quarta-feira, novembro 01, 2006

Em Bagdade os «Sunitas radicais» falam fluentemente a língua de Shakespeare, embora com pronúncia Yankee

Uma reportagem apresentada no telejornal da RTP1 no passado dia 30/10/2006 noticiava um atentado à bomba em Bagdade, que causou 33 mortos e mais de uma centena de feridos. Na reportagem a autoria do atentado é atribuída a iraquianos, enquanto no local, os autóctones culpavam os americanos:

Locutor: a bomba explodiu num praça em Sadr City, um bairro de maioria Xiita a leste de Bagdade. (...) A zona tem sido alvo por parte de «Sunitas radicais», mas no meio das vítimas e do caos, há quem procure outros culpados.

Iraquiano no local: não sabemos se foi uma bomba ou um morteiro (...) Foram os americanos que fizeram isto. É um acto de maldade.

Locutor: nas últimas horas, a «violência sectária» causou mais de oitenta vítimas mortais.

Vídeo - 1:28m

24 comentários:

Anónimo disse...

"os autóctones culpavam os americanos"

Não é preciso ir para Bagdad.
Os autóctones de cá também culpam os americanos por tudo o que não corre bem.

De quem é a culpa por hoje não ter tido pão quente ao pequeno-almoço?
Dos americanos, claro!
E dos incêndios florestais?
Dos americanos, claro!
E da derrota de Alcácer Kibir?
Os americanos, está bom de ver.

contradicoes disse...

Só os pró-americanos podem acreditar que a culpa dos ataques bombistas no Iraque é dos próprios iraquianos. A morte e destruição que por lá se regista diariamente é da exclusiva responsabilidade dos americanos. E isto só tem que ver com a realidade e não qualquer motivação anti-americana. Com um abraço do Raul

Sofocleto disse...

«Os autóctones de cá também culpam os americanos por tudo o que não corre bem»

Na revista Visão de 30-12-2004 um artigo refere que: “Em comparação com a eficiência demonstrada para depor Saddam, o falhanço em cumprir as promessas de segurança e desenvolvimento económico é mal interpretado. A população iraquiana desenvolveu uma visão paranóica da presença americana. «Uma teoria particularmente prevalecente vê a própria oposição armada como uma criação dos EUA para justificar uma presença militar indefinida», diz o relatório ICG. O próprio Al-Zarqawi, líder local da Al-Qaeda, é tido por muitos iraquianos – incluindo pelos mais cultos e viajados – «como uma fabricação estrangeira». Al-Zarqawi é tido como um político made in Washington.”

Anónimo disse...

Al Zarqawi..

É evidente que é uma "fabricação americana".
Tal como Ben laden, Estaline, Pol Pot, Hug Chavez, Quasimodo, Lucífer, O Conde Drácula, a tuberculose, os joanetes, a sida, a crise da meia-idade, a minha dor de cabeça, o Sr Mugabe, o Querido Líder, o raticida, o aquecimento global, o escaravelho da batata, etc.

Felizmente temos neste bloque gente esclarecida que sabe a VERDADE e tudo fará para nos salvar.

Entretanto não demorem muito porque ainda corro o risco de morrer de tanto gargalhar.

Sofocleto disse...

Al Zarqawi..

O objectivo anglo-americano do "federalismo" para o Iraque é parte de uma estratégia imperial de provocar divisões num país onde as comunidades tradicionalmente tem-se sobreposto, e mesmo casado entre si. A promoção de al-Zarqawi, assim como a de Osama, faz parte disto. Tal como o Pimpinela Escarlate, ele está em toda a parte mas em parte alguma. Quando os americanos esmagaram a cidade de Faluja no ano passado, a justificação para o seu comportamento atroz foi "agarrar aqueles sujeitos leais a al-Zarqawi". Mas as autoridades civis e religiosas negaram que ele alguma vez tivesse estado ali ou tivesse qualquer coisa a ver com a resistência.

"Ele é simplesmente uma invenção", disse o Imam da mesquita de Bagdad, al-Kazimeya. "Al-Zarqawi foi morto no princípio da guerra no norte do Curdistão. A sua família chegou a organizar uma cerimonia após a sua morte". Seja isto verdadeiro ou não, a "invasão estrangeira" de al-Zarqawi serve como o último véu de Bush e Blair na sua "guerra ao terror" e cambaleante tentativa de controlar a segunda maior fonte de petróleo do mundo.

http://citadino.blogspot.com/2005/09/eventos-sinistros-numa-guerra-cnica.html

Anónimo disse...

Tens toda a razão ó anacleto, toda a razão.
De facto a lua não existe e o Sol é apenas uma ilusão de óptica.

E que tal se deixasses a caverna do Platão e viesses cá para fora ver como é a realidade?

Já agora...tens a certeza que o Bush existe?
Ou eu?

E tu? Tu existes ou és apenas uma criação da minha mente?

Sofocleto disse...

«Tu existes ou és apenas uma criação da minha mente?»

Devo ser uma criação da tua mente. O que é que estiveste a fumar?

luikki disse...

também vi...
e não foi a primeira vez que reparei que os "opinadores" que falam inglês tem um perfeito "american accent"...

piscoiso disse...

A especulação jornalística sobre a autoria dos atentados, sem provas que o sustentem, é palha.

Sofocleto disse...

Cancelaram a minha conta no Youtube por causa dos vídeos do Daily Show. Desde que o Youtube foi comprado pelo Google a censura instalou-se de armas e bagagens neste site. I have the right to remain silent!

Sofocleto disse...

Mudei-me para o Ifilm.

Biranta disse...

Estranho é que só agora se comecem a ouvir os que, desde sempre, perceberam isso: Que a maioiria dos atentados terroristas, no Iraque, são praticados por provocadores controlados pela CIA (tal como o atentado que vitimou Sérgio Vieira de Melo), ou então são cometidos pelos próprios militares ocupantes. Em qualquer caso (sejam quem forem os autores dos atentados, a culpa é SEMPRE dos ocupantes. São eles que têm as armas e que impõem a ordem. SE não o que é que estão lá a fazer?
A resposta é simples: Atentados, chacina.

Mesmo assim repare-se no desplante do "jornalista" que insiste na versão oficial "da campanha de desinformação" de chamar a estes actos provocatórios e criminosos dos ocupantes "extremismo religioso". E insiste apesar das vozes avisadas que, à sua volta dizem que foram os americanos. è mesmo de gente sem dignidade, sem pudor e sem vergonha.

Quanto a esse provocador anonymous que anda por aí tão nervoso, que fique descansado: há escumalha que não tem salvação possível por maiores que sejam os esforços e ele, nitidamente, é um desses casos. Espero é que, quando a coisa começar a dar para o torto, se assuma com a mesma "frontalidade e convicção" (de anonymous) com que agora vem aqui testar as técnicas da manipulação e do terrorismo psicológico. Essa gente é retrógrada e estúpida, não evolui, e pensa que os outros são igualmente estúpidos e analfabetos.

Anónimo disse...

Tens razão biranta. Eles são todos estúpidos, provocadores, anlafabetos.

Por isso é que são precisos gajos geniais como tu, para explicarem à classe operária as realidazinhas da vida e do mundo.
Que faríamos sem estes prodigiosos anacletos?

Já agora, tens carta de condução, não tens?

Pois isso só prova que há automóveis que além de vários cavalos no motor levam um asno ao volante.

E de quem é a culpa?
Dos americanos claro....

Mundo simples, o dos anacletos....

inominável disse...

Costumo dizer que gosto de bons debates, mas este último comentário é a prova de que há portugueses que simplesmente se escapam a ele através da maledicência e da agressão verbal que faz avançar as discussões noutras direcções.

Que tal aplicar toda essa criatividade verbal ao serviço da discussão onteligente... pessoalmente, penso que seria mais produtivo... a estaria ao serviço da complexificação do mundo, já que considera este tão simples.

Anónimo disse...

"Essa gente é retrógrada e estúpida, não evolui"


Debate civilizado, hem cara?

Pois, pois..quem escarra para o ar sem ver de onde vem o vento, acaba com uma lostra verde na testa.

Que treta é essa da "complexificação" do mundo?

Qual complexo qual carapuça!
É tudo tão simples:

Rebenta uma bomba? É o Bush.
Dou um traque? É o Bush.
Chove no tomateiro? É o Bush.
O Postiga falha golos à fartazana? É o Bush.

"Complexificação"?
Nada disso..."simplicifixação", ou lá o que é.

Com os anacletos unidos, o Bush e o Blair serão vencidos e Alah virá em sua glória, sentando-se à direita de Marx.

inominável disse...

óbviamente não me compreendou e eu reitero:

se este mundo que critica, de excessiva simplificação (como salientou), porque não contribui para a sua complexificação? Isto é, porque não desmonta os arguemntos, porque não apresenta uma perspectiva mais construtiva face ao assunto?

É óbvio que culpar EUA, Bush e outros arbustos é uma forma simplificada e simplista de encarar o mundo... O que gostava de saber é qual a opinião do Anónimo acerca dessa simplificação e como pensa que se pode contribuir para o alargamento desta visão. Fui mais clara?

Anónimo disse...

"O que gostava de saber é qual a opinião do Anónimo"

A opinião do anónimo é que os anacletos deveriam estudar e ler, para que as postas que colocam na blogosfera não sejam tão possidónias. O ridículo contstrange.

"como pensa que se pode contribuir para o alargamento desta visão"

Contribuiria de bom grado, se apanhasse um anacleto à mão de semear...alargando-lhe a visão nos olhos de cima e pespegando-lhe um valente piparote no olho de baixo.

Sou a favor da liberdade de expressão dos anacletos, mas acho que usariam melhor a saliva em tarefas patrióticas, como por exemplo, colar selos.

inominável disse...

ok.... clarificou o nível de debate a que consegue chegar... e eu nem tenho nada que ver com este blogue... ando metida com vários... e gosto de humor, a sério...

Anónimo disse...

"ando metida com vários"

Com vários anacletos?

Não vais longe....

inominável disse...

não... sorry... sou mais electica que isso... o que prova que oiço vários discursos e pondero todos...

Anónimo disse...

eclética...

inominável disse...

chame-me nomes que eu gosto... e corrige-me tb!

Biranta disse...

Minha querida inominável!

Não desperdice o seu tempo!
Esse anónimos não consegue mais do que repetir falácias e "frases feitas" com que pretende exercer terrorismo psicológico.

Se fosse em algum dos meus blogues já teria levado o tratamento merecido, porque ninguém merece ser sujeito a "espectáculo" tão nauseabundo, como esses comentários; até porque eles, os comentários, têm todos os ingredientes das provocações neo-nazis, ou neo-cons, que são a mesma coisa.
Até pela forma obstinada como defendem o louco, alucinado, facínora, Bush, usando, exclusivamente falácias achincalhadoras (achincalhando-se), tantando impor a guerra e a chacina de comuns cidadãos de países ocupados como justificadas, demonstram o natureza pérfida do seu autor.
Não adianta discutir com provocadores cuja função é essa mesmo: provocar e fomentar guerras, divisões, violência, para "justificar novas guerras, atrocidades, divisões, violências, destruição do Mundo e da humanidade... Ou não será essa a realidade com que estamos confrontados?
Ou será que os "donos do Mundo" Ou "polícias do Mundo", ou o raio que os parta, apesar de todo o seu poder, mais as suas guerras e os seus actos de facínoras, não têm nenhuma responsabilidade nisso?
Digamos, minha querida inominável, que o seu erro foi não perceber a natureza pérfidaq e anti-social do anonymous, perdendo tempo a tratá-lo como gente...

inominável disse...

mas esse é o meu argumento e estratégia, tipo socrático... e depois, quanto mais se sentem subir, maior é a queda...