sábado, agosto 20, 2005

Nuclear Megawatts

Se Portugal quisesse construir uma central nuclear (há por aí uns tipos que dizem querer…), certamente que ninguém se oporia, os americanos esfregariam as manitas de contentamento pela oportunidade de vender alguma tecnologia, os franceses idem e os ingleses também. Até os russos iriam tentar meter a colherada na sopa. Mas se for um país muçulmano, a coisa muda de figura.

O Irão quer tornar-se independente em termos energéticos. Quer construir a sua central nuclear, quer usar o urânio extraído das suas próprias minas, quer empregar o engenho e a arte dos seus cientistas. Não pode! Nem pensar nisso! É um perigo para a humanidade!
A esta hora, mesmo depois de todos os dirigentes políticos iranianos terem garantido que o Irão não vai construir bombas atómicas, americanos e israelitas têm já aviões e bombas a postos, grupos das operações especiais no terreno, satélites a espiar para, em qualquer momento, lançaram um ataque sobre o Irão. Quando esse ataque suceder, acham que se ficarão pela destruição da futura central nuclear iraniana? Concerteza que não… já que se deram à maçada de lançar um ataque, aproveitarão para uma “necessária e urgente” mudança de regime, implantação da democracia ou coisa que o valha. Vai uma aposta?
Nesta crise, a União Europeia tentou uma cartada oportunista: propôs que o Irão abandonasse o programa de enriquecimento de urânio e em troca receberia (a bom preço) combustível nuclear produzido na Europa. O Irão recusou. Isso significaria perpetuar a dependência energética do país. A proposta europeia foi classificada em Teerão como “chantagem”. Coisa feia.
O Irão garante paredes de vidro no seu programa nuclear, aceita todas as supervisões internacionais, mas não aceita que americanos e outros lhes ditem políticas. Regimes assim, tão rebeldes face ao Império, não são bons regimes.
O reactor nuclear iraniano deverá estar operacional dentro de um ano, em Agosto de 2006. O programa nuclear do país prevê a construção de seis centrais nucleares de mil megawatts até 2021, altura em que se estima que o país venha a necessitar de 56 mil megawatts para o abastecimento das necessidades da população. Em 2021, o Irão planeia garantir 10% das suas necessidades energéticas através da energia produzida nas suas centrais nucleares. Veremos se lhe deixam...

6 comentários:

francis disse...

Tens razão.
Não consigo deixar de imaginar, se os portugueses nem são capazes de manter condições de segurança nas fábricas de pirotecnia (3/4 explosões por ano) como seria numa eventual central nuclear??? Kaboouum!

rajodoas disse...

Mas nós portugueses, embora os americanos não se importassem os franceses e ingleses nos apoiassem tecnologicamente e os russos também dessem uma mãozinha, jamais iriamos consentir num investimento destes. Até porque como diz e muito bem francis, quando nós nem sequer conseguimos evitar contínuos acidentes na industria de pirotecnia, nem quero imaginar o que seria em termos de controle duma central nuclear para produção de energia.

cougar herat disse...

Taliban Fire, Fuego Enemigo Taliban

p. torres disse...

Helicoptero Cougar en Herat, Afganistan: ¿Fuego Hostil Taliban? ¿Fuego Enemigo Taliban? Taliban Fire?

Anónimo disse...

I have been looking for sites like this for a long time. Thank you! Martina upskirts Hips and asses Dresses from spain fat indian woman Blowjob doggy style teenboy models circuit breakers Big fat sexy boob&aposs and ass&aposs Class action zocor Mark wahlbergs penis blackice cisco vpn automobile insurance rates comparison Ou trouver du ionamin Blondes mature movies Bank credit analyst pricing forex http://www.fireplace-shelves.info chubby chasers corner

Anónimo disse...

Very nice site! here