terça-feira, agosto 09, 2005

Quando as empreitadas falam mais alto


O ministro das Obras Públicas garante que o aeroporto da Ota vai avançar de modo a entrar em funcionamento dentro de 10 a 12 anos. Esta quarta-feira, no parlamento, Mário Lino considerou inviável a continuação da Portela, que viola várias leis europeias.

Mário Lino afirmou, na comissão parlamentar conjunta do Orçamento e Finanças e Transportes e Obras Públicas, para discutir as Grandes Opções do Plano, que o aeroporto da Portela terá de receber um investimento de 400 milhões de euros na presente legislatura para continuar a funcionar.

«O aeroporto da Portela tem os dias contados do ponto de vista da capacidade e dificilmente ultrapassará os anos de 2014/2016», afirmou o ministro, acrescentando que para funcionar até essa data vai ter de receber «vultosos investimentos».

Segundo o ministro das Obras, Transportes e Comunicações, o aeroporto da Portela vai receber 12 milhões de passageiros este ano e prevê-se que 16 a 17 milhões em 2015.

«Por isso, tomamos a decisão de construir um novo aeroporto na Ota para estar a funcionar dentro de 10 a 12 anos», afirmou.

Mário Lino garantiu que há financiamentos europeus para a construção da Ota -que considerou a localização mais vantajosa - que será um projecto «fundamentalmente privado». «Trata-se de um projecto para o qual vai ser lançado um concurso internacional», acrescenta.



Um amigo internauta (FCR) enviou-me uma comparação curiosa:


"Uma história de 2 aeroportos:

Áreas:
- Aeroporto de Málaga: 320 hectares;
- Aeroporto de Lisboa: 520 hectares.

Pistas:
- Aeroporto de Málaga: 1 pista;
- Aeroporto de Lisboa: 2 pistas.

Tráfego (2004):
- Aeroporto de Málaga: 12 milhões de passageiros, taxa de crescimento,
7% a 8%ao ano.
- Aeroporto de Lisboa: 10,7 milhões de passageiros, taxa de crescimento
4,5% ao ano.

Soluções para o aumento de capacidade:

Málaga:
- 1 novo terminal, investimento de 191 milhões de euros, capacidade 20
milhões de passageiros/ano. O aeroporto continua a 8 km da cidade e
continua a ter uma só pista.

Lisboa:
- 1 novo aeroporto, 3.000 a 5.000 milhões de euros, solução faraónica a
40 km da cidade.

"É o que dá sermos ricos com o dinheiro dos outros e pobres com o
próprio espírito.

E entretanto vão-nos aumentando os impostos directos, indirectos, taxas,
combustíveis, etc., etc., etc...

1 comentário:

francis disse...

Epá, não faz mal que o novo aeroporto fique a 40 km de Lisboa. Pode-se sempre apanhar um novo avião até à Portela :-)))