quinta-feira, junho 15, 2006

Michael Berg - Saddam Hussein não é pior que George Bush

Blake Fleetwood - Huffington Post - 8 de Junho de 2006

A 8 de Junho de 2006 (há uma semana atrás), Soledad O'Brien, pivot da CNN, conduziu uma entrevista incrível com Michael Berg, o pai de Nick Berg, que foi alegadamente decapitado por Al-Zarqawi. Mas a parte mais interessante e preocupante da entrevista foi cortada das emissões posteriores da CNN. A CNN considerou as palavras de Michael Berg demasiado provocadoras para serem colocadas no ar:

BERG: Democracia [no Iraque]? Deixe-se disso. Não se pode acreditar que existe lá uma democracia quando as pessoas que dirigem as eleições estão armadas. Isso não é democracia.

SOLEDAD O'BRIEN: Há uma teoria que defende que há medida que eles vão tentando formar algum tipo de governo, este processo será brutal, sangrento, vão haver perdas de vidas humanas e essa é a história de muitos países, e que haverá muita gente que sente que o preço a pagar será sempre melhor do que aquilo que tinham no tempo de Saddam Hussein.

BERG: Bem, eu não estou a dizer que Saddam Hussein era um homem bom, mas ele não é pior que George Bush. Saddam Hussein não carregava no gatilho, não cometia violações. George Bush também não, mas os dois homens são responsáveis por eles sob os seus reinados de terror.

O Iraque não tinha a Al-Qaeda lá. A Al-Qaeda supostamente matou o meu filho. No tempo de Saddam não havia Al-Qaeda. Com Bush há Al-Qaeda. No tempo de Saddam havia uma estabilidade relativa. Com Bush há instabilidade. No tempo de Saddam morriam cerca de 30 mil pessoas por ano. Com Bush há 60 mil mortes por ano.

Não entendo. Porque é que é melhor ter George Bush como rei do Iraque em vez de Saddam?


Vídeo: 6:01m - Cortesia dos Crooks and Liars

13 comentários:

Mário disse...

Pela forma como o pai de Nick Berg descreve Bush, dir-se-ia que ele sabe perfeitamente quem é Zarqawi e quem é que lhe matou o filho

Fragil disse...

«A Al-Qaeda supostamente matou o meu filho. No tempo de Saddam não havia Al-Qaeda. Com Bush há Al-Qaeda.»

No tempo de Saddam não havia terrorismo. Com Bush há terrorismo. Se calhar não é por acaso.

escrevi disse...

Cada vez há mais gente a denunciar.

Eduardo disse...

Esta Soledad O'Brien é uma das criaturas mais reacionárias entre as vedetas das faladuras televisivas. De segunda a sexta feira tenho a oportunidade de a ouvir de manhãzinha muito cedo no programa matinal da CNN dos estúdios de Nova Iorque. Ouvi essa entrevista inteirinha com o Michael Berg e o meu comentário para mim próprio foi "que grande puta me saíste". Ás vezes até acho essa anormalidade de mulher a actuar de forma mais nojenta do que se ela fosse uma operativa da Casa Branca. E, tal como ela, agora a CNN tem uma legião de aberrações, especialmente mulheres, que tornam irreconhecível a estação sensacional criada pelo grande Ted Turner. Vocês ainda estão mais ou menos protegidos destas vergonhas porque a CNN Internacional, apesar de também ter resvalado um pouco para a mediocridade, sempre mantem um certo equilíbrio para consumo "ultramarino", limitando-se a transmitir raros apontamentos reduzidos do que nós temos aqui, mas nas emissões completas para a América do Norte não faz grande diferença da completamente fascista FOX News.

cm disse...

Michael Berg acha mais criminoso o presidente americano do que o homem que degolou o seu próprio filho. Esta conversa até me dá vómitos!

Anónimo disse...

Estou-me nas tintas para o Michael Berg que perdeu o seu filho Nick num assassínio brutal perpetrado pelos terroristas de Al-Zarqawi em 2004. Vi o filme da decapitação de Nick Berg. Nessa decapitação e na de Daniel Pearl está retratada a brutalidade medieval que os Estados Unidos estão a combater. Michael Berg não vê nenhuma vantagem na morte de Zarqawi, chama-lhe vingança, diz que isto só vai criar mais terroristas e culpa o presidente Bush pela morte do filho. Michael Berg não merece nenhuma simpatia.

ReiArtur disse...

«BERG: Bem, eu não estou a dizer que Saddam Hussein era um homem bom, mas ele não é pior que George Bush»

Não concordo! Bush é o suprasumo da estupidez, ao passo que Saddam é finório. Agora se Berg quer comparar Saddam com Cheney, aí a conversa fia mais fino. É difícil dizer qual dos dois é mais asqueroso. Pessoalmente, inclino-me para Cheney.

a.castro disse...

Boa, Berg!... E assim aos poucos vão saindo cá para fora "statements" que não agradam ao Bush e à própria CNN que afinal é obrigada a denunciar a sua "bushodependência". Há dias foi o tenente que se recusou a ir para o Iraque. Muitos casos destes, precisam-se. Bush e os seus acólitos merecem!

cm disse...

“vão saindo cá para fora "statements" que não agradam ao Bush”

Já percebi que existe muito anti-Bushismo neste blogue. No vídeo Berg não condena o assassino que degolou o filho - Al-Zarqawi. Pode-se não gostar de Bush mas Berg atribui-lhe todas as culpas e lamenta até a morte do assassino terrorista. Isto não é pacifismo, é estupidez.

magnolia disse...

Pelo que leio em alguns comentários, parece que os apoiantes de Bush não se vergam às evidências, no entanto, apesar disso, a potência hegemónica dos EUA, não tem as mãos totalmente livres para realizar a sua política. É possível resistir, contrariar e, finalmente, derrotar o seu propósito de instalar uma ditadura planetária do grande capital, uma nova ordem mundial totalitária, contra os trabalhadores e contra os povos. Eu não considero este facto "estupidez", considero "ignorância chapada" e alienação.

cm disse...

“derrotar seu propósito dos EUA de criar uma nova ordem mundial totalitária, contra os trabalhadores”

Cara Magnólia,

A minha amiga esquece-se que os EUA têm as mais altas taxas de emprego do mundo civilizado a par de uma grande competitividade. Como é que pode dizer que é contra os trabalhadores? O estado social europeu é que está nas últimas: desemprego maciço e salários elevados que impedem a criação de novos empregos e conduzem a deslocalizações. Quem é que está contra os trabalhadores?

a.castro disse...

A quem citou parte do meu comentário respondo que é estupidez não perceber quantos e quais os crimes que Bush tem cometido contra a humanidade em geral e contra o seu próprio povo. Não estou para dar exemplos porque é uma questão de cultura geral e de isenção. Aquela aprende-se estudando e esta é um valor que se tem ou não tem. Sim, porque há muitos homens cultos mas são fascistas. O Salazar era um desses - e no actual governo português há mais. É por isso que Portugal esteve e continua a estar na cauda.

magnolia disse...

Peço desculpa ao Sofocleto, mas vou responder ao "cm" porque me interpelou.

"esquece-se que os EUA têm as mais altas taxas de emprego do mundo civilizado a par de uma grande competitividade"

As “altas” taxas de emprego e a “grande” competitividade são conseguidas à custa dos próprios trabalhadores… esse paraíso capitalista passa pelo purgatório do trabalho precário e da pobreza, e nomeadamente pela exploração de milhões de imigrantes. Os EUA são um bom exemplo do trabalho precário. Actualmente foram introduzidas alterações na legislação que eliminaram o pagamento de horas extraordinárias a cerca de 8 milhões de trabalhadores, o que significou na prática, diminuir os salários e aumentar mais ainda a jornada de trabalho. Os salários médios estagnaram e a desigualdade dos salários aumentou, resultando no empobrecimento de muitas famílias nesse “paraíso capitalista”. A maioria das empresas paga o salário mínimo, como a Mc Donalds, Pizza Hut, Wal Mart etc., e de uma maneira geral, todas as sucursais, nacionais ou estrangeiras, possuem trabalhadores desprovidos dos direitos e regalias que lhes são devidos.

"Como é que pode dizer que é contra os trabalhadores?"

Bem, se tudo o que referi atrás não é suficiente, aqui e aqui tem mais um exemplo do verdadeiro “sonho” americano.

"O estado social europeu é que está nas últimas… salários elevados que impedem a criação de novos empregos"

Salários elevados!? Salários de miséria que os capitalistas culpam pelo facto de não atingirem os lucros que almejaram… mas este assunto “dá pano para mangas” e penso que não valerá a pena enveredar por um tema tão diferente do post.