quinta-feira, abril 26, 2007

Mais um insider a falar do 11 de Setembro: «Foste tu, Cheney!»


Em VoltaireNet:

Victor Gold, jornalista republicano de renome, exprime sérias dúvidas quanto à tese governamental sobre os atentados do 11 de Setembro.

Victor foi um dos autores dos discursos dos presidentes Gerald Ford e Georges H. Bush, foi também o autor da biografia deste último «Looking Forward», e co-autor de outra obra com Lynne Cheney (esposa do vice-presidente) «The Body Politic».

No seu último livro, «Invasion of the party snatchers : How the Neo-Cons and Holy Rollers Destroyed the GOP» - «A invasão dos raptores do partido: Como os neoconservadores e o rolo compressor sagrado destruíram o partido republicano», Victor afirma que os neoconservadores queriam aproveitar a oportunidade de uma provocação completamente fabricada para ir para a guerra, da mesma forma que Lyndon B. Johnson organizou o incidente do Golfo de Tonkin em 1965 para justificar a guerra contra o Vietname.

Segundo Victor Gold, a administração Bush «encenou uma operação encoberta (false flag operation – ataque falsamente imputado ao inimigo)»: os atentados do World Trade Center e do Pentágono seriam um golpe dirigido a partir de dentro com o objectivo de justificar as guerras já preparadas há longa data contra o Afeganistão e o Iraque.


Comentário:

O número crescente de denúncias, por parte de pessoas ligadas aos altos escalões republicanos, sobre a verdadeira autoria dos atentados do 11 de Setembro, deve constituir um fortíssimo pontapé nos tomates dos arautos portugueses do «terrorismo islâmico», como sejam, os Monjardinos, os Coutinhos, os Cutileiros, os Rogeiros e os Vitorinos.

22 comentários:

Liddor disse...

Diogo, não seja mentiroso. Ora leia bem e verá que o seu novo herói, apesar de estar muito zangado com o Bush e o Cheney, não diz isso que você vem aqui trombetear.
A sua obsessão está-lhe a afectar a vista e leva-o a deglutir de imediato tudo aquilo que lhe parece boa palha.

O que Gold diz, é que acredita que se não tivessem acontecido os atentados, a Administração estaria pronta a arranjar um pretexto para atacar o Iraque.

Só na sua cabecinha formatada é que a estrada de beira é igual à beira da estrada.

Aliás, é provável que nesses seus circuitos cerebrais avariados, esteja já a despontar a ideia brilhante de que o seu herói coreano, era nada mais nada menos que um agente da CIA , com a missão de arrnjar um pretexto para atacar a Coreia do Norte.

O gajo era amarelo, pá....era da Coreia....Norte ou Sul, é tudo igual, aquilo é pequeno.
The man in black, pá!
Com revólveres tipo pistola e pistolas tipo revólver, de 9 mmm, para matar menos....

Tem de parar com essa marjiuana...isso não lhe está a fazer nada bem...

Diogo disse...

Lidador: «Tem de parar com essa marjiuana...isso não lhe está a fazer nada bem...»

Paro com a marijuana quando você parar o com o pó de anjo que ingurgita pelas orelhas. O post é uma tradução do que está no VoltaireNet. Mas também li várias outras apreciações.


Lidador: «O que Gold diz, é que acredita que se não tivessem acontecido os atentados, a Administração estaria pronta a arranjar um pretexto para atacar o Iraque.»

O que Gold está a gritar, para todos os que tenham mais de três neurónios, é que foi esta Administração que levou a cabo os ataques. Para isto nem é necessário ser bom entendedor. Basta ter um QI superior a um batráquio.

Quasimodo disse...

Ouviu lidador? Volte lá para o reptilário donde nunca devia ter saído. You snake!

Anónimo disse...

lidador, a marijuana quando é boa faz bem, esse chamon petroleiro falsficado que tu orientas é que não vale nada. É o resultado da vossa War on Drugs, prima direita da War on Terror. Numa são as drogas que estão a ganhar (principalmente as de má qualidade) na outra, é o que se vê.

Lidador disse...

Meninos acalmem-se e não comecem a emitir ventosidades e a dar coices. Embora esse comportamento inadequado e associal seja próprio da puberdade ideológica onde ficaram emparedados, têm de meter nessas monas, se necessário dando com elas na parede, que apesar de serem capazes de fazer a exegese das gordas dos jornais, não sabem da missa a metade e por isso ficas-lhe mal essa arrogância “ex cathedra”.
Como diz o povão, a ignorância é muito convencida e é certamente essa pecha que leva os meninos a debitar o inaudito caudal de bacoradas e cavalidades com que empestam o ambiente à sua volta.

E o pior é que isso vos causa ataraxia, estupor, e destruição galopante de neurónios.

A propósito,kamarada Diogo, como deve saber, as redes neuronais são treináveis, isto é, se o Lidador o obrigar a usar determinados neurónios, eles adaptam-se e criam novas conexões.
O inverso tb é verdade, infelizmente, e nota-se que não tem treinado muito bem essa sua limitada rede neuronal de 1 camada.
A pobreza dos outputs é confrangedora...

Anónimo disse...

Olhem o que eu sei é que sempre descartei a tese da conspiração, como paranóia, e agora começo a ficar com sérias dúvidas. Sempre achei balhelhas que os F-16 não tivessem interceptado o segundo vôo para as torres e o do Pentágono, mas pensava que era 'em casa de ferreiro espeto de pau'. Agora já não digo nada.

De facto, em política, e em nome dos superiores interesses do dólar e do Dow Jones, pode-se fazer tudo.

py

Diogo disse...

Lidador,

Fragilidades neuronais:

Gold confirms that war in Iraq was decided upon from day one, and that a fake pretext was readied and anticipated before 9/11 happened. Though Gold still pins the blame on Al-Qaeda, in acknowledging the fact that the Bush administration would have staged a false flag attack anyway had it not been for 9/11, he is one small step away from intimating that the attacks on the WTC and Pentagon were an inside job.

É preciso traduzir?

Lidador disse...

Caro py, a paranóia parece ser contagiosa e pelos vistos afecta de forma igual mentes cuja formação levaria a supor uma superior capacidade de usar a racionalidade.

Não que um paranóico não seja formalmente racional.
É!
Simplesmente parte de uma premissa que não prova, dogmática e ideológica.

E depois, por puro silogismo, conclui as bostadas que aqui vemos o Diogo a trombetear.

Também não tem a ver com inteligência.
Estaline era muito inteligente e contudo paranóico...chegou a mandar matar médicos que o tratavam por desconfiar deles.

Caro Diogo, então traduza lá...e depois compare com o que afirmou no seu post.
Se não descobrir a diferença, então é um caso perdido.
A obsessão já metastizou e está condenado a que um dia destes o seu braço esquerdo comece a tratar o direito como se fosse um agente do Bush.

Menos maconha, vá lá.

Beba antes um bom vinho, sei lá, uma coisa modesta, tipo Barca Velha.

Carlinhos Medeiros disse...

Caro Diogo, sofremos quando denunciamos as elites paparadeadas pelo império norte-americano, ávidas em conhecer a Disneylândia e com os neurônios bombardeados pelos Big Brother's midiáticos, mas temos que conservar a polidez.

A CIA sabia da intenção do atentado e deram corda...Inclusive um agente foi envenenado a até agora não se descobriu quem foram os assassinos ou os mandantes.

Parabéns pelo seu blog e bom fim de semana.

Lidador disse...

O que é uma "elite paparadeada"?
Confesso que sofro para perceber...o "midiático" também me faz sofrer algo.

A CIA "deram" corda?
Na verdade o menino carlinhos, em vez de andar a descobrir assassinos, melhor faria em descubrir a gramática.

Diogo, kamarada, tem de estabelecer um nível mínimo...um aplauso só vale a pena se vier de alguém a quem reconhecemos mérito.
Há aplausos que constrangem, não acha?

Lidador disse...

Atençao, menino carlinhos, o "descubrir" dveria estar entre aspas...a ideia era isolar a sílaba escatológica, mas receio que lhe falte caco para tais subtilezas....

Diogo disse...

[Simplesmente parte de uma premissa que não prova, dogmática e ideológica. E depois, por puro silogismo, conclui as bostadas]

Caro Lidador,

Quem aqui parte de alguma premissa é você. Você acredita piamente na bondade e honestidade de um bando que se apoderou das rédeas dos EUA, e come tudo o que eles lhe disserem sem qualquer tipo de engulho.

Eu e outros, olhamos para os acontecimentos com algum sentido crítico. E perguntamo-nos:

- Pode um edifício (WTC 7) de 47 andares cair sobre si próprio, por inteiro, sem qualquer razão aparente?

- Podem quatro aviões andar à solta pelos céus americanos durante tanto tempo sem qualquer reacção da mais poderosa Força Aérea do planeta?

- Pode um Boeing 757 desaparecer por um pequeno buraco no Pentágono, sem deixar quaisquer sinais do impacto das asas ou da cauda?


Eu também não lhe chamo estúpido. Você é simplesmente cego.

Anónimo disse...

lidador, voce foge ao assunto de uma maneira um bocado parva, gramática, de redes de neuronios,...?

tá visto que não tem argumentos para por em causa aquilo a que realmente se refere este post!!!

méeeeeee méeeeeee

Anónimo disse...

lidador, olha mais insiders que não têm medo de dizer o que pensam:

http://www.patriotsquestion911.com/

fica aqui só uma amostra:

Col. Robert Bowman, PhD, U.S. Air Force (ret) – Director of Advanced Space Programs Development under Presidents Ford and Carter.

http://video.google.com/videoplay?docid=-6900065571556128674

Nicolaias disse...

Como sempre o cavalheiro Lidador tem a atitude de quem é pago para criar a confusão no seio daqueles movimentos que procuram revelar a verdade e fazer com que esta não seja esquecida: sem qualquer tipo de argumentos dignos de consideração, vai balbuciando umas quantas afrontas típicas dos colegiais, isto, no intuito de espalhar o caos informativo, o ruido intelectual, chamar a atenção sobre si e dispersar todo e qualquer debate mais sério que erga a verdade.
Por outro lado, esta criatura não tem inteligência suficiente para estar a ser paga, a não ser por interresses ainda mais ignorantes e parvos do que a bestialidade com que se prenuncia: contestado em seus fracos argumentos, parte para a injúria e para o português pobre, reflexo da sua baixa condição educativa.
Porque é que gasto tantas palavras neste ser ignóbil? Porque não posso de deixar de classificà-lo, de reconhecê-lo publicamente e denuncià-lo como destabilizador que procura ser.

E caro Diogo,

cada vez mais vozes se erguem no sentido do despertar histórico. Mas o que é mais rápido: o despertar, ou o incutir da amnésia?

Anónimo disse...

Lidador, eu sou género Benjamim pá, um bocado mais romântico mas isso é por causa do signo.

Porcos há muitos, de várias maneiras e feitios. Eu confesso que gosto de presunto e torresmos.

Quanto ao fundo: todos nós, por certo, lemos o Príncipe, e sabemos que quando ele não é amado, nas palavras do Nicolau, 'a melhor garantia de posse é a destruição'.

------------

já fiz um link do seu trabalho sobre os aerossóis para o meu mail. Ainda não li. Se calhar eu ter que vir a citar aquilo vou-lhe mandar um mail a perguntar como é. Sou incapaz de me apropriar do trabalho de outrém, mesmo dum adversário.

Agora não sei se vou precisar. Já cerquei os fogos florestais dentro da economia do Carbono e o resto está para além de mim, e já estou a mudar de missão(ou talvez não).

Ontem comi a minha última lampreia da saison, ainda estou com com ácido.

py

Anónimo disse...

convida-se à solidariedade internacional:

http://devaneiosdesintericos.blogspot.com/2007/04/primeira-afronta-varsvia.html

py

Carlinhos Medeiros disse...

"O que é uma "elite paparadeada"?
Confesso que sofro para perceber...o "midiático" também me faz sofrer algo."

Eita, rapaz...e eu que pensava que só existiam aqui no Brasil, as 'mulas' pseudo-intelectuais de 'palavras-cruzadas', que passam o dia estudando dicionários, entupindo sua pequena e tola cabecinha com discursos verborrágicos para tentar surpreender. Ao 'ditador' vou responder sobre as palavras que não existem no seu parco vocabulário: "paparadeada", é uma terminologia usada aqui, para designar "tolos encantados" enganados, então leia-se: enganado pelo algodão
doce imperialista norte-americano.
A CIA, compreende-se uma instituição (singular), mas também um monte de idiotas do teu quilate (plural), "agentes da CIA deram corda". E por fim, professor de gramática lusofônica, a palavra "midiático", ou "midiática" é um adjetivo do substantivo feminino "mídia" que veio do ingles. (mass) media, 'meios de comunicação (de massa)'; o ingles. media advém do neutro pl. do lat. medium, 'meio', 'centro', forma subst. do adj. lat. medius, a um, 'que está no meio', inicialmente us. na acepç. geral de 'meio', 'meio termo'.] .

"Ao tolo, melhor calar e se passar por intelectual, do que abrir a boca e assinar seu atestado de ignorância".

TENDEU?

xatoo disse...

eheheheheeh

O-Lidador disse...

Pois, menino carlinhos, mas este blogue não tem sede na Rocinha, "tendeu"?

Talvez no linguajar parintintim existam essas bostadas, mas na língua de Camões não existe "mídia" nem "papareada".

E quanto à sua verborreia ideológica, recomendo-lhe um fantástico livro de Plínio Apuleyo Mendoza, Carlos Montaner e Alvaro Vargas Llosa, com o título " O perfeito idiota latino-americano".

Tenho a vaga sensação que o cromo ali descrito se chama afinal, menino carlinhos.

Leia e veja-se ao espelho.
Ah, está escrito em português do Brasil e não em português de favela.

Diogo disse...

Pois é Lidador. A língua portuguesa não é tão monolítica como o seu pensamento. Tem tonalidades e cores diferentes que variam de região para região. Mas como explicar este conceito a um pedregulho habituado a papaguear verdades oficiais?

emepê disse...

está escrito em português do Brasil e não em português de favela.

Enfim, o nível a que nos habituou. Ignorante, e ignorante da ignorância.

Já que tanto recomenda, recomendo-lhe eu o "Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa".

mídia
midiático
midiatização
midiatizar


Não quer que lhe dêem a douta palavra na norma brasileira, pois não?

E já agora que fala nisso, e quanto ao português de cá, aproveito para lhe dizer a talhe de foice que é antiglobalização, anti-semitismo, anticapitalismo, antimíssil, antiliberal, Luciferes, slogans naives, ad hoc, etc., não vá lá alguém pensar que escreve no português da Musgueira.