segunda-feira, outubro 30, 2006

Soares e Freitas – «Um diálogo de civilizações e uma chapada no Bush»

Contando com a presença de Diogo Freitas do Amaral, Mário Soares lançou em Madrid o livro «Um Diálogo Ibérico no Quadro Europeu e Mundial».

No FREI BENTO DOMINGUES

Para Soares, o ódio que os americanos e os ingleses têm vindo a semear no mundo árabe, com a invasão do Iraque, faz com que agora nem sequer possam integrar o corpo da ONU no Líbano. Pela força das circunstâncias, os americanos começaram a perceber que a sua ambição imperial só os prejudica. Bush criou uma crise gravíssima de credibilidade. A crise do petróleo, por ele criada, está a desestabilizar o mundo contra o império. Há uma contestação em toda a América Latina. E uma manifesta reserva mental dos países emergentes como a China, a Rússia e a Índia contra a política de Bush. Mesmo no Reino Unido. Ninguém respeita a posição de Israel que, aliás, está a ser muito contestado no plano interno. É algo que nunca se viu. De uma gravidade espantosa para o Ocidente».

Freitas do Amaral aplaudiu:

Vídeo – 2:32m:

11 comentários:

Fragil disse...

Como se vê é mais o que os une do que o que os divide. Bush é mais poderoso do que Marx.

Anónimo disse...

Freitas do Amaral e Mário Soares foram ambos afastados na mesma altura (2002) do programa Grande Informação da RTP. Começa-se a perceber o porquê: a RTP não estava interessada em Grande Informação, mas antes em Grande Desinformação.

Biranta disse...

A diferença entre Soares e Freitas do Amaral é que este último´foi suficientemente coerente, honesto e íntegro para se assumir, mesmo estando no governo, correndo o risco de pagar um alto preço (como pagou) por isso, enquanto que Soares só fala quando aquilo que diz não tem qualquer peso. Ou seja: só fala para se pavonear e exibir um caracter de democrata que não tem. Quando esteve no poder e quando foi candidato às eleições presidenciais, OMITIU-SE sobre estas questões e compactuou com Carlucci (para referir só um).

Conclusão: uma organização como a que propõe Freitas, nas mãos de Soares é mais uma "ONG" controlada pela CIA para nos deixar "a falar sozinhos". Que se danem!
O que é preciso é CONSULTAR os cidadãos de cada País acerca destas questões e da posição a assumir na ONU; caso contrário continuam as confabulações em que tudo é possível independentemente do que pensam e dizem os povos...

Charles disse...

a pretensa 'irritação' de Freitas do Amaral não é nada de mais em pessoa que tão acerrimamente teima, desde o princípio, em denunciar a mentira (um rol) que a sabujada com igual força negou

e honra lhe seja feita, que a bem merece, como a opinião pública sabe

Charles disse...

e eu não sabia, mas o anonymous ainda diz melhor

Sofocleto disse...

Biranta, talvez não seja como dizes:

Excerto de um artigo de Mário Soares - Jornal Expresso 27-03-2004

É preciso conhecer melhor a Al-Qaeda para a combatermos com eficácia. Não às cegas. Há milhares de livros, publicados em todas as línguas, sobre o terrorismo global - que está intimamente relacionado com a «globalização depredadora» que temos e com a «economia de casino» que nos rege. Estudemo-los. Atenção à diplomacia do Vaticano, extremamente activa, nomeadamente nos encontros ecuménicos organizados pela Comunidade de Santo Egídio, em que tenho participado. Exploremos os contactos que a Al-Qaeda parece ter com o mundo obscuro das finanças - dos «off-shores» e dos «paraísos fiscais» - com o «dinheiro sujo», com a criminalidade organizada, com o tráfico ilegal de armas, incluindo atómicas, com o mercado da droga. Há franjas desse sub-mundo que, seguramente, serviços secretos, mesmo os minimamente secretos, mesmo os minimamente organizados, podem penetrar e conhecer. Já o devem ter feito. Mas será que os grandes responsáveis querem tomar conhecimento dessa negra realidade e das pistas que indica?


É necessário ser mais explícito?

a.castro disse...

Por que terá sido que Mário Soares (antes de se candidatar à Presidência) e Freitas do Amaral (antes de entrar para o cargo de Ministro do governo socrático), tinham na TV um programa semanal e era um regalo ouvi-los falar sobre os mais variados temas nacionais e internacionais?...

Carlos Paiva disse...

Freitas do Amaral, exemplar do antibushismo flutuante, é um enorme «iceberg» no panorama político nacional. Já Soares é uma lula moribunda que se arrasta pelos leitos viscosos de um oceano sombrio. Estranha parelha, mas paradoxalmente congruente, com Saramago como pano de fundo.

augustoM disse...

Estaremos a chegar ao fim do ciclo Bush? Espero que sim, mas o preço é elevado.
Concordo com parte do que diz a Biranta, para mim o Soares nunca foi mais do que um politiqueiro, como tam abana oa sabor dos ventos.
Um abraço. Augusto

inominável disse...

Esperemos que o ciclo Bush se encerre, de facto, como anuncia sibilinamente Augustom. Mas o que é que virá a seguir? E como se reconquista a confiança do mundo? Como se apagam os erros?

Como é que se repõe a verdade acerca da administração Bush, dos seus premediatados erros, das suas mentiras descaradas, da sua tacanhice invejosa e cheia de soberba?

Sobre o Soares e o Freitas, sou ingénua ao ponto de pensar que dizem e fazem tudo o que podem... e quero mesmo muito acreditar nisso, se não, para quê continuar a ouvi-los?

ze portugal disse...

ingleses e americanos, farinha do mesmo saco, muita cosmetica, muita parra e pouca uva