quinta-feira, dezembro 14, 2006

Henrique Monteiro do Expresso - o tempo e o discernimento parecem não passar por ele

Henrique Monteiro

Jornal Expresso - 29 de Setembro de 2001 (17 dias depois do 11 de Setembro)

As boas consciências

AS BOAS consciências europeias estão preocupadas com um eventual ataque dos EUA como retaliação dos atentados de 11 de Setembro. As boas consciências temem que o ataque seja dirigido contra incertos e faça vítimas inocentes. Já temeram, aliás, que esse ataque fosse a 12, a 13, a 14, ou 15 de Setembro, e até ficaram um pouco desconcertadas porque George W. Bush não mostrou, afinal, ser o «cowboy» irresponsável que as boas consciências diziam ser. Mas, como as boas consciências têm sempre razão, fica a saber-se que Bush não atacou porque está bem aconselhado. Por ele - as boas consciências sabem isto de fonte certa -, teria atacado o mundo inteiro e o Afeganistão em particular logo no dia seguinte, sem passar cartão a ninguém e espalhando um terror ainda mais maléfico do que aquele que atingiu os EUA.

As boas consciências são precavidas e desconfiadas em relação aos EUA, nação que, como se sabe, tem atrás de si um passado muito suspeito. Em relação à França ou à Alemanha e de um modo geral à Europa as boas consciências não são tão vigilantes. Por exemplo, a França pode contemporizar com células terroristas da ETA instaladas no seu país, apesar dos esforços da Espanha para uma maior cooperação antiterrorista, porque a França... enfim, é a França, um país culto, ao contrário dos Estados Unidos, que são todos «cowboys» que nem sabem beber vinho e acham o McDonald's uma especialidade gastronómica.

Numa palavra, os americanos não são gente em quem se confie, salvo quando a Europa é ameaçada, seja pelo Kaiser, seja por Hitler, seja pelos soviéticos. Aí sim, eles fazem falta e convém que ajudem os europeus a preservar a sua enorme cultura e bom gosto.

Por isso é natural que as boas consciências desconfiem dos EUA e não lhes dêem o direito de retaliar. A retaliação, como se sabe, pode trazer vários inconvenientes à Europa, nomeadamente pode fazer com que os terroristas se lembrem de alguns alvos no Velho Continente. À excepção dos ingleses (outro povo de comerciantes sem cultura, apenas úteis para resistir à barbárie de Hitler), as boas consciências europeias temem que a sua vida sofra incómodos.

Até porque - sustentam as mesmas boas consciências - os EUA vão cometer erros. Não se lembram dos danos colaterais? E erros é uma coisa que as boas consciências não toleram. Não podem admitir erros na retaliação. Exigem provas, passadas em cartório, em como apenas os verdadeiros responsáveis pela barbárie de 11 de Setembro serão castigados.

As boas consciência não querem perceber que isto é uma guerra. Uma guerra nova, prolongada e difícil, e que em todas as guerras há erros e vítimas inocentes (as primeiras, foram as quase 7000 que pereceram nos EUA). E esta guerra a que o mundo livre foi (é) obrigado pela barbárie do terror não será excepção. Haverá erros e injustiças, pelo simples facto de que haverá acção. Só que as boas consciências cometeriam erros bem mais graves: o de viverem contemporizando com o terror, sacrificando a liberdade e a segurança de todos nós.


Comentário:

É difícil não sentir um arrepio ao relembrar as palavras premonitórias de um grande jornalista e, cinco anos passados, actual director do mais influente semanário português.

Também eu, armado em boa consciência, (mea culpa), desconfiei dos EUA. Também eu (mea culpa), sustentei que iriam haver danos colaterais. Também eu (mea culpa), exigi provas, passadas em cartório, de que seriam os verdadeiros responsáveis pela barbárie de 11 de Setembro que seriam castigados. Também eu (mea culpa), cometi o erro de contemporizar com o terror.

Mas Monteiro tem razão: basta de contemporizações. Vamos apurar responsabilidades. Sejam terroristas de espada ou de pluma. Tão assassinos uns como outros.

12 comentários:

Fragil disse...

A fotografia do Henrique Monteiro faz-me lembrar a região da Bairrada.

DLM disse...

não há ali uma boa dose de ironia?

xatoo disse...

o HM a mim faz-me recordar mais a região "demarcada" de Aveiras de Cima, onde se produz o vinho a martelo

xatoo disse...

o HM a mim faz-me recordar mais a região "demarcada" de Aveiras de Cima, onde se produz o vinho a martelo

O-Lidador disse...

Também eu, armado em boa consciência, (mea culpa), desconfiei dos EUA

Sofocleto, você nunca desconfia dos EUA, deixe-se de eufemismos melífluos.

Você SABE que os EUA são o repositório de todos os males do mundo, o Mafarrico que atanaza o Universo, o MAL absoluto e irremediável.

E não é a "boa consciência" que lhe dita essa extraordinária sageza.

É a obsessão antiamericana, a paranóia e o ódio ideológico.

Que chame "boa consciência" a uma tão evidente tara psicológica, diz muito de si.
Nada de particularmente bom, infelizmente.

Pedro Soares disse...

O Sofocleto explora uma tragédia humana massiva e adultera os factos por uma simples razão: desacreditar o governo americano e saciar os ódios dos leitores mais extremistas. Perpetuar o estereótipo de Bush como um unilateralista arrogante é a sua prioridade.

desbul disse...

Pois a mim a fotografia do Henrique Monteiro faz-me lembrar o emplastro.Será que ele também é filho do Pinto da Costa?

Macillum disse...

Talvez a obcessao de Sofocleto pelos EUA tenha a ver com o facto de ser o pais no mundo com mais poder economico (tendo ja ao lado paises como a China e a India) e mais poder militar que invadiu mais paises e territorios na historia contemporanea... talvez convenha alguem andar de olho... talvez...
Sem querer defender este blogue na sua inteira visao, admiro a visao permanente de assunto, ao contrario de certos blogues que se mantem vivos atraves da dispersao de assuntos e sem um objectivo concreto a vista que justifique a sua existencia, a nao ser a de servir de desabafo a uns quantos que procuram aliviar a consciencia pesada que possuem devido a pouco ou nada contribuirem para com a melhoria das condicoes de vida em Portugal e no mundo... jornalismo frustrado, digamos.
Ainda assim, como ja disse em outros comentarios meus, apesar da visao anti-governo americano (e nao anti-America) que este blogue possui, torna-se por vezes dificil ao autor manter a objectividade devido a rol de maleficios que o governo dos EUA tem vindo a propagar pelo mundo.
De qualquer modo, parabens pela preserveranca.
Se olharem o meu blogue notarao que esta parado ha muito... continua no ar com muita informacao, mas parado... deixei as palavras virtuais (nao por completo, senao nao estaria aqui a escrever) para passar a uma accao mais pratica no meu dia-a-dia.
A critica 'e boa quando construtiva mas nao me parece que seja esse o objectivo de muitos criticos que andam ai pelo mundo blogueiro... talvez tenham como intuito a propagacao do caos e nao do amor e da harmonia entre os seres humanos, os animais e o meio ambiente.

Com os votos de dias plenos de Amor e Alegria, Saude e Sabedoria...

Anónimo disse...

Lol.... afinal ao fim de tantos meses e meses, meio a brincar, lá mandávamos umas bocas fatelas, mas entretanto com o tempo vamos percebendo que este blogue está mesmo impregnado de leitores senis e esquizofrénicos.

Sofocleto disse...

Tem uma imagem muito fraca de si próprio Anonymous. Um pouco de autoestima, que diabo!

Lidador disse...

"talvez convenha alguem andar de olho"

Macyllum, creia que não interessa nada à malta aqui do bar, onde é que você anda com o olho.

Poupe-nos a esse tipo de confissões íntimas... é a altamente constrangedor.

gatao disse...

ora aí está um a quem se pode chamar estúpido ao quadrado, sem receio de o estarmos a atirar contra o bush