domingo, abril 10, 2005

Agonia dispendiosa



No Semanário Económico de 10/04/2005, Raquel Correia relatou:

Os terraços e as varandas que têm vista para o Vaticano estão todos alugados aos jornalistas de televisão, que querem garantir hoje aos telespectadores as melhores imagens do funeral do Papa. Apesar de, no casamento do príncipe de Espanha com Letizia, os preços das varandas terem já sido elevados, é agora no funeral do Santo Padre que os meios de comunicação pagaram mais para garantir os seus lugares.

Desde que João Paulo II foi hospitalizado que as televisões de todo o mundo começaram uma guerra para conseguir uma posição nos terraços com as melhores vistas para Basílica de São Pedro. Os meios de comunicação estiveram dispostos a desembolsar fortunas que, em muitos casos, rondaram os 20 mil euros, segundo o jornal El Mundo. Muitos dos terraços estão situados a vários quilómetros de distancia do Vaticano mas, as suas posições elevadas, garantem uma boa vista de São Pedro. É o caso do Hotel Cavalieri Hilton, escolhido pela estação norte-americana ABC. Também a NBC e a CNN escolheram filmar na colina onde está situado o jardim Gianicolo.

A CNN, não contente com apenas esta visão do acontecimento, decidiu ainda partilhar com a CBS um lugar num hotel situado perto do Borgo Pio, que conta com uma boa imagem da cúpula. No entanto, as ruas mais caras são as que estão mais próximas de São Pedro. Aí ficaram a italiana RAI e a European Broadcasting Union, um consórcio televisivo de 50 países. Ao todo estão no Vaticano mais de 3500 jornalistas de todo o mundo a cobrir o acontecimento.



Karol Wojtyla amava Deus ardentemente. Mas também amava ardentemente os homens, a vida, a liberdade e a paz. Alguns exemplos deste amor:

- Quis promover o ecumenismo entre as várias igrejas cristãs mas não foi bem sucedido, nem com protestantes nem com ortodoxos, porque exigiu sempre o primado da igreja católica.

- Pediu desculpa aos judeus do mal que a Igreja lhes fizera ao longo da História, mas recebeu Kurt Waldheim, que se descobriu ter participado directamente no Holocausto.

- Em 26 anos, proclamou 1338 beatos e 482 santos. Sozinho, beatificou e santificou mais gente que os seus 263 antecessores juntos, que lhe deixaram um património de 300 santos e 1310 beatos.

- Canonizou Pio IX, anti-semita notório.

- Canonizou, para desgosto de muitos católicos, José María Escrivá de Balagueri, fundador do Opus Dei.

- Mandou calar e excomungou simples sacerdotes cujos pontos de vista os afastavam da ortodoxia do Vaticano (Hans Kun).

- Proibiu a contracepção num mundo pobre e sobrepovoado.

- Condenou o uso de preservativo num mundo assolado pela sida

- Proibiu o ordenamento de mulheres.

- Proibiu o uso de células embrionárias humanas para investigação científica.

- Considerou a homossexualidade um pecado.

- Perseguiu os padres que, na América Latina, se associavam a movimentos sociais e políticos contra regimes opressores.

- Caucionou em 1989 à ocupação indonésia de Timor-Leste - ninguém lhe ouviu uma palavra de condenação da ditadura de Suharto, ninguém o viu a beijar o solo mártir de Timor, regado com o sangue de muitos milhares de resistentes católicos.

- Nada disse sobre o envolvimento do Vaticano no escândalo da falência do Banco Ambrosiano.


Conclusão:
Se o pontificado de Karol Wojtyla se tivesse prolongado durante mais tempo, os custos para os media e para o mundo teriam sido descomunais. Vai com Deus Karol.

2 comentários:

marujo disse...

São os ínvios caminhos do Senhor.

Anónimo disse...

Best regards from NY! » » »