terça-feira, julho 11, 2006

Who the fuck is Peter Power?

GRÃ-BRETANHA - Perigo «real» de ataques terroristas

Num relatório enviado ao Parlamento inglês, o responsável da comissão, Lorde Carlile, disse que viu «informação suficientemente alarmante para voltar a frisar ao público inglês que existe um perigo real e imediato de haver mais ataques terroristas chocantes como aqueles que se verificaram em Julho do ano passado».

Lorde Carlile, que pertence ao Partido Liberal-Democrata mas foi nomeado como independente para esta comissão formada pelo governo, afirmou ainda aos deputados que «novos ataques de suicidas bombistas devem ser esperados e é impossível dizer quais serão os alvos».


Relembremos o dia 7 de Julho de 2005:

O diálogo seguinte teve lugar na tarde do dia dos atentados (7 de Julho de 2005) na rádio da BBC 5. O repórter da BBC entrevistou Peter Power, Director Chefe da empresa Visor Consultants, que se define a si própria como uma empresa de consultoria para a “gestão de crises”. Power é um ex-funcionário da Scotland Yard:

POWER: Às nove e meia da manhã estávamos efectivamente a realizar um exercício, utilizando mais de mil pessoas, em Londres, exercício esse baseado na hipótese de acontecerem explosões simultâneas de bombas, precisamente nas estações de metro onde elas aconteceram esta manhã, por isso ainda estou estupefacto.

BBC: Sejamos claros, você estava e efectuar um exercício para testar se estavam à altura de um acontecimento destes, e ele aconteceu enquanto faziam o exercício?

POWER: Exactamente, e foi cerca das nove e meia da manhã. Nós planeámos isto para uma empresa, que por razões óbvias não vou revelar o nome, mas eles estão a ouvir e vão sabê-lo. Estava numa sala cheia de gestores de crises e, em menos de cinco minutos, chegámos à conclusão que aquilo era real, e portanto passámos dos procedimentos de exercícios de crise para uma situação real.


Peter Power


O Sr. Power repetiu estas declarações na televisão (ITN). O clip de vídeo de dois minutos está disponível AQUI.

14 comentários:

Mário disse...

Uma coincidência literalmente do outro mundo! Não lembra ao diabo!

Miguel Bombarda disse...

Caro Sofocleto,

Vi o video que recomendou e, de facto, tem que ser algo mais que pura e simples coincidência.
Mas, já agora, na sua opinião quem é que estará por detrás destes mesmos atentados?

a.castro disse...

Quer dizer, o "exercício" coincidiu com os "ataques"... Mas que grande pontaria!

Sofocleto disse...

Caro Miguel Bombarda,

«quem é que estará por detrás destes mesmos atentados?»


Foram os serviços secretos ingleses:

The 7/7 London bombing will provide Blair’s government with enough pretexts to:

(1) justify the introduction of unpopular new British identity card;

(2) implement intrusive surveillance and policing of Muslims and the Muslim community;

(3) introduce new draconian legislations that will curtail freedom, civil liberties, and limits dissent, such as protest;

(4) continue to support Bush’s war of terror against defenceless nations; and

(5) divert public attention from the "pre-emptive" terrorism and the war crimes committed against the Iraqi people.

AQUI

Miguel Bombarda disse...

Cao Sofocleto,

Então, mas se assim é, como se justificam então os atentados de Madrid?
Porque se por um lado os ataques nos EUA serviram para o governo norte-americano iniciar e justificar uma nova ofensiva bélica exterior e uma nova restrição aos direitos, liberdades e garantias a nível interno; os ataques londrinos idem; mas, por outro lado, os seus congéneres espanhóis (curiosamente os 3 países da cimeira dos Açores, excluio obviamente o 4º país, Portugal, pela nulidade geo-estratégica e geo-política garças à nossa natureza enquanto "estado exíguo") resultaram, não só no afastamento do partido espanhol, até então no governo, que apoiava (política e militarmente) a intervenção norte-americana no Médio Oriente, mas, e factor sumamente mais importante, obviou a vitória do PSOE e de Zapatero, cuja mensagem eleitoral redundava exactamente nesse factor: a retirada dos militares espanhóis do território iraquiano.
Aproveitava ainda para dizer o seguinte: ZP, fazendo uso de um saber de experiência feito, fez um pouco o mesmo agora que negoceia directamente com essa associação benemérita que é a ETA, que, também ela, sempre lutou contra a globalização e "certos e determinados" imperialismos...

Sofocleto disse...

Caro Miguel Bombarda,

«Então, mas se assim é, como se justificam então os atentados de Madrid?»

Não sei. Mas parece que também foi um "inside job":

Madrid Bombings: No “al-Qaeda” Involvement

Kurt Nimmo - March 10, 2006

Big surprise here. "A two-year investigation into the Madrid train bombings concludes that the Islamic terrorists who carried out the blasts were homegrown radicals acting alone rather than at the behest of Osama bin Laden’s al-Qaida network, two senior intelligence officials" told the Associated Press.

Of course not. Because the Madrid train bombings were carried out by police informants connected to a false flag intelligence operation. "Moroccan Rafa Zuher and Spaniard Jose Emilio Suarez had been in contact with police before the attacks," the BBC reported on April 29, 2004. "According to [the Spanish newspaper] El Mundo, [Suarez] was an informant for the National Police, providing information about trafficking in weapons, drugs and explosives."

O artigo aqui

Miguel Bombarda disse...

Terão então sido os ataques em Madrid um "inside job"?
Curioso dizer isso, porque essa foi uma hipótese aventada imediatamente após os incidentes.
De facto, houve uma série de informações dadas na altura que, curiosamente, se desvaneceram nos entretantos. Desde logo a tal cassete com o Corão e demais conteúdos da tal carrinha suspeita. Mas uma série de outros dados.
Como saberá Aznar tentou chutar a bola para o lado basco, e por isso mesmo (ou por tentar sonegar as evidências) foi crucificado nas eleições que se seguiram a esse incidente. Mas, cedo se falou nas informações que o Grupo Prisa (dono do diário espanhol de referência "El País" e da Cadena Ser, et alii) detinha sobre hipotéticos atentados em Espanha, e da forma como não os deixou saír da redação.
Quando Zapatero logrou tão inesperada vitória eleitoral (tanto mais que até ao dia anterior aos atentados, o PP era sempre dado como o vencedor da contenda, sendo a única dúvida se com maioria relativa ou absoluta) cedo se formou a ideia de que o tinha conseguido graças aos atentados (e à inabilidade, quando não má-fé, do PP para lidar com esse facto). Ora, esta é uma ideia que um espanhol nunca poderia tolerar, e, embora esse argumento tenha inicialmente sido usado, ele tem caído em desuso (surgindo apenas implicitamente) na discussão política do país nuestro-hermano.
Ok! Concordaremos então com a lógica do "inside job" nos 3 atentados (NY, Madrid e Londres).
Mas parece-me óbvio que, partindo desse pressuposto, a explicação do 11-M será obrigatoriamente a derrota eleitoral de um partido que suporta a política internacional norte-americana e a consequente vitória de outro partido, cuja principal bandeira eleitoral foi a desvinculação a essa mesma "submissão" aos EUA.
E se assim é encontramo-nos numa encruzilhada em que nos deparamos com o simples facto de não ser sempre o mesmo o nosso inimigo.

Sofocleto disse...

Que os atentados de Madrid tiveram a cumplicidade dos serviços secretos espanhóis, não há dúvida. E que fez com que Aznar fosse corrido, também não. A questão é porquê?

Bush quis correr com Aznar do Iraque?

Terão sido os Russos?


THE man accused of supplying the dynamite used in the al-Qaeda train bombings in Madrid was in possession of the private telephone number of the head of Spain’s Civil Guard bomb squad, it emerged yesterday.

Emilio Suárez Trashorras, who is alleged to have supplied 200kg of dynamite used in the bombs, had obtained the number of Juan Jesús Sánchez Manzano, the head of Tedax.

The revelation has raised fresh concerns in Madrid about links between those held responsible for the March bombings, which killed 190 people, and Spain’s security services, and shortcomings in the police investigation. Señor Suárez Trashorras and two other men implicated in the bombings have already been identified as police informers. Other members of the group had evaded police surveillance, despite concerns within the security services about their activities and evidence of their association with al-Qaeda.

The telephone number of Señor Sánchez Manzano was contained in a Civil Guard dossier handed to Juan del Olmo, the investigating judge, at the National Court in Madrid. The number was written on a piece of paper found in the possession of Carmen Toro, the wife of Señor Suárez Trashorras. Both are in custody accused of supplying dynamite used in the Madrid bombs.

AQUI

augustoM disse...

Não sou nem muito nem pouco entendido nestas coisas de atentados, nada mais sei do que a informação diz.
Mas Power ser dono de uma empresa de gestão de crises, até está de acordo com os atentados de Londres, só se pode gerir o que existe. Se ele geriu ou não, isso não sabemos.
Um abraço. Augusto

Biranta disse...

Todos os atentados referidos nestes comentários fazem parte da "campanha de medo e desinformação" que tem como objectivo garantir o domínio do Mundo.
Lembram-se das palavras de Rockefeller: "Só precisamos (eles, os U.S.) da crise adequada e as nações aceitaram a "nova ordem Mundial""
A Nova ordem, para se implementar e permanecer, não pode enfrentar contestação eficiente. Por isso, para neutralizar a oposição dos povos, têm sido colocados no poder os fundamentalismos islâmicos, cuja opressão tem como finalidade destruir as melhores capacidades dos respectivos países, perpetuando a miséria e a ignorância... Em África são as guerras e os genocídios que cumprem esse papel.
A Índia teve, agora, mais uma vez, o seu quinhão de provocação, de atentados terroristas executados a mando da CIA, com a mesma finalidade.
Estes anúncios de novos atentados são constantes e integram a campanha de medo e desinformação. Na Inglaterra são preocupantes porque "os bifes" têm a mania de "demonstrar" que têm "razão", que não "brincam em serviço".
Já antes de 07/07 fizeram os mesmos avisos, que até me levaram a escrever isso mesmo, no meu primeiro post de 2005...
Mas tanto pode acontecer como não.
Tanto os anúncios de novos atentados como os atentados já executados integram a mesma estratégia, visam o mesmo objectivo e fazem parte da mesma campanha. Vocês não estão a imaginar os países ocidentais a serem governados por fundamentalistas, pois não?
Portanto tem de haver outra forma de desestruturar, de destruir, estas sociedades. Estes atentados têm a colaboração dos serviços secretos dos países onde são executados? Claro, qual é o espanto! Os Serviços Secretos, já há muito que se transformaram em máfias, autónomas, poderosas, num "poder" paralelo, apropriado pelo pior tipo de gente, de escumalha e usado para os piores fins. Começa a ser urgente desmantelar todas essas organizações, que não têm razão de existir, em regimes democráticos e num Mundo civilizado, como o demonstra estas actuações dos próprios...
Os governos estão implicados? Claro! Rumsfeld, com a sua mania, prepotente, de que pode e deve (é mais eficiente) fazer as coisas às claras, explicou tudo isso, muito bem, logo no dia 27 de Setembro de 2001, num artigo de opinião (leia-se: lista de instruções para os stay-behund) que foi publicado na imprensa americana.
Qual é a vossa dúvida, agora?
Há quem diga coisas diferentes? Sempre haverá, por ingenuidade ou como forma de confundir.
Até haveremos de chegar a uma altura em que todos eles se agarrarão à menos grave das "teorias", confessarão uma parte para esconder a verdadeira dimensão da coisa, para salvarem o que puderem e para "não serem caçados, pelas ruas e linchados". (Cá por mim ainda não perdi a esperança...)
Mesmo que seja por ingenuidade que se dêem explicações diferentes, mal estaremos quando começarmos a pensar neste tipo de coisas com lógica linear.
Nada disto é linear e nunca será. Há uma infinidade de interesses e cumplicidades (de máfias e criminosos envolvidos) que é necessário manter e salvaguardar, podendo dar origem a actos com explicações aparentemente contraditórias...
Mas a minha provocação, o meu desafio é outro (e permitirá perceber até que ponto cada um entende, claramente, esta situação). O meu desafio é que se enumerem os factos e casos escabrosos que afectam directamente o nosso país e que fazem parte da mesma estratégia: desestruturar a sociedade e aniquilar as capacidades humanas, impedir o desenvolvimento, perpetuar as nossas desgraças. Se vocês observarem bem, todos os casos em que estou a pensar têm as "marcas" que denunciam o objectivo: "modus operandi", cumplicidades dos poderes (no nosso caso, principalmente do judicial e policial), envolvimento de gente poderosa, demagogia até enojar, mentiras e prepotências às carradas, cinismo, destruição do estado de direito e dos direitos do estado, sequestro psicológico das instituições e seus titulares, etc.
É mais fácil falar dos outros, não é? Mas é aqui, nos casos que nos afectam, que nós mais e melhor podemos actuar. Até porque somos nós todos que pagamos (a peso douro) aos traidores que estão envolvidos nisto, cá...

Anónimo disse...

Your site is on top of my favourites - Great work I like it.
»

Anónimo disse...

Great site loved it alot, will come back and visit again.
»

ftorp2001 disse...

Belo Blog!
Se quiserem saber mais sobre o 11 de Setembro como inside job visitem: http://ftorp2001.50webs.com
Parabéns pelo trabalho realizado.

Anónimo disse...

Cool blog, interesting information... Keep it UP free dvd decoder software suzuki motor corporation facelift 2b mazda 2 2005 leadership learning organization Photographs of oxycodpne and oxycontin Truck rental in coopersville mi michigan online yasmin order online atzec software