quinta-feira, dezembro 21, 2006

A duvidosa estratégia militar para o Iraque do novo ministro americano da Defesa

Jon Stewart do Daily Show questiona, com humor, o «correspondente» Ed Helms sobre o fracasso da estratégia militar que tem vindo a ser seguida no Iraque:


Jon: Somos a maior superpotência do mundo. Investimos milhões em armas de alta tecnologia. Como é que isso não é eficaz?

Ed: Porque eles fazem batota! Estas pessoas não sabem como lutar numa guerra. Confronto directo em que os outros estão em desvantagem em relação a nós. Estes tipos deviam escolher alguém da altura deles... e não alguém maior.

Jon: O que devemos fazer?

Ed: Estamos a treinar o exército deles para lutar em guerras convencionais. Esperando que um dia, quando o país recuperar, nós os consigamos derrotar.


Vídeo - 4:28m

DS - A estratégia militar para o Iraque

Add to My Profile More Videos

14 comentários:

Adriana M. disse...

Esta administração americana ficará conhecida como a mais corrupta de todos os tempos, ou como a mais importante no combate a regimes terroristas. O relógio está a contar.

Airsoft Man disse...

Great blog, I will come more often.

Airsoft King

Manuel disse...

A história é normalmente contada pelos vencedores...
Mas no caso desta administração, parece-me óbvio que serão relembrados como a corja de oportunistas sem escrúpulos que realmente são.

Tal como o povo alemão sofre pelos desvarios de um passado recente, parece-me que o povo americano irá sofrer de forma semelhante quando se apreceberem de quem colocaram no poder.

Cumps a todos.

Biranta disse...

A situação actual não é mais absurda e caricata do que as cenas patéticas e as "justificações" que levaram à invasão e à guerra no Iraque... Mas a inconsciência dessas facínoras loucos e o seu sentido de homnipotência e impunidade não lhes permitiu perceber isso, evitando que embarcassem nessa aventura absurda.
A derrota era (e é) inevitável; Isto é: uma desgraça anunciada. Mas nem o facto de isso ser óbvio impediu que dessem cabo daquele país e martirizassem as suas gentes.

Será que "eles", agora, já perceberam a realidade? Ou estão apenas a tentar encaixar os novos dados e a nova situação para melhor prosseguirem a sua estratégia?

Não é da natureza de facínoras, pérfidos e mentirosos, emendarem-se assim tão facilmente... e eu não vejo mudanças ou alterações que permitam as mudanças necessárias...

Ou sou eu que estou a ver mal a coisa, ou eles continuam a tentar nos atirar areia para os olhos.

Se nem os seus rafeiros desistiram, ainda, de os defender e "justificar" a todo o custo, não me parece que se possa acreditar em mudanças auto-promovidas.

Veremos. Mas devemos continuar atentos e insistir.

xatoo disse...

Que nunca se perca de vista a questão das bases militares americanas ficarem implantadas em definitivo no Iraque, enquanto lá de dentro desses bunkers eles olham impávidos a guerra civil entre xiitas e sunitas (enquanto o petróleo escorre pelos pipelines).

No principio do Vietname eles tb tentaram que a guerra fosse entre os vietnamitas do Norte contra os do Sul, só que o apoio massivo da China aos Vietcongs não lhes deu tempo para tentarem o mesmo que conseguiram antes na Coreia, despejando dinheiro a rodos sobre a Coreia do Sul a ponto de a tornarem o país mais industrializado da Ásia, enquanto a Coreia do Norte é alvo de toda a espécie de boicotes e ameaças.

Sofocleto disse...

É verdade Biranta e Xatoo,

Toda esta conversa de retirada é conversa. Eles foram para o Iraque pelo controlo do petróleo e o petróleo continua lá. A «guerra civil» entre Sunitas e Xiitas é fabricada para justificar essa permanência. Por outro lado, também existe muito petróleo no Irão e no Cáspio, e bases militares no Iraque constituem uma sólida plataforma para qualquer ataque. Veremos também se com a morte «súbita» de Niazov do Turquemenistão não haverá alguma tentativa de outra revolução colorida como as da Geórgia, Ucrânia e Quirguistão.

xatoo disse...

olha, descobri aqui uma boa definição para o "pós-modernismo"
http://frenesi-livros.blogspot.com/2006/12/vozes-razoveis-159-jean-franois.html

Carlos Paiva disse...

Sair do Iraque como a maior parte da esquerda pretende seria um desastre. Por várias razões:

- Enfraqueceria seriamente a capacidade dos Estados Unidos de se proteger eficientemente no futuro.

- Produziria instabilidade no Médio Oriente.

- Possibilitaria uma vitória para o Irão, para a Síria e para os seus representantes que estão a instigar múltiplas frentes de guerra no Iraque, no Líbano e na Palestina.

- Incentiva regimes poderosos como a Coreia do Norte a invadir os seus vizinhos e provocaria confrontos globais porque pensariam que a América já não teria coragem para interferir.

E aqueles que não acreditam que os confrontos regionais não se vão incendiar com a retirada americana devem estar a sonhar. Segundo o New York Times, os sauditas já ameaçaram apoiar os sunitas iraquianos logo que se dê a retirada dos EUA.

escrevi disse...

Tenho andado com preguiça de comentar apesar de te ler sempre que escreves.
Não quero porém deixar de te desejar umas Festas felizes.

Bjs.

luikki disse...

os melhores votos de boas festas!

Macillum disse...

Caro Sofocleto,

uma vez que eu sei que defendes a valoracao da abstencao como uma possivel solucao para Portugal utilizarei o teu espaco para divulgar a censura de que tenho sido alvo no blogue sociocracia.blogspot.com
Eu tomei consciencia dessa possivel porta legal como solucao para alterar o sistema em Portugal atraves do blogue do Biranta. O que acontece 'e que eu tenho vindo a advertir o Biranta sobre a incompatibilidade entre a personalidade explosiva, exclusivista, tiranica e egocentrica do mesmo e o bom sucesso da divulgacao de tal possivel solucao. Ele tem sido o grande motivador de divulgacao de tal solucao mas tambem o principal responsavel pelo descredito por muitos dado a tal ideia devido 'a sua personalidade. Eu possuo pensamento proprio, logo, fui capaz de ver o valor dessa porta legal para la da personalidade do autor do blogue Sociocracia... mas muitos nao sao capazes de fazer isso. Penso que devemos ter muita paciencia uns com os outros e ajudar uns e outros a esclarcer ideias, visoes e comportamentos e nao censurar uns e procurar mudar outros 'a forca.
Peco que nao te ofendas com a minha pessoa por estar a utilizar o teu espaco para realizar tal comentario, mas acredito ser necessario divulgar esta atitude do Biranta que em muito prejudica o bom sucesso de uma divulgacao mais abrangente sobre a valoracao da abstencao, ideia tal que pode vir a ser a salvacao de Portugal no futuro.
O meu blogue tem estado parado, logo, ninguem iria ler coisa alguma se eu la colocasse esta divulgacao, mas acredito que aqueles que ja passaram pelo blogue do Biranta e se assustaram com a sua atitude deveriam pensar duas vezes sobre as possiveis mudancas radicais que a abstencao pode trazer a Portugal, olhando a ideia para la da personalidade do Biranta... afinal, a valoracao da abstencao podera fazer toda a difenca em Portugal

Com os votos de dias plenos de amor e alegria, saude e sabedoria

Macillum disse...

diferenca em Portugal

Máquina Zero disse...

Meu caro Sofocleto: Alá esteja consigo....

Sofocleto disse...

Macillum,

Depois do elogio que você fez à grande causa da Biranta (que eu também perfilho) não tenho dúvidas que ela vai moderar o mau génio (pelo menos consigo). Feliz Natal.


O Máquina Zero também apareceu por cá. Desejo-lhe também um feliz Ramadão.