terça-feira, outubro 10, 2006

V for Vendetta. Alguma semelhança entre os 80.000 mortos de Saint Mary e os 3.000 do World Trade Center?

Passado numa Londres totalitária do futuro, "V de Vingança" conta a história de Evey, uma jovem doce e tranquila que é salva de uma situação de vida ou morte por um vigilante mascarado, conhecido apenas por "V". Incomparavelmente carismático e ferozmente dotado na arte do combate e do logro, V dá início a uma revolução quando detona dois marcos da cidade de Londres (o Parlamento e o Big Ben), e toma o controle das ondas de rádio e TV, urgindo os seus concidadãos a rebelarem-se contra a tirania e opressão.


Os artistas usam mentiras para contar verdades. E os políticos usam-nas para encobri-las.

Mas a situação política actual é tão óbvia que já não há necessidade de simular. Nem de um lado, nem do outro.


Let´s look at the trailer (6:20m):

16 comentários:

Fragil disse...

A realidade imita a ficção e vice-versa. O “trailer” do vídeo não podia ser mais explícito.

Carlos Paiva disse...

Muito típico neste blogue: o lutador pela liberdade, o homem da máscara, é também um terrorista. Assim se misturam alhos com bugalhos. Governantes corruptos e assassinos solitários todos dentro do mesmo saco.

escrevi disse...

É um bom filme.
Ás vezes é preciso fabular para as pessoas verem as verdades, mas às vezes nem assim...
Não é verdade Carlos Paiva?

Carlos Paiva disse...

Não percebo a sua insinuação escrevi.

O terrorismo não tem desculpa, nem religião nem território. O terrorismo deve ser combatido em todo o lado. Mesmo a União Europeia deve tomar parte nesta luta e sintonizar a sua atitude de acordo com as circunstâncias actuais.

Anónimo disse...

Excelente Sr Carlos Paiva, já agora podia ser um pouco mais expecifico e dizer quem são em sua opinião os terroristas.
Quem faz o terror no mundo.

Quanto ao filme saiu a pouco tempo em DVD, parece-me uma obra de excelente qualidade para quem está atento a estes temas das manipulações de massas por parte dos media, a nova ordem mundial e o novo poder baseado no estado policial.
Tal como Evey diz no fim do filme, " V " sou eu, és tu, o meu pai, a minha nãe, o meu amigo "V" somos todos nós e não é ninguem.

"V" é apenas um ideal.

Um abraço a todos

geronimo disse...

O filme é mau, não passa duma patacoada sem sentido: uma espécie de Matrix londrino de segunda ordem.

VouNaBroa disse...

Têm a certeza que é um filme? Não será antes um episódio do "Biography Channel"?

Carlos Paiva disse...

Sr. Anonymous

Os terroristas são os homicidas que mataram em Bali, em Londres, em Madrid, em Nova Iorque e em muitos outros lugares. Os terroristas são os assassinos que este filme glorifica e que são os carrascos da nossa civilização. Que o ódio que sente por Bush não o cegue em relação aos verdadeiros criminosos.

Anónimo disse...

Ao Sr Carlos Paiva

Obrigado por responder.

Concordo consigo "Os terroristas são os homicidas que mataram em Bali, em Londres, em Madrid, em Nova Iorque e em muitos outros lugares."
Apenas um pequeno reparo, que suponho tenha sido puro esquecimento da sua parte,eu acrescento, a essa sua frase, se me permitir, o terrorismo de estado por parte do governo dos estados unidos, inglaterra e outros.

Caro Sr. Carlos Paiva eu não odeio ninguem.

Um abraço

RS disse...

V para Verdade.

Abraço,
RS

Um Homem das Cidades disse...

Parece que a palavra «terroristas» não é entendida da mesma forma por todos. Gostaria de lançar alguma luz sobre o assunto perguntando ao Sr. Carlos Paiva se considera terroristas as tropas portuguesas que perpetraram, entre outras atrocidades, o massacre de Wiriamu em Moçambique durante a guerra colonial?

Júlio Reis disse...

Afirmar que este filme tem uma mensagem é um eufemismo que se resume a um cliché típico: “governo = mau versus pessoas = liberdade”. Repete esta mensagem vezes sem conta e fala ainda de corrupção e da estafada manipulação dos media. É um filme que não traz nada de novo.

Sofocleto disse...

Júlio Reis:

Veja o trailer com olhos de ver. Compre uns óculos se for necessário, embora me pareça que você precisa mais de um cão e uma bengala.

mário disse...

Um trailer bastante explícito. Vou ter de ver o filme.

para mim disse...

O "V" resulta da adaptação de uma banda desenhada cuja origem remonta aos anos 82 e 85. O seu autor Alan Moore intuiu o fascismo que se germinava. Havia Reagan nos EUA, mas pior ainda era Bush pai, que manipulava na sombra... Foi o ano em se debateu o livro "1984" que hoje mais parece o retrato da América fascista e policial do que um regime totalitário soviético... Se o filme se parece com a nossa realidade, mais não é do que a confirmação das capacidades de análise do autor de BD. Agora que sabemos de onde vimos, será que podemos começar finalmente a preparar caminho para sabermos para onde queremos ir em vez de perderem tempo em opiniões cheias de vazio?

Anónimo disse...

Ao para mim

Então pode o senhor começar por indicar por onde pretende ir, talvez assim as opinioes se tornem mais "cheias".