sábado, dezembro 22, 2007

As fracturas dialécticas de Menezes

Expresso - 22/12/2007

Luís Filipe Menezes tem em Nicolas Sarkozy um modelo inspirador e propõe-se, como ele, avançar propostas fracturantes que não deixem ninguém indiferente. "Faço a aposta radical de, em meia dúzia de meses, liberalizar a legislação laboral (...) e desmantelar de vez o enorme peso que o Estado tem e que oprime as pessoas", afirma o líder do PSD em entrevista ao Expresso, onde esclarece que continua defensor do Estado Social, mas na versão "Estado possível".

Consigo, as funções do Estado seriam encurtadas. "O Estado deve sair do ambiente, das comunicações, dos transportes, dos portos e, na prestação do Estado Social, deve contratualizar com os privados e acabar com o monopólio na saúde, educação e segurança social", afirma o líder social-democrata. Acusando o PSD de andar, há 12 anos, sem conseguir demarcar-se verdadeiramente do PS nestes sectores, Menezes propõe-se fazer rupturas...

(...) Luís Filipe Menezes não esconde que gerir a imagem com profissionalismo é uma prioridade. Esta semana fechou com a agência de comunicação de António Cunha Vaz um acordo que custará ao partido "25 a 30 mil euros por mês".


Jornal Sol - 23/11/2007:

«As dívidas são legais» , afirmou o líder social-democrata e presidente da Câmara Municipal de Gaia, Luís Filipe Menezes, numa reacção aos dados do Tribunal de Contas revelados quinta-feira que apontam a sua autarquia como aquela que mais se endividou na banca ao longo dos últimos dois anos.

O município liderado por Luís Filipe Menezes (PSD) contraiu 18 empréstimos no período em análise, no valor global de 74,5 milhões de euros.

(...) Luís Filipe Menezes disse, contudo, compreender que o queiram «atacar» e que alguns «agentes políticos» tentem «exacerbar» os números apurados pelo Tribunal de Contas.

«É a dialéctica normal do confronto político» , sustentou.


Miguel Sousa Tavares (Expresso 11/11/2007) - «... o pacto de dez anos proposto por Luís Filipe Menezes a José Sócrates, quanto às grandes obras públicas, é uma proposta indecorosa. Traduzida por miúdos, quer dizer o seguinte: "Independentemente de saber quem vai ganhar as eleições nos próximos dez anos, vamos pôr-nos de acordo em satisfazer os nossos comuns clientes e financiadores, para que eles tenham a segurança de saber que, seja quem for, os seus negócios estão seguros com qualquer um de nós"


Comentário:

Tal como Menezes se inspira em Sarkozy, também os portugueses, para lidar com os políticos honestos cá do burgo, deviam igualmente inspirar-se na França, em termos de propostas fracturantes:

From Wikipedia, the free encyclopedia: A fracture is the separation of a body into two, or more, pieces under the action...

8 comentários:

Carlos Marques disse...

Vive la France! Vivent les fractures! Vivent les clients de Menezes!

Feliz Natal e Bom Ano.

Ruvasa disse...

Viva, Diogo!

Nem mais.

Cumprimentos

Ruben

PintoRibeiro disse...

Bom Natal e um abraço.

xatoo disse...

´tás a brincar Diogo mas não seria novidade nenhuma cá pela burgo. Quando guilhotinaram o D. Fernando na Praça do Geraldo (com um cutelo e por processos artesanais, uma vez que a tecnologia de Monsieur Guillotine a la democratique machine ainda não tinham cá chegado) - a exclamação surpreendida do Duque de Bragança foi: "áh, é como na França!"
O pregão da sentença rezava assim: "Justiça que manda fazer el Rei nosso senhor, manda degolar D. Fernando Duque que foi de Bragança por cometer e tratar traição e perdição de seus reinos e sua pessoa real"
zumba!

Carreira disse...

Desejo um bom Natal ao autor do blogue e a todos os seus leitores.

José Carreira

(www.cegueiralusa.com)

alf disse...

O que é que faz uma pessoa inscrever-se num partido político? Alguns por gostam da política, mas isso são só alguns. E os outros todos, que mantêm a importancia do partido, o que é que esperam? O partido pode mandá-los às urtigas ou tem de alimentá-los?

A talhe de foice: o Guardian diz que o Putin se tornou o homem mais rico da Russia desde que foi para o Kremlin.. não sei o que vale esta noticia...

Bom Natal!

contradicoes disse...

Venho pois desejar-lhe
votos de um Natal feliz
mas também lembrar-lhe
não foi este país que eu quis

Ashera disse...

Mais que Mais....
Obrigada doce Diogo.
Agora anda aqui esta "guerrinha franca blgs.Qi":
http://dererummundi.blogspot.com/2007/12/criacionismodesonestidade.html
Beijos e Festas Felizes