abraço

N disse...

Todos os sujeitos acusados por ti Diogo, foram eleitos democraticamente.
O pinócrates ainda hoje, tem lemmings que o apoiam.

Numa democracia directa; o tal sistema que tu defendes, o que é que ia mudar?
Por acaso os idiotas não iam valer tanto nas urnas como os sábios?
Não é senso comum que os idiotas serão sempre mais que os homens sábios?


Isto faz da democracia o problema. E o problema não pode ser solução simultaneamente.

Diogo disse...

Thor, no sistema que eu defendo não havia ninguém eleito.

Thor disse...

Thor, o caralho.
o comentário das 13:06 não é meu, é do N.

embora eu concorde genericamente com ele.
democracia directa não resolve nada.

embora não me incomodasse que fosse aplicada "experimentalmente", e em assuntos de menor ou relativa importância, recorrendo até a escalão de votos e excluindo uma boa parte da população do processo (ignorantes, analfabrutos, bêbados, bandidos, violadores, etc, etc enfim, a ralé)

Thor disse...

e a dita votação não precisava de ser de carácter "vinculativo", podia ser apenas de carácter "consultativo", como aconteceu na Alemanha NS.
isso, e mais o escalão de votos e a exclusão dos burros, estúpidos e ignorantes, resolvia plenamente o problema do igualitarismo.
as populações não tomavam decisões, apenas eram ouvidas.

Pedro Lopes disse...

Cobrar mais impostos?Mais?

"Cobrar mais impostos para investir é ideia de Stiglitz para Portugal crescer"

Solução "inovadora" pá! Mais impostos!!!! Olha que belo prémio nobel da economia aqui temos hein!

http://www.publico.pt/economia/noticia/mais-impostos-para-investir-e-ideia-de-stiglitz-para-portugal-voltar-a-crescer-1716208


Boa ideia, ir ainda mais ao bolso dos tugas para "investir", ih ih ih. "Investir"!!
Que nome mais giros arranjam para evitar a palavra roubar.


http://www.publico.pt/economia/noticia/mais-impostos-para-investir-e-ideia-de-stiglitz-para-portugal-voltar-a-crescer-1716208

Pelo focinho, hummm, e pelo nome, humm.... Vocês sabem do que eu estou a falar!

https://www0.gsb.columbia.edu/cfusion/faculty/jstiglitz/images/JS.books.cropped.web.jpg

N disse...

Pedro Lopes, as ideias de roubar vem da impunidade(O público-alvo é manso). A retórica usada para pseudo-legitimar o roubo vem da estupidez do público-alvo(Não ouvem quem devem ouvir, não querem aprender, não fazem esforço por aprender, e não obedecem a quem devem obedecer. São democráticos portanto...).


O que ele disse foi mais ou menos isto: "Eu quero melhorar a tua qualidade de vida(mas sem explicar como...), e portanto vou-te confiscar ainda mais rendimento, para depois de gerido por mim, dar-te(sem quaisquer garantias obviamente, apenas promessas) novamente aquilo que te confisquei, mas não todo...O resto vai ser para combater a "desigualdade".

Como isto soa demasiado a escândalo(e a verdade já agora), o filho da puta tem um palavreado mais complexo para convencer o gado democrático a deixar-se ser AINDA MAIS roubado do que já é(e não é nada pouco...).


João disse...

Ola Diogo

Estes senhores, descendentes de ciganos, sem ofensa para os ciganos.
são o suprasumo da nobreza elitista que nos desgoverna.
Nem uma gota dos privilegios podem perder.
São uma especie de governo turco com o petróleo.

Diogo disse...

Thor - «as populações não tomavam decisões, apenas eram ouvidas»

Diogo: Eram ouvidas por quem? Por representantes eleitos? Vira o disco e toca o mesmo?



Pedro Lopes - «"Cobrar mais impostos para investir é ideia de Stiglitz para Portugal crescer. Solução "inovadora" pá! Mais impostos!!!! Olha que belo prémio nobel da economia aqui temos hein!»

Diogo: Stiglitz continua a pensar em termos de anos 20-30. Os bancos criam dinheiro a partir do nada. Bastava que emprestassem a zero por cento (cobrando apenas uma taxa para despesas de funcionamento). Tanto o investimento, como o consumo, como a economia disparavam…



N - «O público-alvo é manso»

Diogo: O público-alvo é massacrado diariamente nos jornais e nas televisões por um batalhão de mentirosos a soldo que falam uma linguagem encriptada para ninguém perceber (tal como fazem os advogados e outros).



João - «são o supra-sumo da nobreza elitista que nos desgoverna»

Diogo: estes senhores são apenas agentes de 3ª categoria. Acima estão os banqueiros que conhecemos e mais acima estão os banqueiros que desconhecemos…

Pedro Lopes disse...


[OFF-TOPIC]

O Dono do Facebook já é pai.

Digam lá que não é lindo o menino!

http://a.disquscdn.com/uploads/mediaembed/images/2880/6696/original.jpg

Thor disse...

"Diogo: Eram ouvidas por quem? Por representantes eleitos? Vira o disco e toca o mesmo?"


claro que não. eu não sou defensor da democracia representativa. aliás, nem sequer defendo a democracia. ponto.

eram ouvidas pela classe governante, obviamente o estadista e os seus conselheiros.
mas só eles é que tinham a última palavra em tudo. e não as massas.

Pedro Lopes disse...

Democracia directa, ou democracia representativa são á mesma de elevada perigosidade para um pais, isto na forma de organização politica, económica, social, laboral , militar etc do pais.

A única situação em que o conceito de democracia poder ser aproveitado, ou pelo menos não me parece tão perigoso é aquilo que designo por "micro-democracias" (ou pode-se chamar outra coisa qualquer). Que é haver o direito ao voto mas em organizações pequenas e sectoriais.

Por exemplo, um clube desportivo ou uma associação de outra natureza necessita de mudar de liderança de vez em quando por determinados motivos. Os sócios do clube, uma vez que conhecem o clube e são aficionados e percebem(alguns) dos assuntos em causa poderão votar em eleições para os órgãos do clube. Ou podem votar em medidas a estabelecer. Não vejo aqui grandes problemas, embora mesmo aqui poderemos ter a maioria a optar pelas piores ideias.

O mesmo se poderia aplicar para uma ordem dos advogados, ou ordem dos médicos ou dos professores, sindicatos, organizações de empresários etc.

Agora os cidadãos do pais estarem a ser chamados para votar em medidas importantes para os destinos gerais do pais(a curto, médio e longo-prazo), não funciona. Nunca funcionará.

E não funciona porque 90% das pessoas(ou mais) apenas vive em função do meio próximo que as rodeia. A família, os amigos, os vizinhos, a escola, o café, o Benfica, a mercearia etc.
Se estiverem bem na vida não lhes interessa mais nada, mesmo que o resto do pais esteja a ser mal conduzido. E isto é dos principais argumentos contra a democracia.

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...

Basta qualquer pessoa ao estacionar o carro, observar um ressacado a fazer de arrumador, e reflectir o seguinte:"Este gajo nas urnas vale tanto como eu".

E pronto, chega à conclusão que a merdocracia JAMAIS pode funcionar.


"Diogo: O público-alvo é massacrado diariamente nos jornais e nas televisões por um batalhão de mentirosos a soldo que falam uma linguagem encriptada para ninguém perceber (tal como fazem os advogados e outros)."


Pois...E isso não configura crime de burla? Até mesmo crime de traição à Pátria?
Onde está o Estado de direito?
É por isso que eu afirmo categoricamente que a cobrança de impostos neste actual regime é ilegal. As pessoas estão a pagar por algo que não têm. O que constitui crime de burla, e ainda por cima practicado pelo Estado.

E já dura há mais de 40 anos isto...E ainda há camelos que celebram tal data.


Aliás, a própria democracia paradoxalmente é inconstitucional.
E vou explicar porquê:

Segundo a constituição, o regime é democrático. Segundo a constituição o crime de traição à Pátria é punível por lei com um mínimo de 10 anos de cadeia.
Ora democracia é nada mais nada menos que traição à Pátria "legalizada", apesar de a traição à Pátria (na teoria)ser punível por lei. Estamos perante um grave paradoxo legislativo.

Segundo a constituição, o regime democrático assenta num Estado de direito. Mas as escutas e videovigilâncias ilegais continuam, ninguém é punido, processos não avançam, indemnizações não são pagas às vítimas.
Logo se o Estado de direito não se concretiza por imposição de organismos democráticos, estamos perante mais um grave paradoxo legislativo.

Segundo a constituição, no regime democrático a escravatura é proibida e punível por lei. Ora são precisamente os partidos democráticos que escravizam DELIBERADAMENTE a Nação e seu respectivo povo com a escravatura da dívida. Estamos perante mais um grave paradoxo legislativo.
Se juntamos a isto escutas e videovigilâncias ilegais sistemáticas com duração de anos e feitas 24 horas por dia nas propriedades privadas dos cidadãos, tudo isto configura o crime de escravatura. Estamos perante mais um grave paradoxo legislativo.


Se formos ao dicionário ver o significado de burla constatamos:

Qual a definição de burla?
"Burlar:
Burlar significa enganar ou praticar FRAUDE em qualquer sistema, ou ainda lesar ou ludibriar alguém."


Ora segundo a definição de burla, podemos de forma INEQUÍVOCA PROVAR que a democracia É UMA BURLA.

Pedro Lopes disse...


Democracia da boa

http://a.disquscdn.com/uploads/mediaembed/images/2885/4775/original.jpg

Pedro Lopes disse...

Dedicada a patetas que perdem tempo a discutir quem é melhor, o PPD ou o PS, a esquerda ou a direita, o comunismo ou o capitalismo.

http://41.media.tumblr.com/93ab0d8d55c6a4ceed1c8cae0e06e863/tumblr_nyrunjpOlc1ss4dkfo1_500.jpg

É uma boa imagem dedicada ao mundo dos patetas. Dos parolos que vem televisão e ouvem comentadeiros e vão votar em rebanho.

Thor disse...

lol Pedro Lopes, esta também está boa ;)

http://antizionismo.blogspot.pt/2015/08/diz-o-roto-ao-nu.html

Pedro Lopes disse...


Uma conduta ética perfeitamente normal para um grande democrata.
Um democrata honrado.

http://noticiatuga.blogspot.pt/2015/12/carro-de-mario-soares-foge-depois-de.html

Thor disse...

então e esta, que vinha ao pé dessa mesma notícia?

http://noticiatuga.blogspot.pt/2015/09/sabias-que-o-teu-voto-pode-nao-contar.html


ya meu democracia é fixe :)

Pedro Lopes disse...



Já não é seis milhões.

Agora é 20. Binte Milhões!

http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/europe/germany/9906771/Nazis-may-have-killed-up-to-20m-claims-shocking-new-Holocaust-study.html


É á medida do freguês.
É só pedir.

Thor disse...

esses gajos são tão anormais que nem sequer se lembram de pensar se havia sequer "20 milhões de judeus" na Europa nessa altura...já nem digo na Alemanha (que rídiculo), mas sim na Europa.

enfim, esses gajos querem aumentar, aumentar, nem se preocupam em dar a mínima "credibilidade" a essa invenção macabra chamada "holofraude".

Pedro Lopes disse...


Uma pessoa que ficará claramente entre as figuras mais sinistras da história recebe prémio de figura do ano.
Gente de baixo nível atribui prémio á sua gente igualmente de baixo nível.Tal como atribuíram ao keniano soetero o nobel da paz.

http://www.dn.pt/mundo/interior/revista-time-elege-angela-merkel-a-personalidade-do-ano-4921649.html

Esta palavrinha bonita "chanceler do mundo livre" é mesmo ração para porcos.
Realista seria “chanceler do mundo livre de Alemães e Europeus”.
Ou ainda melhor “chanceler dos judeus, dos africanos e do islão”

Pedro Lopes disse...

(Cont.)

1º Angela Merkel: A escolha do nº1 recaiu sobre a líder da Alemanha, considerada como “a Líder mais poderosa da Europa” e a “Chanceler do Mundo Livre”. Merkel é elogiada pela atitude que tomou durante a crise dos refugiados: a abertura das fronteiras da Alemanha, a “firmeza contra a tirania”, e a “forte liderança moral” demonstrada. No site é contada toda a história de Merkel, desde o nascimento até às responsabilidades governativas.

2º Abu Bakr Al-Baghdadi: Judeu, líder do Estado Islâmico

3º Donald Trump : Pfff???

4º Black Lives Matter : Óbvio

5º Hassan Rouhani (Pres Irão) : Pfff???

6º Travis Kalanick (CEO Uber) : Celebre por foder a vida a milhares de taxistas nativos.

7º Caitlyn Jenner :
A mulher transgénero anunciou a transição no início do ano e mostrou-se ao mundo em junho, com a derradeira capa da Vanity Fair. Caitlyn Jenner trouxe as questões transgénero para a ribalta.

Pedro Lopes disse...


Democracia electrónica da boa.


http://observador.pt/wp-content/uploads/2015/08/time1.jpg


Filipe Bastos disse...

«Os cidadãos serem chamados para votar em medidas importantes para o país não funciona. Nunca funcionará.
Não funciona porque 90% das pessoas (ou mais) vive apenas em função do meio próximo que as rodeia: a família, os amigos, os vizinhos, a escola, o café, o Benfica, a mercearia, etc.
Se estiverem bem não lhes interessa mais nada, mesmo que o resto do pais esteja mal.»

Tem o Pedro Lopes muita razão. Isto não só é verdade, como é comprovável nas reivindicações das várias classes: estivadores, pilotos, maquinistas, professores, polícias, "lesados do BES", etc.

Todas se borrifam para o resto do país. Quem paga as suas reivindicações? Tanto lhes faz. Cada uma só olha para o seu bolso, as suas regalias, os seus direitos.

Mas isto não é uma questão da democracia, é uma questão humana: somos egoístas. Tal como somos gananciosos, medrosos, violentos, etc. Se removermos o verniz da sociedade, pouco evoluímos desde as cavernas.

Aquilo a que chamamos "progresso" são na prática camadas desse verniz: conceitos, conhecimentos, técnicas e regras que nos vão distanciando do homem das cavernas. A democracia é um desses conceitos.

Ter um chefe é fácil. O chefe manda, os outros obedecem. É assim desde sempre: nas cavernas o grandalhão da moca, depois os faraós, reis, imperadores, generais, presidentes, etc. Se o chefe for melhor, a coisa funciona melhor; se for pior, funciona pior. Não há escolha ou responsabilidade individual. O chefe decide tudo.

A democracia, sobretudo a DIRECTA, é muito mais difícil. Requer um sistema tão evoluído, tão bem pensado, que funcione APESAR das nossas falhas. Um sistema em que todos decidem e são co-responsáveis pelas decisões. E isso passa por educar as pessoas, e por criar regras para tomarem melhores decisões.

Não me parece aceitável, por exemplo, que a maioria decida que os Pedros Lopes, Thors, etc., devem ser presos. Para isso, para prender críticos de forma arbitrária, chegava-nos um ditador - ou, como vocês lhe chamam, "estadista" - qualquer.

É como a religião e a ciência. Um crente diz "Deus fez assim". E pronto. Deus manda, Deus pode tudo. É simples. Claro que é muito mais difícil aprender e entender o mundo do que dizer "Deus fez assim". Mas sem isso, ainda vivíamos nas cavernas onde Deus nos deixou.

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...

Filipe Bastos, há ditadores e ditadores.

Hitler pode ser considerado um ditador e amou o seu povo, subiu o nível de vida dos trabalhadores como nunca tal foi feito, acabou com a usura, com a pedofilia, prostituição, zelou pelos direitos das mulheres e crianças, evolução no campo das artes, ciência, etc...

Depois temos estaline que matou milhões de Russos(e não só) em gulags, legalizou a escravatura acéfala, obscurantista e desumana. Mandou matar miúdos a partir dos 12 anos com bala na nuca se estes se mostrassem "reguilas", e as mulheres eram escravas sexuais dos guardas dos gulags; e as que não eram, tal era a sua qualidade de vida que calçavam sapatos(?) de sarapilheira, etc....

Depois temos Mussolini que não foi tão humanista e criativo como Hitler, mas jamais foi traidor para com a sua pátria ou tirano com o seu povo.

Depois temos Salazar, que com qualidades e defeitos também não foi traidor à sua Pátria, não endividou deliberadamente a Nação, não tinha como hábito violar menores da casa pia, liderar redes de tráfico de cocaína, roubar os cofres do estado, ser pago pela cia ou pelo kgb para trair Portugal à custa da morte de muitos milhares dos seus cidadãos, etc...
Tudo isto que disse são "proezas" dos democratas como é sabido.


Já no campo dos democratas temos 2 bombas atómicas lançadas sobre o Japão, genocídios na Alemanha, Sérvia, Afeganistão, Iraque, Ultramar, etc...

Estes não são tiranos? Ou a tirania não existe se tiver o carimbo democrático?


Quem determina o que é certo e o que é errado? Foi escolhido por quem? Quais os critérios de escolha? E quem são esses que escolherem e quais os critérios porque foram escolhidos?


Mas concordo com várias coisas que disseste:


"Todas se borrifam para o resto do país. Quem paga as suas reivindicações? Tanto lhes faz. Cada uma só olha para o seu bolso, as suas regalias, os seus direitos.

Mas isto não é uma questão da democracia, é uma questão humana: somos egoístas."


É que realmente o ser humano em conjunto NUNCA pode ser perfeito. Nunca o foi, nunca o será.
Podemos ter sociedades mais perfeitas que outras é certo, mas sempre que tal aconteceu foi porque foram governados e educados por Aristocracias de grande valor: Alemanha Nazi e cidade-estado Esparta por exemplo.


A sociedade numa democracia, está cheia de seres humanos que não valem um caralho.
Basta dizer que vivemos numa era onde à velocidade de segundos acedemos a sites de pornografia infantil. E não faltam políticos que são patrocinadores e clientes de tal actividade asquerosa e desonrosa.


E sem preciso irmos mais longe, tal como tu não foste; o assumir que a grande parte dos seres humanos tem muitos mais defeitos que qualidades, é o maior argumento contra a democracia igualitária.
A democracia reside numa espécie de "fé" irracional e mentirosa, de que somos todos iguais e como tal devemos valer o mesmo nas urnas.

Numa democracia chega-se ao ponto de um violador e uma vitima de violação valerem o mesmo nas urnas. E quem achar que isto é razoável, não passa de retardado mental que anda aí.

Thor disse...

discordo que o Hitler fosse um ditador. ora bem, ele chegou ao poder em 1933 por vontade de uma grande fatia da população, bem ou mal, concordemos ou não com o sistema democrático, ele foi eleito. e durante a républica de Weimar até foi eleito mais do que 1 vez, porque antes de ir para o poder, já tinha ganho outras eleições. só que não tinha a maioria necessária para formar governo e como não se quis "coligar" com os outros partidos corruptos, não foi para o poder, pois ele mesmo não quis.

depois de já estar no poder, foi legitimado em referendo/eleição no ano de 1936. sim, ele perguntou às populações se o queriam, e o resultado foi um rotundo SIM com 99% de votos e não 20% ou 30%. as eleições não foram "manipuladas" porque houve observadores estrangeiros que garantem que foi tudo limpo e que não houve "pressão" sobre as populações.

até historiadores politicamente correctos admitem que o NS não foi totalitário, pelo menos até 1938. e só consideraram como "totalitário" de 1938 em diante, porque não houve mais referendos, devido à guerra.

em relação à "gestapo", a gestapo tinha 7.000 membros, e era uma brincadeirazinha de criança ao pé da KGB, nem há comparação possível. a KGB tinha 350.000 membros (50 vezes mais!) e era realmente uma polícia totalitária e omnipresente. a gestapo não! e ninguém era impedido de sair da Alemanha, ao contrário do que acontecia na URSS.
portanto, não, a Alemanha não era uma ditadura totalitária.

era "totalitária" no sentido em que havia respeito, e não havia degredo, prostituição, homossexuais, pedófilos, etc, etc mas para o cidadão comum, normal e cumpridor havia liberdade. não havia era "liberdade" para comunas, sabotadores, traidores, terroristas, pedófilos etc

agora, vou falar das democracias e deixar o comunismo e nazismo de lado, porque essa dicotomia de democracia vs resto (nazismos/totalitarismos/comunismo) é muito perigosa e errada...

os democratas chegaram ao poder em França em 1789 com um golpe de estado sangrento e durante o "Reign of Terror" nos anos seguintes, morreram centenas de milhares, senão milhões de pessoas e depois disso ainda continuaram a matar, a fazer golpes, comuna de Paris, etc

as democracias, sobretudo a Norte-Americana, Inglesa e israelita, mas não só, mataram nunca menos, e estou a ser simpático, nunca menos de 220-260 milhões de pessoas. isto é uma estimativa por baixo atenção.
há quem diga que já há 200 anos, os grandes banqueiros judaico-maçónicos controlavam o tráfico de ópio na China e geraram centenas de milhões de mortos, não sei se foi assim ou não, mas...

o que é facto, é que entre usura, desemprego, guerras, drogas, abortos massivos, fome, miséria, estados policiais e vigilâncias e etc, as democracias são tiranias.

o que é facto é que desde que existem, ou seja, últimos 240 anos, os EUA só tiveram 7 ou 8 anos de paz. e nos últimos 100 anos já invadiram mais de 80 países diferentes, vários deles mais do que uma vez, e já nem falo em sabotagens, golpes de estado, guerrilhas, etc
não esquecer que o tal ditador de direita Pinochet, foi posto pelo democrata Kissinger e pela Cia. quando se fala de "ditaduras" é bom não esquecer isso.

israel é um estado terrorista e nuclear que mata gente todos, todos, todos os dias, incluindo crianças e mulheres. estão armados com centenas de armas nucleares e químicas até aos dentes e são uma democracia. foram responsáveis também pelo USS Liberty e 11-9, entre outros.

a Inglaterra só não invadiu 22 países do globo terrestre, de resto invadiu TODOS. mesmo TODOS. e é uma democracia desde há muito, muito tempo.

a França invadiu e destruiu a Líbia com o Sarkozy, agora está a bombardear a Síria, etc

os democratas não são tiranos???

alguns dos maiores assassinos de todos os tempos eram democratas, desde Churchill, Eisenhower, Kissinger, só para dar alguns exemplos.

além de que nas democracias quem manda são os Rothschilds e o dinheiro, não o palhaço que está no "poder".

Filipe Bastos disse...

Claro que Hitler se tornou um ditador. Mas é verdade que jamais, que eu saiba, mentiu sobre as suas intenções: prometeu acabar com a democracia, assim fez. E é verdade que rompeu com muita podridão instalada, melhorou o país e a vida das pessoas.

Daí para a frente é impossível separá-lo da guerra. O regime e a economia passaram a existir para a guerra, milhões morreram, e o país acabou destruído e ocupado - até hoje. Setenta anos depois, é ainda um fantoche da canalha americana.

Como já vos disse: se Hitler odiasse a Alemanha, se estivesse ao serviço dos EUA e do sionismo, não poderia teria feito melhor. Os seus resultados foram um desastre, uma catástrofe para a Alemanha e para a Europa. Apesar de, sendo justo, o problema já vir de trás: se repararem, o grande momento de viragem, na Europa e no Mundo, foi a I Guerra. A II Guerra só terminou o enterro.

Sobre Israel também divirjo. Um israelita, tirado da rua ao calhas, tem mais em comum connosco do que um palestiniano. E não é por acaso que os israelitas lhes dão na pá: é porque, além da canalha americana e dos biliões sacados em equipamentos e reparações do "holocausto", os israelitas são realmente mais organizados, mais evoluídos. São melhores.

Os países árabes são, em bom inglês, shitholes. Também não é por acaso. Acho mal que Israel mate as criancinhas e tal, mas sou incapaz da hipocrisia dos tadinhos-dos-palestianos. Eles merecem-se uns aos outros.

Uma coisa. Vocês apontam sempre, e bem, as dificuldades práticas da democracia directa. Então e o V/ ditador vem de onde, quem o escolhe, como chega ao poder? Do PNR não é de certeza; mal chega a 0.5% dos votos. E não há outros partidos, ou movimentos, ou raio que o parta, que tenha alguém sequer vagamente parecido ao mítico salvador.

Ninguém o vê e ninguém o conhece; mas ele vai surgir do nada, vai chegar ao poder, esmagar a oposição, mudar o Paralamento, mudar a Constituição, tomar conta do Estado, impor uma Nova Ordem, etc, etc. Tudo isto em... Portugal, esse país de eleitorado tão esclarecido e dinâmico, que nunca vota nos mesmos, e que até adora a direita. É este o plano?

Pedro Lopes disse...

"Estes não são tiranos? Ou a tirania não existe se tiver o carimbo democrático?"

Não pá! Tu numa democracia podes estar a morrer á fome, mas ao menos podes ir votar e criticar o governo e podes ir mostrar o cú para as ruas com a bandeira dos paneleiros ao ombro. Queres melhor que isto?

Mais nada interessa. Tudo o que possa ser feito sob o sêlo democrático é legitimo. Tal como a inquisição. A Coreia do Norte é Democrática. Porque chama-se Republica Democrática da Coreia do Norte. Se eles dizem que são democratas é porque são. A URSS dizia que era mais democrática que a América. O nome RDA é Republica Democrática Alemã. Logo era um pais democrático.

Quem não gosta de democracia gosta de ditaduras, ponto final. Quem não gosta de democracia está ultrapassado e fora de moda.

"os democratas não são tiranos???"

Nunca. Jamais. Mas....se um tirano disser que é democrata passa a ser democrata.
A democracia é um estado de espírito. Quem não gosta não é cool.

Thor disse...

Filipe, a gente não é do PNR. já te explicámos isso "n" vezes.
eu já votei PNR 2 vezes, admito sem quaisquer problemas. não por acreditar no "sistema democrático" ou para dizer que "fiz alguma coisa", mas por não ver mais nenhuma alternativa.
só que o PNR está infiltrado e hoje é um partido conservador, não muito distante dos próprios neo-conservadores.

Filipe, eu também não digo que os Palestinianos são coitadinhos ou que não haja palestinianos terroristas, mas é preciso ser intelectualmente honesto e ver várias coisas.
1- se fossem ocupar o teu país, ocupar as tuas casas, despejar a tua família, acordar crianças a altas horas da madrugada nas suas próprias casas para as levarem a salas de interrogatório onde são torturadas, se fizessem autênticas limpezas étnicas no teu país, te negassem acesso a àgua decente, te fizessem embargos, te negassem emprego, te pisassem, matassem crianças indefesas, mulheres, etc, tenho a certeza que também tu te tornavas num "terrorista".
se há Palestinianos terroristas, quem os pode condenar por isso? eu não, de certeza.

2- a diferença de baixas é uma coisa completamente monstruosa e abissal, não dá sequer para comparar. é muito fácil dizes "eles merecem-se" ou "matem-se uns aos outros", eu também dizia isso há uns anos atrás, porque pensava que fosse minimamente equilibrado, mas depois comecei a enxergar as coisas como deve ser e a ver a realidade sem os "óculos" da propaganda sionista.
http://1.bp.blogspot.com/-y_c1jsAtvlQ/VaK2P2atagI/AAAAAAAAGjA/CZXX4RVgC2w/s640/ip_conflict_deaths_total.jpg

3- não adianta vir argumentar com o "Hamas" nem coisas desse género, porque inclusivamente aqui neste blogue já foi denunciado que é muito provável que o próprio Hamas seja uma criação israelita e esteja infiltrado no topo, para fazer ataques inócuos que dêem a israel o pretexto necessário para supostas "represálias" completamente desproporcionadas e carnificinas gratuitas em Gaza.


"Um israelita, tirado da rua ao calhas, tem mais em comum connosco do que um palestiniano."

comigo não tem, de certeza.
e até podia ser um negro, em vez de um palestiniano. entre um negro e um israelita, prefiro o negro e confio mais no negro.



"Daí para a frente é impossível separá-lo da guerra."

que não foi ele que criou ou iniciou, como bem sabes...

esta manchete é de 1933, 6 anos antes da guerra:
http://www.redicecreations.com/ul_img/5951judeawar.jpg

Filipe Bastos disse...

Thor, isso nem parece de alguém tão pragmático, tão pão pão queijo queijo. Quando Hitler invadiu a Dinamarca, a Jugoslávia ou a Grécia, também houve desproporção de baixas e de meios. Sim, a Dinamarca rendeu-se logo, mas se tivesse resistido que lhe acontecia?

Na guerra acontecem coisas terríveis, e o mais forte ganha. Civis israelitas também são atacados, e Israel responde pela medida grossa porque pode. Quem começou, quem é mais culpado, quem é pior, tudo isso já lá vai. E já viu os países muçulmanos, a sharia, aqueles barbudos de cu para o ar, as mulheres tapadas, é isso que prefere?

Tem de distinguir o povo, o cidadão comum, das "elites" podres. Alguém olha para Portugal e que vê? Políticos chulos, trafulhas, abichanados, até pedófilos, banqueiros mafiosos... a maioria de nós é assim? Então porque hão-de os judeus ser todos sionistas ou agiotas? Tal como há muitos americanos cultos e decentes, simplesmente a parte chunga é a mais ruidosa.

Nos países árabes, só se vê parte chunga - os famosos moderados, a existirem, não têm voz ou relevância. Invadem a Europa aos magotes, e ousam impor-nos os seus credos primitivos. Nem os judeus faziam tanto, tão às claras. Até a Europa medieval parece melhor que aquilo.

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...

Filipe Bastos, Salazar era de que partido quando chegou ao poder para limpar a merda feita pelos liberais na 1ªRepública?

Hitler antes de chegar ao poder, não teve que escrever um livro com as suas ideias?


As dinâmicas não são as mesmas em todas as épocas e em todas as Nações.

Em Portugal é o seguinte: Ou as Forças Armadas Nacionais se mexem como é seu dever e escolhem a futura elite e colocam-na no poder, ou então será lembrada na história pelos piores motivos, e mais que provável(e justo) como os principais coveiros da Nação.

O 25 de Abril não foi uma revolta popular. Foi um golpe militar.
Foi a instituição militar que nos meteu neste esgoto, como tal é a instituição militar que se tem que redimir.


A papinha já está toda feita: Descredibilização da classe política+Tudo está pior que na 1ªRepública(pretexto mais que justo para agirem)+Ideias políticas escritas e explicadas "tim por tim".


Agora é aplicar a regra das 3 legitimidades:

"+Legitimidade moral
+Legitimidade racial/étnica
+Legitimidade intelectual.

Basta não possuir uma destas, e não serve para ser líder.
É simples...

Se o líder é corrupto e/ou traidor, não possui portanto legitimidade moral.

Se o líder é judeu, cripto-judeu, ou de outra raça e/ou etnia qualquer que não a raça e/ou etnia raiz da Nação que governa, não possui portanto legitimidade racial/étnica.

Se o líder é burro, incompetente, limitado a nível de criatividade, e não consegue por isso resolver os problemas nacionais, não possui portanto legitimidade intelectual.

Se até é inteligente e criativo, mas usa a inteligência e criatividade para vigarizar, roubar, pilhar, e trair a Nação e o respectivo povo nativo que governa, então nesse caso apesar de possuir a legitimidade intelectual, como a usa não para os superiores interesses da Nação, mas sim contra a mesma, é porque não possui legitimidade moral.

Daí as 3 legitimidades serem inseparáveis, e basta não possuir uma delas para não ter assim legitimidade para governar."

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...

"Ninguém o vê e ninguém o conhece; mas ele vai surgir do nada, vai chegar ao poder, esmagar a oposição, mudar o Paralamento, mudar a Constituição, tomar conta do Estado, impor uma Nova Ordem, etc, etc. Tudo isto em... Portugal, esse país de eleitorado tão esclarecido e dinâmico, que nunca vota nos mesmos, e que até adora a direita. É este o plano?"

E para finalizar, eu não sou de "direita" nem de "esquerda". E era bom que os Nacionalistas(genuínos) começassem acordar para esta dicotomia democrática que só serve para dividir e fragmentar. Um Nacionalista étnico é da Nação Portugal, não é da "direita" nem da "esquerda".

http://omsilanoican.blogspot.pt/2015/11/pensamentoimagens-do-dia.html

Thor disse...

ya, o Filipinho adora colar-nos à direita, quando não o somos. e ao PNR.

embora nunca me tenha identificado a 100% com o PNR, apesar de tudo o PNR dantes era diferente e tinha mais qualidade. nos últimos tempos só se tem degradado e agora já só consegue falar em islão, islão, islão e mais islão, sinal que o PNR cada vez mais está a ser "sequestrado" pelos neocons anti-islâmicos.

Pedro Lopes disse...

"E para finalizar, eu não sou de "direita" nem de "esquerda""

"Esquerda/Direita" é uma paradigma que foi criado para os parolos se entreterem.
É ração para porcos.


"islão, islão, islão e mais islão, "

http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/mercados/2015-12-10-Zuckerberg-apoia-muculmanos-no-Facebook

http://www.dailystormer.com/wp-content/uploads/2015/11/JTA-Eleven-Jewish-Groups.jpg

http://www.davidduke.com/images/Jew-rabbi-baruch-Efrati-Izlamization3finalforweb.jpg

http://renegadetribune.com/wp-content/uploads/2015/09/wpid-barbara-spectre-quote-e1441221823269.jpeg

Filipe Bastos disse...

N: Então a V/ solução é a tropa? A tropa de hoje? Uma dúzia de soldadinhos que só quer férias e tacho? E de onde virá esse fulano das 3 legitimidades? Sempre vem do nada?

Acham mesmo que cem anos e uma "longa noite fascista" depois, repetida todos os dias nos merdia e nas escolas, alguém vai nisso? Recomendo que esperem sentados... entre o V/ plano e ganhar o Euromilhões, não sei o que será mais fácil.

Thor: Não é o Filipinho que vos encosta à direita, é o eleitorado e o mundo em geral.

Quem não é de esquerda é de direita, e vice-versa. É assim que funciona. Ora sendo anti-comunas, só podem ser de direita. Salazar e Hitler também são conotados com a direita, embora muitos recordem que o último era nacional-SOCIALISTA, o facto é que o nazismo (tal como o fascismo) surgiu em oposição ao comunismo.

Mesmo não sendo nacionalista, nem maluquinho dos ditadores, essa generalização também me acontece. Quando malho na carneirada laranja/azul, chamam-me um perigoso comuna. Quando malho na carneirada comuna, sou um irremediável "fachista". Para a carneirada não há isenção, não existe meio-termo.

N disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
N disse...

"N: Então a V/ solução é a tropa? A tropa de hoje? Uma dúzia de soldadinhos que só quer férias e tacho? E de onde virá esse fulano das 3 legitimidades? Sempre vem do nada?"

Essas generalizações são acéfalas e fruto da lavagem cerebral pós-25 de Abril que desde aí fazem campanhas anti-militaristas.
Lavagens cerebrais que tu criticas outros de sofrerem, mas tu não estás livre delas todas.

Vários exemplos:

Por alguma razão cortaram na tropa obrigatória.

Por alguma razão a Marinha faz anos e os canais nada mostram, mas se um Fuzileiro atira sem querer(pode acontecer perfeitamente) um drone para o rio numa demonstração, aí os média todos dão a notícia.

Por alguma razão os Comandos são notícia só quando acontecem acidentes nos treinos, e estes sempre empolados e deturpados pela comunicação social.

Por alguma razão os cortes nas Forças Armadas são contínuos desde o 25 de Abril.

Por alguma razão nas caixas de comentários nos jornais Online estão sempre a bater nos militares. Engraçado é haver vários nicks que escrevem no mesmo estilo e até com os mesmos erros ortográficos(Não é preciso ser um grande gênio para perceber que se trata de agentes pagos para influenciar debates na internet).

E muitos mais exemplos desta campanha anti-militarista se podem verificar para quem andar atento.
Estas coisas não são obra do acaso e visam o propósito de divorciar os civis da instituição militar, porque percebem o perigo quando existe uma forte união e sentimento tribal entre o povo nativo e seus militares nativos.

O Patriotismo une(E o Nacionalismo ainda mais), a democracia divide.


"Sempre vem do nada?"

Em milhões haverá certamente algumas dezenas/centenas. Quando estes mandarem e moldarem a sociedade restante, passarão a milhares, a dezenas de milhares, e a centenas de milhares.
Claro que tal dinâmica só num sistema anti-democrático e semi-totalitário.


"Quem não é de esquerda é de direita, e vice-versa. É assim que funciona. Ora sendo anti-comunas, só podem ser de direita."

Por essa lógica sendo anti-capitalista sou de "esquerda" também...

Já por isso mesmo a Terceira Posição está além dos termos "esquerda" versus "direita", e é anti-marxista(seja marximo duro, ou versão "soft" como social-democracia) e anti-capitalista(seja os infantis libertários, neo-conservadores, ou sociais-democratas capitalistas a nível económico mas marxistas a nível cultural).



"embora nunca me tenha identificado a 100% com o PNR, apesar de tudo o PNR dantes era diferente e tinha mais qualidade. nos últimos tempos só se tem degradado e agora já só consegue falar em islão, islão, islão e mais islão, sinal que o PNR cada vez mais está a ser "sequestrado" pelos neocons anti-islâmicos."

O PNR faz caricaturas dos islâmicos mas nunca dos judeus. Só por aí se vê que não são independentes.
Apesar de FACTUALMENTE os judeus nos prejudicarem muito mais. E até mesmo estes últimos estarem por detrás da imigração islâmica(plano kalergi).

Pedro Lopes disse...

"nem maluquinho dos ditadores"

É isso mesmo, Filipe, dá-lhes!
São gajos que não gostam de democracia, logo gostam de ditadores.

Mesmo na natureza aquilo esta cheia de ditadores. Olha por exemplo as formigas. Fartam-se de trabalhar organizadamente a mando de algum tirano que vive lá no buraco debaixo da terra.

E as abelhas. O que é a abelha rainha, senão uma espécie de Estaline do reino animal?

Porque não votam os lobos no líder da alcateia?
Ou então aquelas aves que voam milhares de quilómetros sempre alinhados para diminuir o atrito e esforçarem-se menos?Que direito tem o lider dessas aves de impor para onde devem ir?

Ninguém se preocupa com isso, mas a natureza está repleta de ditadores. A ONU devia fazer qualquer coisa. É urgente democratizar o reino animal e mais tarde também o reino vegetal.

Thor disse...

"Quem não é de esquerda é de direita, e vice-versa. É assim que funciona. Ora sendo anti-comunas, só podem ser de direita. Salazar e Hitler também são conotados com a direita, embora muitos recordem que o último era nacional-SOCIALISTA, o facto é que o nazismo (tal como o fascismo) surgiu em oposição ao comunismo."


só dizes asneiras filipinho.
somos anti-comunas assumidos, sim. mas também somos anti-liberais e anti-capitalistas.
e isso do ser de "esquerda" ou de "direita", não funciona assim. funciona assim para os parvinhos que só conseguem conceber tudo dentro do sistema.

isso do NS ter surgido em oposição ao comunismo, é completamente falso.
sempre foi anti-comunista sim. mas não surgiu para ir CONTRA o comunismo e sim para ir contra a decadência, a sociedade materialista da altura, contra a usura, os banqueiros (maioritariamente judeus), as drogas, prostitutas, cabarets e etc
isso do ir contra o comunismo, talvez seja verdade para o Fascismo, mas não para o NS.

o NS enfrentou-se ao comunismo, principalmente nas ruas, mas não nasceu para ir contra ele. nasceu para ir contra os democratas.

Thor disse...

aqui há uns anos, quando o PNR recebeu em 2007 e 2008 vários elementos do TIR (Terra Identidade e Resistência), que era um movimento anti-sionista, (como por exemplo, o Vítor Ramalho), as coisas eram mais ou menos boas.
o PNR não andava a falar constantemente em judeus ou sionismo, mas também não era um partido "islamofóbico" como é hoje, e se fosse preciso mandava a farpa ao sionismo e aos judeus.

nos últimos tempos, parece-me que foram definitivamente sequestrados e descaracterizados, o que era de se esperar.

Filipe Bastos disse...

Thor, como esperava que fosse claro, a dicotomia esquerda-direita não depende do que vocês acham, nem do que vocês são.

O mapa político, em Portugal e em todo o lado, tem esquerda, direita e centro. Centro não são de certeza, sendo anti-comunas não são esquerda, louvam Hitler e Salazar, logo são direita. Extrema direita. Até podem ser anti-capital, anti-direita, fascistas moderados, nazis crispados, budistas, ou limpa-chaminés. Tanto faz. Para o resto do mundo, são e serão sempre extrema direita.

É assim que as pessoas funcionam, precisam de etiquetas, de gavetas onde enfiar as coisas. O Thor também tem uma para mim - lê umas coisas e pensa que sou isto ou aquilo. Ou o Diogo. É uma tendência humana. E a carneirada acredita, ou melhor, levam-na a acreditar, que o mundo se divide entre esquerda e direita. E que no centro está a virtude.

Pedro Lopes disse...


"É assim que as pessoas funcionam, precisam de etiquetas, de gavetas onde enfiar as coisas."

Mas e quem é que lhes dá essas gavetas?
Humm....
Não será a escumalha que ladra nos mass merda?
Não é essa escumalha que arranja as etiquetas para distribuir pelo rebanho?
É.

Noutra conjuntura as etiquetas poderiam ser outras. Certo?
E que tal se fossem outras mais adequadas á verdade e essência das coisas? Não era fixe?


N disse...

"O mapa político, em Portugal e em todo o lado, tem esquerda, direita e centro. Centro não são de certeza, sendo anti-comunas não são esquerda, louvam Hitler e Salazar, logo são direita. Extrema direita. Até podem ser anti-capital, anti-direita, fascistas moderados, nazis crispados, budistas, ou limpa-chaminés. Tanto faz. Para o resto do mundo, são e serão sempre extrema direita."

Filipe Bastos, quero que o gado e as sua "opiniões" se fodam.

Prefiro um Galileu a mil emplastros, uma Hipátia a mil cátias da casa dos segredos, um Sócrates(O Grego, e não o pinocrates obviamente) a mil castelos brancos.


Não existem várias verdades. A verdade é só uma. Na democracia é que se tenta impingir que há várias verdades, para dessa forma legitimar a mentira ao nível de uma opinião.
http://omsilanoican.blogspot.pt/2015/09/pensamentoimagens-do-dia_27.html


E Salazar nem sequer era de extrema-direita. Era de uma direita forte; mas conservadora, reaccionária e clerical.

Salazar não era a favor de acção directa, nem de milícias paramilitares, nunca fez parte desse tipo de movimentos(nem nada que se pareça), nem tão pouco era revolucionário.

Basta estudar como a extrema-direita(Fascista) funciona, e vemos as camisas negras, acção directa sobre inimigos, facas, pistolas, espingardas e cocktails molotovs.
Anti-capitalismo, Nacional-revolução, ambição de criar o "Homem herói" através de superação e não de submissão.


Salazar de extrema-direita? Só se for em banda desenhada ou uma qualquer série ou filme de ficção.
Salazar era um "padre político" que percebia de finanças. Nada mais que isso.

Pedro Lopes disse...

Democracia da boa, sem racismo nem xenofobia é desta.

https://8ch.net/pol/src/1449774898464-0.jpg

Desta é que é da boa!

E é esta democracia da boa que traz a prosperidade e o progresso!

https://en.wikipedia.org/wiki/Rotherham_child_sexual_exploitation_scandal
https://en.wikipedia.org/wiki/Rochdale_sex_trafficking_gang
https://en.wikipedia.org/wiki/Derby_sex_gang
https://en.wikipedia.org/wiki/Oxford_sex_gang
https://en.wikipedia.org/wiki/Bristol_sex_gang
https://en.wikipedia.org/wiki/Telford_sex_gang
https://en.wikipedia.org/wiki/Peterborough_sex_abuse_case
https://en.wikipedia.org/wiki/Banbury_sex_gang
https://en.wikipedia.org/wiki/Aylesbury_sex_gang
http://www.breitbart.com/london/2014/08/29/muslim-rape-gangs-the-disturbing-role-of-britain-s-leading-child-welfare-charity/

Fosga-se, a´s vezes até dá vontade......enfim, é melhor estar calado!

Thor disse...

Salazar não era de extrema-direita, mas andava lá perto. era da direita pura e profunda.

Filipinho, se nos queres enfiar numa gaveta ou etiqueta, podes dizer que somos da Terceira Via ou Terceira Posição, conforme se queira.
mas "direita" não.

e por acaso nem louvo o Salazar, apenas tento ser justo com o homem, que pode ter tido muitos defeitos mas foi bem superior aos filhos da puta da actual III républica.

prefiro muito mais Hitler a Salazar, mas nem por isso engulo a histeria "democrática" anti-Salazar.

e não somos anti-capital, eu pelo menos não sou. o que sou é anti-capitalista.

Filipe Bastos disse...

«Salazar era um "padre político" que percebia de finanças»

Tendo a concordar. Encostam Salazar ao fascismo puro e duro porque dá jeito. Quanto pior, quanto mais opressivo ele for, melhores são os "resistentes ao fascismo" e os "heróis de Abril". Gente impecável como o Soares ou o Cunhal, bravos defensores da liberdade (sobretudo o Cunhal) que arriscavam a vida (sobretudo o Chulares, no luxo de Paris) contra um tirano.

Pedro Lopes, as etiquetas mudam conforme os tempos, é verdade. Mas a da extrema direita é a que custa mais a sair. A extrema esquerda é tolerada, a direita não. Volta e meia os comunas louvam a Coreia do Norte, que é um imenso campo de concentração. Tudo na boa. Mas se alguém elogiar, ou relativizar levemente a Alemanha nazi, soltam-lhe os cães e mijam-lhe na campa. Como vocês devem saber muito bem.

Thor disse...

a Coreia do Norte é um regime menos diabólico do que tu pensas...

e nem sequer pode ser considerado um regime comunista puro. tem características comunistas, mas não é comunismo puro.

http://smoloko.com/wp-content/uploads/northKoreaHollywoodMeme.jpg

http://hyperborea-land.blogspot.pt/2015/09/ateismo-vs-religiao.html

N disse...

Thor, discordo de ti quando à Coreia do Norte.

Esmagam o ego individual de cada um de forma alcançar a submissão colectiva.
Sabes onde fazem igual? Nos interrogatórios em guantánamos, gulags, etc...
Faz parte da psicologia de massas a técnica de esmagar e humilhar o individuo de forma a que o mesmo deixe de ter auto-estima de qualquer tipo para ficar 100% submisso.

Por exemplo, os camaradas traídos no Ultramar que foram presos pelos terroristas Africanos, eram obrigados a ficarem nus em celas, ficarem junto da sua própria urina e fezes, e depois eram levados para campos agrícolas para fazerem trabalhos forçados.
Há relatos de Pára-quedistas Lusitanos que sofreram isso nas ex-colónias durante anos. Tudo isso são técnicas para esmagar o ego individual totalmente para tornar o assim o prisioneiro submisso.

Até mesmo quando um gajo se sente em profunda depressão, tem tendência por si próprio a deixar de ter auto-estima e tornar-se desmazelado. Isto em menor escala claro, mas serve para dar uma ideia daquilo que estou a falar.


Tem que haver um equilíbrio. Não se pode criar indivíduos narcisistas e egocêntricos, mas não se pode esmagar o individuo, pois isso é esmagar o poder criativo da alma humana.

A Coreia do Norte e o seu regime é útil como contrapoder visto que os sionistas dominam quase todo o globo. É uma espécie de "mal necessário" portanto, mas não deixa de ser uma tirania pela qual não tenho qualquer respeito como NS.

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thor disse...

mas tens razão quando dizes que a Coreia do Norte é uma ditadura.
isso é, sem sombra de dúvidas.
o que eu disse foi que não é um regime diabólico, como pinta a propaganda sionista.

é uma ditadura, pronto.
mas tem aspectos positivos ou neutros, também.

e além disso, não te esqueças que se eles não forem autoritários, os judeus infiltram-se lá facilmente, através da cia ou mossad, ou outra merda qualquer.

Filipe Bastos disse...

«Não é um regime diabólico, como pinta a propaganda sionista.»

Já esteve na Coreia do Norte? Acha que gostava de lá viver? Conhece quem tenha vivido e elogie aquilo? Era capaz de viver, digamos, um ano, para comprovar isso?

Sabe Thor, uma das alegrias do pobre Portugal, além do vinho e do Sol, é dizermos o que nos apetece. Podemos elogiar, criticar, pôr em causa, chamar FDP ao primeiro-ministro - o Bosta é um FDP -, blasfemar, questionar o "holocausto", e também podemos dizer os disparates que quisermos.

Parece-me que o Thor não dá grande valor a essa liberdade. E em vez de abdicar dela, como seria coerente, continua a utilizá-la - e a desprezá-la - para falar com admiração sobre regimes e restrições que jamais viveu ou viverá. Apenas ouviu falar, leu algures, acha que.

Não digo que temos de experimentar tudo; mas sem referências práticas, sem nenhuma experiência sequer próxima, devemos pelo menos ser cautelosos nas teorias e opiniões.

Imagine que alguém lhe dizia que na Idade Média é que era bom: sem luz, sem água corrente, sem esgotos, comida asquerosa, doenças, dentes podres, etc. E dizia-lhe isto enquanto jantava no Ritz, de roupão de seda e pantufas, e fumava um cubano. Não lhe parecia, talvez, um bocadinho treta?

Thor disse...

"blasfemar, questionar o "holocausto","

isto é pura e simplesmente falso. em Portugal é PROIBIDO negar o "holocausto". está na lei. essa tua bacorada só revela desconhecimento da lei. portanto dizeres o que dizes, falta à verdade. em Portugal NÃO se pode negar o "holocausto". só nos EUA ou Reino Unido (por enquanto...e só em certos locais e alturas certas)



"Podemos elogiar, criticar, pôr em causa, chamar FDP ao primeiro-ministro - o Bosta é um FDP"

isto também não podemos fazer, porque podemos muito bem incorrer numa pena de "racismo" que pode dar até 10 anos de prisão. experimenta chamar filho da puta ao António Bosta sem ser ao pé de conhecidos, amigos, família, ou assim...experimenta.
e experimenta chamar-lhe monhé ou mulato à frente de estranhos ou pessoas sem serem da tua confiança.
mesmo que fosse verdade...é irrelevante. o facto de se poder criticar um primeiro-ministro qualquer, não aquece nem arrefece, pois o REGIME é o cerne do problema e não o governo ou 1ºministro actualmente em exercício.




"e também podemos dizer os disparates que quisermos."

mentira. ferido de nulidade, pelo que disse acima e muito mais. é proibido negar o "holocausto", é proibido fazer apologia do Fascismo ou Nacional-Socialismo, é proibido criticar outras raças em público. em alguns países é até proibido negar o aquecimento global. em alguns países é-se até perseguido por negar a versão oficial do 9-11, nalguns casos é-se mesmo morto (no caso de cientistas, especialistas, etc)
é probido criticar o lobbie gay, és vigiado e controlado pelo NSA dos Estados Unidos, provavelmente estás sob escuta e não sabes, provavelmente és vigiado 24 horas por dia e não sabes. não podes dizer tudo o que queres, isso é pura e simplesmente FALSO. MENTIRA. acabou.
só tens liberdade para falar, se fores a favor da corrente e do politicamente correcto.
se fores contra ele, acabou-se a tua "liberdade", tão simples quanto isto.


se gostava de viver na Coreia? não, não gostava. já disse que é uma ditadura.
só disse que não é um regime DIABÓLICO. vai ver o significado de diabólico ao dicionário.
as democracias ocidentais também são ditaduras.

tu achas que a Coreia do Norte é diabólica, porque é isso que vês nos Telejornais e que ouves o Martelo Rebelo de Sousa e outros dizerem, apesar de chamares "carneiro" a outros mais ignorantes que tu, que acreditam nas merdas que eles dizem.

Thor disse...

resumindo: a Coreia do Norte pode ser um regime mau e eu não queria lá viver.
mas o cerne da questão não é esse. tu não percebes o que está aqui em causa.
o que está em causa é que a Coreia do Norte só é considerada "má" e só há propaganda contra ela, porque lá não há Banco Rothschild e porque os sionistas não controlam o país.
porque se controlassem, o sistema até podia ser igual ou ainda pior, que já passava a ser elogiado e o país já seria maravilhoso.
percebes, Filipinho? é só isto que está em causa. ninguém está a dizer que a Coreia do Norte é boa ou que é um bom sítio para viver.

experimenta ir tu viver para israel, essa democracia ocidental, e depois, como goyim, vê como serás lá tratado e depois volta para me contares essa história e experiência.
ah mas essa parte não te contaram nos telejornais.

Pedro Lopes disse...


Tem toda a razão o Thor.
Senão vejamos o exemplo da Arábia saudita. É um regime brutal, onde as mulheres nem podem conduzir nem ir á escola. Prendem turistas por motivos ridículos.
Mas não há propaganda contra a Arábia Saudita, porquê?
E não é só a Arábia Saudita.

Filipe Bastos disse...

O «cerne da questão», como esperava que entendesse, é falar do que não se conhece.

A propaganda e a hipocrisia americana/sionista são omnipresentes (o Lopes lembrou bem a Arábia Saudita), mas quem se opõe a ela, como o Thor, passa a vida a dar tiros no pé.

Hoje em dia, qualquer um tem acesso às mesmas fontes que você e eu. É uma mera questão de interesse e diligência. Ir aos arquivos, ler milhares de originais, procurar sobreviventes, triar dados reais e falsos, publicar anos de investigação, como fizeram o Irving e outros, é uma coisa. Mandar bitaites do conforto do PC é outra.

Eu também não conheço a Coreia, além do que leio e vejo à distância. Devido a essa distância, e porque tudo o que se vê é tão mau, evitaria o seu tom "olhe que não é bem assim" - a menos que tivesse factos convincentes. Só lhe leio vagas suposições. Lá porque os americanos (ou os comunas, ou os marcianos) dizem que está a chover, não quer dizer que esteja Sol.

Tal como invalida a liberdade em que vive, contra todas as evidências - mas alguém é preso, em Portugal, por "negar o holocausto"? Não é o que faz este blog, dia sim dia não, há anos? Ofender o PM - se lhe chamar FDP no Telejornal pode levar um processo, mas não lê todos os dias, em todo o lado, (justíssimas) ofensas à canalha pulhítica? Somos espiados pelos EUA, é verdade, mas na Coreia ou na Alemanha nazi que nos acontecia?

Voltando ao início: a esta distância, vê regimes totalitários e louva-lhes as virtudes. Mas não os viveu, nem poderia agir como age, se lá vivesse. Os coreanos vivem na merda? Dane-se, pelo menos não são kikes. A Gestapo vivia de bufos e controlava milhões pelo medo? Ora, pelo menos tinha menos gente que a KGB. Vive e fala numa espécie de abstracção ideal, fora do real. E tudo a partir do conforto do seu país livre.
O seu 1º problema é a credibilidade. O 2º é a coerência.

Thor disse...

"mas alguém é preso, em Portugal, por "negar o holocausto"?"


sim, é.
http://www.dn.pt/dossiers/tv-e-media/revistas-de-imprensa/noticias/interior/extraditado-alemao-preso-em-portugal-por-negar-holocausto-2880529.html



"Não é o que faz este blog, dia sim dia não, há anos?"

sim, no anonimato. e alojado nalgum servidor norte-americano. nunca em público.
aliás, o próprio Diogo já disse que os amigos dele nem admitem sequer que o tema venha à baila numa discussão.




"Ora, pelo menos tinha menos gente que a KGB. Vive e fala numa espécie de abstracção ideal, fora do real. E tudo a partir do conforto do seu país livre."

o meu país não é livre.



e por último, já lhe estou farto de repetir, que não disse que o regime da Coreia era bom, que era recomendável ou que não fosse uma ditadura. e muito menos que queria lá viver...

o que eu disse e mantenho, é que não é um regime tão diabólico como se diz. mais "diabólica" é a Aràbia Saudita aliada do eixo israel-EUA, ou então a democrática israel que mata pessoas todos os dias. mas isso não vem nos telejornais.

a Gestapo era uma brincadeirinha, tinha 7000 membros e as pessoas eram livres de sair da Alemanha. a Alemanha não era a Coreia do Norte. era intolerante com traidores, isso era.
mas não era um estado policial totalitário.