sexta-feira, abril 20, 2007

Reserva Federal Americana e Banco Central Europeu – duas entidades gémeas, privadas e criminosas

Jornal de Negócios - 19 Abril 2007

Membro do BCE acusa ministros das Finanças de tentarem influenciar política

Lorenzo Bini Smaghi, membro executivo do conselho do Banco Central Europeu (BCE), afirmou que os ministros das Finanças da Zona Euro podem estar a tentar ganhar "vigilância política" em relação à autoridade monetária e que os comentários dos responsáveis são tentativas políticas para influenciar o BCE.

"Suspeito que por detrás de tais pedidos esconde-se o desejo por alguma vigilância política sobre o BCE. Na minha opinião, isto pode ser equivalente a minar a independência do BCE", adiantou o mesmo responsável.

Bini Smaghi diz que a maioria dos comentários dos políticos sobre o banco central são "convites para reduzir a taxa de juro. É uma tentativa política para influenciar os bancos centrais".

O responsável assegura que as pressões não têm afectado a credibilidade do BCE e que a independência da instituição "assenta em fundações sólidas" e os "mercados não prestam muita atenção às tentativas, mesmo as dos ministros das finanças, para influenciar a política monetária".


A independência do BCE assente em fundações sólidas? Ouçamos a opinião de um político conservador americano:

Barry Morris Goldwater (1909 – 1998) cumpriu cinco mandatos como senador dos Estados Unidos pelo partido republicano e foi candidato à presidência nas eleições de 1964.

"Não vos parece estranho que estes homens que por acaso pertencem ao CFR (Council on Foreign Relations), e que por coincidência pertencem ao Conselho de Administração da Reserva Federal dos Estados Unidos da América, controlem em absoluto o dinheiro e as taxas de juro deste grande país sem a cumplicidade do Congresso? Uma organização em mãos privadas, a Reserva Federal não tem nada a ver com os Estados Unidos." - Barry Goldwater, With No Apologies, page 231.

"A maior parte dos americanos não compreende de todo a actividade dos agiotas internacionais. Os banqueiros preferem assim. Nós reconhecemos de uma forma bastante vaga que os Rothschildse e os Warburgs da Europa e as casas de J. P. Morgan, Kuhn, Loeb e Companhia, Schiff, Lehman e Rockefeller possuem e controlam uma imensa riqueza. A forma como adquiriram este enorme poder financeiro e o empregam é um mistério para a maior parte de nós. Os banqueiros internacionais ganham dinheiro concedendo crédito aos governos. Quanto maior a dívida do Estado político, maiores são os juros recebidos pelos credores. Os bancos nacionais da Europa são na realidade possuídos e controlados por interesses privados." - Barry Goldwater

10 comentários:

João disse...

Os grandes banqueiros internacionais continuam a segurar as rédeas do poder político e económico deste lado e do outro do Atlântico. Os políticos não passam de fantoches vendidos ou manipulados.

Anónimo disse...

A experiência mostra que a atribuição do crédito é uma forma inteligente de aproveitar a produção em excesso que é perdida em função da falta de poder de compra. Os grandes lucros dos bancos são uma boa demonstração de que a invenção do dinheiro foi uma necessidade absoluta dos mercados. Os bancos nacionalizados não têm esta flexibilidade.

Swordfish disse...

Sofocleto, você anda armado em António Perez Metelo da blogosfera? Largue a economia e traga o terrorismo.

contradicoes disse...

Mas meu caro Diogo esse fenómeno não é de agora e no nosso País mesmo no tempo da outra senhora, ou melhor dizendo da ditadura, nem Salazar nem Caetano eram capazes de tomar qualquer decisão política importante, sem previamente consultar os banqueiros. Eu nessa altura já era adulto e lembro-me muito bem que assim era. Portanto, independentemente da institucionalização das democracias nos países tudo continua a girar em função dos senhores que detêm o capital e por isso manipulam e continuarão a manipular o poder político. Quem não entende isso ou é cego ou não quer ver.
Um abraço do Raul

Diogo disse...

Raul,

O cúmulo do absurdo é que andamos todos cegos. Na Europa, na América e no resto do mundo, meia dúzia de bandalhos abrem ou fecham a torneira a seu belo prazer.

Anónimo disse...

Eu concordo com a socialização do BCE. Eu nem sabia que era privado, pensava que era por quotas dos estados-membros.

Vamos a isso.

py

Bilder disse...

Sim senhor!E há quem afirme que os estados unidos e os paises da europa incluindo portugal e o reino unido acordaram a sua falência com a Banca internacional já nos anos trinta do século xx nas famosas convenções de Genebra!
Isto explicaria muita coisa.
Vejam o meu post Masters of War no blog Senhores do Mundo.

Anónimo disse...

http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_digital/news.asp?section_id=1&id_news=80301

py

Anónimo disse...

Espero que esteja bem compreendido que estamos a caminhar para uma forma grave de escravatura moderna. A nossa atenção está muito desviada da verdade. Os media, os governos, a economia, são controlados pelos poderosos detentores do chamado capital. Pelo que reparo, na sociedade, as conversas não são "discutidas" à luz dos argumentos mas à mera posição hierárquica de cada um. Procurem um pouco mais sobre todas as instituições que moldam a vossa vida e reparem na verdade nelas existente.
Procurem o zeitgeist do tempo que vivemos...

Anónimo disse...

Cześć wszystkim na tej stronie!
Miło was spotkać!
Postaram się udzielać :)
Na razie!
---
[url=http://akcesoria.do.pedicure.makijaz123.com/13/]akcesoria do pedicure[/url]