sábado, abril 21, 2007

O peculiar percurso de 2 horas do estudante sul-coreano Cho Seung-Hui na manhã de 16 de Abril de 2007



1) Matar um homem e uma mulher num alojamento do campus da Virginia Tech. A polícia foi chamada por volta das 7h15 da manhã.

2) Gravar-se ae si próprio a amaldiçoar a América em vídeo.

3) Transferir o vídeo para o computador.

4) Gravar o vídeo num DVD.

5) Embalar o DVD.

6) Ir aos correios.

7) Enviar a encomenda para a NBC às 9h01.

8) Matar mais 30 pessoas no edifício de Engenharia do campus da Virginia Tech, menos de duas horas depois do primeiro tiroteio (portanto antes das 9h15m).

9) Suicidar-se.


Entre o primeiro e o segundo tiroteio, o atirador da Virginia Tech enviou por correio uma encomenda para a sede da NBC em Nova Iorque contendo fotos dele brandindo armas e um vídeo com uma mensagem zangada em que blasfema sobre os ricos e o hedonismo dos jovens americanos.


Brian Williams, apresentador da MSNBC: Pete, o primeiro discurso dele que utilizámos, e os subsequentes, estavam no pretérito. Ele disse, "Chegou a altura e eu fi-lo. Tive de fazer o que fiz", o que nos leva a especular, vendo estes vídeos, que ele, talvez, para além de ter enviado alguma coisa pelo correio, gravou-se a si próprio em vídeo entre os dois tiroteios.

Brian Williams: Right. Now, Pete, the first piece of sound we used there, and subsequent pieces, were in the past tense. I wrote down, he says, "The time came and I did it. I had to do what I did," which led to speculation among some of us, looking at these videos, that he, perhaps, in addition to mailing something between these two shootings, actually videotaped himself.


Houve aqui premeditação, disse Molly Henneberg da Fox News (comentando o vídeo). "Nessa altura [enquanto gravava o vídeo], ele decidiu que queria fazer algo muito maior do que aquilo que tinha feito com o primeiro tiroteio [onde matou duas pessoas]."

"There was premeditation here," said Molly Henneberg of Fox News. "Now, he decided he wanted to go much bigger than that after the first shooting."


No Público - 21.04.2007: «O governador do Estado da Virgínia, Tim Kaine, anunciou ontem a abertura de um inquérito independente aos acontecimentos relacionados com o massacre na Universidade Virginia Tech ... à frente do painel encarregado das investigações estará Gerald Massengil, antigo director da Polícia Estadual, que no passado presidiu aos inquéritos do ataque ao Pentágono no dia 11 de Setembro de 2001»


Comentário:

Aqui temos uma interessante «estória» digna de um verdadeiro Sherlock Holmes: um jovem coreano assassina duas pessoas numa universidade, volta ao seu quarto onde se filma a si mesmo a dizer baboseiras, grava o filme num DVD, vai até aos correios enviar o DVD para a NBC News e regressa à universidade onde mata mais trinta pessoas. Tudo isto em menos de duas horas e sem a polícia mexer um dedo (embora tivesse sabido de imediato do primeiro tiroteio).

Qual cereja em cima do bolo, nomearam para investigar esta «estória» o homem que presidiu aos inquéritos do ataque [com um Boeing 757 em miniatura] ao Pentágono a 11 de Setembro de 2001. Nem de propósito, diria Watson!

18 comentários:

sérgio disse...

Mais caricato que isso, é um homem que pertence ao lobby das armas vir dizer que se algum estudante tivesse uma arma tinha logo matado o atirador coreano!
Não era mais fácil dizer que, se não houvesse venda legal de armas nos EUA, o atirador coreano não tinha comprado as armas e não tinha morto 32 pessoas?

Anónimo disse...

Caros amigos,

"José Afonso", figura ímpar da cultura portuguesa, que trilhou, desde sempre, um percurso de coerência na recusa permanente do caminho mais fácil, da acomodação, no combate ao fascismo salazarista e pela liberdade e democracia, é tema de um selo que está em 5º lugar. Precisamos do voto de todos para que se faça um selo em sua memória e em louvor à Liberdade.
Num período de exaltação de valores salazaristas, devemos contrapor com os nossos defensores de Abril!

“Venham mais cinco!!
Traz um amigo também!”


VOTA
[aqui]

Abril, SEMPRE!!

Davide da Costa

DLM disse...

Suponho que há aqui mão sionista. O Diogo é que ainda não a descobriu

gabi disse...

Agora toda a gente diz que os indícios que o miúdo manifestava deviam ter merecido atenção. Se as autoridades tivessem feito alguma coisa antes toda a gente se punha a gritar pelas violações dos direitos civis – "porque é que o governo está a incomodar o miúdo?" Se ele tivesse escrito ameaças, era considerado liberdade de expressão. Agora que morreram 32 pessoas já dizem "porque é que as autoridades não fizeram nada antes?"

Anónimo disse...

Concordo com o Gabi.
Tomara nós que todos os governos fossem tão policiados como o governo norte-americano, permanentemente escrutinado pela opinião pública e mais ainda pela publicada.
A ideologia de fundo que define esta corrente de pensamento, em que se insere este blog, é que o governo norte-americano é preso por ter cão e por não ter...

a.castro disse...

Já vi, caro Diogo. Até que enfim um comentário (no meu blog) com "cabeça, tronco e membros" ;) Acompanhei pela TV essa "fantochada" descrita no seu post. Para que mais gente fique a saber, enviei ao meu filho o link dos comentários no meu post, através do qual ficará a conhecer o conteúdo do seu post!!!
Abraço.

a.castro disse...

Diogo, trago na ponta do rato o comentário do meu filho acabadinho de chegar relativamente ao que disse no comentário anterior. Ele não sabe que copiei o comentário dele, mas não interessa. Vou "largar" o que tenho no rato:
Eu sei que o episódio da universidade é suspeito, por vários motivos (e sei que o exército americano e a CIA têm programas de 'mind control' que deviam dar muito que falar...), mas não pelos motivos que ele apontou aqui. Não há nenhuma prova de que ele tenha gravado os vídeos no próprio dia (de facto seria impossível naquele espaço de 2 horas). O facto de usar o passado não quer dizer nada...

Diogo disse...

Castro,

Eu concordo com o seu filho. Esta «estória» é impossível e está muito mal contada. As declarações no vídeo são forjadas. Porque de facto ele fala no passado:

Brian Williams: he says [no vídeo], "The time came and I did it. I had to do what I did".

Poderia isto ser dito por alguém antes de supostamente ter feito alguma coisa?

Carlinhos Medeiros disse...

Sinto pelo que aconteceu com os estudantes e sou radicalmente contra qualquer tipo de violência praticada sobretudo à inocentes, porém, o que acontece na américa é a manifestação da sábia lei universal: Violência gera violência.
Não comento os méritos da ação isolada.

Diogo disse...

No DN:

Cho começou as gravações seis dias antes do massacre. As últimas foram gravadas minutos antes do segundo tiroteio. "Tiveram hipótese de evitar isto. Mas decidiram derramar o meu sangue", diz num dos vídeos em que critica...


Confirma-se, a rapaziada das «black op» puseram o miúdo a gravar o vídeo entre os dois tiroteios.

Lidador disse...

Caro Diogo, um psicólogo que apareceu a comentar o episódio, disse que pessoas como o coreano, encaram o mundo de forma conspiratória, e racionalizam tudo o que os outros fazem ou deixam de fazer, de acordo com essa visão paranóica.

Felizmente, o Diogo dispara só com um blogue.

Mas atenção...apesar de em Portugal não se poderem comprar armas legais com facilidade, é de uma simplicidade infantil adquirir uma USI no mercado negro, pelo que será bom que o Diogo e alguns dos coeranos deste blogue, evitem cuidadosamente frequentar certas zonas de Lisboa, para que Deus os livre das tentações.

Com o blogue, pode o Diogo disparar asneiras à vontade.
Não só não matam, como divertem a malta e permitem o exercício de finas análises psicológicas como esta que aqui deixo graciosamente, apenas por amor à arte

Diogo disse...

Caro Lidador,

Em vez das declarações do psicólogo em preferia a opinião de um gestor de processos. Isto porque o jovem coreano é bem capaz de ter revolucionado esta disciplina:

Matar duas pessoas, filmar-se a dizer baboseiras, passar o filme para um DVD, ir aos correios enviá-lo para a NBC e voltar para a faculdade para massacrar mais trinta, tudo isto em memos de duas horas, é obra. Em vez de um «mass murder» julgo que temos aqui um genial guru da gestão. Um jovem que finalmente derrubou a barreira entre processos em série e em paralelo. Não fora o episódio lamentável do suicídio e te-lo-íamos já a remodelar uma Microsot, ou até uma Toys'R'Us.

Lidador disse...

Está a ver?

A CIA só contrata génios, se calhar a principal razão pela qual ainda não contratou o Diogo e os coreanos deste blogue.

E que acha daquele golo magistral do Messi?
Aquilo não é normal...provavelmente anda ali a mãozinha da CIA.
E ontem, também de uma forma muito estranha, o cabrito caíu-me mal.

Os sacanas de Langley não descansam.
É só maldade e perfídia o que sai daquelas cabeças.
Nunca mais compro cabrito naquele talho.
O dono é agente da CIA.
E ninguém me tira da cabeça que padre Borga também.

Barão da Tróia II disse...

Já nada do que daí vem me espanta, boa semana

Diogo disse...

Caro Lidador,

Em vez da opinião do psicólogo, eu gostava de ouvir a sua explicação para a sucessão de acontecimentos descritos abaixo - em duas horas e sem intervenção policial. Faça-o sem palha nem retórica.

1) Matar um homem e uma mulher num alojamento do campus da Virginia Tech. A polícia foi chamada por volta das 7h15 da manhã.

2) Gravar-se a si próprio a amaldiçoar a América em vídeo.

3) Transferir o vídeo para o computador.

4) Gravar o vídeo num DVD.

5) Embalar o DVD.

6) Ir aos correios.

7) Enviar a encomenda para a NBC às 9h01.

8) Matar mais 30 pessoas no edifício de Engenharia do campus da Virginia Tech, menos de duas horas depois do primeiro tiroteio (portanto antes das 9h15m).

Nicolaias disse...

Caro Diogo,

este caso é estranho em suas contornâncias.
Porém, devido à falta de dados concretos que possam, verdadeiramente, erguer suspeitas de algo mais mirablante, a melhor opcao é o silêncio em relação ao mesmo até que (caso surjam) informações mais valiosas venham ao de cima: caso contrário, a credibilidade de quem ergue dúvidase principalmente, suspeitas, pode ficar em causa nas referências que faça em futuros casos.

Anónimo disse...

el estudiante y tenista español, nicolas delgado, estaba allí........

Anónimo disse...

È triste ver pessoas inocentes sendo vitimados assim, mas pessoas q sao racistas xenofobos nazistas esses sim merecem essa puniçao! TUDO É POSSIVEL NA NOS EUA, O ASSASSINATO DO JONH KENNEDY, ATENTADOS DE ONZE DE SETEMBRO É muito misterioso os EUA.