terça-feira, junho 21, 2005

Porter Goss, a CIA e bin Laden

19 de Junho de 2005

Director da CIA acredita saber onde Bin Laden está — Time



WASHINGTON (Reuters) - O director da CIA Porter Goss disse que tem uma "excelente" ideia do sítio onde Osama bin Laden está escondido, mas que o líder da Al-Qaeda não será levado à Justiça até que pontos fracos dos esforços no combate ao terrorismo sejam reforçados, informou a revista Time neste domingo.

Na sua primeira entrevista desde que se tornou chefe da CIA, no ano passado, Goss também disse à revista que a insurgência no Iraque não estava acabada, mas que se aproximava disso.

O director não disse onde acreditava que Bin Laden estivesse, mas especialistas da área de inteligência já afirmaram que ele provavelmente se encontra na região fronteiriça do Paquistão e Afeganistão.

Ele citou dificuldades em "lidar com refúgios em países soberanos", mas disse que "temos que encontrar um modo de trabalhar num mundo convencional de formas não convencionais que sejam aceitas pela comunidade internacional".

Segundo ele, a Al-Qaeda poderia atacar novamente os Estados Unidos. "Certamente a vontade é muito grande. Estamos tentando estar à frente da capacidade deles", disse.




Michel Chossudovsky

O papel da CIA

A componente mais poderosa da Campanha de Medo e Desinformação (FDI) pertence à CIA, a qual secretamente subsidia autores, jornalistas e medias críticos por intermédio de uma teia de fundações privadas e organizações de frente patrocinadas pela CIA.

A desinformação é rotineiramente "plantada" pelos operacionais da CIA nas redacções do principais diários, revistas e canais de TV. Firmas de relações públicas externas são frequentemente utilizadas para criar "falsas histórias". Isso foi cuidadosamente documentado por Chaim Kupferbert em relação aos acontecimentos do 11 de Setembro: "Alguns, poucos, correspondentes bem conectados forneciam os 'furos de reportagem', que obtinham cobertura nos media principais, onde os parâmetros de debate são ajustados e a "realidade oficial" é consagrada pelos fornecedores de notícias".

Iniciativas de desinformação encoberta, sob os auspícios da CIA, também são canalizadas através de vários "procuradores" (proxies) de informações noutros países. Desde o 11 de Setembro elas resultaram numa disseminação diária de informação falsa referente a alegados "ataques terroristas". Em virtualmente todos os casos relatados (na Grã Bretanha, França, Indonésia, Índia, Filipinas, etc.) dizem que os "supostos grupos terroristas" têm "ligações à Al-Qaeda de Osama bin Laden", sem naturalmente admitir o facto (amplamente documentado por relatórios de inteligência e documentos oficiais) que a Al-Qaeda é uma criação da CIA.



Comentário:

Ao ler estes dois artigos fico sem saber o que pensar do director da CIA, Porter Goss:

- Ou se trata de um excelente profissional e, como qualquer chefe de uma organização de espionagem que se preze, faz afirmações dúbias, presta declarações ambíguas, insinua meias verdades e alvitra pareceres obscuros, no sentido proteger os seus subordinados, guardar as suas fontes e defender a imagem da agência.

- Ou então, é apenas um zé-ninguém, que nada percebe de espionagem, que não conhece os cantos à casa, que não tem o respeito dos seus subalternos, e que nem sequer sabe que a Al-Qaeda é uma secção da CIA e que Osama bin Laden é um respeitado funcionário a quem faltam poucos anos para a reforma.

Porter, besta, bestial ou uma besta bestial? Talvez nunca o venhamos a saber!

2 comentários:

marujo disse...

já andamos a "postar" sobre os mesmos tópicos. é o mundo que é pequeno.

Anónimo disse...

You have an outstanding good and well structured site. I enjoyed browsing through it »