terça-feira, julho 29, 2008

Os atentados ao contribuinte português


Diário Económico Online/Lusa - 20/05/2008:

O ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Mário Lino, afirmou estimar que o plano de investimento em infra-estruturas para os próximos dez anos vá aumentar o nível de actividade no sector da construção de sete para 11 mil milhões de euros por ano.

(...) Os projectos de investimento em grandes infra-estruturas lançados pelo Governo para os próximos 10 anos ascendem a quase 40 mil milhões de euros.



Miguel Sousa Tavares (Expresso 07/01/2006)

«Todos vimos nas faustosas cerimónias de apresentação dos projectos [Ota e TGV], [...] os empresários de obras públicas e os banqueiros que irão cobrar um terço dos custos em juros dos empréstimos. Vai chegar para todos e vai custar caro, muito caro, aos restantes portugueses. O grande dinheiro agradece e aproveita.»

«Lá dentro, no «inner circle» do poder - político, económico, financeiro, há grandes jogadas feitas na sombra, como nas salas reservadas dos casinos. Se olharmos com atenção, veremos que são mais ou menos os mesmos de sempre.»
.

6 comentários:

contradicoes disse...

E se juntar-mos a essa previsão megalómana desses investimentos, alguns dos quais desnecessários, as derrapagens sobre o custos das adjudicações, muito provavelmente os nossos bisnetos ainda vão ter de continuar a pagar a factura desses absurdos investimentos, que irão satisfazer os apetites desta corja que são os empreiteiros e banqueiros.

xatoo disse...

o PSD diz o mesmo que o MST

Zorze disse...

Ainda à pouco estava a ouvir Joaquim Aguiar na Sic Notícias a dizer que a rede de interesses já está de tal modo penetrada na classe política que as leis que saem do parlamento para os códigos já não representam as ideologias partidárias, mas sim, essa tal rede de interesses.
Portanto a questão é que já não é partido A ou B que realmente governa, somos governados segundo os interesses das grandes empresas que financiam as campanhas e que dão o poder a determinado político.

Meu caro Digo, a imagem do post está muito boa.

Abraço,
Zorze

Diogo disse...

Xatoo,

O PSD esteve em faustosas cerim�nias anteriores de apresenta�o dos projectos [Ota e TGV]. O centr�o � o mesmo. Os pol�ticos a soldo s�o os mesmos. Eu n�o estou a atacar o PS. Estou a atacar o centr�o, 100% corrupto.

O MST pode n�o ser o c�mulo da intelig�ncia, mas quando um borra-botas venerado pelo grande p�blico diz nos media que �L� dentro, no �inner circle� do poder - pol�tico, econ�mico, financeiro, h� grandes jogadas feitas na sombra, como nas salas reservadas dos casinos�, devemos repeti-lo at� � exaust�o.

At� porque, borra-botas t�o venerados e t�o cr�ticos n�o s�o f�ceis de encontrar.

Ashera disse...

Uma imagem com muito humor, pesando num assunto tão serio e dramatico!
Ai de nós pobres pecadores que somos engolidos neste vale de corrupção por estes gulosos.
Se o meu voto contasse...
Alguém me informa como se exterminia esta "malandragem"?
Beijos

xatoo disse...

outra curiosidade é a expressão "o grande dinheiro" utilizada por MST. Ora dinheiro, mais ou menos, toda a gente tem: O que está em causa, o que provoca o descalabro de vida para quem vive do trabalho assalariado é o Capital - grande ou "pequeno", Capital há só um: o que resulta da acumulação pelos capitalistas da parte do trabalho não remunerado. Portanto, quem nos explora não é "o grande dinheiro" é "o grande capital" - MST, um demagogo inveterado, não utiliza a expressão correcta porque sabe que ao fazê-lo seria acusado de ser marxista.
Assim traveste a linguagem, na esperança de enganar meio mundo que pensa que o homem é de esquerda.
pqp