segunda-feira, julho 25, 2005

Não É Um Filme De Hollywood

A Guerra Contra o Terrorismo levada a cabo pelo governo de George W.Bush está a fazer do mundo inteiro vítima dessa sanha agressora, militarista e expansionista. Para os soldados americanos, o Iraque já se transformou num outro Vietname. O cenário é idêntico: uma resistência popular organizada em guerrilha, um exército convencional poderoso mas incapaz de matar moscas com mísseis Tomohawk. Quando os americanos finalmente se retiraram do Vietname deixaram um país destruído e com o Iraque vai acontecer o mesmo, apesar da falácia do programa de reconstrução adjudicado a inúmeras empresas americanas...

Já ninguém duvida das mentiras que levaram a esta agressão contra o Iraque. Já nem o próprio mentiroso se atreve a repeti-las mais vezes. Se houvesse algum tipo de justiça, Bush e Blair não se safavam de um qualquer tribunal penal internacional. Esses dois vão ficar para a História como responsáveis por centenas de milhar de mortes, talvez mesmo milhões se levarmos em linha de conta os “danos colaterais”: as doenças que poderiam ter sido combatidas se os hospitais não tivessem sido destruídos, os que morreram de desespero, os que morreram de fome…
Desde Março de 2003, o Oxford Research Group concluiu que, pelo menos, 25 mil iraquianos já morreram vítimas da violência gerada pela invasão norte-americana e que, pelo menos, 45 mil iraquianos foram feridos pelos mesmos motivos. Segundo o mesmo estudo, as tropas americanas foram responsáveis por quatro vezes mais mortes que os ataques da resistência islâmica. Mas estes números mal contam a história toda… porque, um outro estudo patrocinado por um jornal médico inglês, The Lancet, há cerca de seis meses, apontava para um número de mortos próximo dos 100 mil.
Cem mil mortos… não é uma loucura? Esses filhos da puta, sentados lá na sala oval, já alguma vez terão visto um tipo rebentado por uma bala?
Já alguma vez terão sentido o cheiro dos cadáveres putrefactos? Já alguma vez terão ouvido os gemidos dos que sofrem? Já alguma vez terão sentido um arrepio de desespero? Já alguma vez terão parado para pensar que a vida não é um filme de Hollywood? Terão eles consciência da merda que andam a fazer? Dormirão de noite?... Conseguirão eles ter tesão para amar as benditas esposas?
Desde que essa guerra começou que tudo mudou, para pior. A segurança no Médio Oriente não melhorou, embora os Palestinianos pareçam estar à beira de conseguir um Estado reconhecido pelo governo norte-americano. O Irão está, na prática, em alerta máximo contra a possibilidade de um ataque ordenado por Washington. O mesmo se passa na Síria. Não é por acaso que Israel enveredou por um política de maior diplomacia e menos músculo. Se houver uma guerra generalizada na região, o país dificilmente escapará da destruição. E na Europa, estamos nós melhor, agora? Estamos… os espanhóis que o digam, os ingleses também sabem responder. Os atentados terroristas, cegos e indiscriminados, são intoleráveis? São, sim senhor, sem dúvida. Mas são a resposta possível contra as super-potências deste Mundo, isso também é inegável. E não serão igualmente intoleráveis os bombardeamentos cirúrgicos dos B-2 a 10 mil metros de altitude?
Esta guerra já trouxe à luz do dia alguma evidência de que os terroristas que se imolaram contra as Torres Gémeas estavam às ordens de Saddam Hussein? Não… eles eram, de resto, na grande maioria, cidadãos sauditas…
O preço do petróleo baixou, desde que os americanos atacaram? Em Março de 2003 pagavamos a gasolina a… metade do preço de hoje…
O pior é que não se vê o fim desta história. Uma recente decisão tomada em Capitol Hill estipula que os 160 mil soldados norte-americanos só poderão retirar do Iraque quando os desígnios da nação americana forem alcançados… e as baixas sofridas até agora pelas tropa americana foram consideradas insignificantes perante o que está em jogo.
Os políticos querem lá saber se os índices de suicídios entre os seus soldados no Iraque aumentaram alarmantemente, querem lá saber se a moral deles está enterrada algures no deserto iraquiano, querem lá saber se boa parte do Mundo olha com desprezo para a América, que já foi símbolo da liberdade, de sonhos felizes, mas já não é mais.
Na frente interna, Bush também soma problemas. É cada vez maior o número de cidadãos americanos que considera que o país está hoje menos seguro que antes da guerra. E há cada vez menos gente que continua a acreditar que a América é alvo de terroristas invejosos e despeitados por causa da riqueza e bem estar dos yankees.
Não há nada que possa justificar a destruição de um país. Não há nada que possa justificar a destruição do Iraque. Nem mesmo a urgência em depor um ditador.

7 comentários:

paulo disse...

Olá amigo, é a primeira vez que te visito e tudo graças ao linke que o "trool" tem lá como referencia ao nteu blogue, e gostei do que li aqui.
Um abtraço de amizade.
http://www.blog.comunidades.net/peregrino/

Sofocleto disse...

Há quem afirme que não havia terroristas a bordo dos aviões que embaterm no WTC.

http://sandiego.indymedia.org/en/2005/02/107752.shtml

There is also more than adequate evidence that the Bush family as well as many others within the congress, senate, and the BushCo administration had very close contact with the Bin Ladin family and many associations have been found between the CIA and those who "supposedly" took part in the 911 hijackings, many of which are actually alive and well in Saudi Arabia.

Um abraço!

xipsocial disse...

Bush e Blair para a forca!

Sofocleto disse...

Não há necessidade de medidas tão drásticas xipscial. O empalamento é mais do que suficiente.

Anónimo disse...

boa malha! gramo este blog. mas quem são vocês?
isto é, na vida real...

Anónimo disse...

Enjoyed a lot!
»

Anónimo disse...

Keep up the good work
» » »