terça-feira, maio 09, 2006

Cheney, o Iraque e a Halliburton

Auditores do Pentágono descobriram pagamentos excessivos de mais de 250 milhões de dólares nas facturas apresentadas pela firma Halliburton por serviços prestados no Iraque, informou, a 27 de Janeiro, o jornal The NewYork Times.

Excerto de Fahrenheit 9/11 de Michael Moore

Vídeo - 5:20m




Anteriormente, em Janeiro de 2006, auditores chamaram a atenção pela existência de amplas despesas e trabalhos não terminados nas tarefas de reconstrução da nação árabe, encomendados a essa empresa.

A firma está sob escrutínio desde 2003, quando se descobriu que lhe foram outorgados contratos de trabalho sem licitação para a reconstrução dessa nação do golfo Pérsico.
Nessa época, alguns meios de comunicação chamaram a atenção acerca de possível favorecimento do governo, atendendo a que o vice-presidente Richard Cheney presidiu à empresa antes de chegar à Casa Branca.

Meses antes, os auditores do Pentágono descobriram que a companhia estava a cobrar ao Exército, nalguns casos, quase o triplo do que a outros pelo mesmo trabalho.

Os funcionários do Pentágono questionaram o pagamento de 263 milhões de dólares pela entrega de combustível, reparação de tubagens e outras tarefas e acharam que as tarifas foram potencialmente infladas ou sem justificação mediante documentos.

Para alguns políticos, como o representante democrata pela Califórnia, Henry A. Waxman, o Pentágono fez ouvidos de mercador ao trabalho dos auditores e pagou à Halliburton centenas de milhões de dólares: "uma fatia extraordinariamente grande".

21 comentários:

Anónimo disse...

Anti- american Jose Blanco (psoe) described freedom endurance as foolish. Blanco congratuled anti- american Zapàtero for taking the decision to withdraw spanish troops from iraq illegal war (sic)

escrevi disse...

A televisão devia passar este filme.
Quem desmente os factos apresentados e comprovados por Michael Moore?
Desmentir não é só dizer que é mentira, é apresentar contra-provas do que é apresentado.

escrevi disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Fragil disse...

No vídeo percebe-se a espantosa quantidade de abutres que se lançaram sobre o petróleo iraquiano, sem quaisquer escrúpulos. Entre eles sobressaem a Halliburton e o Cheney, os maiores abutrs de todos.

toupeira disse...

Gostava de ser dono dessa empresa.

Sofocleto disse...

Tens toda a razão Escrevi. Não basta insultar, chalacear e desvalorizar o que é apresentado. Os «anonymous» devem apresentar os seus factos. Para aferir da sua credibilidade. Para se perceber se dizem coisa com coisa.

gajo porreiro disse...

Los anonimos son unos Tios cojonudos; sobre todo los que escriben en español....

carlos disse...

É hoje consensual que a invasão do Iraque se baseou num monumental embuste chamado "Armas de Destruição Maciça"; é hoje claro que a Administração Bush não tinha qualquer estratégia para o pós-guerra, excepto propiciar negócios milionários para a Halliburton de Dick Cheney e afins. Depois de Saddam, ficou o caos, um país destruído e com tanto futuro para os seus habitantes como nos piores anos do regime antigo.

Margarida disse...

Em Nova Orleães e no Iraque os abutres são os mesmos:

Num artigo publicado no Público há uns meses, pelo menos duas grandes empresas, associadas aos interesses de Joe Allbaugh, que foi o anterior responsável de campanha do Presidente George W. Bush e antigo director da Federal Emergency Management Aagency (FEMA), a agência de protecção civil, foram já contactadas para começar os trabalhos de reconstrução ao longo da costa do Golfo do México. Uma das grandes companhias é a Shaw Group Inc. e a outra é a Halliburton Co., subsidiária da Kellog Brown and Root. O vice presidente Dick Cheney já foi director da Halliburton.

Anónimo disse...

Margarida = Palavra de Ursa ?

Anónimo disse...

"Scandal-plagued Halliburton -- the oil services company once headed by Vice President Cheney -- sold an Iranian oil development company key components for a nuclear reactor, say Halliburton sources with intimate knowledge into both companies’ business dealings."

"Halliburton was secretly working at the time with one of Iran’s top nuclear program officials on natural gas related projects and sold the components in April to the official's oil development company, the sources said."

http://whyareweback.blogspot.com/2005/08/grand-old-halliburton.html

Biranta disse...

O artigo referido por anonymous, onde se afirma que a Halliburton vendeu, aos iranianos, os componenetes para reactor nuclear, é datado de Agosto de 2005... O mundo anda a dormir? E nem nós, sempre em busca da melhor informação, nos damos conta destes factos... e do seu gravíssimo significado. Sim porque, na comunicação social, continua o cerrado muro de censura, nazi, encomendado e controlado pela CIA e pelo Bilderberg.
Vale a pena consultar o link.

Sofocleto disse...

É verdade Biranta. Quem diria que a Halliburton de Cheney estava ligada ao programa nuclear iraniano.

Sofocleto disse...

Portanto, Cheney quer atacar o Irão com bombas atómicas se este país não desistir do seu programa nuclear. Programa que a Halliburton, empresa de Cheney, ajudou a criar. Este vice-presidente não pára de surpreender!

VouNaBroa disse...

Lá estão vocês outra vez...Dick Cheney...toda a gente sabe que o vice presidente é bom rapaz...são tudo bons rapazes...."Good fellows"

Um Homem das Cidades disse...

Está claro que a Administração Bush é «o criminoso» deste filme, mas o problema é o de: como os inocentes desarmados prendem os criminosos armados até aos dentes?

Biranta disse...

Caro amigo "Um homem das cidades"!
A estratégia de dominação do Mundo tem como objectivo o lucro! E tem, como pressupostos, a manipulação para ocultar a perversidade dos objectivos e dos meios usados para os alcançar.
A pior e mais pérfida "arma" dos criminosos é o muro, compacto, de censura à volta destas denúncias e a utilização dos OCS como meios de manipulação, que inclui notícias falsas e/ou tendenciosas.
Rompido esse cerco, o resto é fácil...
Tudo isto lança muita confusão e inibe as pessoas de se unirem e usarem o seu enorme poder (de consumidores) para inverter a situação...
A propósito: é impressão minha ou a campanha paranóica à volta da "gripe das aves" já acabou?
Contudo, é bom estarmos atentos e preparados para o que virá a seguir...
Pensem nisso!

marujo disse...

já não se pode ganhar a vida descansadamente...
cambada de invejosos, é o que vocês são!
não podem ver um homem com uma camisa lavada.

Rouxinol disse...

As evidências...
Um abraço

Biranta disse...

Oh meu amigo marujo!
Cá por mim não é inveja... é ódio mesmo, porque não pode ser outra coisa, visto o rol de horrores com que estamos confrontados.
Mas não tenho nada contra as "camisas lavadas", bem pelo contrário...

Baphomet disse...

«A propósito: é impressão minha ou a campanha paranóica à volta da "gripe das aves" já acabou?»

Pois é Biranta, aparentemente já acabou. E você já se deu ao trabalho de pesquisar ou investigar onde houve essa "campanha" paranoica ? Não é por nada, mas devo-lhe dizer que a paranoia existiu apenas nos media europeus... no resto do mundo passou despercebida !