quinta-feira, setembro 11, 2014

Há males que vêm por bem... e que rendem lucros incomensuráveis aos complexos militar-industriais privados...



Nos últimos 200 anos a América só não esteve em guerra durante 5 anos.

Os atentados do 11 de Setembro de 2001 aconteceram há 13 anos



A 11 de Setembro de 2001, «19 piratas do ar ao serviço da Al-Qaeda, organização terrorista chefiada por Bin Laden», conseguiram sequestrar quatro aviões comerciais e sobrevoar durante tempos infindos o território dos Estados Unidos, de longe a maior potência militar do planeta.

Após uma eternidade e dada a completa inacção da Força Aérea americana, dois dos aviões embateram e fizeram implodir as duas torres gémeas e também conseguir implodir (por obra do espírito santo maometano) o edifício nº 7 do World Trade Center (um edifício de 47 andares e bastante mais largo que as Torres), onde não embateu qualquer avião. Todos os edifícios caíram exactamente na vertical tal como acontece nas implosões controladas. Outro avião sequestrado foi embater no Pentágono, o edifício mais bem defendido do mundo, onde penetrou por um buraco minúsculo e se vaporizou no interior. O quarto avião despenhou-se no solo e desapareceu por completo.



*************************************


Alguns dados da política americana imediatamente antes destes funestos acontecimentos:


PNAC (Project for the New American Century)


Em Setembro do ano 2000, meses antes do acesso de George W. Bush à Casa Branca, o "Project for a New American Century" (PNAC) publicou o seu projecto para a dominação global sob o título:

"Reconstruindo as defesas da América" ("Rebuilding American Defenses"). O PNAC foi adoptado pelo vice-secretário da Defesa Paul Wolfowitz, o vice-presidente Dick Cheney e o secretário da Defesa Donald Rumsfeld.


Da esquerda para a direita: o vice-secretário da Defesa Paul Wolfowitz,
o vice-presidente Dick Cheney e o secretário da Defesa Donald Rumsfeld.


O PNAC esboça um roteiro da conquista. Apela à "imposição directa de bases avançadas americanas em toda a Ásia Central e no Médio Oriente" tendo em vista assegurar a dominação económica do mundo, e ao mesmo tempo assegurar uma guerra eterna ao «terrorismo» simbolizado pela poderosíssima Al-Qaeda.

O projecto do PNAC esboça uma estrutura consistente de propaganda de guerra. Um ano antes do 11 de Setembro, o PNAC fazia apelo a "algum evento catastrófico e catalisador, como um novo Pearl Harbor", o qual serviria para galvanizar a opinião pública americana em apoio a uma agenda de guerra (pág 51)":



"Further, the process of transformation, even if it brings revolutionary change, is likely to be a long one, absent some catastrophic and catalyzing event – like a new Pearl Harbor."

Tradução: «Além disso, o processo de transformação, mesmo que traga transformações revolucionárias, será provavelmente longo, excepto se se produzir algum evento catastrófico e catalisador – como um novo Pearl Harbor.»


Os arquitectos do PNAC parecem ter antecipado com cínica precisão a utilização dos ataques do 11 de Setembro como "um pretexto para a guerra".



*****************


Zbigniew Brzezinski (Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA): "...pode considerar-se mais difícil conseguir um consenso [entre a população americana] sobre questões de política externa [desencadear guerras], a não ser nas circunstâncias de uma ameaça externa directa verdadeiramente maciça e amplamente percebida."

De modo análogo, nas palavras de Zbigniew Brzezinski, no seu livro The Grand Chessboard (1997):

"... it may find it more difficult to fashion a consensus on foreign policy issues, except in the circumstances of a truly massive and widely perceived direct external threat."

Tradução: "...pode considerar-se mais difícil conseguir um consenso [entre a população americana] sobre questões de política externa [desencadear guerras], a não ser nas circunstâncias de uma ameaça externa directa verdadeiramente maciça e amplamente percebida."


Zbigniew Brzezinski, que foi Conselheiro de Segurança Nacional do presidente Jimmy Carter, foi um dos arquitectos da rede Al-Qaeda, criada pela CIA para combater os soviéticos na guerra afegã (1979-1989).


*****************


Bruce Hoffman, vice-presidente da Rand Corporation - a expressão prestigiada do lobby militar-industrial norte-americano - previu numa conferência, com seis meses de antecedência, os atentados de 11 de Setembro de 2001 - "(...) bom, não discutindo agora se era realmente possível (pela Al.Qaeda) fazer cair a Torre Norte sobre a Torre Sul (do WTC) e matar 60.000 pessoas, considerem tal objectivo (...)".

Bruce Hoffman, vice-presidente da Rand Corporation (o mais importante centro privado de pesquisas em matéria de estratégia e de organização militar em todo o mundo, e a expressão prestigiada do lobby militar-industrial norte-americano), numa conferência publicada pela US Air Force Academy em Março de 2001 (ou seja, seis meses antes dos atentados de 11 de Setembro de 2001), dirigindo-se a uma audiência de oficiais superiores da força aérea norte-americana, afirmou:

"We try to get our arms around Al-Qaeda, the organization — or maybe the movement — associated with bin Laden (...) now, putting aside whether it was possible to actually topple the North Tower onto the South Tower and kill 60,000 people, consider the goal (...)"

Tradução: "Estamos a tentar fazer um cerco à Al-Qaeda, a organização - ou talvez o movimento - associada a bin Laden (...) bom, não discutindo agora se era realmente possível fazer cair a Torre Norte sobre a Torre Sul e matar 60.000 pessoas, considerem tal objectivo (...)"


*************************************


Na sequência do 11 de Setembro as despesas militares dispararam, e por consequência os chorudos contratos do complexo militar-indústrial. De 2001 até hoje, o orçamento americano da defesa passou de 404 mil milhões para quase 1,3 biliões (1.300.000.000.000) de dólares anuais, um aumento de cerca de 325% em treze anos. Será caso para dizer - abençoada Al-Qaeda!


Este gráfico do aumento da depesa militar norte-americana desde 2001 até 2011, em milhares de milhões de dólares, demonstra os lucros pornográficos de que tem beneficiado o complexo militar-industrial norte-americano (desde o 11 de Setembro), e cujos maiores expoentes têm sido as empresas Lockheed Martin, Northrop Grumman, Boeing, SAIC, Raytheon, General Dynamics, etc., etc., etc.



*************************************


Comentário


Ironicamente, o Complexo Militar-Industrial Americano, devido aos lucros proporcionados pelo evento catastrófico e catalisador do 11 de Setembro (tal como descrito no PNAC), tem tido ao longo dos últimos 13 anos excelentes motivos para esfregar as mãos de contente.

Tudo graças ao terrorismo levado a cabo pela omnipotente, omnipresente, omnisciente e infinitamente maligna Al-Qaeda, até há pouco chefiada por Bin Laden, que, na história do terrorismo, ou melhor, no anedotário mundial, só encontra paralelo na série televisiva onde a todo-poderosa organização criminosa K.A.O.S., comandada pelo vilão Siegfried e tenazmente combatida pelos agentes da C.O.N.T.R.O.L.E., cujo Ás era o inimitável Maxwell Smart. A diferença, é que no embuste do 11 de Setembro morreram de facto cerca de 2000 americanos.



*************************************



Os Estados Unidos possuem dezenas de agências secretas de informações: CIA (Central Intelligence Agency); DIA (Defense Intelligence Agency); NSA (National Security Agency); NRO (National Reconnaissance Office); FBI (Federal Bureau of Investigation); AI (Army Intelligence); NI (Navy Intelligence); AFI (Air Force Intelligence); MCI (Marine Corps Intelligence); etc., etc., etc.


Não obstante tantas agências secretas de informações, a Al-Qaeda continua mais pujante e mortífera do que nunca. Não existe atentado neste mundo que não tenha sido levado a cabo pela Al-Qaeda, por um grupo próximo da Al-Qaeda, por um bando com ligações à Al-Qaeda ou por uma associação que simpatiza com a Al-Qaeda. Os contínuos atentados perpetrados por toda esta malta terrorista, que odeia tanto os valores ocidentais, causa alguma estranheza visto chacinarem praticamente só cidadãos muçulmanos...

Em suma, os criminosos que estão à frente dos destinos dos Estados Unidos querem-nos fazer crer que duas dúzias de árabes, maltrapilhos, analfabetos e com armas de polichinelo, entraram pela América dentro e infligiram-lhe um golpe que poucas potências mundiais teriam capacidade de executar.

É necessário não esquecer que o complexo militar-industrial norte-americano está todo nas mãos de privados e que sem guerras não podem justificar aos contribuintes americanos os gastos gigantescos que eles são obrigados a pagar na compra de porta-aviões, mísseis de todo o tipo, aviões de caça, bombardeiros, tanques, metralhadoras, balas e toda a panóplia de armamento que eles produzem.




20 comentários:

Eduardo Freitas disse...

Bom post.

Diogo disse...

Obrigado Eduardo.

Um abraço

Diogo

António j. Silva disse...

Este é um dos exemplos de como se deturpa a História!

Nelo disse...

Não sei se conhece mas recomendo-lhe a leitura de Paul Craig Roberts.

Abraço

Anónimo disse...


O 11 de Setembro foi feito pelos camafeus e não pela alcaida.

lemming disse...

Quem deitou as torres abaixo foram os nazis e os faixistas.

A solução é mais democracia!

Parolo disse...

"A solução é mais democracia!"

Mas tem ser democracia da boa.

Thor disse...

11 de Setembro = operação mossad + cia com o conhecimento prévio e colaboração da administração Bush (inside job)

Urban Moving Systems Incorporated = empresa fachada da mossad


hyperborea-land.blogspot.com/2014/08/wtc-foi-implodido.html

todas as provas do Mundo.

este é um bom tópico, Diogo.

Thor disse...

"Em suma, os criminosos que estão à frente dos destinos dos Estados Unidos querem-nos fazer crer que duas dúzias de árabes, maltrapilhos, analfabetos e com armas de polichinelo, entraram pela América dentro e infligiram-lhe um golpe que poucas potências mundiais teriam capacidade de executar."

sem dúvida.




"Tudo graças ao terrorismo levado a cabo pela omnipotente, omnipresente, omnisciente e infinitamente maligna Al-Qaeda, até há pouco chefiada por Bin Laden"


Bin Laden = Tim Osman, agente da Cia.
ele visitou várias vezes os EUA e as instalações da Cia durante os anos 80, foi treinado por eles no Afeganistão contra a urss e mesmo já nos anos 2000 foi visitado por representantes da Cia.
até a morte dele foi fictícia pois o gajo já estava morto desde Dezembro de 2001.

a seguir ao 11/9 o gajo NEGOU envolvimento nos atentados, aliás, nesse dia estava internado num hospital militar na secção de urologia.
e só depois de ele ter negado, é que saiu um video fake, com uma imitação fake do Bin Laden a reinvindicar o atentado.
teatro da Cia puro e duro, admitido mais tarde.
e a Hillary Clinton também admitiu que quem criou a "Al Qaeda" foram eles.

Pedro Lopes disse...


11 de Setembro para parolos (em cinco minutos)

http://www.youtube.com/watch?v=ZisL6DOKetQ

Parolo disse...


Ixo de acreditar em teorias da conspiração do 11 Setembro é anti-americanismo primário pá.

Sois todos uns anti-americanos.....

Cresçam pá, e façam qualquer coisa util á xoxiedade.

Thor disse...

faltou-te o fdx
e o fáxismo nunca maix!

eu deste tópico, a única coisa que não gostei foi o Diogo ter trazido o Eisenhower à colação.

e espero que este comentário não seja apagado só pelo que eu vou dizer.

era parcialmente judeu, tinha também sangue negro - acho eu que não é pecado nem delito dizê-lo - e era ainda um criminoso anti-alemão, chegou mesmo a confessar que odiava os alemães e aliás, matou e massacrou milhares deles.

Parolinho da cabeça disse...


O Governo Amaricano é faixista.
É faixismo disfarçado de democracia.

O Obama até quer mudar as coisas mas os faixistas na casa branca não o deixam pá.




Parolinho de todo disse...

"Tudo contra a nação, nada pela nação!"

Nã...

É

Tudo pelo paneleiro nada contra o paneleiro.

Hino,

Nação rabeta e imoral
Ó dealer junta-te a nós
Dos teus riscos de coca gloriosos
Que há-de guiar-te à vitória!

Às putas, às putas!
Sobre a terra, sobre o mar,
Às putas, às putas!
Pela judeia lutar!
Contra os maçons
amouchar, amouchar!

Diogo disse...

Caro Thor,

Quanto ao sangue negro de Eisenhower estás redondamente enganado (não percebo esse racismo irracional que tu tens):

Eisenhower's West Point Military Academy graduating class yearbook, published in 1915, Eisenhower is identified as a "terrible Swedish Jew."


Thor: «e era ainda um criminoso anti-alemão, chegou mesmo a confessar que odiava os alemães e aliás, matou e massacrou milhares deles.»

Aqui tens toda a razão. Eisenhower não matou milhares mas exterminou milhões de alemães. Eu tenho o livro de James Braque.

Thor disse...

mas qual racismo irracional pá.
tu é que tens uma lavagem cerebral marxista nos miolos que não te permite raciocinar.
racista era o Eisenhower, e outros da laia dele, judeus, parcialmente judeus e koshers/idiotas úteis.

e não estou enganado sobre o sangue negro, não.
https://www.stormfront.org/forum/t458451/

claro que era minoritário, devia ser talvez 1/16 ou 1/32 negro.
era branco mas tinha sangue negro.
e ainda mais sangue judeu.
mas a maioria do sangue dele, era, de facto, sueco. é um facto.

Diogo disse...

Thor, realmente não dás uma para a caixa. Sempre a repetir a mesma cassete estragada…

Se colocarem dez Thors (engraçado, teres ido buscar um nick escandinavo), dez suecos e dez russos encostados a uma parede, todos vestidos exactamente da mesmo maneira, eu reconheço imediatamente os Thors (suponho que sejas português), os suecos e os russos.

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI90650-15224,00-BRANCOS+SURGIRAM+NA+EUROPA+HA+ANOS.html

1 - «…a cor branca pode ter sido uma vantagem evolutiva (nos países frios), uma vez que é mais eficiente na produção de vitamina D via absorção da luz solar do que a pele escura. A falta do nutriente está relacionada ao desenvolvimento de doenças cardíacas, diabetes, artrite e deficiências no sistema imunológico.

No caso de regiões do norte da Europa, como a Escandinávia, onde a luz solar é escassa no inverno, ter pele branca poderia significar mais chances de sobrevivência. Johan Moan, do Instituto de Física da Universidade de Oslo, um dos autores do artigo científico, a substituição do peixe por outros tipos de alimento determinou a necessidade de aproveitar melhor a luz do sol para suprir a necessidade de vitamina D, noticia o Times.

"O clima frio e as altas latitudes aceleraram o processo de branqueamento da pele. O alimento obtido pela agricultura era uma fonte insuficiente de vitamina D e a radiação solar era muito baixa para produzir o suficiente do nutriente em peles escuras", explica o artigo.»



2 – Thor: «claro que [Eisenhower] era minoritário, devia ser talvez 1/16 ou 1/32 negro. era branco mas tinha sangue negro. e ainda mais sangue judeu.»


Não existe sangue judeu. Os judeus não são uma raça, são uma máfia. Lê os livros de Schlomo Sand:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Schlomo_Sand

«A Invenção do Povo Judeu - Livro de Sand mais conhecido é A Invenção do Povo Judeu, publicado originalmente em hebraico (Resling, 2008) como Matai ve’eich humtsa ha‘am hayehudi? (Quando e como foi inventado o povo judeu?) e posteriormente traduzido para o inglês no ano seguinte (Verso, 2009).

Revendo o livro para Haaretz, Ofri Ilani escreveu que a obra de Sand é uma tentativa de "provar que o povo judeu nunca existiu como uma 'nação-raça' com uma origem comum, mas é uma mistura colorida de grupos que em várias fases da história adotaram a religião judaica. Ele argumenta que, para um número de sionistas ideólogos, a percepção mítica dos judeus como um povo antigo levou para pensamento realmente racista"."

Um dos componentes do argumento de Sand é que as pessoas que foram os judeus que vivem em Israel original, não foram exilados após a revolta de Bar Kokhba. Ele sugeriu que grande parte da população judaica mundial presente dia são indivíduos e grupos, que se converteu ao judaísmo em períodos posteriores. Além disso, ele sugere que a história do exílio era um mito promovido pelos primeiros cristãos para recrutar judeus à nova fé. Sand escreve que "Os cristãos queriam gerações posteriores de judeus para acreditar que os seus antepassados tinham sido exilados como um castigo de Deus".

Sand argumenta que a maioria dos judeus não foram exilados pelo Romanos, e foram autorizados a permanecer no país. Ele coloca o número de exilados em dezenas de milhares de pessoas, no máximo. Ele argumenta ainda que muitos dos judeus convertidos ao Islão após a conquista árabe, e foram assimilados entre os conquistadores. Ele conclui que os progenitores dos árabes palestinianos eram judeus.

Pedro Lopes disse...

"Não existe sangue judeu. Os judeus não são uma raça, são uma máfia. Lê os livros de Schlomo Sand:"

Diogo,

Eu não posso concordar com isto. Escrevem-se muitas coisas, há milhões de livros. Será que por estar escrito num livro que uma coisa se torna verdade? Ou há muita coisa escrita propositadamente para desinformar?

Se fossem apenas uma "máfia" e não uma raça como é que explicas que houve tantas expulsões dos judeus ao longo da história e sempre pelos mesmo motivos?

Se fosse apenas uma "máfia" certamente não teriam continuidade geracional como acontece com eles.

Uma máfia acaba-se com ela e pronto.

O problema judaico é muito mais profundo que isso. Já alguns romanos escreveram sobre eles considerando-os uma raça de patifes e ladrões.

Quanto ao outro assunto em que referes o Thor também não acredito nessa linha evolutiva do homem descender dos macacos e depois dos africanos. É demasiado rasca essa teoria.

Eu agora não tenho tempo para te meter aqui links sobre a falsidade dessa teoria da origem "africana" do homem.
Mas digo com toda a honestidade. Essas teorias do origem humana bem como o retrato de eventos históricos está completamente minada de teorias falsas designadas para que cada vez mais aceitemos o ordem politica, cultural e financeira do actual e do futuro.

Por exemplo, os filmes de programas de história tendem sempre a retratar o passado em que o ser humano era um bárbaro que andava sempre a matar de espada em punho, mas se fores ver o século de maior mortandade foi o sec 20 e o sec 21 caminha rapidamente para bater o sec 20.

http://followingjesus.org/images/section_graphics/deaths_in_war.gif

E para não falar de que essas pseudo-ciencias kosher, que eu prefiro chamar-lhes bruxaria nunca dão valor e menosprezam as grandes construções misteriosas do passado como as pirâmides, stonehenge, tiuanaco, teotihuacan, méxico, ilha de páscoa, peru, machupichu, e muitas muitas mais. Muitas delas que hoje o homem não tem capacidade tecnológica para fazer algo semelhante.

Só alguns exemplos estontentes.
http://hiddenincatours.com/

A distorção da história é um instrumento judaico/maçónicao, destinado para aceitarmos tudo o que põem á frente.

Thor disse...

o Diogo é engraçado. diz que não há sangue judeu, mas depois também diz que Hitler era judeu hahaha
só para verem as "coerências" desta gente.

Diogo, já te disse várias vezes e expliquei que existe sangue judeu:


http://hyperborea-land.blogspot.pt/2010/02/politicamente-incorrecto.html

http://1.bp.blogspot.com/-sJAXy3DqC3o/UY4XOMjZf6I/AAAAAAAAAQE/JcifL43ENPo/s1600/Jared+Diamond+Israel.jpg

http://forward.com/articles/155742/jews-are-a-race-genes-reveal/?p=all

http://www.haaretz.com/jewish-world/jewish-world-news/dna-links-prove-jews-are-a-race-says-genetics-expert-1.428664


e volto-te a repetir o que já disse na altura:
"com isto não estou a dizer que todos os judeus são o mesmo, o que estou a dizer é que eles têem características próprias.
claro que há uns mais misturados com khazares, outros mais com europeus (como o Soares, Balsemão e outros), mas têem características próprias e é falso que não haja nada de racial neles."





"Os judeus não são uma raça, são uma máfia. Lê os livros de Schlomo Sand:"

e porque é que eu vou acreditar nos livros de um judeu marxista?
se os judeus são uma máfia como dizes, então porque é que vou acreditar no que esse judeu diz?
não é ele mafioso também?

enfim, "coerências"...

o que esse marxista quer fazer é ludibriar incautos, fazer desinformação e despistar as pessoas da ideologia de supremacia racial judaica.

aliás, o próprio marxismo é baseado nisso.
numa ideia racial de supremacia judaica.
(basta ler a carta de Baruch Levi a "Karl Marx" de 1848, ano do "manifesto")
é mesmo supremacia racial e não religiosa.
porque no marxismo, não faltavam e não faltam judeus ateus e outros.

quanto à teoria do "out of africa" é outra treta.
isso não está nada provado coisa nenhuma.
e muito menos ainda, está provado que os brancos descendem dos pretos.
http://wakeup-world.com/2013/12/16/dna-evidence-debunks-the-out-of-africa-theory-of-human-evolution/

portanto, tu é que não dás uma pra caixa.
judeus não são raça, viemos todos de Àfrica, etc, etc
não dás uma para a caixa.



"eu reconheço imediatamente os Thors (suponho que sejas português), os suecos e os russos."

cuidado que distinguir os portugueses ainda vá. mas distinguir os suecos dos russos, é um pouco mais difícil para ti.
mas, tudo bem, isso que disseste agora, só prova que há variedade e especificidade dentro da raça branca.
e ainda bem que é assim.

Pedro Lopes disse...

Shôr Diogo,

Se os judeus não são uma raça por que caralho é que querem fazer testes de DNA a comprovar que um casal é mesmo judeu a quem quer casar em israel?

http://davidduke.com/dna-testing-necessary-israeli-marriage-laws-explained-rabbi/